01 maio 2016

Guardar a Palava


Jesus está falando com os seus discípulos, gente que o ama, que o segue.  E diz: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra”. Imaginemos: você participando dessa reunião e Jesus dizendo isso: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra”.

Você, com a liberdade de um discípulo, um amigo de Jesus, poderia perguntar-lhe diretamente que “palavra” é essa pra gente guardar.... Vai, pergunta... Coragem, vai...Ô Jesus, desculpe, que palavra é essa pra gente guardar? Psiu, escuta bem o que ele vai dizer: ... “A minha palavra pra você guardar é o que eu disse a vocês e ao povo, o que eu fiz entre vocês, a minha vida. A palavra é a minha vida, vivida entre vocês”.  Puxa, que resposta.... pensa bem:  como é que a vida dele é a Palavra? Pergunte mais não. Eu mesmo lhe explico: Toda a vida de Jesus é uma grande palavra que Deus falou na história da humanidade. Ficou complicado? Vou dizer de outra forma: a vida de Jesus na terra, sua vida humana, é uma grande comunicação,  uma boa notícia, um evangelho. Ih, parece que você não entendeu... Então, é melhor você perguntar a Jesus.

Vai, pergunta... Lá vai... Jesus, aqui, você diz assim “Se alguém me ama, guardará a minha palavra”. Amar você, eu amo, mas eu queria saber qual é mesmo a palavra que você quer que a gente guarde. ..., escuta a resposta dele: “O defensor, o Espírito Santo que o Pai enviará em meu nome, ele ensinará tudo a vocês e lhes recordará tudo o que eu tenho dito a vocês”. Puxa vida, que resposta, respira fundo... Olha só, o Espírito Santo ajuda a gente s entender o significado e o alcance do que Jesus disse e fez, de sua vida humana e muito mais. A vida de Jesus é o seu evangelho. Aliás, o evangelho de Marcos começa assim: “Início do Evangelho de Jesus Cristo, filho de Deus”. Então, o evangelho é a vida de Jesus, com tudo o que ele fez e disse.

Tudo claro? “Se alguém me ama, guardará a minha palavra” E “guardar”, o que é? Responda você. Não vale dizer que “guardar” aqui é conservar. Claro,.. guardar é praticar. Praticar. E praticar a Palavra de Deus é, segundo o mesmo Jesus, o mais importante. Não é apenas dizer “senhor, senhor”, mas fazer a vontade do Senhor. A Palavra é, afinal, a vontade de Deus, que está manifesta na história da vida de Jesus, na história do povo eleito, na história da salvação que a Bíblia conta. Guardar é tomar a vida de Jesus como referência para a própria vida, é acolher a boa notícia do amor de Deus que se manifesta nela.

Você que ama Jesus, tome hoje um propósito: ler diariamente os evangelhos. Neles, está a história de Jesus, o testemunho de como sua vida impactou a primeira geração de cristãos, guiada pelo Espírito Santo. Nos evangelhos, revela-se o rosto misericordioso do Pai, como disse o Papa. E a história de Jesus, sua vida, o que ele disse e o que fez, esse é o evangelho que precisamos conhecer e tomar como inspiração para a nossa vida. É a palavra que precisamos guardar.

Se alguém me ama, guardará a minha palavra (Jo 14,23)

Pe. João Carlos Ribeiro - 01.05.2016

27 abril 2016

A hora do amor maior

“Agora foi glorificado o filho do homem e Deus foi glorificado nele” (Jo 13, 31)

Um texto pequeno, o do evangelho deste 5º Domingo da Páscoa. Pequeno, e com palavras repetidas. Duas palavras se repetem: Glorificar (5 vezes) e amar (4 vezes). O contexto é a última ceia. A ceia tinha terminado, e Jesus tinha lavado os pés dos discípulos. Depois disso, revelara, muito triste, que um deles o trairia. Foi quando Judas deixou a sala e ficou todo mundo sem entender o que estava acontecendo. Nesse contexto, Jesus disse duas coisas muito importantes. A primeira, em torno da palavra “glorificar”. A segunda, em torno da palavra “amar”.

“Agora foi glorificado o Filho do Homem, e Deus foi glorificado nele. Se Deus foi glorificado nele, também Deus o glorificará em si mesmo, e o glorificará logo” (v. 31-32). Jesus está dizendo aos seus amigos que tinha chegado a sua hora. Agora, chegou a minha hora. Vocês lembram que, lá em Caná, na festa do casamento, ele tinha dito à sua mãe que a sua hora não tinha chegado. Mas, agora, a hora chegou. “Agora foi glorificado o filho do homem”. Impressionante: estava começando o doloroso processo da paixão e ele diz que essa é a hora de sua glorificação. O Pai estava sendo glorificado nele e logo o glorificaria. A hora da paixão é a hora da glória de Jesus. É a hora em que ele cumpre plenamente a sua missão: dá a vida por nós. Esse capítulo 13 do Evangelho de João começa assim:” Jesus sabendo que já era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai, como havia amado os seus, que estavam no mundo, amou-os até o fim”. A paixão de Jesus é o seu ato maior de amor. “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida pelos seus amigos”, ele tinha dito. E por que será que essa hora é a de sua glória? Porque é a hora do amor maior.

25 abril 2016

O remédio do perdão

Nossa vida em família nos traz momentos de muita alegria e felicidade, mas também é palco de muitos desencontros e problemas:  a infidelidade, o desrespeito, as agressões, o abandono, a desunião, o individualismo.... São feridas abertas. 

As feridas de nosso relacionamento precisam ser curadas. E há para isso um remédio único, maravilhoso, o perdão... o perdão para quem se arrepende, a chance de recomeçar para quem reconhece o seu erro, a porta aberta para quem saiu de casa.  A mulher adúltera ia ser apedrejada, mas Jesus desafiou aquela turba de cínicos: “Quem não tiver pecado, atire a primeira pedra”. O Papa Francisco tem insistido: “Deus jamais se cansa de nos perdoar. Nós é que nos cansamos de pedir perdão. Deus nos perdoa, saibamos perdoar os outros”.
Jesus perdoou de verdade. Olhou para Pedro e o seu olhar de amigo decepcionado lançou Pedro numa profunda crise. Pedro saiu do pátio do Sumo Sacerdote soluçando como uma criança desesperada. Depois de ressuscitado, Jesus dialogou com Pedro, deu o primeiro passo. Perguntou se lhe queria bem, se o amava de verdade. E fez Pedro responder isso três vezes, cancelando a culpa de suas três negações.  Pedro não fechou o coração ao perdão de Jesus, acolheu sua presença amiga, suas perguntas, seu perdão.