Mostrando postagens com marcador Lc 1. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Lc 1. Mostrar todas as postagens

20210324

DIZER `SIM`A DEUS



25 de março de 2021
Anunciação do Senhor 

EVANGELHO

Lc 1,26-38

Naquele tempo, 26o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, 27a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da Virgem era Maria. 28O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!”
29Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. 30O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. 31Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. 32Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. 33Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”.
34Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?” 35O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. 36Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, 37porque para Deus nada é impossível”. 38Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se.

MEDITAÇÃO


Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo! (Lc 1, 28)

Nove meses antes do Natal, celebramos, hoje, a solenidade da Anunciação do Senhor – o dia em que a iniciativa de Deus se encontra com a adesão de sua humilde servidora. É o mistério da encarnação do Verbo.

Primeiro, Maria ficou assustada. De repente, o anjo com uma saudação estranha. “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo”. O que está acontecendo? O que isso significa? ‘Não tenha medo, Maria. Deus está muito feliz com você. Você vai conceber e gerar o filho dele, o filho que vai herdar o trono de Davi’. Maria ainda estava assustada, mas já tinha uma resposta. Deus estava feliz com ela e comunicando-lhe uma grande missão.

Depois do susto, veio a dúvida. ‘Não é possível uma coisa dessas... eu nem casada sou. Como é que uma virgem pode ser mãe?’ E o anjo: ‘Para Deus não tem isso não, Maria, tudo é possível para ele. Quer um exemplo? Izabel. Estéril, idosa, agora está grávida de seis meses’. ‘Como Deus é grande, como ele é bom’, pensou Maria. Desvaneceu-se a dúvida. Ele é o todo-poderoso. Ele faz maravilhas.

Passado o susto, ela dialogou responsavelmente para ver o alcance do que lhe estava sendo comunicado. A dúvida foi esclarecida. Vem agora a entrega. “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”. Entrega-se ao cumprimento da vontade do Senhor manifestada na palavra do anjo. Realizará a sua vontade, como serva. Entrega humilde, generosa, total.

É, Deus sempre nos surpreende. Manda-nos seus recados. Ele nos pega de surpresa. Suas propostas alteram profundamente a normalidade do nosso caminho, de nossa vida. Ele tem planos diferentes dos nossos. Mas, não é uma ordem do dia, uma distribuição aleatória de tarefas que se dá a qualquer um. É, antes de tudo, uma escolha amorosa. É um voto de confiança de quem ama a quem ele cumulou de toda graça, de toda bênção. A escolha é antes de tudo um sinal distintivo do seu amor. “Não foram vocês que me escolheram, fui eu que escolhi vocês”, afirmou Jesus.

Guardando a mensagem

O “sim” de Maria foi muito especial. Depois do susto, ela procurou saber o alcance daquele convite tão especial da parte de Deus. Convenceu-se de que ele pode tudo e que, com ele, ela poderia vencer qualquer obstáculo, começando por fazer fecunda a sua virgindade. Teve fé. Izabel fez-lhe um elogio por sua fé: “Bem-aventurada a que acreditou, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor se cumprirá”. A primeira reação à entrada surpreendente de Deus em nossa vida, integrando-nos ao seu projeto de salvação, é o susto, a surpresa. Depois vem a dúvida. E por fim, a resposta. Às vezes, ela não é como a de Maria, a de entrega generosa e humilde. Às vezes, é presunçosa e egoísta. É, muitas vezes, Deus tem recebido um “não”. ‘Não vou, porque já tenho o meu projeto, vou cuidar da minha vida ao meu modo’... Mas, hoje, dia da Anunciação do Senhor, não é dia de ‘não’, hoje é dia de ‘sim’, do ‘sim’ de Maria e do seu ‘sim’ generoso e fiel, meu irmão, meu irmã.

Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo! (Lc 1, 28)

Rezando a Palavra

Senhor Jesus,
temos hoje uma alegria e uma tristeza no coração. A alegria pela solenidade da anunciação, com a qual festejamos a iniciativa misericordiosa do Pai de enviar-te em nossa natureza humana, a tua adesão obediente de Filho amoroso e o ‘sim’ de tua mãe Maria, cheia da graça do nosso Deus. E a tristeza de celebrar essa linda solenidade em meio a uma quarentena por causa do vírus que está circulando tão fortemente. Nem é bem a quarentena que nos entristece, mas as pessoas que estão morrendo por causa do vírus. Senhor, tua vinda continua nos mostrando quanto somos amados por Deus. E quanto ele quer nos salvar por meio de ti. Assim, tu que viste aqui na terra tanto sofrimento, tanta doença, tem compaixão de nós e livra-nos desse covid-19. Abençoa, Senhor, os profissionais da área da saúde e os que estão trabalhando em frentes indispensáveis. Conserva-nos serenos no meio dessa tempestade, confiantes na misericórdia divina e abençoa as nossas famílias em quarentena. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém. 

Vivendo a palavra

Em nossas escadaria quaresmal, estamos subindo, hoje, o 37º degrau. E o passo inspirado na festa de hoje é este: Dizer sim a Deus. Imitar Maria,na sua adesão à vontade do Pai. 

Como você sabe, todas as quintas-feiras, eu celebro a Santa Missa, às 11 horas, com transmissão pelo rádio e pelas redes sociais. Hoje, vamos rezar em sufrágio dos mais de 300 mil brasileiros mortos pelo novo coronavírus. 

Neste dia mariano, fica bem você rezar o Terço. Nas quintas, contemplamos os mistérios luminosos. Estou lhe enviando um link, para o caso de você precisar lembrar como se reza o terço mariano ou como se contempla os mistérios de hoje.

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb



COMO REZAR O TERÇO




“PELO SINAL da Santa Cruz, livrai-nos, Deus, Nosso Senhor, dos nossos inimigos”. “Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.”


Oração do Credo (Na Cruzinha)
Creio em Deus Pai, todo poderoso, criador do céu e da terra, e em Jesus Cristo seu único Filho, Nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus e está sentado à direita de Deus Pai todo poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos; creio no Espírito Santo, na santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na Ressurreição da carne e na vida eterna. Amém.

Oração do Pai-Nosso (em todas as bolinhas maiores)
Pai nosso, que estais no céu, santificado seja o vosso nome, venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje, perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tenha ofendido e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.

Oração da Ave-Maria (em todas as dezenas - bolinhas menores)
Ave-Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.

Glória ao Pai (ao final de cada dezena)
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém!

Jaculatória (após os Glória ao Pai)
Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.




CONTEMPLANDO OS MISTÉRIOS


Mistérios Gozosos (segunda e sábado)
1. No primeiro mistério contemplamos a Anunciação do anjo e a Encarnação do Verbo.
2. No segundo mistério contemplamos a Visitação de Nossa Senhora a sua prima Santa Isabel.
3. No terceiro mistério contemplamos o Nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo em Belém.
4. No quarto mistério contemplamos a Apresentação do Menino Jesus no Templo e a Purificação de Nossa Senhora.
5. No quinto mistério contemplamos a perda e o encontro do Menino Jesus.

Mistérios Dolorosos (terça e sexta)
1. No primeiro mistério contemplamos a Agonia de Jesus no Horto das Oliveiras.
2. No segundo mistério contemplamos a Flagelação de Nosso Senhor Jesus Cristo.
3. No terceiro mistério contemplamos a Coroação de espinhos de Nosso Senhor.
4. No quarto mistério contemplamos Nosso Senhor carregando penosamente a Cruz até o alto do Calvário.
5. No quinto mistério contemplamos a Crucifixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Mistérios Gloriosos (quarta e domingo)
1. No primeiro mistério contemplamos a Ressurreição de Jesus Cristo.
2. No segundo mistério contemplamos a Ascensão de Jesus aos Céus.
3. No terceiro mistério contemplamos a descida do Espírito Santo sobre Nossa Senhora e os Apóstolos no Cenáculo.
4. No quarto mistério contemplamos a Assunção de Nossa Senhora aos Céus.
5. No quinto mistério contemplamos a gloriosa coroação de Maria Santíssima como Rainha do Céu e da Terra.

Mistérios Luminosos (quinta)
1. No primeiro mistério contemplamos o Batismo de Jesus no rio Jordão.
2. No segundo mistério contemplamos a auto-revelação nas Bodas de Caná por intercessão da Virgem Maria.
3. No terceiro mistério contemplamos o Anúncio do Reino de Deus convidando à conversão.
4. No quarto mistério contemplamos a Transfiguração de Jesus.
5. No quinto mistério contemplamos a instituição da Eucaristia

Agradecimento (Última oração ao final do terço)
Infinitas graças vos damos, Soberana Rainha, pelos benefícios que todos os dias recebemos de vossas mãos liberais. Dignai-vos, agora e para sempre tomar-nos debaixo do vosso poderoso amparo e para mais vos agradecer, vos saudamos com uma Salve Rainha:

SALVE RAINHA, Mãe de misericórdia, vida e doçura, esperança nossa Salve! A vós bradamos, os degradados filhos de Eva; a vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro nos mostrai-nos a Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó Clemente, ó Piedosa, ó Doce, sempre Virgem Maria. Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém”

Fonte: https://www.nospassosdemaria.com.br/04-ComoRezarTerco.html

20201222

NOSSA HISTÓRIA TEM FUTURO


23 de dezembro de 2020

EVANGELHO 



Lc 1,57-66

57Completou-se o tempo da gravidez de Isabel, e ela deu à luz um filho. 58Os vizinhos e parentes ouviram dizer como o Senhor tinha sido misericordioso para com Isabel, e alegraram-se com ela. 59No oitavo dia, foram circuncidar o menino, e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. 60A mãe porém disse: “Não! Ele vai chamar-se João”. 61Os outros disseram: “Não existe nenhum parente teu com esse nome!” 62Então fizeram sinais ao pai, perguntando como ele queria que o menino se chamasse.
63Zacarias pediu uma tabuinha, e escreveu: “João é o seu nome”. 64No mesmo instante, a boca de Zacarias se abriu, sua língua se soltou, e ele começou a louvar a Deus. 65Todos os vizinhos ficaram com medo, e a notícia espalhou-se por toda a região montanhosa da Judeia. 66E todos os que ouviam a notícia, ficavam pensando: “O que virá a ser este menino?” De fato, a mão do Senhor estava com ele.

Todos os vizinhos ficaram maravilhados e a notícia espalhou-se por toda a região (Lc 1, 65).


Bem no dia do vizinho, um texto maravilhoso nos preparando para o natal do Senhor. E falando dos vizinhos. É a cena do nascimento de João, o que se tornou depois o Batista. E esse nascimento de João é contado em preparação do nascimento de Jesus. Não foi só a pregação de João que preparou a sua vinda. O seu próprio nascimento, em condições semelhantes de intervenção divina, é já é uma espécie de prévia do nascimento do Messias. O mesmo anjo Gabriel anunciou o seu nascimento, a mãe também concebeu em condições extraordinárias, a mesma atenção à colocação do nome dado ao recém-nascido na cerimônia de circuncisão...

O clima do nascimento é de alegria e contentamento. Isabel deu à luz o seu filho e parentes e vizinhos mostram-se próximos e solidários. Mas, houve mais uma surpresa no dia da circuncisão do menino. A circuncisão era um rito pelo qual o menino era incorporado ao povo de Deus. Era a hora de impor o nome da criança. A surpresa foi o nome escolhido pelos pais: não havia ninguém na família com aquele nome. A mãe queria assim. E o pai, também. Os parentes não estavam de acordo. Como o pai estivesse mudo, escreveu numa tabuinha: “O nome dele é João”. Foi como o anjo Gabriel o tinha instruído. Esse ato de obediência encerrou o castigo de Zacarias que antes não tinha acreditado nas palavras do anjo. E ele começou a falar e a louvar a Deus. Parentes e vizinhos ficaram pasmos, maravilhados. E a notícia correu por toda a região.

“O nome dele é João”. O menino, que acabou de nascer, não iria apenas dar continuidade à sua família ou repetir a história dos seus ascendentes. Ele iria escrever um novo capítulo na história de seu povo. João, não Zacarias. Um nome novo para uma nova missão. Ele encerraria o capítulo da paciente espera do Messias, abrindo o novo tempo. Apontaria o Messias já presente no meio do povo.

O texto de hoje sublinha a solidariedade dos vizinhos e parentes com aquele casal idoso. Eles não somente ficaram sabendo da gravidez prodigiosa de Isabel, mas também a consideraram uma obra misericordiosa de Deus na vida daquela família e se alegraram com ela. Ficaram maravilhados com o que aconteceu no dia da circuncisão da criança. E espalharam por todo canto a boa notícia do que Deus estava realizando no meio do seu povo.

Guardando a Mensagem

O nascimento de uma criança é sempre um recomeço. Não vem para repetir o passado, embora não possa prescindir dele. É um novo ponto de partida. O futuro está começando naquela criança, é o novo entrando na história. O nascimento de uma criança, como o nascimento de João Batista, é um testemunho sobre Jesus. Ele veio assim. Uma criança frágil, chorando no frio daquela noite, ao abrigo de uma gruta e de seus animais, amparada somente pelo amor de uma mãe e de um pai abençoados. Um mistério de vida e de luz, o natal, só compreensível no clima do nascimento de uma criança, de uma mãe que dá a luz.

Todos os vizinhos ficaram maravilhados e a notícia espalhou-se por toda a região (Lc 1, 65).


Rezando a palavra 

Vamos rezar com as palavras do pai do menino João, ao ficar bom de sua mudez:

Bendito seja o Senhor Deus de Israel, que a seu povo visitou e libertou; e fez surgir um poderoso Salvador na casa de Davi, seu servidor, como falara pela boca de seus santos, os profetas desde os tempos mais antigos, para salvar-nos do poder dos inimigos e da mão de todos quantos nos odeiam. 

Vivendo a palavra

Reze, hoje, pelos seus vizinhos. E ao apresentar-lhes votos de boas festas, não fale só da ceia, dos presentes, do especial de natal... aproveite para falar-lhes de Jesus. 

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

20201221

UM CANTO DE LOUVOR E GRATIDÃO


22 de dezembro de 2020

EVANGELHO


Lc 1,46-56

Naquele tempo, 46Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, 48porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, 50e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem.
51Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. 52Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. 53Encheu de bens os famintos, e despediu os ricos de mãos vazias. 54Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, 55conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre”. 56Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa.

MEDITAÇÃO


O Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor (Lc 1, 49)

Tudo começou com a iniciativa de Deus. Ele enviou seu mensageiro, o anjo Gabriel. Este, respeitosamente, anunciou a Maria que ela seria mãe do filho de Deus. “Nada é impossível a Deus”, lembrou-lhe ele. Foi aí que ela soube que Izabel estava grávida. Assim, viajou logo para visitar e ajudar sua prima. Lá chegando, a idosa senhora ficou tomada da alegria do Santo Espírito e a saudou como mãe do seu Senhor. Nessa altura, igualmente cheia do Espírito Santo, Maria louvou a Deus com palavras tão abençoadas que hoje ainda as sabemos de cor e continuamos a honrar o Senhor com a sua linda prece.

Maria está mergulhada num turbilhão de manifestações do amor de Deus: a comunicação do anjo, a sua gravidez, a gestação adiantada de Izabel, a alegria do bebê quando ela chegou, as palavras proféticas de Izabel... então, Maria dá glórias a Deus, primeiro pelo que ele está fazendo na vida dela e, depois, pelo que ele está fazendo na vida do seu povo.

Maria reconheceu, agradecida, que Deus olhou para a pequenez de sua serva (por isso, todas as gerações a chamariam de bem-aventurada) e que Ele fez grandes coisas em seu favor. Realmente, ele é santo e misericordioso. É a primeira parte de seu canto. 

Deus agiu em sua vida de uma maneira maravilhosa. Mas, afinal o que foi mesmo que Deus fez? Deus está enviando o Salvador, por meio dela. Ela está feliz e agradecida por isto. Mas, não se limita só ao que Deus lhe fez. Sabe que essa vinda de Jesus é em benefício de todo o povo. Por isso, bendiz o Senhor porque mostrou a força do seu braço e porque veio em socorro do seu povo. E descreve a ação desse Deus libertador, que continua agindo como no tempo do Êxodo: libertando os humildes e punindo os soberbos. É a segunda parte do seu canto.

Guardando a Mensagem

O testemunho de Maria é maravilhoso. Deus está enviando o Salvador, por meio dela. Nela, ele fez grandes coisas. O Deus santo e fiel está cumprindo suas promessas, em favor do seu povo. O natal é um presente de Deus para o mundo, que passa pelas mãos e pelo ventre de Maria. A vinda do Salvador é uma intervenção de Deus que muda a história, em favor dos humildes, dos famintos, dos sofredores. Não podemos ver o natal apenas como um item da tradição, uma festa de fim de ano, ou apenas uma linda festa de família. O natal é uma intervenção de Deus, mudando a história humana. Deus enviou o seu filho para a salvação do mundo.

O Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor (Lc 1, 49)


Rezando a palavra

Não há palavras e sentimentos mais adequados, hoje, do que o próprio canto da Virgem, inspirada pelo Santo Espírito. Rezemos:

“A minha alma engrandece o Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem (Lc 1, 46-50).

Vivendo a palavra

Como estamos nos preparando para fazer memória do nascimento de Jesus, e ouvimos, hoje, sua mãe num canto de fé e gratidão, você poderia ir se preparando para oferecer um presente ao menino Jesus, no dia do natal. O menino Jesus está na manjedoura da periferia e você facilmente pode encontrá-lo e honrá-lo com o seu presente. Vá se organizando. No dia de natal, volto a lembrar do seu presente.

Participe, hoje, do 8º Dia da Novena de Natal, cujo tema é a Antífona Ó REI DAS NAÇÕES. Vou rezá-la às 14:30, pelas redes sociais. 

'Bem-Aventurada' é a canção que você ouve agora, ao menos um trechinho. Mas, para ouvi-la por inteiro, como também acompanhá-la com a letra, para você que recebe diretamente a Meditação,  f fé só seguir o link que estou lhe enviando. 

Pe. João Carlos Ribeiro sdb 

MÚSICA

BEM AVENTURADA
(Pe. João Carlos)



Doravante as gerações
Me chamarão bem-aventurada


Ele olhou pra mim
E me escolheu
Eu tão pequenina
Servidora
Ele olhou pra mim
E me elegeu
Eu de tão feliz
O louvo agora


O seu nome é santo
É Salvador
Grandes coisas fez
Em minnha vida
O seu nome é santo
E o seu amor
Em toda geração
faz maravilhas


Ele agiu com força
E com poder
Derrubou do trono
Os poderosos
Ele agiu com força
E defendeu
E exaltou os pobres
Humilhados


Ele viu seu povo
E lhe doeu
Rebanho maltratado
E tão sofrido
Ele viu seu povo
E o socorreu
Lembrado do que
Havia prometido


20201220

A AVE MARIA


21 de dezembro de 2020

EVANGELHO


Lc 1,39-45


39Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!” 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre.45“Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”.


MEDITAÇÃO


Bem-aventurada aquela que acreditou (Lc 1, 45)


A visita de Maria à sua prima Isabel é uma cena que você conhece bem. É, inclusive, a meditação da segunda dezena dos mistérios gozosos do Terço. Ao saber da prodigiosa gravidez de sua prima idosa, Maria logo viajou para a Judeia. Chegando, entrou na casa e saudou Isabel. O bebê de seis meses de gestação pulou de alegria no ventre de Isabel e ela, cheia do Espírito Santo, disse coisas maravilhosas sobre Maria e sobre Jesus. 

Isabel está radiante com a visita inesperada de Maria. Cheia do Espírito Santo, ela festeja a chegada da jovem prima: "Bendita és tu entre as mulheres. Bendito é o fruto do teu ventre". A saudação de Isabel continua de boca em boca, cumprindo a profecia da Virgem: "Todas as gerações me chamarão bem-aventurada". E ela mesma deu a razão: "porque o Senhor fez em mim maravilhas".

Sobre Jesus, Isabel nos deixa um ensinamento precioso. Ela não separa Jesus de sua mãe. Ela é bendita entre as mulheres. Ele é o bendito fruto do seu ventre. Ele é o Senhor. “Ela é a mãe do meu Senhor”, disse Isabel. Jesus é filho de Deus e de Maria. E ela é grande pela sua fé. 

“Bem-aventurada aquela que acreditou”. A grandeza de Maria está confirmada por Izabel: ela acreditou. Foi na fé que concebeu. A fé é a resposta adequada à Palavra do Senhor. “Faça-se em mim segundo a tua palavra”. A palavra do Mensageiro lhe expôs a vontade de Deus. Ela creu. Uma vez entendida a mensagem, aceitou com generosidade e humildade o que Deus queria dela. Na anunciação, vemos a fé de Maria e o seu sim, como respostas à vontade de Deus comunicada por sua palavra. Na visitação, vemos o amor, a caridade que a impeliram ao serviço de sua parenta idosa. Maria tornou-se, assim, modelo de fé e de caridade para todas as gerações. 

Nessa preparação para o natal, podemos aprender com Isabel a ter bem clara essa centralidade da pessoa de Jesus. Ele é o bendito fruto do ventre de Maria, o filho do Altíssimo. Como disse o Papa Francisco na Carta Apostólica que escreveu sobre o presépio, no ano passado: "O coração do Presépio começa a palpitar, quando colocamos lá, no Natal, a figura do Menino Jesus. Assim se nos apresenta Deus, num menino, para fazer-se acolher nos nossos braços. Naquela fraqueza e fragilidade, esconde o seu poder que tudo cria e transforma. Parece impossível, mas é assim: em Jesus, Deus foi criança e, nesta condição, quis revelar a grandeza do seu amor, que se manifesta num sorriso e nas suas mãos estendidas para quem quer que seja". Lindas palavras do nosso Papa Francisco. É assim que, em Jesus, no presépio, tudo ganha luz e sentido.

Guardando a mensagem

A Ave Maria é uma prece frequente nos lábios do povo católico. Em primeiro lugar, celebra a ação de Deus em nossa história, que, em cumprimento de suas promessas, envia o seu filho amado para nos salvar, preparando para ele uma mãe sem a mácula do pecado, em completa comunhão com a Trindade. Celebra igualmente a contribuição humana, pequena e limitada em seu plano de salvação. Vemos isso na participação da jovem e virgem Maria, que se tornou modelo de nossa resposta à vontade de Deus comunicada por sua santa palavra. Ela acreditou e colocou-se em suas mãos, como humilde servidora. Como mãe do salvador, que veio em despojamento e humildade a serviço da humanidade, ela foi servir na casa de Izabel. O seu serviço intercessor continua em relação a nós, pecadores, a quem recorremos com grande confiança e amor, reconhecendo nela a mãe de Deus, já que Jesus em sua encarnação uniu a sua natureza divina à nossa natureza humana. 

Bem-aventurada aquela que acreditou (Lc 1, 45)


Rezando a palavra

Unamo-nos a todas as gerações que proclamam Maria e Jesus benditos e façamos nossa a prece do anjo Gabriel, de Isabel e de toda a Igreja:

Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco. Bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.

Vivendo a palavra

Durante o dia de hoje, reze algumas vezes a Ave Maria, devagar e dando sentido às palavras que pronuncia. 

Acompanhe hoje o 7º Dia da Novena de Natal, que rezamos às 14:30, no Yotuube e no Facebook.

Para você que recebe a Meditação pelo celular, estou deixando um link para você ouvir e acompanhar a letra desta música que toca agora - Estavas lá.

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

MÚSICA


 

  Estavas Lá

Padre Joao Carlos

Quando Deus o seu anjo enviou
De Isabel, o ventre abençoou
Tu, Maria, estavas lá!

Quando o idoso profeta Simeão
Avisou que chegara a salvação
Tu, Maria, estavas lá!

Estavas lá
Mãe do Senhor
Conosco estás
Ó Mãe do Amor

Quando a água em vinho se tornou
E em Caná, Jesus se revelou
Tu, Maria, estavas lá!

Quando a cruz, o teu filho carregou
No calvário, o cordeiro se imolou
Tu, Maria, estavas lá!

Estavas lá
Mãe do Senhor
Conosco estás
Ó Mãe do Amor

Quando o Espírito Santo de Deus
Como fogo a Igreja recebeu
Tu, Maria, estavas lá!

Quando a Igreja sofreu perseguição
E implorou por tua proteção
Tu, Maria, estavas lá!

Estavas lá
Mãe do Senhor
Conosco estás
Ó Mãe do Amor


20201218

IDOSOS NO PLANO DE DEUS


19 de dezembro de 2020


EVANGELHO


Lc 1,5-25


5Nos dias de Herodes, rei da Judeia, vivia um sacerdote chamado Zacarias, do grupo de Abia. Sua esposa era descendente de Aarão e chamava-se Isabel. 6Ambos eram justos diante de Deus e obedeciam fielmente a todos os mandamentos e ordens do Senhor. 7Não tinham filhos, porque Isabel era estéril, e os dois já eram de idade avançada.

8Em certa ocasião, Zacarias estava exercendo as funções sacerdotais no Templo, pois era a vez do seu grupo. 9Conforme o costume dos sacerdotes, ele foi sorteado para entrar no Santuário, e fazer a oferta do incenso. 10Toda a assembleia do povo estava do lado de fora rezando, enquanto o incenso estava sendo oferecido.

11Então apareceu-lhe o anjo do Senhor, de pé, à direita do altar do incenso. 12Ao vê-lo, Zacarias ficou perturbado e o temor apoderou-se dele. 13Mas o anjo disse: “Não tenhas medo, Zacarias, porque Deus ouviu tua súplica. Tua esposa, Isabel, vai ter um filho, e tu lhe darás o nome de João. 14Tu ficarás alegre e feliz, e muita gente se alegrará com o nascimento do menino, 15porque ele vai ser grande diante do Senhor. Não beberá vinho nem bebida fermentada e, desde o ventre materno, ficará repleto do Espírito Santo. 16Ele reconduzirá muitos do povo de Israel ao Senhor seu Deus. 17E há de caminhar à frente deles, com o espírito e o poder de Elias, a fim de converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à sabedoria dos justos, preparando para o Senhor um povo bem disposto”.

18Então Zacarias perguntou ao anjo: “Como terei certeza disto? Sou velho e minha mulher é de idade avançada”. 19O anjo respondeu-lhe: “Eu sou Gabriel. Estou sempre na presença de Deus, e fui enviado para dar-te esta boa notícia. 20Eis que ficarás mudo e não poderás falar, até o dia em que essas coisas acontecerem, porque não acreditaste nas minhas palavras, que se hão de cumprir no tempo certo”.

21O povo estava esperando Zacarias, e admirava-se com a sua demora no Santuário. 22Quando saiu, não podia falar-lhes. E compreenderam que ele tinha tido uma visão no Santuário. Zacarias falava por sinais e continuava mudo.

23Depois que terminou seus dias de serviço no Santuário, Zacarias voltou para casa. 24Algum tempo depois, sua esposa Isabel ficou grávida, e escondeu-se durante cinco meses. 25Ela dizia: “Eis o que o Senhor fez por mim, nos dias em que ele se dignou tirar-me da humilhação pública!”

MEDITAÇÃO


Tu ficarás alegre e feliz, e muita gente se alegrará com o nascimento do menino (Lc 1, 14).

Nestes dias que precedem o natal, trazemos à memória uma figura muito especial: Zacarias. Os acontecimentos na vida do sacerdote Zacarias nos dizem que Deus conta com todos nós, independentemente da idade. Aliás, os idosos, precisamente estes, têm uma contribuição muito especial a dar no plano de salvação do nosso Deus. Vamos ao texto de hoje.

O sacerdote Zacarias está no Templo oferecendo o incenso. De repente, aparece-lhe o anjo do Senhor. Ele lhe traz uma boa notícia: o filho que ele tanto quis, e não pode, agora vai chegar. Zacarias já tinha perdido a esperança. Já estava velho. E sua mulher Izabel, além de idosa, era estéril. Zacarias duvidou. Será?! Como é que eu vou ter certeza disso? Tá certo, Zacarias. Aqui está o sinal. Você, por não acreditar, vai ficar mudo, até o menino nascer. O anjo Gabriel aproveitou pra dizer a Zacarias qual seria a missão do seu filho: preparar os caminhos do Messias.

Na vida de Zacarias e Izabel, está esse grande testemunho: mesmo com nossos limites e deficiências, Deus conta conosco no seu projeto. Aliás, fica claro nessa história de Zacarias que não é por obra de mãos humanas, mas por obra do próprio Deus que nos chega a salvação. A salvação é obra de Deus em nossas vidas, com nossa humilde e frágil participação.

E você fica pensando... será que Deus conta comigo também no seu plano de salvação? Pode ter certeza. Ele conta com você, como contou com Zacarias e Izabel. Agora, por favor, não diga, ah estou de idade... ou, não tenho muito estudo... ou, meu tempo é muito pouco... nem diga: eu não sou ninguém... quanto mais fracos somos, mais se manifesta que é Deus que realiza a obra. Mas, a obra de Deus, que é a nossa salvação em Cristo, a nossa e a de outros, passa pelas nossas mãos, pela nossa voz, pela nossa humilde colaboração. Sem os poucos pães que o menino partilhou não haveria multiplicação dos pães. Você entendeu? Deus conta com você.

Guardando a mensagem

Em Zacarias e Izabel, contemplamos como Deus valoriza e integra também os idosos no seu projeto de salvação. Eles foram os pais de João, o profeta que preparou os caminhos de Jesus. Eles o geraram e o educaram para responder generosamente à sublime vocação de anunciador do Messias que estava chegando. Os idosos testemunham, com sua experiência, que Deus vem conduzindo a história. Eles dão testemunho da ação de Deus em suas vidas, sustentando os seus no caminho de Jesus com seu exemplo, com sua fé e com suas orações.

Tu ficarás alegre e feliz, e muita gente se alegrará com o nascimento do menino (Lc 1, 14).

Rezando a Palavra

Senhor Jesus,

O anjo trouxe para Zacarias uma notícia boa. Disse que ele se preparasse porque iria viver dias de muita alegria e felicidade. Suas preces tinham sido ouvidas. Deus lhes mandaria um filho, com uma linda missão. O seu nascimento iria ser motivo de alegria pra muita gente. Manda, Senhor, teu anjo trazer notícias boas para os nossos idosos também. Eles precisam saber como são amados, como Deus conta com eles e como nós os estimamos e precisamos deles. Abençoa, Senhor, os nossos avós. Eles são nossos primeiros evangelizadores. Abençoa nossas famílias. A família é a primeira comunidade cristã que nos acolhe e evangeliza. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Uma sugestão para você assimilar ainda mais a mensagem de hoje: Dê um alô, hoje, para um idoso de sua família: ligue pra ele (pra ela) ou mande uma mensagem.  Mostre seu amor, seu respeito, sua consideração por essa pessoa.

Hoje é o 5º Dia da Novena de Natal. A Antífona de hoje é Ó RAIZ DE JESSÉ. Acompanhe a nossa novena às duas e meia da tarde, no Youtube e no Facebook. 

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb


20201211

VIVA NOSSA SENHORA DE GUADALUPE!



12 de dezembro de 2020

EVANGELHO

(Lc 1,39-47)

39Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou em seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. 45Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”. 46Então Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador”.

MEDITAÇÃO


Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? (Lc 1, 43).



Esta segunda semana do advento está marcada pelo forte tom mariano. Tivemos a festa da Imaculada Conceição, na terça-feira. E hoje, festejamos Nossa Senhora de Guadalupe, padroeira da América Latina. Na terça, meditamos sobre a anunciação do anjo a Maria. Hoje, a meditação é sobre o texto que segue: a visita de Maria a Isabel.

Assim que Maria soube, pelo anjo Gabriel, que sua idosa prima estava grávida, viajou apressadamente para fazer-lhe uma visita. Ao chegar, Maria lhe fez a saudação de praxe, o Shalom, a paz de Deus. E essa saudação provocou uma enorme alegria em Isabel e na sua criança que estremeceu em seu ventre, pulando de alegria. O encontro das duas servas de Deus foi impressionante. “Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar?”. Foi assim que Isabel mostrou a sua alegria ao receber Maria em sua casa. Aliás, tudo o que Isabel disse naquele encontro foi muito precioso, porque, diz o evangelho, ela ficou cheia do Espírito Santo. E uma das coisas que ela disse foi: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre”, louvação à Virgem que nós continuamos a fazer na Ave Maria.

Isabel tinha sido agraciada com a maternidade e já estava no sexto mês de gravidez. Ela estava vivendo dias de graça, de bênçãos. Depois de uma vida de humilhações pela esterilidade, já em idade avançada, estava gerando um filho anunciado pelo Anjo a Zacarias, seu esposo. Sua vida é, agora, uma emoção só. E com a chegada de Maria, ela se sente tomada de alegria, cheia do Espírito Santo, como diz o Evangelho.

Maria foi à casa de Isabel, viajando de tão longe, para servir à sua prima idosa, naquela hora delicada de sua vida. Foi para oferecer sua companhia e seus préstimos, amparando a vida que estava chegando e a saúde de sua parenta. Foi também levar o testemunho silencioso da obra de Deus em sua vida. E demorou-se por lá por três meses, os últimos meses de gravidez de Isabel até o parto. Talvez não haja nenhuma ligação, mas note que a visita de Jesus, isto é o seu ministério público, demorou três anos.

A visita de Maria não foi uma simples visita. Na Bíblia, o povo fala da intervenção salvadora de Deus como de uma visita. Quando Jesus esteve em Naim, e ressuscitou o filho da viúva, espalhou-se o comentário: “Deus visitou o seu povo”. A visita de Maria é a visita de Deus. Ela leva a bênção de Deus, aliás, ela leva Deus mesmo, pois estava grávida de Jesus.

Guardando a mensagem

Como foi preciosa a visita da mãe do Senhor à família de Isabel. Ela não levou nenhum presente especial, a não ser o filho de Deus em suas primeiras semanas de gestação. Isabel reconheceu na visita de Maria uma graça especial de Deus, ficou radiante, sua criança pulou de alegria. Quem deu a Isabel o conhecimento de que Maria era a mãe do seu Senhor? O Espírito Santo. Precisamos hoje do Espírito Santo para reconhecer a graça da visita do Senhor. Celebramos hoje, com a Igreja, a Virgem que apareceu no México ao índio Juan Diego, um catequista santo, em sinal de proteção aos pequenos e oprimidos: Nossa Senhora de Guadalupe. Essa aparição foi como uma visita de Maria ao povo sofrido da América Latina, de quem agora é padroeira. Ela nos traz Jesus e o seu evangelho, evangelho da vida e da fraternidade.

Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? (Lc 1, 43)


Rezando a palavra

Senhor Jesus,
A visita de tua mãe Maria à sua prima necessitada, em sua condição de idosa e gestante, era já uma imagem de tua visita à nossa humanidade. Inclusive, ela se demorou lá por três meses, como tu te demoraste por três anos em teu ministério público. Na oração diária, sempre repetimos as palavras do canto de Zacarias: “Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo”. Tua primeira vinda foi celebrada, então, como uma visita, “a visita do sol nascente que vem iluminar os que estão nas trevas”. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

No seu caderno espiritual, faça uma lista das pessoas com quem pretende entrar em contato neste final de ano. Firme o propósito de em cada contato, abrir portas para a visita de Jesus.

Sendo hoje o dia de N. Senhora de Guadalupe e Dia continental de oração pela paz entre os povos da América Latina e do Caribe, queria convidar você para rezarmos juntos o terço às 10:30h da manhã de hoje. Baixe o aplicativo da Rádio Tempo de Paz no seu celular. Para facilitar, já estou lhe enviando o link aqui, no seu celular. 10:30 de hoje, na Rádio Tempo de Paz - Terço pela Paz, no Dia de Nossa Senhora de Guadalupe.

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb


MÃE DO POVO

(Pe. João Carlos)



Mãe do povo

Mãe de um mundo novo

Mãe do amor

Ó, mãe de Jesus

Em ti nós vemos

Homens e mulheres

Encontro a luz


Da humanidade, és mãe

Daqui desta terra

E da nova vida, és mãe

Que aqui já começa

Gera liberdade, mãe

Dá à luz a justiça

Acalenta esta esperança

Que renasce em nós.

20201006

NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO

Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra (Lc 1, 38)

07 de outubro de 2020.
Primeiro, Maria  ficou assustada. De repente, o anjo com uma saudação estranha. “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo”. O que está acontecendo? O que isso significa? ‘Não tenha medo, Maria. Deus está muito feliz com você. Você vai conceber e gerar o filho dele, o filho que vai herdar o trono de Davi’. Maria ainda estava assustada, mas já tinha uma resposta. Deus estava feliz com ela e comunicando-lhe uma grande missão.
Depois do susto, veio a dúvida. ‘Não é possível uma coisa dessas... eu nem casada sou. Como é que uma virgem pode ser mãe?’ E o anjo: ‘Para Deus não tem isso não, Maria, tudo é possível para ele. Quer um exemplo? Izabel. Estéril, idosa, agora está grávida de seis meses’. ‘Como Deus é grande, como ele é bom’, pensou Maria. Desvaneceu-se a dúvida. Ele é o todo-poderoso. Ele faz maravilhas.
Passado o susto, ela dialogou responsavelmente para ver o alcance do que lhe estava sendo comunicado. A dúvida foi esclarecida. Vem agora a entrega. “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”. Entrega-se ao cumprimento da vontade do Senhor manifestada na palavra do anjo. Realizará a vontade do Senhor, como serva. Entrega humilde, generosa, total.
É, Deus sempre nos surpreende. Manda-nos seus recados. Ele nos pega de surpresa. Suas propostas alteram profundamente a normalidade do nosso caminho, de nossa vida. Ele tem planos  diferentes dos nossos. Mas, não é uma ordem do dia, uma distribuição aleatória de tarefas que se dá a qualquer um. É, antes de tudo, uma escolha amorosa. É um voto de confiança de quem ama a quem ele cumula de toda graça, de toda bênção. A escolha é antes de tudo um sinal distintivo do seu amor. “Não foram vocês que me escolheram, fui eu que escolhi vocês”, afirmou Jesus.
Guardando a mensagem
O sim de Maria foi muito especial. Depois do susto, ela procurou saber o alcance daquele convite tão especial da parte de Deus. Convenceu-se de que ele pode tudo e que, com ele, ela poderia vencer qualquer obstáculo, começando por fazer fecunda a sua virgindade. Teve fé. Izabel fez-lhe um elogio por sua fé: “Bem-aventurada a que acreditou, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor se cumprirá”. A primeira reação à entrada surpreendente de Deus em nossa vida, integrando-nos ao seu projeto de salvação, é o susto, a surpresa. Depois vem a dúvida. E por fim, a resposta. Às vezes, ela não é como a de Maria, a de entrega generosa e humilde. Às vezes, é presunçosa e egoísta. É, muitas vezes, Deus tem recebido um “não”. ‘Não vou, porque já tenho o meu projeto, vou cuidar da minha vida ao meu modo’... Mas hoje, dia de Nossa Senhora do Rosário, não é dia de “não”, hoje é dia de “sim”, do “sim” de Maria e do “sim” generoso e fiel de muitos e muitas como ela.
Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra (Lc 1, 38)
Rezando a palavra
Senhor Jesus,
Tu nos chamas ao teu seguimento. “Vem e segue-me!”. Esta é a vocação para a qual tu nos convocas: ser cristãos. Nossa vocação é viver como teus discípulos e missionários do teu evangelho. Na resposta ao teu chamado, queremos nos espelhar em Maria, tua santa mãe. Concede, Senhor, que a nossa resposta ao teu chamado seja generosa, humilde e fiel como o de nossa mãe, Maria Santíssima. Na Senhora do Rosário, celebramos a obra de Deus em nossa história, atribuindo à sua intercessão o livramento de tua Igreja em momentos de grave perseguição. A ela, queremos recomendar a acolhida da Encíclica do Papa Francisco 'Fratelli Tutti', uma verdadeira carta de navegação para os novos tempos da Igreja e do Mundo. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vivendo a palavra
Neste dia de Nossa Senhora do Rosário, faça todo esforço para rezar o Terço, hoje meditando os mistérios gloriosos. Aliás, o desafio desse mês (ou se quiser, o pedido de nossa mãe santíssima) é oração diária do Terço.
Amanhã é dia de celebrar a Santa Missa por você e por suas intenções. Você pode acompanhar a celebração às 11 horas, pelo meu canal no Youtube e no Facebook.
Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

20200822

NOSSA SENHORA RAINHA


Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó e o seu reino não terá fim (Lc 1, 33)


22 de agosto de 2020.


A cena é muito conhecida. O anjo Gabriel foi enviado por Deus a Maria. Ele a saudou de uma forma surpreendente: “Ave, cheia de graça, o senhor é contigo”. E anunciou a Maria que ela seria mãe, mesmo sendo virgem. E deu um testemunho maravilhoso sobre Jesus. Maria ouviu tudo e pediu uma explicação. E ele a tranquilizou: ela engravidaria por obra do Espírito Santo. E ela, com humildade e generosidade, aceitou a missão que Deus lhe confiava.

A gente sempre fica olhando para Maria. Claro, ela é o centro da cena. Mas, hoje podemos prestar mais atenção ao anjo que foi falar com ela. Podemos organizar a visita dele em sete passos: ele foi enviado por Deus; ele entrou onde Maria estava e a saudou; ele a tranquilizou e lhe deu a boa notícia da gravidez do filho de Deus; respondeu à dúvida dela sobre como engravidaria; avisou que Izabel que estava já no sexto mês de gestação; recebeu a resposta positiva da Virgem; e retirou-se. Uma comunicação perfeita, em sete passos. Um modelo para a evangelização.

Prestemos também atenção no que Gabriel disse sobre a criança que iria nascer. Sobre Jesus, o anjo Gabriel revelou coisas maravilhosas a Maria: esse menino será seu filho e filho de Deus. Ele é grande e santo, igual ao Senhor Deus. E ele vai nascer para reinar sobre o seu povo, como um novo Davi, e reinará para sempre.

Jesus, homem e Deus, será o líder do povo santo e de toda a humanidade. O apóstolo Paulo dirá que ele é o novo Adão, que tudo nele recomeça - o novo Adão em comunhão com Deus e com seus irmãos; um Adão vencedor do pecado; a criação, a obra de Deus, levada a bom termo. Nele, recomeça a humanidade, agora em comunhão com o Criador.

O Papa Pio XII, em 1954, na encíclica em que tratou da realeza de Maria, escreveu: “Desde os primeiros séculos da Igreja católica, o povo cristão elevou orações e cânticos de louvor e de devoção à Rainha do céu tanto nos momentos de alegria, como sobretudo quando se via ameaçado por graves perigos; e nunca foi frustrada a esperança posta na Mãe do Rei divino, Jesus Cristo, nem se enfraqueceu a fé, que nos ensina reinar com materno coração no universo inteiro a Virgem Maria, Mãe de Deus, assim como está coroada de glória na bem-aventurança celeste”.

Guardando a mensagem

No dia de hoje, celebramos a festa de Nossa Senhora Rainha. A festa da realeza de Maria está em continuação com a festa da sua assunção ao céu. Sua realeza é estar unida a Jesus, filho de Davi, na sua adesão à vontade de Deus. Na meditação de hoje, ficamos atentos ao anjo Gabriel. Ele fez bem a sua tarefa. Ele veio da parte Deus, como mensageiro, com uma missão muito especial. Entrou com grande respeito na presença de Maria, saudando-a como cheia de graça, comunicou-lhe a boa notícia que trazia, tirou suas dúvidas, recebeu sua resposta e se foi. A evangelização deve sempre produzir uma resposta, um engajamento da pessoa. O anjo Gabriel revelou coisas muito especiais sobre Jesus: ele, o filho de Deus e de Maria, é o líder do povo santo e de toda a humanidade. A evangelização nos leva à pessoa de Jesus. E nos pede uma resposta sobre esse encontro com o filho de Deus que muda a nossa vida.

Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó e o seu reino não terá fim (Lc 1, 13)

Rezando a palavra

O anúncio do anjo a Maria é celebrado, em nossa tradição cristã católica, de maneira especial, com a oração do ÂNGELUS.

Guia: O Anjo do Senhor anunciou a Maria.
Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo.
Guia: Eis aqui a serva do Senhor.
Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra.
Guia: E o Verbo se fez carne.
Todos: E habitou entre nós.
Ave Maria…
Guia: Rogai por nós, Santa Mãe de Deus!
Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Guia: Oremos. Derramai, ó Deus, a Vossa graça em nossos corações, para que, conhecendo pela mensagem do anjo a encarnação do vosso Filho, cheguemos, por Sua Paixão e Cruz, à glória da Ressurreição. Por Cristo, nosso Senhor.
Todos: Amém.

Vivendo a palavra

Maria ficou prestando atenção no que Gabriel disse. Maria não entendeu tudo, mas ficou guardando e meditando tudo aquilo no seu coração. Hoje, faça como Maria. Preste bem atenção nas palavras do Senhor e guarde-as no seu coração.

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb



20200816

O SENHOR FEZ EM MIM MARAVILHAS!



Porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor (Lc 1, 49)

16 de agosto de 2020 


Dia da Assunção de Nossa Senhora e da Vocação dos Religiosos.

E este é um domingo especial, na liturgia da Igreja no Brasil: a solenidade da Assunção de Nossa Senhora. No livro do Apocalipse, o evangelista João conta que viu um grande sinal no céu: uma mulher vestida de sol que deu à luz um filho e um dragão feroz que queria devorá-lo. O filho foi levado para junto do trono de Deus e a mulher refugiou-se no deserto. É um resumo maravilhoso da história da salvação: Uma mãe revestida da grandeza de Deus; Um filho perseguido e, agora, vitorioso junto do trono do céu. Jesus, filho do eterno Pai e de nossa humanidade recebida de Maria, perseguido pelas forças do mal e da morte, está agora ressuscitado, glorioso, em Deus. Em Cristo ressuscitado, vemos a vitória de todos os filhos de Adão, de toda a humanidade. A voz ouvida resume tudo: “Agora realizou-se a salvação, a força e a realeza do nosso Deus, e o poder do seu Cristo”. 

Na primeira Carta aos Coríntios, São Paulo nos ajuda a tirar consequências de tudo isso: “Como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos reviverão. Em primeiro lugar, Cristo, como primícias; depois, os que pertencem a Cristo, por ocasião da sua vinda”. A ressurreição, como vitória final, está assegurada em Cristo para todos os que lhe pertencemos. E essa grande vitória alcançada por Cristo em nosso favor já vemos sinalizada em todas as pequenas vitórias em nossa vida, em todas as bênçãos e conquistas que pontuam o nosso caminho. Essa vitória total e definitiva que já avistamos, ao término da caminhada, vai iluminando nossa jornada. 

O fracasso entrou no mundo com Adão. Com ele, entrou a morte. Mas, a vitória chegou por Jesus. Com ele, entrou a vida, a ressurreição dos mortos. A vitória será total quando a morte for derrotada. Quando olhamos para o horizonte, para onde nós estamos peregrinando, já vemos um homem ressuscitado dos mortos, Jesus, o filho de Deus. Ele está sentado à direita do Pai. Ele é a garantia de que lá também chegaremos, vencedores também sobre a morte. E ao lado de Jesus, já vemos alguém que também já está em Deus, representando toda a humanidade redimida. O Prefácio da Missa de hoje fala dela nestes termos: “Aurora e esplendor da Igreja triunfante, consolo e esperança para o povo ainda em caminho”. É Maria que lá está ressuscitada também. 

O canto de Maria, o Magnificat, está no coração da liturgia da palavra de hoje. Nele, nossa mãe canta as vitórias de Deus em sua vida e na vida do seu povo. “A minha alma engrandece o Senhor... porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada”. Nossa mãe está louvando a Deus pelo que ele fez na vida de sua serva. Mas, também o bendiz pelo que ele está fazendo na vida do seu povo: “Ele mostrou a força do seu braço: dispersou os soberbos de coração. Derrubou do trono os poderosos, elevou os humildes. Encheu de bens os famintos e despediu os ricos de mãos vazias”. O Senhor Deus está realizando suas promessas: fazendo justiça aos humilhados, destronando os potentados. Vitórias de Deus na vida de sua serva e na vida do seu povo. 

Guardando a mensagem 

Celebramos a Assunção da Virgem Maria. A Igreja proclamou, em 1950, esse dogma que o povo cristão já tinha no coração: Maria ressuscitou e está com Deus. Foi o que o Papa Pio XII escreveu na proclamação do dogma: “A imaculada Mãe de Deus, a sempre virgem Maria, terminado o curso da vida terrestre, foi assunta em corpo e alma à glória celestial”. Essa é uma bela conclusão da Palavra de Deus proclamada hoje. Jesus ressuscitou, como primícias, depois nós o seguiremos, ensinou Paulo com toda clareza. Na visão de São João, no livro do Apocalipse, a mãe de Jesus estava toda possuída pela glória divina, vestida de sol. O anjo a tinha saudado como “cheia da graça”, na anunciação. E Izabel antecipou essa declaração da Igreja reconhecendo a grandeza de Maria e saudando-a como Davi saudou a Arca da Aliança: “Como posso merecer que a mãe do meu Senhor venha me visitar?”. E Maria mesma, na sua humildade, hoje nos recorda: “O Senhor fez em mim maravilhas”. Jesus ressuscitou. Maria também já ressuscitou e foi levada para junto do seu filho. Nós também ressuscitaremos. Vamos todos estar com Deus. Essa é a grande vitória que estamos celebrando.

Porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor (Lc 1, 49)

Rezando a palavra

Senhor Jesus,
Hoje é um dia para cantarmos as vitórias de Deus em nossa vida. Em nosso caminho e na história do nosso povo, apesar dos problemas e das dificuldades, são muitas as conquistas e vitórias. E nós reconhecemos, Senhor, que elas não são apenas obras nossas, são especialmente obra de Deus, misericórdias do seu coração. As nossas vitórias se completam e se plenificam na tua grande vitória sobre o pecado, o mal e a morte, na tua ressurreição. Vitorioso, és garantia de que chegaremos lá. E temos ainda outro testemunho desta tua obra admirável. Tua mãe já está contigo na glória. Ela é “aurora e esplendor da Igreja triunfante, consolo e esperança para o teu povo ainda em caminho”. Seja o teu santo nome bendito, hoje e sempre. Amém. 

Vivendo a palavra

Faça hoje, uma prece em favor dos irmãos e irmãs das Ordens, Congregações e Institutos de vida consagrada. Como Maria, eles sinalizam no mundo que Deus é tudo em nossa vida. 

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb




Postagem em destaque

Vá e faça a mesma coisa

Eu já andava desconfiado que o bom samaritano do evangelho fosse Jesus. Agora, já não tenho mais dúvidas. Bom, Jesus contou a históri...