Mostrando postagens com marcador novena de natal. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador novena de natal. Mostrar todas as postagens

20 dezembro 2019

O SIM DE MARIA

Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra (Lc 1, 38)


20 de dezembro de 2019


Primeiro, Maria ficou assustada. De repente, o anjo com uma estranha saudação. “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo”. O que está acontecendo? O que isso significa? Não tenha medo, Maria. Deus está muito feliz com você. Você vai conceber e gerar o filho dele, o filho que vai herdar o trono de Davi. Maria ainda estava assustada, mas já tinha uma resposta. Deus estava feliz com ela e estava lhe comunicando uma grande missão.

Depois do susto, veio a dúvida. “Não é possível uma coisa dessa... eu nem casada sou”. Como é que uma virgem pode ser mãe? E o anjo: “pra Deus não tem isso não, Maria, tudo é possível para ele. Quer um exemplo? Isabel. Estéril, idosa, agora está grávida de seis meses”. Como Deus é grande, como ele é bom, pensou Maria. Desvaneceu-se a dúvida. Ele é o Todo-poderoso. Ele faz maravilhas.

Passado o susto, ela dialogou responsavelmente para ver o alcance do que lhe estava sendo comunicado. A dúvida foi vencida. Vem agora a entrega, entrega humilde e generosa. “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”. Entrega-se ao cumprimento da vontade do Senhor manifesta na palavra do anjo. Realizará a vontade do Senhor como serva. Entrega humilde, generosa, total.

É. Deus sempre nos surpreende. Manda-nos seus recados. Pega-nos de surpresa. Suas propostas alteram profundamente a normalidade do nosso caminho, de nossa vida. São planos diferentes dos nossos. Mas, não é uma ordem do dia, uma distribuição aleatória de tarefas ou peso que se dá a qualquer um. É, antes de tudo, uma escolha amorosa. É um voto de confiança de quem ama a quem ele cumulou de toda graça, de toda bênção. A escolha é antes de tudo um sinal distintivo do seu amor. “Não foram vocês que me escolheram, fui eu que escolhi vocês”.

O ‘sim’ de Maria foi responsável e generoso. A primeira reação à entrada surpreendente de Deus em nossa vida, integrando-nos no seu projeto de salvação, é a surpresa. Depois vem a dúvida. E por fim, a resposta. Às vezes, ela não é como a de Maria, a da entrega generosa e humilde. 





Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra (Lc 1, 38)


7º dia da Novena de Natal

O TESTEMUNHO DE ISABEL

Bendita és tu entre as mulheres (Lc 1, 42)

Apresentação do tema

Isabel está radiante com a visita inesperada de Maria. Seu bebê de seis meses de gestação esperneia de contentamento. Isabel, cheia do Espírito Santo, festeja a chegada da jovem prima: "Bendita és tu entre as mulheres. Bendito é o fruto do teu ventre". A saudação de Isabel continua de boca em boca, cumprindo a profecia da Virgem: "Todas as gerações me chamarão bem-aventurada". E ela mesma deu a razão: "porque o Senhor fez em mim maravilhas".

A Igreja proclama as maravilhas que Deus fez em Maria. Uma delas foi a imaculada conceição. Todos nós nascemos com o pecado original, somos herdeiros da distância em que o ser humano se colocou de Deus. Ela foi preservada desse estado de separação de Deus, desde a sua concepção.

Ela é a “cheia de graça”. A concepção virginal também é obra do Senhor na vida de sua humilde serva. O filho de Deus foi gerado no seu seio por obra e graça do Espírito Santo. "Santa Maria, mãe de Deus, rogai por nós, pecadores". Mãe de Deus: foi o reconhecimento dos cristãos reunidos no Concílio de Éfeso no ano 431. Jesus é homem e Deus, ao mesmo tempo, filho de Deus e de Maria. Ela é mãe do Filho, em quem o humano e o divino estão unidos. Ao término de sua vida terrestre, ela foi levada à glória celeste em corpo e alma. Chamamos isso de Assunção. Maria acompanha a condição de seu Filho. Está ressuscitada com ele, como nós estaremos um dia. Quando fazemos festa para Maria, na verdade, festejamos quem nela fez maravilhas.

Oração do dia

Unamo-nos a todas as gerações que a proclamam bendita e façamos nossa a prece do anjo Gabriel, de Isabel e de toda a Igreja:

Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco. Bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus.

Santa Maria, mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.

Bênção


O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Vivência

O que você mais admira na pessoa da mãe de Jesus e nossa?

Amanhã, a gente se encontra para o 7º dia da novena.






Pe. João Carlos Ribeiro, sdb - 20 de dezembro de 2019.

18 dezembro 2019

DEUS CONTA COM VOCÊ


Tu ficarás alegre e feliz, e muita gente se alegrará com o nascimento do menino (Lc 1, 14).


19 de dezembro de 2019

Nestes dias que precedem o natal, trazemos à memória uma figura muito especial: Zacarias. Os acontecimentos na vida do sacerdote Zacarias nos dizem que Deus conta com todos nós, independentemente da idade. Aliás, os idosos, precisamente estes, têm uma contribuição muito especial a dar no plano de salvação do nosso Deus. Vamos ao texto de hoje.

O sacerdote Zacarias está no Templo oferecendo o incenso. De repente, aparece-lhe o anjo do Senhor. Ele lhe traz uma boa notícia: o filho que ele tanto quis, e não pode, agora vai chegar. Zacarias já tinha perdido a esperança. Já estava velho. E sua mulher Izabel, além de idosa, era estéril. Zacarias duvidou. Será?! Como é que eu vou ter certeza disso? Tá certo, Zacarias. Aqui está o sinal. Você, por não acreditar, vai ficar mudo, até o menino nascer. O anjo Gabriel aproveitou pra dizer a Zacarias qual seria a missão do seu filho: preparar os caminhos do Messias.

Na vida de Zacarias e Izabel, está esse grande testemunho: mesmo com nossos limites e deficiências, Deus conta conosco no seu projeto. Aliás, fica claro nessa história de Zacarias que não é por obra de mãos humanas, mas por obra do próprio Deus que nos chega a salvação. A salvação é obra de Deus em nossas vidas, com nossa humilde e frágil participação.

E você fica pensando... será que Deus conta comigo também no seu plano de salvação? Pode ter certeza. Ele conta com você, como contou com Zacarias e Izabel. Agora, por favor, não diga, ah estou de idade... ou, não tenho muito estudo... ou, meu tempo é muito pouco... nem diga: eu não sou ninguém... quanto mais fracos somos, mais se manifesta que é Deus que realiza a obra. Mas, a obra de Deus , que é a nossa salvação em Cristo, a nossa e a de outros, passa pelas nossas mãos, pela nossa voz, pela nossa humilde colaboração. Sem os poucos pães que o menino partilhou não haveria multiplicação dos pães. Você entendeu? Deus conta com você.


Tu ficarás alegre e feliz, e muita gente se alegrará com o nascimento do menino (Lc 1, 14).





6º dia da novena 

O TESTEMUNHO DE GABRIEL

O Senhor lhe dará o trono de seu pai Davi (Lc 1, 32)

Apresentação do tema 

O anjo Gabriel foi enviado por Deus a Maria. Ele a saudou de uma forma surpreendente: “Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo”. E anunciou que ela seria mãe, mesmo sendo virgem. E deu um testemunho maravilhoso sobre Jesus. Maria ouviu tudo, confusa coitada e pediu uma explicação. E ele a tranquilizou: ela engravidaria por obra do Espírito Santo. E Maria, com humildade e generosidade, aceitou a missão que Deus lhe confiava.

Nessa proximidade do natal, recordamos como foi o anúncio do anjo a Maria. E ficamos atentos ao anjo Gabriel. Ele desempenhou bem a sua tarefa. Veio da parte Deus, como mensageiro, com uma missão muito especial. Entrou com grande respeito na presença de Maria, saudando-a como cheia de graça, comunicou-lhe a boa notícia que trazia, tirou suas dúvidas, recebeu sua resposta e se foi. A evangelização deve sempre produzir uma resposta, um engajamento da pessoa. 

O anjo revelou coisas muito especiais sobre Jesus: ele, o filho de Deus e de Maria, é o líder do povo santo e de toda a humanidade.

Oração do dia

O anúncio do anjo a Maria é celebrado, em nossa tradição cristã católica, de maneira especial, com a oração do ÂNGELUS. 

Guia: O Anjo do Senhor anunciou a Maria. 
Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo.

Guia: Eis aqui a serva do Senhor.
Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra.

Guia: E o Verbo se fez carne.
Todos: E habitou entre nós.

Guia: Rogai por nós, Santa Mãe de Deus!
Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Guia: Oremos. Derramai, ó Deus, a vossa graça em nossos corações, para que, conhecendo pela mensagem do anjo a encarnação do vosso Filho, cheguemos, por sua paixão e cruz, à glória da ressurreição. Por Cristo, nosso Senhor.

Todos: Amém.

Bênção

O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.


Vivência

Nesta proximidade do natal do Senhor, o que podemos aprender com o anjo Gabriel?

Pe. João Carlos Ribeiro – 19 de dezembro de 2019





16 dezembro 2019

A RESPOSTA DO SILÊNCIO

Eu também não lhes direi com que autoridade faço estas coisas (Mt 21, 27). 


16 de dezembro de 2019. 

Por que Jesus não respondeu à pergunta? Não seria mais fácil Jesus dar logo uma reposta? Eles perguntaram com que autoridade Jesus estava fazendo aquilo no Templo. E o que é que Jesus estava fazendo? Estava denunciando que tinham convertido a casa de oração num antro de ladrões, expulsando os vendedores e compradores, afinal, tomando uma atitude pública contra o desvirtuamento do Templo. Quem estava perguntando? Os responsáveis pelo Templo e pela religião em Israel: os sumos-sacerdotes, os mestres da lei e os anciãos; o grupo que depois julgaria Jesus no Sinédrio, condenando-o como um malfeitor. Então, não era uma pergunta inocente... era uma acusação, um enfrentamento perigoso, uma vez que eles tinham um corpo de guardas sob seu comando: Com que autoridade fazes isto?

Jesus não respondeu. Mas, se propôs a responder, desde que eles lhe respondessem também a uma pergunta. A pergunta foi sobre o batismo de João. João andou levando o povo para o deserto, para batizar-se no Rio Jordão, pregando a mudança de vida, em preparação da vinda do Messias. Para João, o Templo não era mais o lugar da purificação. A volta ao tempo do deserto era um recomeço, quando não havia Templo, mas só uma Tenda móvel. Eles, a elite que controlava o Templo, acharam foi bom Herodes prender e decapitar João Batista. Livraram-se de um pregador incômodo, uma denúncia permanente da situação de pecado dos que deviam guardar a aliança com fidelidade. Jesus perguntou: O batismo de João era de Deus ou dos homens? Como eles não se converteram com a pregação de João Batista, a resposta já estava dada. Mas, não podia ser dita. “Então, eu também não digo com que autoridade faço essas coisas”, concluiu Jesus. Claro, a resposta estava dada: com a mesma autoridade com que João Batista pregava a conversão e batizava. Mas, não adiantava dizer com a boca. As suas atitudes já estavam mostrando. 

O mundo hoje cobra explicações dos cristãos ... por que vocês querem pensar e agir diferente dos outros? Por que vocês não aceitam que se combata a violência armando a população, porque não apoiam a pena de morte? Por que vocês não deixam a mulher decidir sobre sua gravidez e ter a liberdade de abortar? Por que vocês insistem tanto no casamento religioso? Por que vocês são tão obedientes ao Papa? Por que vocês adoram a Eucaristia? Quem pergunta nem sempre está interessado na resposta. É só uma forma de intimidação, de oposição. Às vezes, é melhor fazer como Jesus: não responder, ou melhor, responder com as atitudes e com o modo de viver.


Eu também não lhes direi com que autoridade faço estas coisas (Mt 21, 27). 






3º dia da Novena de Nata

O TESTEMUNHO DA HISTÓRIA 

Jacó gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado o Cristo (Mt 1, 16) 

Apresentação do tema 

Hoje, lemos, no início do evangelho de São Mateus, uma genealogia, a relação dos antepassados da família de Jesus, pelo lado paterno. É uma lista muita extensa, ligando Jesus a pessoas como o rei Davi e o Patriarca Abraão. É uma forma de dizer que Jesus, o Messias, o Cristo, o filho de Deus, por sua encarnação, integra agora a família humana; que Jesus inseriu-se na história do povo eleito, povo que teve a liderança de patriarcas, profetas e reis. Ele chega nesse encadeamento da história em que uma geração passa à outra as suas conquistas e o seu aprendizado, especialmente a sua história com Deus. 

Jesus não é somente filho de Deus, é agora também filho da humanidade, integrante de nossa história. Ele é também fruto da história do seu povo eleito, o bendito fruto do ventre de Maria. E essa lição é importante para nós também. Jesus mergulha na história do seu povo, para ser um deles e é assim que ele vai lidera-lo, conduzi-lo, ser o seu pastor. 

Oração do dia 

Senhor Jesus, 

Contigo e com esse texto de tua genealogia, aprendemos a dar valar à história dos nossos antepassados, os famosos e os anônimos. O sangue deles corre em nossas veias. A nossa vida resume toda a história dos nossos pais, dos nossos avós e bisavós. Até nos parecemos fisicamente com eles. Para melhorar a história, precisamos mesmo começar por assumi-la, conhecê-la, aceita-la. Obrigado, Senhor, por esta bela lição. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém. 

Bênção 

O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém 

Para viver Palavra neste 3º dia da novena de natal: 

Em sua experiência, nossa geração está conseguindo transmitir a fé cristã às novas gerações? 

Amanhã, a gente se encontra para o 4º dia da novena de natal. 

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb - 16 de dezembro de 2019.




15 dezembro 2019

SERÁ QUE É ESSE MESMO?

Vão contar a João o que vocês estão ouvindo e vendo (Mt 11, 4)



15 de dezembro de 2019 


Ficamos sempre esperando um outro... um outro amor, um outro emprego, um outro ano. O que temos não nos parece bom o suficiente. Foi o que aconteceu no tempo de Jesus. Não o reconheceram como Messias. Ele não preenchia as expectativas daquele gente. O próprio João Batista ficou em dúvida. Mandou alguns discípulos indagar se era ele mesmo ou se deviam esperar outro.



João anunciou um Messias com acentos bem particulares. Na linha do profeta Malaquias, João falava de um Messias que vinha com o fogo do julgamento. Iria recolher o trigo no celeiro, mas iria tocar fogo na palha. Seu machado já estava posto à raiz das árvores. Quem não desse fruto, seria cortado. Um Messias implacável como o fogo do fundidor, separando o ouro das impurezas com o calor do seu julgamento. E Jesus parecia não estava batendo com essa expectativa de Messias. Pelo contrário, ele mostrou-se manso e humilde de coração, próximo do povo, convivendo com os pecadores. Não um juiz implacável, mas um pastor que vai atrás da ovelha perdida. Não um lenhador de machado na mão, mas um agricultor semeando a sua semente. Não um fundidor assoprando o seu forno com o fole, mas um pai abrindo as portas de casa para receber o filho que volta. Um Messias surpreendentemente diferente. 



João Batista ficou confuso. Ele já apresentara Jesus ao povo, como Messias. Mas, a coisa não estava batendo. Mandou saber. Em resposta, Jesus mandou os emissários observarem e relatarem o que estavam vendo e ouvindo. A ação de Jesus, como Messias, no meio do povo, estava na linha do profeta Isaías. Para essa tradição profética, o tempo do Messias é o tempo do retorno dos exilados à casa, o tempo da libertação dos humilhados. 

João Batista pode ficar sossegado em sua prisão, Jesus é o Messias prometido por Deus. A novidade é que ele está restaurando a aliança de uma forma que ninguém tinha imaginado: próximo do povo, cuidando das feridas de quem foi assaltado e espancado, contando histórias de reconciliação e vida nova ao povo, festejando a conversão dos pecadores, pastoreando o seu rebanho e arriscando sua vida em defesa de suas ovelhas. 

No natal, reconhecemos Jesus, o Messias, Deus que veio morar com a gente, Deus que veio cuidar da gente. Quem continua esperando um outro... um outro amor, um outro emprego, um outro ano... e desvalorizando o que tem, as pessoas que estão ao seu lado... quem age assim, não entendeu Jesus, não entendeu o Natal. 

Vão contar a João o que vocês estão ouvindo e vendo (Mt 11, 4) 







3º dia da Novena de Natal 

O TESTEMUNHO DE JOÃO 



Quem tiver duas túnicas compartilhe com aquele que não tem. Quem tiver o que comer, faça o mesmo. (Lc 3, 10) 

Apresentação do tema 

Às vésperas da chegada do Messias, o profeta João Batista está atraindo o povo para o deserto. E prega a chegada iminente do Messias e a necessidade de cada um abandonar sua vida errada e restabelecer sua aliança com o Senhor. Os que confessam os seus pecados são batizados por ele, no Rio Jordão. É o batismo purificador, preparando o povo para o encontro com o Senhor que está chegando; um povo que está sendo restaurado na sua condição de povo de Deus, pela Palavra que está sendo anunciada e pelo Banho purificador da Água. É isso que está acontecendo ali, no deserto da Judeia. 

João é uma figura impressionante, pela sua austeridade de vida, pelo anúncio da vinda do Messias e por sua pregação clara sobre conversão, a mudança de vida. E mais: para não deixar qualquer dúvida sobre sua função auxiliar, apresenta a figura do Messias como muito superior a si próprio. “Eu nem sou digno de desamarrar suas sandálias”. É o servo que lava os pés do seu senhor. João nem se acha digno de ser servo do Messias. E o batismo do Messias é igualmente superior. “Eu batizo vocês com água. Ele vai batizar com o Espírito Santo e com fogo”. O fogo é um símbolo de purificação. No livro do profeta Malaquias está dito que o Messias vem com o fogo do fundidor ou refinador do ouro: vai purificar o seu povo. O forno do fundidor separa o ouro das impurezas. 

A partilha e a solidariedade, recomendadas por João na preparação para a chegada do Messias, são sinais de conversão. Afastando-se do egoísmo e da indiferença, o convertido mostra que se importa com a dor e o sofrimento dos seus irmãos. 

Oração do dia 

Senhor Jesus, 

Este tempo de advento, preparando-nos para o teu natal e para tua segunda vinda, é uma grande convocação para a conversão. É como se vivêssemos no tempo de João Batista, um tempo de preparação para a tua chegada. Dá-nos, Senhor, acolher os apelos deste tempo abençoado e voltarmo-nos para ti de todo coração. Concede que brote de nossos corações abrasados por tua palavra gestos de partilha e solidariedade com os irmãos mais pobres e sofredores. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém. 

Bênção 

O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém. 

Para viver a palavra neste segundo dia da novena: 

Em que a partilha pode ser um sinal de mudança, de conversão? 

Amanhã, a gente se encontra para o 3º dia da novena de natal. 

Pe. João Carlos Ribeiro – 15 de dezembro de 2019





14 dezembro 2019

O TESTEMUNHO DE ELIAS (1º DIA DA NOVENA DE NATAL)

Elias já veio, mas eles não o reconheceram (Mt 17, 12).

14 de dezembro de 2019

Apresentação do Tema 

Os Mestres ensinavam que antes que o Messias viesse, viria Elias. Elias foi um dos maiores profetas do povo de Deus e era sempre lembrado como alguém que restabeleceu a religião de Israel, ameaçada pelos cultos estrangeiros. Elias tinha vivido vários séculos antes. Eles, lendo o livro do profeta Malaquias, entendiam que Elias voltaria antes que o Messias chegasse. Está assim no livro do profeta Malaquias: “Eis que eu envio o profeta Elias, antes que chegue o grandioso e terrível dia do Senhor” (Ml 3, 23).

E Jesus explica aos seus discípulos que, de fato, Elias já tinha vindo. Foi João Batista, pelo que ele deu a entender. Não que ele tenha voltado em João Batista, isso não. É que João Batista fez o papel de Elias, aproximando o povo do seu Deus, preparando a chegada de Jesus. Disse Jesus: “Elias já veio, mas eles não o reconheceram”. E falou do modo como maltrataram João. O profeta, coitado, foi degolado na prisão de Herodes. E Jesus avisou que eles tratariam mal a ele também.

Este evangelho é um bom aviso para nós. Ficamos sempre esperando alguma coisa muito grande acontecer, para finalmente viver como convertidos. Não reconhecemos o Elias, que é quem prepara o caminho para o nosso encontro com Jesus. E nem reconhecemos o próprio Senhor que está no meio de nós. Ele se apresenta manso e humilde, renunciando às armas do poder. Elias já veio. O Messias também. O que é que estamos esperando para acolher o Reino de Deus que ele está anunciando?

Oração 

Senhor Jesus,

O papel de Elias de preparar os caminhos para a tua chegada foi realizado por João Batista. João foi o Elias que preparou os teus caminhos. Muitos fazem hoje esse papel, preparando o povo para o encontro contigo. Nós te bendizemos pelos Elias de hoje. Que eles não desanimem pela baixa adesão das pessoas à sua mensagem. Estamos seguros que também nós podemos e devemos fazer esse papel de Elias, ajudar as pessoas a abrirem o seu coração para te acolher como Messias e Salvador. Dá-nos, Senhor, paciência, sabedoria e perseverança para sermos Elias hoje, evangelizadores dos nossos irmãos e irmãs. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Bênção 

O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Vivência 

Será que você pode identificar quem foi Elias na sua vida, quem preparou você para o encontro com Cristo? 

Pe. João Carlos Ribeiro - 14 de dezembro de 2019

24 dezembro 2018

O TESTEMUNHO DOS PASTORES - CELEBRAÇÃO DE NATAL COM SUA FAMÍLIA

O TESTEMUNHO DOS PASTORES



E todos os que ouviram os pastores ficaram maravilhados com aquilo que contavam (Lc 2, 18)

24 de dezembro de 2018

Apresentação do tema

Para a festa do natal, nos preparamos com o advento: uma caminhada de quatro semanas. O advento nos prepara para o encontro com o Senhor que vem. E essa peregrinação do advento nos leva à Gruta de Belém. Quem melhor pode nos representar em nossa peregrinação à Belém são os pastores. Vamos conferir o que está narrado no evangelho e ver se estamos no mesmo caminho.

Os pastores receberam o aviso, a boa notícia. Nós também a recebemos, pela evangelização. Despertos como estavam, assumiram uma nova atitude. Foram ao encontro do Senhor que veio em nossa humanidade. E o reconheceram em sua encarnação entre os pobres e desprezados desse mundo. Não o procuraram em Jerusalém, entre as elites, como os Magos o fizeram. Não se depararam com uma manifestação de grandeza, típica da lógica do poder. Eles o reconheceram na fragilidade de uma criança. E, assim, se tornaram testemunhas dessa maravilha: Deus veio a nós como nosso irmãozinho mais necessitado. O caminho dos Pastores há de ser o nosso. Eles são testemunhas de Jesus Cristo, em sua encarnação.

E todos os que ouviram os pastores ficaram maravilhados com aquilo que contavam (Lc 2, 18)

Oração do dia

Senhor Jesus, Neste natal, nos encontramos como família ao redor de tua manjedoura. Ao lado de Maria, de José, e de toda a criação representada pelos animais, nós te contemplamos em tua encarnação. Viemos, como os pastores de Belém, te visitar. Queremos, Senhor, que este natal nos anime a viver na fé e na esperança do teu evangelho. Com certeza, este é o maior presente que podemos de oferecer: renovar hoje nossa adesão ao teu evangelho e à tua Igreja. Derrama tuas santas bênçãos sobre cada um de nós e ajuda-nos a ser família segundo o modelo de tua santa família. Cuida, Senhor, de todos nós. Amém.

Bênção

PAI OU MÃE: O Deus de infinita bondade que, pela encarnação de seu filho, expulsou as trevas do mundo e, com seu glorioso nascimento transfigurou este dia, expulse do nosso coração as trevas dos vícios e nos transfigure com a luz das virtudes. TODOS: Amém.

PAI OU MÃE: Aquele que anunciou aos pastores, pelo anjo, a grande alegria do
nascimento do salvador derrame em nosso coração a sua alegria e nos torne
mensageiros do evangelho. TODOS: Amém.

PAI OU MÃE: Aquele que pela encarnação do seu filho, uniu a terra ao céu nos conceda
sua paz e seu amor e nos torne participantes da igreja celeste. TODOS: Amém.

TODOS: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Vivendo a palavra

O que podemos aprender com os pastores de Belém?

FOTO: Crianças em auto de natal em Carpina, na comunidade de São Francisco (Bairro do Ipsep), onde celebrei ontem, dia 23 de dezembro.

Pe. João Carlos Ribeiro – 24.12.2018

23 dezembro 2018

9º DIA DA NOVENA DE NATAL – O TESTEMUNHO DO NASCITURO

Bendito é o fruto do teu ventre (Lc 1, 42) 


23 de dezembro de 2018. 

Apresentação do tema 

Ao chegar à casa de Isabel, Maria saudou a sua prima com um 'Shalom', como todo hebreu piedoso fazia. Esta saudação provocou uma revolução em Isabel e no seu bebê de seis meses de gestação. Ele se contorceu de alegria. Ela ficou cheia do Espírito Santo. E uma das coisas que proclamou com entusiasmo foi “bendito é o fruto do teu ventre”. E mais: que Maria era a mãe do seu Senhor. Conclusão: neste embriãozinho, em suas primeiras semanas de gestação, Isabel, iluminada pelo Espírito, já enxerga o seu Senhor, o Messias. Que grande lição para nossa sociedade que caminha a passos acelerados para a liberalização do aborto. A vida humana existe desde a concepção. Nosso dever é protegê-la.

O testemunho de Isabel sobre Jesus é maravilhoso: ele é o bendito fruto de Maria, a bendita entre as mulheres. Ele é o Senhor, em sua origem é divino. E ela o reconhece, pelo Espírito Santo, em suas primeiras semanas de vida uterina. A vida humana já existe desde a concepção. A vida é sagrada. Sejamos seus guardiões. 

Bendito é o fruto do teu ventre (Lc 1, 42) 

Oração do dia 

Senhor Jesus,
a visita de tua mãezinha à sua prima necessitada, em sua condição de idosa e gestante, era já uma imagem de tua visita à nossa humanidade. Inclusive, ela se demorou lá por três meses, como tu te demoraste por três anos em teu ministério público. Na oração diária, sempre repetimos as palavras do cântico de Zacarias: “Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo”. Tua primeira vinda foi celebrada então, como uma visita, “a visita do sol nascente que vem iluminar os que estão nas trevas”. Obrigado, Senhor, por tua visita, por tua primeira vinda. Agora, toda a Igreja aguarda e clama por tua segunda vinda. Vem, Senhor Jesus! 

Bênção 

O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém. 

Para você viver a palavra deste 9º dia da novena: 

Como podemos expressar nossa proximidade junto a alguma gestante que conhecemos? 

Terminamos a nossa novena de natal – a novena das testemunhas. Amanhã, véspera do natal, vamos fazer aqui um momento de oração por sua família. Pode ser? 

Então, a gente se encontra amanhã. 

Pe. João Carlos Ribeiro -23.12.2018

21 dezembro 2018

7º dia da novena - O TESTEMUNHO DE ISABEL

Bendita és tu entre as mulheres (Lc 1, 42)
21 de dezembro de 2018.
Apresentação do tema
Izabel está radiante com a visita inesperada de Maria. Seu bebê de seis meses de gestação esperneia de contentamento. Izabel, cheia do Espírito Santo, festeja a chegada da jovem prima: "Bendita és tu entre as mulheres. Bendito é o fruto do teu ventre". A saudação de Izabel continua de boca em boca, cumprindo a profecia da Virgem: "Todas as gerações me chamarão bem-aventurada". E ela mesma deu a razão: "porque o Senhor fez em mim maravilhas".
A Igreja proclama as maravilhas que Deus fez em Maria. Uma delas foi a imaculada conceição. Todos nós nascemos com o pecado original, somos herdeiros da distância em que o ser humano se colocou de Deus. Ela foi preservada desse estado de separação de Deus, desde a sua concepção.
Ela é a “cheia de graça”. A concepção virginal também é obra do Senhor na vida de sua humilde serva. O filho de Deus foi gerado no seu seio por obra e graça do Espírito Santo. "Santa Maria, mãe de Deus, rogai por nós, pecadores". Mãe de Deus: foi o reconhecimento dos cristãos reunidos no Concílio de Éfeso no ano 431. Jesus é homem e Deus, ao mesmo tempo, filho de Deus e de Maria. Ela é mãe do Filho, em quem o humano e o divino estão unidos. Ao término de sua vida terrestre, ela foi levada à glória celeste em corpo e alma. Chamamos isso de Assunção. Maria acompanha a condição de seu Filho. Está ressuscitada com ele, como nós estaremos um dia. Quando fazemos festa para Maria, na verdade, festejamos quem nela fez maravilhas.
Bendita és tu entre as mulheres (Lc 1, 42)
Oração do dia
Unamo-nos a todas as gerações que a proclamam bendita e façamos nossa a prece do anjo Gabriel, de Izabel e de toda a Igreja:
Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco. Bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus.
Santa Maria, mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.
Bênção
O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.
Para você viver a palavra deste 7º dia da novena:
- O que você mais admira na pessoa da mãe de Jesus e nossa?
Amanhã, a gente se encontra para o 7º dia da novena.

Pe. João Carlos Ribeiro – 21.12.2018

19 dezembro 2018

5º DIA DA NOVENA - O TESTEMUNHO DOS IDOSOS


Tu ficarás alegre e feliz, e muita gente se alegrará com o nascimento do menino (Lc 1, 14).

19 de dezembro de 2018.

Apresentação do tema

Zacarias e Izabel são testemunhas de Cristo. Conhecem os segredos da concepção do seu filho João, que vem por uma intervenção divina operando na fraqueza humana: a esterilidade dela e a idade avançada dos dois. Seu filho João vai preparar os caminhos do Messias, vai reconciliar os pais com os filhos, vai preparar um povo bem disposto para o Senhor que está chegando. Durante toda a gravidez de Izabel, Zacarias ficou mudo. Mas, depois, depois abriu a boca para louvar o Senhor Deus que fez de seu filho o profeta do Altíssimo.

Em Zacarias e Izabel, contemplamos como Deus valoriza e integra também os idosos no seu projeto de salvação. Eles foram os pais de João, o profeta que preparou os caminhos de Jesus. Eles o geraram e o educaram para responder generosamente à sublime vocação de anunciador do Messias que estava chegando. Os idosos testemunham, com sua experiência, que Deus vem conduzindo a história. Eles dão testemunho da ação de Deus em suas vidas, sustentando os seus no caminho de Jesus com seu exemplo, com sua fé e com suas orações.

Oração do dia
Senhor Jesus,
O anjo trouxe para Zacarias uma notícia boa. Disse que ele se preparasse porque iria viver dias de muita alegria e felicidade. Suas preces tinha
m sido ouvidas. Deus lhes mandaria um filho, com uma linda missão. O seu nascimento iria ser motivo de alegria pra muita gente. Manda, Senhor, teu anjo trazer notícias boas para os nossos idosos também. Eles precisam saber como são amados, como Deus conta com eles e como nós os estimamos e precisamos deles. Abençoa, Senhor, os nossos avós. Eles são nossos primeiros evangelizadores. Abençoa nossas famílias. A família é a primeira comunidade cristã que nos acolhe e evangeliza. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.


Bênção

O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Para viver a palavra deste 5º  dia da novena

- O que os idosos de nossa família e de nossa comunidade têm a nos ensinar em relação à nossa fé?

Amanhã, a gente se encontra para o 6º dia da novena.

Pe. João Carlos Ribeiro – 19.12.2018

18 dezembro 2018

4º dia da Novena de Natal - O TESTEMUNHO DE JOSÉ


Quando acordou, José fez como o anjo do Senhor havia mandado e aceitou sua esposa (Mt 1, 24).

18 de dezembro de 2018.


Apresentação do tema

Caminhando para o natal, nos debruçamos hoje sobre uma figura muito especial, o esposo de Maria e pai adotivo de Jesus. José é o homem obediente a Deus. Ele faz a vontade de Deus, assim que a conhece, com toda dedicação e enfrentando qualquer dificuldade. A sua acolhida da vontade de Deus é um grande exemplo para nós. José é também uma testemunha de Jesus. Com sua vida de pai e de esposo, ele nos diz quem é esse Jesus, que vai aprender com ele a ser um homem justo, um judeu piedoso, um carpinteiro útil na comunidade. 

O que será que o anjo realmente mandou José fazer? Primeiro, receber Maria por esposa. Estar ao lado de Maria, em sua gravidez, na educação do seu filho e em tudo, como esposo, companheiro, apoiando-a, protegendo-a, partilhando com ela as responsabilidades de uma família. E José, que tanto amor tinha por Maria, abraçou essa missão de esposo. Segundo, o anjo mandou que ele desse o nome de Jesus ao menino. E a missão do menino já estava expressa no seu nome: salvar o seu povo dos seus pecados. Dar o nome ao menino significava reconhecê-lo publicamente como filho, garantir sua pertença à família de Davi. Por meio de José, o filho de Deus seria também filho de Davi, seu descendente.

Quando acordou, José fez como o anjo do Senhor havia mandado e aceitou sua esposa (Mt 1, 24). 

Oração do dia

Senhor Jesus,
Contemplando esse bonito exemplo de São José, nós te pedimos que os pais cristãos se espelhem nesse homem justo, a quem Deus te confiou e a quem tanto amaste e respeitaste como pai, aqui na terra. Aos pais, o Senhor nosso Deus continua entregando seus filhos para que lhes sirva de modelo, de estímulo e de guia nesta vida. Aos esposos cristãos, ele continua inspirando a fidelidade e o amor para com sua esposa e sua família. Que todos nós, Senhor Jesus, pais e filhos, aprendamos de José a acolhida respeitosa da vontade de Deus nosso pai. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém. 

Bênção 

O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém 

Vivência 

- Em que os homens de nossas famílias e de nossa comunidade podem aprender de São José? E nós, o que podemos aprender com ele? 

Amanhã, a gente se encontra para o 5º dia da novena de natal. 

Pe. João Carlos Ribeiro - 18.12.2018