PE. JOÃO CARLOS - BLOG DA MEDITAÇÃO: Lc 1
Mostrando postagens com marcador Lc 1. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Lc 1. Mostrar todas as postagens

NO DIA DA ANUNCIAÇÃO, A CONSAGRAÇÃO AO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA




25 de março de 2022

Solenidade da Anunciação do Senhor

Dia da Consagração da Rússia e da Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria 


EVANGELHO



Lc 1,26-38

Naquele tempo, 26o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, 27a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da Virgem era Maria. 28O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!”
29Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. 30O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. 31Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. 32Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. 33Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”.
34Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?” 35O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. 36Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, 37porque para Deus nada é impossível”. 38Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se.

MEDITAÇÃO



Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo! (Lc 1, 28)

Nove meses antes do Natal, celebramos, hoje, a solenidade da Anunciação do Senhor – o dia em que a iniciativa de Deus se encontra com a adesão de sua humilde servidora. É o mistério da encarnação do Verbo.

Primeiro, Maria ficou assustada. De repente, o anjo com uma saudação estranha. “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo”. O que está acontecendo? O que isso significa? ‘Não tenha medo, Maria. Deus está muito feliz com você. Você vai conceber e gerar o filho dele, o filho que vai herdar o trono de Davi’. Maria ainda estava assustada, mas já tinha uma resposta. Deus estava feliz com ela e comunicando-lhe uma grande missão.

Depois do susto, veio a dúvida. ‘Não é possível uma coisa dessas... eu nem casada sou. Como é que uma virgem pode ser mãe?’ E o anjo: ‘Para Deus não tem isso não, Maria, tudo é possível para ele. Quer um exemplo? Izabel. Estéril, idosa, agora está grávida de seis meses’. ‘Como Deus é grande, como ele é bom’, pensou Maria. Desvaneceu-se a dúvida. Ele é o todo-poderoso. Ele faz maravilhas.

Passado o susto, ela dialogou responsavelmente para ver o alcance do que lhe estava sendo comunicado. A dúvida foi esclarecida. Vem agora a entrega. “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”. Entrega-se ao cumprimento da vontade do Senhor manifestada na palavra do anjo. Realizará a sua vontade, como serva. Entrega humilde, generosa, total.

É, Deus sempre nos surpreende. Manda-nos seus recados. Ele nos pega de surpresa. Suas propostas alteram profundamente a normalidade do nosso caminho, de nossa vida. Ele tem planos diferentes dos nossos. Mas, não é uma ordem do dia, uma distribuição aleatória de tarefas que se dá a qualquer um. É, antes de tudo, uma escolha amorosa. É um voto de confiança de quem ama a quem ele cumulou de toda graça, de toda bênção. A escolha é antes de tudo um sinal distintivo do seu amor. “Não foram vocês que me escolheram, fui eu que escolhi vocês”, afirmou Jesus.


Guardando a mensagem

O “sim” de Maria foi muito especial. Depois do susto, ela procurou saber o alcance daquele convite tão especial da parte de Deus. Convenceu-se de que ele pode tudo e que, com ele, ela poderia vencer qualquer obstáculo, começando por fazer fecunda a sua virgindade. Teve fé. Izabel fez-lhe um elogio por sua fé: “Bem-aventurada a que acreditou, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor se cumprirá”. A primeira reação à entrada surpreendente de Deus em nossa vida, integrando-nos ao seu projeto de salvação, é o susto, a surpresa. Depois vem a dúvida. E por fim, a resposta. Às vezes, ela não é como a de Maria, a de entrega generosa e humilde. Às vezes, é presunçosa e egoísta. É, muitas vezes, Deus tem recebido um “não”. ‘Não vou, porque já tenho o meu projeto, vou cuidar da minha vida ao meu modo’... Mas, hoje, dia da Anunciação do Senhor, não é dia de ‘não’, hoje é dia de ‘sim’, do ‘sim’ de Maria e do seu ‘sim’ generoso e fiel, meu irmão, meu irmã.

Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo! (Lc 1, 28)

Rezando a Palavra

Hoje, o Papa Francisco faz a consagração da Rússia e da Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria, atendendo a um pedido da Virgem em sua aparição em Fátima, Portugal, em 1917. 

A oração que o Papa vai pronunciar foi distribuída aos bispos para que se unam a ele na consagração, em suas dioceses. Rezamos agora um trecho deste ato de consagração:

ó Mãe, acolhei esta nossa súplica: Vós, estrela do mar, não nos deixeis naufragar na tempestade da guerra; Vós, arca da nova aliança, inspirai projetos e caminhos de reconciliação; 
Vós, «terra do Céu», trazei de volta ao mundo a concórdia de Deus; Apagai o ódio, acalmai a vingança, ensinai-nos o perdão; Libertai-nos da guerra, preservai o mundo da ameaça nuclear; Rainha do Rosário, despertai em nós a necessidade de rezar e amar; Rainha da família humana, mostrai aos povos o caminho da fraternidade; Rainha da paz, alcançai a paz para o mundo. 

Vivendo a palavra

Podendo, reze hoje o TERÇO DE NOSSA SENHORA, unindo-se à Igreja que, no mundo todo, eleva hoje preces a Deus, pelas mãos de Maria, pelo fim da guerra. Não sendo possível, recite, pelo menos, uma dezena do terço (1 pai nosso, 10 ave-marias e o glória ao Pai).

Comunicando

No final do texto da Meditação, estou deixando o Ato de
Consagração ao Imaculado Coração de Maria que será pronunciado pelo Papa hoje, na celebração que começa às 13 horas, horário de Brasília. Você pode acompanhar a cerimônia pela Rádio Amanhecer.

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb



ATO DE CONSAGRAÇÃO AO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA 


Ó Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, recorremos a Vós nesta hora de tribulação. Vós sois Mãe, amais-nos e conheceis-nos: de quanto temos no coração, nada Vos é oculto. Mãe de misericórdia, muitas vezes experimentamos a vossa ternura 
providente, a vossa presença que faz voltar a paz, porque sempre nos guiais para Jesus, Príncipe da paz. 

Mas perdemos o caminho da paz. Esquecemos a lição das tragédias do século passado, o sacrifício de milhões de mortos nas guerras mundiais. Descuidamos os compromissos assumidos como Comunidade das Nações e estamos a atraiçoar os sonhos de paz dos povos e as esperanças dos jovens. Adoecemos de ganância, fechamo-nos em interesses nacionalistas, deixamo-nos ressequir pela indiferença e paralisar pelo egoísmo. Preferimos ignorar Deus, conviver com as nossas falsidades, alimentar a agressividade, suprimir vidas e acumular armas, esquecendo-nos que somos guardiões do nosso próximo e da própria casa comum. Dilaceramos com a guerra o jardim da Terra, ferimos com o pecado o coração do nosso Pai, que nos quer irmãos e irmãs. Tornamo-nos indiferentes a todos e a tudo, exceto a nós mesmos. E, com vergonha, dizemos: perdoai-nos, Senhor! 

Na miséria do pecado, das nossas fadigas e fragilidades, no mistério de iniquidade do mal e da guerra, Vós, Mãe Santa, lembrai-nos que Deus não nos abandona, mas continua a olhar-nos com amor, desejoso de nos perdoar e levantar novamente. Foi Ele que Vos deu a nós e colocou no vosso Imaculado Coração um refúgio para a Igreja e para a humanidade. Por bondade divina, estais connosco e conduzis-nos com ternura mesmo nos transes mais apertados da história. 

Por isso recorremos a Vós, batemos à porta do vosso Coração, nós os vossos queridos filhos que não Vos cansais de visitar em todo o tempo e convidar à conversão. Nesta hora escura, vinde socorrer-nos e consolar-nos. Repeti a cada um de nós: «Não estou porventura aqui Eu, que sou tua mãe?» Vós sabeis como desfazer os emaranhados do nosso coração e desatar os nós do nosso tempo. Repomos a nossa confiança em Vós. Temos a certeza de que Vós, especialmente no momento da prova, não desprezais as nossas súplicas e vindes em nosso auxílio. Assim fizestes em Caná da Galileia, quando apressastes a hora da intervenção de Jesus e introduzistes no mundo o seu primeiro sinal. Quando a festa se mudara em tristeza, dissestes-Lhe: «Não têm vinho!» (Jo 2, 3). Ó Mãe, repeti-o mais uma vez a Deus, porque hoje esgotamos o vinho da esperança, desvaneceu-se a alegria, diluiuse a fraternidade. Perdemos a humanidade, malbaratamos a paz. Tornamo-nos capazes de toda a violência e destruição. Temos necessidade urgente da vossa intervenção materna. 

Por isso acolhei, ó Mãe, esta nossa súplica: Vós, estrela do mar, não nos deixeis naufragar na tempestade da guerra; Vós, arca da nova aliança, inspirai projetos e caminhos de reconciliação; 

Vós, «terra do Céu», trazei de volta ao mundo a concórdia de Deus; Apagai o ódio, acalmai a vingança, ensinai-nos o perdão; Libertai-nos da guerra, preservai o mundo da ameaça nuclear; Rainha do Rosário, despertai em nós a necessidade de rezar e amar; Rainha da família humana, mostrai aos povos o caminho da fraternidade; Rainha da paz, alcançai a paz para o mundo. 

O vosso pranto, ó Mãe, comova os nossos corações endurecidos. As lágrimas, que por nós derramastes, façam reflorescer este vale que o nosso ódio secou. E, enquanto o rumor das armas não se cala, que a vossa oração nos predisponha para a paz. As vossas mãos maternas acariciem quantos sofrem e fogem sob o peso das bombas. O vosso abraço materno console quantos são obrigados a deixar as suas casas e o seu país. Que o vosso doloroso Coração nos mova à compaixão e estimule a abrir as portas e cuidar da humanidade ferida e descartada. 

Santa Mãe de Deus, enquanto estáveis ao pé da cruz, Jesus, ao ver o discípulo junto de Vós, disse-Vos: «Eis o teu filho!» (Jo 19, 26). Assim Vos confiou cada um de nós. Depois disse ao discípulo, a cada um de nós: «Eis a tua mãe!» (19, 27). Mãe, agora queremos acolher-Vos na nossa vida e na nossa história. Nesta hora, a humanidade, exausta e transtornada, está ao pé da cruz convosco. E tem necessidade de se confiar a Vós, de se consagrar a Cristo por vosso intermédio. O povo ucraniano e o povo russo, que Vos veneram com amor, recorrem a Vós, enquanto o vosso Coração palpita por eles e por todos os povos ceifados pela guerra, a fome, a injustiça e a miséria. 

Por isso nós, ó Mãe de Deus e nossa, solenemente confiamos e consagramos ao vosso Imaculado Coração nós mesmos, a Igreja e a humanidade inteira, de modo especial a Rússia e a Ucrânia. Acolhei este nosso ato que realizamos com confiança e amor, fazei que cesse a guerra, providenciai ao mundo a paz. O sim que brotou do vosso Coração abriu as portas da história ao Príncipe da Paz; confiamos que mais uma vez, por meio do vosso Coração, virá a paz. Assim a Vós consagramos o futuro da família humana inteira, as necessidades e os anseios dos povos, as angústias e as esperanças do mundo. 

Por vosso intermédio, derrame-se sobre a Terra a Misericórdia divina e o doce palpitar da paz volte a marcar as nossas jornadas. Mulher do sim, sobre Quem desceu o Espírito Santo, trazei de volta ao nosso meio a harmonia de Deus. Dessedentai a aridez do nosso coração, Vós que «sois fonte viva de esperança». Tecestes a humanidade para Jesus, fazei de nós artesãos de comunhão. Caminhastes pelas nossas estradas, guiai-nos pelas sendas da paz

A ALEGRIA DO NASCIMENTO DE JOÃO



23 de dezembro de 2021

EVANGELHO


Lc 1,57-66

57Completou-se o tempo da gravidez de Isabel, e ela deu à luz um filho. 58Os vizinhos e parentes ouviram dizer como o Senhor tinha sido misericordioso para com Isabel, e alegraram-se com ela. 59No oitavo dia, foram circuncidar o menino, e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. 60A mãe porém disse: “Não! Ele vai chamar-se João”. 61Os outros disseram: “Não existe nenhum parente teu com esse nome!” 62Então fizeram sinais ao pai, perguntando como ele queria que o menino se chamasse.
63Zacarias pediu uma tabuinha, e escreveu: “João é o seu nome”. 64No mesmo instante, a boca de Zacarias se abriu, sua língua se soltou, e ele começou a louvar a Deus. 65Todos os vizinhos ficaram com medo, e a notícia espalhou-se por toda a região montanhosa da Judeia. 66E todos os que ouviam a notícia, ficavam pensando: “O que virá a ser este menino?” De fato, a mão do Senhor estava com ele.

MEDITAÇÃO


Todos os vizinhos ficaram maravilhados e a notícia espalhou-se por toda a região (Lc 1, 65).

Bem no dia do vizinho, um texto maravilhoso nos preparando para o natal do Senhor. E falando dos vizinhos. É a cena do nascimento de João, o que se tornou depois o Batista. E esse nascimento de João é contado em preparação do nascimento de Jesus. Não foi só a pregação de João que preparou a sua vinda. O seu próprio nascimento, em condições semelhantes de intervenção divina, é já é uma espécie de prévia do nascimento do Messias. O mesmo anjo Gabriel anunciou o seu nascimento, a mãe também concebeu em condições extraordinárias, a mesma atenção à colocação do nome dado ao recém-nascido na cerimônia de circuncisão...

O clima do nascimento é de alegria e contentamento. Isabel deu à luz o seu filho e parentes e vizinhos mostram-se próximos e solidários. Mas, houve mais uma surpresa no dia da circuncisão do menino. A circuncisão era um rito pelo qual o menino era incorporado ao povo de Deus. Era a hora de impor o nome da criança. A surpresa foi o nome escolhido pelos pais: não havia ninguém na família com aquele nome. A mãe queria assim. E o pai, também. Os parentes não estavam de acordo. Como o pai estivesse mudo, escreveu numa tabuinha: “O nome dele é João”. Foi como o anjo Gabriel o tinha instruído. Esse ato de obediência encerrou o castigo de Zacarias que antes não tinha acreditado nas palavras do anjo. E ele começou a falar e a louvar a Deus. Parentes e vizinhos ficaram pasmos, maravilhados. E a notícia correu por toda a região.

“O nome dele é João”. O menino, que acabou de nascer, não iria apenas dar continuidade à sua família ou repetir a história dos seus ascendentes. Ele iria escrever um novo capítulo na história de seu povo. João, não Zacarias. Um nome novo para uma nova missão. Ele encerraria o capítulo da paciente espera do Messias, abrindo o novo tempo. Apontaria o Messias já presente no meio do povo.

O texto de hoje sublinha a solidariedade dos vizinhos e parentes com aquele casal idoso. Eles não somente ficaram sabendo da gravidez prodigiosa de Isabel, mas também a consideraram uma obra misericordiosa de Deus na vida daquela família e se alegraram com ela. Ficaram maravilhados com o que aconteceu no dia da circuncisão da criança. E espalharam por todo canto a boa notícia do que Deus estava realizando no meio do seu povo.


Guardando a Mensagem

O nascimento de uma criança é sempre um recomeço. Não vem para repetir o passado, embora não possa prescindir dele. É um novo ponto de partida. O futuro está começando naquela criança, é o novo entrando na história. O nascimento de uma criança, como o nascimento de João Batista, é um testemunho sobre Jesus. Ele veio assim. Uma criança frágil, chorando no frio daquela noite, ao abrigo de uma gruta e de seus animais, amparada somente pelo amor de uma mãe e de um pai abençoados. Um mistério de vida e de luz, o natal, só compreensível no clima do nascimento de uma criança, de uma mãe que dá a luz.

Todos os vizinhos ficaram maravilhados e a notícia espalhou-se por toda a região (Lc 1, 65).

Rezando a palavra

Vamos rezar com as palavras do pai do menino João, ao ficar bom de sua mudez:

Bendito seja o Senhor Deus de Israel, que a seu povo visitou e libertou; e fez surgir um poderoso Salvador na casa de Davi, seu servidor, como falara pela boca de seus santos, os profetas desde os tempos mais antigos, para salvar-nos do poder dos inimigos e da mão de todos quantos nos odeiam.

Vivendo a palavra

Reze, hoje, pelos seus vizinhos. E ao apresentar-lhes votos de boas festas, não fale só da ceia, dos presentes, do especial de natal... aproveite para falar-lhes de Jesus.

Não deixe de rezar conosco o 9º e último encontro da Novena de Natal, intercedendo, hoje, pelas famílias. 

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

O CANTO DA BEM-AVENTURADA



22 de dezembro de 2021

EVANGELHO


Lc 1,46-56

Naquele tempo, 46Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, 48porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, 50e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem.
51Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. 52Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. 53Encheu de bens os famintos, e despediu os ricos de mãos vazias. 54Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, 55conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre”. 56Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa.

MEDITAÇÃO

O Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor (Lc 1, 49)

Tudo começou com a iniciativa de Deus. Ele enviou seu mensageiro, o anjo Gabriel. Este, respeitosamente, anunciou a Maria que ela seria mãe do filho de Deus. “Nada é impossível a Deus”, lembrou-lhe ele. Foi aí que ela soube que Izabel estava grávida. Assim, viajou logo para visitar e ajudar sua prima. Lá chegando, a idosa senhora ficou tomada da alegria do Santo Espírito e a saudou como mãe do seu Senhor. Nessa altura, igualmente cheia do Espírito Santo, Maria louvou a Deus com palavras tão abençoadas que hoje ainda as sabemos de cor e continuamos a honrar o Senhor com a sua linda prece.

Maria está mergulhada num turbilhão de manifestações do amor de Deus: a comunicação do anjo, a sua gravidez, a gestação adiantada de Izabel, a alegria do bebê quando ela chegou, as palavras proféticas de Izabel... então, Maria dá glórias a Deus, primeiro pelo que ele está fazendo na vida dela e, depois, pelo que ele está fazendo na vida do seu povo.

Maria reconheceu, agradecida, que Deus olhou para a pequenez de sua serva (por isso, todas as gerações a chamariam de bem-aventurada) e que Ele fez grandes coisas em seu favor. Realmente, ele é santo e misericordioso. É a primeira parte de seu canto.

Deus agiu em sua vida de uma maneira maravilhosa. Mas, afinal o que foi mesmo que Deus fez? Deus está enviando o Salvador, por meio dela. Ela está feliz e agradecida por isto. Mas, não se limita só ao que Deus lhe fez. Sabe que essa vinda de Jesus é em benefício de todo o povo. Por isso, bendiz o Senhor porque mostrou a força do seu braço e porque veio em socorro do seu povo. E descreve a ação desse Deus libertador, que continua agindo como no tempo do Êxodo: libertando os humildes e punindo os soberbos. É a segunda parte do seu canto.


Guardando a Mensagem

O testemunho de Maria é maravilhoso. Deus está enviando o Salvador, por meio dela. Nela, ele fez grandes coisas. O Deus santo e fiel está cumprindo suas promessas, em favor do seu povo. O natal é um presente de Deus para o mundo, que passa pelas mãos e pelo ventre de Maria. A vinda do Salvador é uma intervenção de Deus que muda a história, em favor dos humildes, dos famintos, dos sofredores. Não podemos ver o natal apenas como um item da tradição, uma festa de fim de ano, ou apenas uma linda festa de família. O natal é uma intervenção de Deus, mudando a história humana. Deus enviou o seu filho para a salvação do mundo.

O Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor (Lc 1, 49)

Rezando a palavra

Não há palavras e sentimentos mais adequados, hoje, do que o próprio canto da Virgem, inspirada pelo Santo Espírito. Rezemos:

“A minha alma engrandece o Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem (Lc 1, 46-50).

Vivendo a palavra

Estamos nos preparando para fazer memória do nascimento de Jesus, e ouvimos, hoje, sua mãe num canto de fé e gratidão. Será que você poderia oferecer um presente ao menino Jesus, neste natal? O menino Jesus está na manjedoura da periferia e você facilmente pode encontrá-lo e honrá-lo com o seu presente. A sugestão você entendeu: dê um presente a uma criança pobre, nesse natal. 

Participe, hoje, do 8º Dia da Novena de Natal, cujo tema é "Uma família num mundo em crise". Vamos rezá-la às três da tarde, pelo Youtube, rezando, hoje, especialmente, pelas famílias.

Pe. João Carlos Ribeiro sdb

O SIM DE MARIA



07 de outubro de 2021

Dia de Nossa Senhora do Rosário

EVANGELHO


Lc 1,26-38

Naquele tempo, 26o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, 27a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da Virgem era Maria. 28O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!”
29Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. 30O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. 31Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. 32Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. 33Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”.
34Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?” 35O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. 36Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, 37porque para Deus nada é impossível”.
38Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se.

MEDITAÇÃO


Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra (Lc 1, 38)

Primeiro, Maria ficou assustada. De repente, o anjo com uma saudação estranha. “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo”. O que está acontecendo? O que isso significa? ‘Não tenha medo, Maria. Deus está muito feliz com você. Você vai conceber e gerar o filho dele, o filho que vai herdar o trono de Davi’. Maria ainda estava assustada, mas já tinha uma resposta. Deus estava feliz com ela e comunicando-lhe uma grande missão.

Depois do susto, veio a dúvida. ‘Não é possível uma coisa dessas... eu nem casada sou. Como é que uma virgem pode ser mãe?’ E o anjo: ‘Para Deus não tem isso não, Maria, tudo é possível para ele. Quer um exemplo? Izabel. Estéril, idosa, agora está grávida de seis meses’. ‘Como Deus é grande, como ele é bom’, pensou Maria. Desvaneceu-se a dúvida. Ele é o todo-poderoso. Ele faz maravilhas.

Passado o susto, ela dialogou responsavelmente para ver o alcance do que lhe estava sendo comunicado. A dúvida foi esclarecida. Vem agora a entrega. “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”. Entrega-se ao cumprimento da vontade do Senhor manifestada na palavra do anjo. Realizará a vontade do Senhor, como serva. Entrega humilde, generosa, total.

É, Deus sempre nos surpreende. Manda-nos seus recados. Ele nos pega de surpresa. Suas propostas alteram profundamente a normalidade do nosso caminho, de nossa vida. Ele tem planos diferentes dos nossos. Mas, não é uma ordem do dia, uma distribuição aleatória de tarefas que se dá a qualquer um. É, antes de tudo, uma escolha amorosa. É um voto de confiança de quem ama a quem ele cumula de toda graça, de toda bênção. A escolha é antes de tudo um sinal distintivo do seu amor. “Não foram vocês que me escolheram, fui eu que escolhi vocês”, afirmou Jesus.

Guardando a mensagem

O sim de Maria foi muito especial. Depois do susto, ela procurou saber o alcance daquele convite tão especial da parte de Deus. Convenceu-se de que ele pode tudo e que, com ele, ela poderia vencer qualquer obstáculo, começando por fazer fecunda a sua virgindade. Teve fé. Izabel fez-lhe um elogio por sua fé: “Bem-aventurada a que acreditou, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor se cumprirá”. A primeira reação à entrada surpreendente de Deus em nossa vida, integrando-nos ao seu projeto de salvação, é o susto, a surpresa. Depois vem a dúvida. E por fim, a resposta. Às vezes, ela não é como a de Maria, a de entrega generosa e humilde. Às vezes, é presunçosa e egoísta. É, muitas vezes, Deus tem recebido um “não”. ‘Não vou, porque já tenho o meu projeto, vou cuidar da minha vida ao meu modo’... Mas hoje, dia de Nossa Senhora do Rosário, não é dia de “não”, hoje é dia de “sim”, do “sim” de Maria e do “sim” generoso e fiel de muitos e muitas como ela.

Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra (Lc 1, 38)

Rezando a palavra

Senhor Jesus,
Tu nos chamas ao teu seguimento. “Vem e segue-me!”. Esta é a vocação para a qual tu nos convocas: ser cristãos. Nossa vocação é viver como teus discípulos e missionários do teu evangelho. Na resposta ao teu chamado, queremos nos espelhar em Maria, tua santa mãe. Concede, Senhor, que a nossa resposta ao teu chamado seja generosa, humilde e fiel como o de nossa mãe, Maria Santíssima. Na Senhora do Rosário, celebramos a obra de Deus em nossa história, atribuindo à sua intercessão o livramento de tua Igreja em momentos de grave perseguição. A ela, queremos recomendar a acolhida da Encíclica do Papa Francisco 'Fratelli Tutti', uma verdadeira carta de navegação para os novos tempos da Igreja e do mundo. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Neste dia de Nossa Senhora do Rosário, faça todo esforço para rezar o Terço, hoje meditando os mistérios luminosos.

Em suas orações, inclua, hoje, o nome de minha irmã Ângela Maria, que faleceu serenamente ontem, depois de um ano de luta contra um câncer. Descanse em paz. 

Hoje é dia de celebrar a Santa Missa por você e por suas intenções. Você pode acompanhar a celebração às 11 horas, pelo meu canal no Youtube e no Facebook.

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

O NOME DA CRIANÇA


 
24 de junho de 2021,
Solenidade da Natividade de São João Batista

EVANGELHO


Lc 1,57-66.80

57Completou-se o tempo da gravidez de Isabel, e ela deu à luz um filho. 58Os vizinhos e parentes ouviram dizer como o Senhor tinha sido misericordioso para com Isabel, e alegraram-se com ela. 59No oitavo dia, foram circuncidar o menino, e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. 60A mãe, porém disse: “Não! Ele vai chamar-se João”.
61Os outros disseram: “Não existe nenhum parente teu com esse nome!” 62Então fizeram sinais ao pai, perguntando como ele queria que o menino se chamasse. 63Zacarias pediu uma tabuinha, e escreveu: “João é o seu nome”. E todos ficaram admirados. 64No mesmo instante, a boca de Zacarias se abriu, sua língua se soltou, e ele começou a louvar a Deus. 65Todos os vizinhos ficaram com medo, e a notícia espalhou-se por toda a região montanhosa da Judeia. 66E todos os que ouviam a notícia ficavam pensando: “O que virá a ser este menino?” De fato, a mão do Senhor estava com ele. 80E o menino crescia e se fortalecia em espírito. Ele vivia nos lugares desertos, até o dia em que se apresentou publicamente a Israel.

MEDITAÇÃO


Os vizinhos e parentes ouviram dizer como o Senhor tinha sido misericordioso para com Isabel, e alegraram-se com ela (Lc 1, 58).

Por causa da rotação da terra, o sol ilumina mais ou menos tempo, deixando o dia mais curto ou mais comprido. O inverno começa quando a noite fica maior do que o dia. É o solstício de inverno. Essa passagem anual de estação levou as populações nativas do continente americano a comemorarem essa data com muitas festas, segundo suas tradições. Com a chegada do cristianismo, quinhentos anos atrás, esses festejos de mudança de estação se juntaram com a mudança que Deus fez na história da humanidade, preparando a vinda de Jesus. Desse casamento entre tradições nativas do continente e o cristianismo nasceu a festa de São João.

A festa de São João celebra os acontecimentos em torno do nascimento do profeta João Batista, que preparou a chegada do Salvador, dando início a um tempo novo. É por isso que a festa de São João é ligada ao mundo rural, com fogueira, comidas de milho e folguedos tradicionais da roça. Estamos no hemisfério sul. No hemisfério norte, o solstício de inverno é em dezembro, coincidindo com a festa de natal.

O evangelho de Lucas dá notícia da admiração e da alegria que tomaram conta de vizinhos e parentes da família de Izabel e Zacarias pelo que Deus fez em favor deles e do seu povo. Um casal maduro, idosos, sem filhos, ela estéril... de repente, a mulher engravida e, no meio de muitos sinais do poder de Deus, dá à luz um menino que marca o início do novo tempo, o tempo do Messias que estava chegando. O menino, nascido de Izabel, seria o mensageiro que iria preparar a chegada do Salvador.

Os sinais de Deus foram muitos. O anjo anunciou a Zacarias que sua mulher iria engravidar. O pai, sacerdote em função no Templo, achou muito difícil acontecer o que lhe fora anunciado, por isso ficou mudo. Sua mulher Izabel, idosa e estéril, engravidou. A boa notícia se espalhou pelos moradores das montanhas de Judá, onde eles moravam. Alguma coisa muito importante Deus estava preparando. A jovem Maria, prima de Izabel, chegou da Galileia e com ela uma alegria imensa inundou o coração de Izabel. Ela conheceu, pelo Espírito Santo, que Maria, sua parente, também estava grávida e que era ela a mãe do Messias. Foi quando o bebê de Izabel, no sexto mês de gestação, estremeceu de alegria no ventre de sua mãe.

A idosa senhora deu à luz um menino. Que notícia boa para aquele casal sem filhos. Não havia pré-natal naquele tempo, então ninguém sabia se seria menino ou menina. Menino era garantia de continuação da família, segundo a organização do seu povo. Foi uma boa notícia. Deus estava mudando a vida daquela família, assegurando-lhe um futuro. Na hora de circuncidar o menino, aos oito dias, rito pelo qual a criança entrava em aliança com Deus como membro do povo eleito, outra surpresa. A tradição de colocar um nome de um parente foi quebrada. Deu-se um nome diferente, um nome novo. João. Essa criança é algo novo, em ruptura com os velhos tempos. A mãe queria assim. O pai confirmou, escrevendo numa tabuinha. Essa sintonia de Zacarias com o novo de Deus na vida de sua família restaurou sua comunhão com Deus. Voltou a falar. E glorificou a Deus, de uma maneira emocionada e feliz. Disse, com o coração cheio do Espírito Santo, que o seu filho, como profeta do Altíssimo, iria à frente do Messias, o Senhor que estava chegando, como sol nascente.

Tudo isso se espalhou pela vizinhança... Maria, claro, estava presente nesses acontecimentos. Espalhou-se o sentimento que algo novo estava acontecendo, Deus estava cumprindo as promessas feitas ao seu povo. Estava começando um tempo novo. Razão de alegria e contentamento para aquela gente.

Guardando a mensagem

O nascimento de João Batista foi um momento de grande alegria para parentes, vizinhos e amigos de Izabel e Zacarias. Eles entenderam que estava começando um novo tempo, por obra de Deus. Quando os cristãos plantaram a fé católica nas Américas, mesclaram essa alegria da chegada do profeta João Batista com as comemorações que os povos da terra faziam pela passagem do solstício, a mudança na natureza. Assim, na festa de São João temos uma festa com raízes rurais e com um grande sentimento de esperança. Enquanto, no coração do povo houver esperança e a certeza de que Deus está construindo um novo tempo, tem São João.

Os vizinhos e parentes ouviram dizer como o Senhor tinha sido misericordioso para com Isabel, e alegraram-se com ela (Lc 1, 58).

Rezando a palavra

Rezemos com as palavras da oração do sacerdote Zacarias, após a circuncisão do seu filho João:

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,
anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;
pelo amor do coração de nosso Deus,
sol nascente que nos veio visitar lá do alto
como luz resplandecente a iluminar
a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados
e para dirigir os nossos passos,
guiando-nos no caminho da paz.

Vivendo a palavra

Havendo uma oportunidade, nesta semana, faça um gesto de atenção em relação a uma família pobre e suas crianças.

Hoje é dia da Santa Missa dos Ouvintes e Associados, às 11 horas, com transmissão pelo rádio e pelas redes sociais. Podendo, reserve esta hora para estarmos em oração. 

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

DIZER `SIM`A DEUS



25 de março de 2021
Anunciação do Senhor 

EVANGELHO

Lc 1,26-38

Naquele tempo, 26o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, 27a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da Virgem era Maria. 28O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!”
29Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. 30O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. 31Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. 32Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. 33Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”.
34Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?” 35O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. 36Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, 37porque para Deus nada é impossível”. 38Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se.

MEDITAÇÃO


Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo! (Lc 1, 28)

Nove meses antes do Natal, celebramos, hoje, a solenidade da Anunciação do Senhor – o dia em que a iniciativa de Deus se encontra com a adesão de sua humilde servidora. É o mistério da encarnação do Verbo.

Primeiro, Maria ficou assustada. De repente, o anjo com uma saudação estranha. “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo”. O que está acontecendo? O que isso significa? ‘Não tenha medo, Maria. Deus está muito feliz com você. Você vai conceber e gerar o filho dele, o filho que vai herdar o trono de Davi’. Maria ainda estava assustada, mas já tinha uma resposta. Deus estava feliz com ela e comunicando-lhe uma grande missão.

Depois do susto, veio a dúvida. ‘Não é possível uma coisa dessas... eu nem casada sou. Como é que uma virgem pode ser mãe?’ E o anjo: ‘Para Deus não tem isso não, Maria, tudo é possível para ele. Quer um exemplo? Izabel. Estéril, idosa, agora está grávida de seis meses’. ‘Como Deus é grande, como ele é bom’, pensou Maria. Desvaneceu-se a dúvida. Ele é o todo-poderoso. Ele faz maravilhas.

Passado o susto, ela dialogou responsavelmente para ver o alcance do que lhe estava sendo comunicado. A dúvida foi esclarecida. Vem agora a entrega. “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”. Entrega-se ao cumprimento da vontade do Senhor manifestada na palavra do anjo. Realizará a sua vontade, como serva. Entrega humilde, generosa, total.

É, Deus sempre nos surpreende. Manda-nos seus recados. Ele nos pega de surpresa. Suas propostas alteram profundamente a normalidade do nosso caminho, de nossa vida. Ele tem planos diferentes dos nossos. Mas, não é uma ordem do dia, uma distribuição aleatória de tarefas que se dá a qualquer um. É, antes de tudo, uma escolha amorosa. É um voto de confiança de quem ama a quem ele cumulou de toda graça, de toda bênção. A escolha é antes de tudo um sinal distintivo do seu amor. “Não foram vocês que me escolheram, fui eu que escolhi vocês”, afirmou Jesus.

Guardando a mensagem

O “sim” de Maria foi muito especial. Depois do susto, ela procurou saber o alcance daquele convite tão especial da parte de Deus. Convenceu-se de que ele pode tudo e que, com ele, ela poderia vencer qualquer obstáculo, começando por fazer fecunda a sua virgindade. Teve fé. Izabel fez-lhe um elogio por sua fé: “Bem-aventurada a que acreditou, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor se cumprirá”. A primeira reação à entrada surpreendente de Deus em nossa vida, integrando-nos ao seu projeto de salvação, é o susto, a surpresa. Depois vem a dúvida. E por fim, a resposta. Às vezes, ela não é como a de Maria, a de entrega generosa e humilde. Às vezes, é presunçosa e egoísta. É, muitas vezes, Deus tem recebido um “não”. ‘Não vou, porque já tenho o meu projeto, vou cuidar da minha vida ao meu modo’... Mas, hoje, dia da Anunciação do Senhor, não é dia de ‘não’, hoje é dia de ‘sim’, do ‘sim’ de Maria e do seu ‘sim’ generoso e fiel, meu irmão, meu irmã.

Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo! (Lc 1, 28)

Rezando a Palavra

Senhor Jesus,
temos hoje uma alegria e uma tristeza no coração. A alegria pela solenidade da anunciação, com a qual festejamos a iniciativa misericordiosa do Pai de enviar-te em nossa natureza humana, a tua adesão obediente de Filho amoroso e o ‘sim’ de tua mãe Maria, cheia da graça do nosso Deus. E a tristeza de celebrar essa linda solenidade em meio a uma quarentena por causa do vírus que está circulando tão fortemente. Nem é bem a quarentena que nos entristece, mas as pessoas que estão morrendo por causa do vírus. Senhor, tua vinda continua nos mostrando quanto somos amados por Deus. E quanto ele quer nos salvar por meio de ti. Assim, tu que viste aqui na terra tanto sofrimento, tanta doença, tem compaixão de nós e livra-nos desse covid-19. Abençoa, Senhor, os profissionais da área da saúde e os que estão trabalhando em frentes indispensáveis. Conserva-nos serenos no meio dessa tempestade, confiantes na misericórdia divina e abençoa as nossas famílias em quarentena. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém. 

Vivendo a palavra

Em nossas escadaria quaresmal, estamos subindo, hoje, o 37º degrau. E o passo inspirado na festa de hoje é este: Dizer sim a Deus. Imitar Maria,na sua adesão à vontade do Pai. 

Como você sabe, todas as quintas-feiras, eu celebro a Santa Missa, às 11 horas, com transmissão pelo rádio e pelas redes sociais. Hoje, vamos rezar em sufrágio dos mais de 300 mil brasileiros mortos pelo novo coronavírus. 

Neste dia mariano, fica bem você rezar o Terço. Nas quintas, contemplamos os mistérios luminosos. Estou lhe enviando um link, para o caso de você precisar lembrar como se reza o terço mariano ou como se contempla os mistérios de hoje.

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb



COMO REZAR O TERÇO




“PELO SINAL da Santa Cruz, livrai-nos, Deus, Nosso Senhor, dos nossos inimigos”. “Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.”


Oração do Credo (Na Cruzinha)
Creio em Deus Pai, todo poderoso, criador do céu e da terra, e em Jesus Cristo seu único Filho, Nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus e está sentado à direita de Deus Pai todo poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos; creio no Espírito Santo, na santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na Ressurreição da carne e na vida eterna. Amém.

Oração do Pai-Nosso (em todas as bolinhas maiores)
Pai nosso, que estais no céu, santificado seja o vosso nome, venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje, perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tenha ofendido e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.

Oração da Ave-Maria (em todas as dezenas - bolinhas menores)
Ave-Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.

Glória ao Pai (ao final de cada dezena)
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém!

Jaculatória (após os Glória ao Pai)
Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.




CONTEMPLANDO OS MISTÉRIOS


Mistérios Gozosos (segunda e sábado)
1. No primeiro mistério contemplamos a Anunciação do anjo e a Encarnação do Verbo.
2. No segundo mistério contemplamos a Visitação de Nossa Senhora a sua prima Santa Isabel.
3. No terceiro mistério contemplamos o Nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo em Belém.
4. No quarto mistério contemplamos a Apresentação do Menino Jesus no Templo e a Purificação de Nossa Senhora.
5. No quinto mistério contemplamos a perda e o encontro do Menino Jesus.

Mistérios Dolorosos (terça e sexta)
1. No primeiro mistério contemplamos a Agonia de Jesus no Horto das Oliveiras.
2. No segundo mistério contemplamos a Flagelação de Nosso Senhor Jesus Cristo.
3. No terceiro mistério contemplamos a Coroação de espinhos de Nosso Senhor.
4. No quarto mistério contemplamos Nosso Senhor carregando penosamente a Cruz até o alto do Calvário.
5. No quinto mistério contemplamos a Crucifixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Mistérios Gloriosos (quarta e domingo)
1. No primeiro mistério contemplamos a Ressurreição de Jesus Cristo.
2. No segundo mistério contemplamos a Ascensão de Jesus aos Céus.
3. No terceiro mistério contemplamos a descida do Espírito Santo sobre Nossa Senhora e os Apóstolos no Cenáculo.
4. No quarto mistério contemplamos a Assunção de Nossa Senhora aos Céus.
5. No quinto mistério contemplamos a gloriosa coroação de Maria Santíssima como Rainha do Céu e da Terra.

Mistérios Luminosos (quinta)
1. No primeiro mistério contemplamos o Batismo de Jesus no rio Jordão.
2. No segundo mistério contemplamos a auto-revelação nas Bodas de Caná por intercessão da Virgem Maria.
3. No terceiro mistério contemplamos o Anúncio do Reino de Deus convidando à conversão.
4. No quarto mistério contemplamos a Transfiguração de Jesus.
5. No quinto mistério contemplamos a instituição da Eucaristia

Agradecimento (Última oração ao final do terço)
Infinitas graças vos damos, Soberana Rainha, pelos benefícios que todos os dias recebemos de vossas mãos liberais. Dignai-vos, agora e para sempre tomar-nos debaixo do vosso poderoso amparo e para mais vos agradecer, vos saudamos com uma Salve Rainha:

SALVE RAINHA, Mãe de misericórdia, vida e doçura, esperança nossa Salve! A vós bradamos, os degradados filhos de Eva; a vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro nos mostrai-nos a Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó Clemente, ó Piedosa, ó Doce, sempre Virgem Maria. Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém”

Fonte: https://www.nospassosdemaria.com.br/04-ComoRezarTerco.html

NOSSA HISTÓRIA TEM FUTURO


23 de dezembro de 2020

EVANGELHO 



Lc 1,57-66

57Completou-se o tempo da gravidez de Isabel, e ela deu à luz um filho. 58Os vizinhos e parentes ouviram dizer como o Senhor tinha sido misericordioso para com Isabel, e alegraram-se com ela. 59No oitavo dia, foram circuncidar o menino, e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. 60A mãe porém disse: “Não! Ele vai chamar-se João”. 61Os outros disseram: “Não existe nenhum parente teu com esse nome!” 62Então fizeram sinais ao pai, perguntando como ele queria que o menino se chamasse.
63Zacarias pediu uma tabuinha, e escreveu: “João é o seu nome”. 64No mesmo instante, a boca de Zacarias se abriu, sua língua se soltou, e ele começou a louvar a Deus. 65Todos os vizinhos ficaram com medo, e a notícia espalhou-se por toda a região montanhosa da Judeia. 66E todos os que ouviam a notícia, ficavam pensando: “O que virá a ser este menino?” De fato, a mão do Senhor estava com ele.

Todos os vizinhos ficaram maravilhados e a notícia espalhou-se por toda a região (Lc 1, 65).


Bem no dia do vizinho, um texto maravilhoso nos preparando para o natal do Senhor. E falando dos vizinhos. É a cena do nascimento de João, o que se tornou depois o Batista. E esse nascimento de João é contado em preparação do nascimento de Jesus. Não foi só a pregação de João que preparou a sua vinda. O seu próprio nascimento, em condições semelhantes de intervenção divina, é já é uma espécie de prévia do nascimento do Messias. O mesmo anjo Gabriel anunciou o seu nascimento, a mãe também concebeu em condições extraordinárias, a mesma atenção à colocação do nome dado ao recém-nascido na cerimônia de circuncisão...

O clima do nascimento é de alegria e contentamento. Isabel deu à luz o seu filho e parentes e vizinhos mostram-se próximos e solidários. Mas, houve mais uma surpresa no dia da circuncisão do menino. A circuncisão era um rito pelo qual o menino era incorporado ao povo de Deus. Era a hora de impor o nome da criança. A surpresa foi o nome escolhido pelos pais: não havia ninguém na família com aquele nome. A mãe queria assim. E o pai, também. Os parentes não estavam de acordo. Como o pai estivesse mudo, escreveu numa tabuinha: “O nome dele é João”. Foi como o anjo Gabriel o tinha instruído. Esse ato de obediência encerrou o castigo de Zacarias que antes não tinha acreditado nas palavras do anjo. E ele começou a falar e a louvar a Deus. Parentes e vizinhos ficaram pasmos, maravilhados. E a notícia correu por toda a região.

“O nome dele é João”. O menino, que acabou de nascer, não iria apenas dar continuidade à sua família ou repetir a história dos seus ascendentes. Ele iria escrever um novo capítulo na história de seu povo. João, não Zacarias. Um nome novo para uma nova missão. Ele encerraria o capítulo da paciente espera do Messias, abrindo o novo tempo. Apontaria o Messias já presente no meio do povo.

O texto de hoje sublinha a solidariedade dos vizinhos e parentes com aquele casal idoso. Eles não somente ficaram sabendo da gravidez prodigiosa de Isabel, mas também a consideraram uma obra misericordiosa de Deus na vida daquela família e se alegraram com ela. Ficaram maravilhados com o que aconteceu no dia da circuncisão da criança. E espalharam por todo canto a boa notícia do que Deus estava realizando no meio do seu povo.

Guardando a Mensagem

O nascimento de uma criança é sempre um recomeço. Não vem para repetir o passado, embora não possa prescindir dele. É um novo ponto de partida. O futuro está começando naquela criança, é o novo entrando na história. O nascimento de uma criança, como o nascimento de João Batista, é um testemunho sobre Jesus. Ele veio assim. Uma criança frágil, chorando no frio daquela noite, ao abrigo de uma gruta e de seus animais, amparada somente pelo amor de uma mãe e de um pai abençoados. Um mistério de vida e de luz, o natal, só compreensível no clima do nascimento de uma criança, de uma mãe que dá a luz.

Todos os vizinhos ficaram maravilhados e a notícia espalhou-se por toda a região (Lc 1, 65).


Rezando a palavra 

Vamos rezar com as palavras do pai do menino João, ao ficar bom de sua mudez:

Bendito seja o Senhor Deus de Israel, que a seu povo visitou e libertou; e fez surgir um poderoso Salvador na casa de Davi, seu servidor, como falara pela boca de seus santos, os profetas desde os tempos mais antigos, para salvar-nos do poder dos inimigos e da mão de todos quantos nos odeiam. 

Vivendo a palavra

Reze, hoje, pelos seus vizinhos. E ao apresentar-lhes votos de boas festas, não fale só da ceia, dos presentes, do especial de natal... aproveite para falar-lhes de Jesus. 

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

UM CANTO DE LOUVOR E GRATIDÃO


22 de dezembro de 2020

EVANGELHO


Lc 1,46-56

Naquele tempo, 46Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, 48porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, 50e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem.
51Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. 52Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. 53Encheu de bens os famintos, e despediu os ricos de mãos vazias. 54Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, 55conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre”. 56Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa.

MEDITAÇÃO


O Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor (Lc 1, 49)

Tudo começou com a iniciativa de Deus. Ele enviou seu mensageiro, o anjo Gabriel. Este, respeitosamente, anunciou a Maria que ela seria mãe do filho de Deus. “Nada é impossível a Deus”, lembrou-lhe ele. Foi aí que ela soube que Izabel estava grávida. Assim, viajou logo para visitar e ajudar sua prima. Lá chegando, a idosa senhora ficou tomada da alegria do Santo Espírito e a saudou como mãe do seu Senhor. Nessa altura, igualmente cheia do Espírito Santo, Maria louvou a Deus com palavras tão abençoadas que hoje ainda as sabemos de cor e continuamos a honrar o Senhor com a sua linda prece.

Maria está mergulhada num turbilhão de manifestações do amor de Deus: a comunicação do anjo, a sua gravidez, a gestação adiantada de Izabel, a alegria do bebê quando ela chegou, as palavras proféticas de Izabel... então, Maria dá glórias a Deus, primeiro pelo que ele está fazendo na vida dela e, depois, pelo que ele está fazendo na vida do seu povo.

Maria reconheceu, agradecida, que Deus olhou para a pequenez de sua serva (por isso, todas as gerações a chamariam de bem-aventurada) e que Ele fez grandes coisas em seu favor. Realmente, ele é santo e misericordioso. É a primeira parte de seu canto. 

Deus agiu em sua vida de uma maneira maravilhosa. Mas, afinal o que foi mesmo que Deus fez? Deus está enviando o Salvador, por meio dela. Ela está feliz e agradecida por isto. Mas, não se limita só ao que Deus lhe fez. Sabe que essa vinda de Jesus é em benefício de todo o povo. Por isso, bendiz o Senhor porque mostrou a força do seu braço e porque veio em socorro do seu povo. E descreve a ação desse Deus libertador, que continua agindo como no tempo do Êxodo: libertando os humildes e punindo os soberbos. É a segunda parte do seu canto.

Guardando a Mensagem

O testemunho de Maria é maravilhoso. Deus está enviando o Salvador, por meio dela. Nela, ele fez grandes coisas. O Deus santo e fiel está cumprindo suas promessas, em favor do seu povo. O natal é um presente de Deus para o mundo, que passa pelas mãos e pelo ventre de Maria. A vinda do Salvador é uma intervenção de Deus que muda a história, em favor dos humildes, dos famintos, dos sofredores. Não podemos ver o natal apenas como um item da tradição, uma festa de fim de ano, ou apenas uma linda festa de família. O natal é uma intervenção de Deus, mudando a história humana. Deus enviou o seu filho para a salvação do mundo.

O Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor (Lc 1, 49)


Rezando a palavra

Não há palavras e sentimentos mais adequados, hoje, do que o próprio canto da Virgem, inspirada pelo Santo Espírito. Rezemos:

“A minha alma engrandece o Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem (Lc 1, 46-50).

Vivendo a palavra

Como estamos nos preparando para fazer memória do nascimento de Jesus, e ouvimos, hoje, sua mãe num canto de fé e gratidão, você poderia ir se preparando para oferecer um presente ao menino Jesus, no dia do natal. O menino Jesus está na manjedoura da periferia e você facilmente pode encontrá-lo e honrá-lo com o seu presente. Vá se organizando. No dia de natal, volto a lembrar do seu presente.

Participe, hoje, do 8º Dia da Novena de Natal, cujo tema é a Antífona Ó REI DAS NAÇÕES. Vou rezá-la às 14:30, pelas redes sociais. 

'Bem-Aventurada' é a canção que você ouve agora, ao menos um trechinho. Mas, para ouvi-la por inteiro, como também acompanhá-la com a letra, para você que recebe diretamente a Meditação,  f fé só seguir o link que estou lhe enviando. 

Pe. João Carlos Ribeiro sdb 

MÚSICA

BEM AVENTURADA
(Pe. João Carlos)



Doravante as gerações
Me chamarão bem-aventurada


Ele olhou pra mim
E me escolheu
Eu tão pequenina
Servidora
Ele olhou pra mim
E me elegeu
Eu de tão feliz
O louvo agora


O seu nome é santo
É Salvador
Grandes coisas fez
Em minnha vida
O seu nome é santo
E o seu amor
Em toda geração
faz maravilhas


Ele agiu com força
E com poder
Derrubou do trono
Os poderosos
Ele agiu com força
E defendeu
E exaltou os pobres
Humilhados


Ele viu seu povo
E lhe doeu
Rebanho maltratado
E tão sofrido
Ele viu seu povo
E o socorreu
Lembrado do que
Havia prometido


A AVE MARIA


21 de dezembro de 2020

EVANGELHO


Lc 1,39-45


39Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!” 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre.45“Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”.


MEDITAÇÃO


Bem-aventurada aquela que acreditou (Lc 1, 45)


A visita de Maria à sua prima Isabel é uma cena que você conhece bem. É, inclusive, a meditação da segunda dezena dos mistérios gozosos do Terço. Ao saber da prodigiosa gravidez de sua prima idosa, Maria logo viajou para a Judeia. Chegando, entrou na casa e saudou Isabel. O bebê de seis meses de gestação pulou de alegria no ventre de Isabel e ela, cheia do Espírito Santo, disse coisas maravilhosas sobre Maria e sobre Jesus. 

Isabel está radiante com a visita inesperada de Maria. Cheia do Espírito Santo, ela festeja a chegada da jovem prima: "Bendita és tu entre as mulheres. Bendito é o fruto do teu ventre". A saudação de Isabel continua de boca em boca, cumprindo a profecia da Virgem: "Todas as gerações me chamarão bem-aventurada". E ela mesma deu a razão: "porque o Senhor fez em mim maravilhas".

Sobre Jesus, Isabel nos deixa um ensinamento precioso. Ela não separa Jesus de sua mãe. Ela é bendita entre as mulheres. Ele é o bendito fruto do seu ventre. Ele é o Senhor. “Ela é a mãe do meu Senhor”, disse Isabel. Jesus é filho de Deus e de Maria. E ela é grande pela sua fé. 

“Bem-aventurada aquela que acreditou”. A grandeza de Maria está confirmada por Izabel: ela acreditou. Foi na fé que concebeu. A fé é a resposta adequada à Palavra do Senhor. “Faça-se em mim segundo a tua palavra”. A palavra do Mensageiro lhe expôs a vontade de Deus. Ela creu. Uma vez entendida a mensagem, aceitou com generosidade e humildade o que Deus queria dela. Na anunciação, vemos a fé de Maria e o seu sim, como respostas à vontade de Deus comunicada por sua palavra. Na visitação, vemos o amor, a caridade que a impeliram ao serviço de sua parenta idosa. Maria tornou-se, assim, modelo de fé e de caridade para todas as gerações. 

Nessa preparação para o natal, podemos aprender com Isabel a ter bem clara essa centralidade da pessoa de Jesus. Ele é o bendito fruto do ventre de Maria, o filho do Altíssimo. Como disse o Papa Francisco na Carta Apostólica que escreveu sobre o presépio, no ano passado: "O coração do Presépio começa a palpitar, quando colocamos lá, no Natal, a figura do Menino Jesus. Assim se nos apresenta Deus, num menino, para fazer-se acolher nos nossos braços. Naquela fraqueza e fragilidade, esconde o seu poder que tudo cria e transforma. Parece impossível, mas é assim: em Jesus, Deus foi criança e, nesta condição, quis revelar a grandeza do seu amor, que se manifesta num sorriso e nas suas mãos estendidas para quem quer que seja". Lindas palavras do nosso Papa Francisco. É assim que, em Jesus, no presépio, tudo ganha luz e sentido.

Guardando a mensagem

A Ave Maria é uma prece frequente nos lábios do povo católico. Em primeiro lugar, celebra a ação de Deus em nossa história, que, em cumprimento de suas promessas, envia o seu filho amado para nos salvar, preparando para ele uma mãe sem a mácula do pecado, em completa comunhão com a Trindade. Celebra igualmente a contribuição humana, pequena e limitada em seu plano de salvação. Vemos isso na participação da jovem e virgem Maria, que se tornou modelo de nossa resposta à vontade de Deus comunicada por sua santa palavra. Ela acreditou e colocou-se em suas mãos, como humilde servidora. Como mãe do salvador, que veio em despojamento e humildade a serviço da humanidade, ela foi servir na casa de Izabel. O seu serviço intercessor continua em relação a nós, pecadores, a quem recorremos com grande confiança e amor, reconhecendo nela a mãe de Deus, já que Jesus em sua encarnação uniu a sua natureza divina à nossa natureza humana. 

Bem-aventurada aquela que acreditou (Lc 1, 45)


Rezando a palavra

Unamo-nos a todas as gerações que proclamam Maria e Jesus benditos e façamos nossa a prece do anjo Gabriel, de Isabel e de toda a Igreja:

Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco. Bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.

Vivendo a palavra

Durante o dia de hoje, reze algumas vezes a Ave Maria, devagar e dando sentido às palavras que pronuncia. 

Acompanhe hoje o 7º Dia da Novena de Natal, que rezamos às 14:30, no Yotuube e no Facebook.

Para você que recebe a Meditação pelo celular, estou deixando um link para você ouvir e acompanhar a letra desta música que toca agora - Estavas lá.

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

MÚSICA


 

  Estavas Lá

Padre Joao Carlos

Quando Deus o seu anjo enviou
De Isabel, o ventre abençoou
Tu, Maria, estavas lá!

Quando o idoso profeta Simeão
Avisou que chegara a salvação
Tu, Maria, estavas lá!

Estavas lá
Mãe do Senhor
Conosco estás
Ó Mãe do Amor

Quando a água em vinho se tornou
E em Caná, Jesus se revelou
Tu, Maria, estavas lá!

Quando a cruz, o teu filho carregou
No calvário, o cordeiro se imolou
Tu, Maria, estavas lá!

Estavas lá
Mãe do Senhor
Conosco estás
Ó Mãe do Amor

Quando o Espírito Santo de Deus
Como fogo a Igreja recebeu
Tu, Maria, estavas lá!

Quando a Igreja sofreu perseguição
E implorou por tua proteção
Tu, Maria, estavas lá!

Estavas lá
Mãe do Senhor
Conosco estás
Ó Mãe do Amor


Postagem em destaque

O AMOR NOS LIBERTA PARA AMAR

  19 de maio de 2022 Quinta-feira da 5ª Semana da Páscoa EVANGELHO Jo 15,9-11 Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 9“Como meu Pai m...

POSTAGENS MAIS VISTAS