04 dezembro 2016

O domingo de João Batista

Convertam-se, porque o Reino de Deus está próximo  (Mt 3, 1)

Jesus vem. É o mote desse tempo do advento. Jesus está chegando. Precisamos nos preparar. Precisamos preparar a sua chegada.  E qual será o modo melhor de nos prepararmos para a sua vinda? Esse segundo domingo do advento responde. Ele nos apresenta a figura de João Batista, que nos traz uma mensagem da conversão. Sua pregação é essa: “Convertam-se, porque o Reino dos céus está próximo”. Ele está preparando o caminho do Senhor, como disse o Profeta Isaías. O modo melhor de nos prepararmos para o encontro com o Senhor é a conversão.

João está pregando no deserto e batizando no Rio Jordão. “Deserto” lembra o longo tempo em que o povo peregrinou até entrar na terra prometida. Tempo de purificação. Tempo de celebração da aliança. No deserto, o povo recebeu a Lei, para ser o povo de Deus. Lá, fez aliança com o Senhor.  No deserto, tornou-se povo de Deus, povo da aliança. A  entrada na terra prometida deu-se pelo Rio Jordão. João está neste cenário: Deserto e Jordão. A imagem já fala por si: voltemos à aliança com Deus.  

Às vésperas da chegada do Messias, o profeta está atraindo o povo para o deserto. E prega a chegada iminente do Messias. E a necessidade de cada um abandonar sua vida errada e restabelecer sua aliança com o Senhor. Os que confessam os seus pecados são batizados por ele, no Rio Jordão. É o batismo purificador, preparando o povo para o encontro com o Senhor que está chegando. Um povo que está sendo restaurado na sua condição de povo de Deus, pela Palavra que está sendo anunciada e pelo Banho purificador da Água. É isso que está acontecendo ali, no deserto da Judeia.

Mas, João fica irritado quando vê que fariseus e saduceus estavam também indo se batizar. Eles não se reconheciam pecadores, nem em ruptura com a aliança. Ao contrário, eles se faziam de santos e justos. Não estavam dispostos à conversão. Então, deviam saber que a árvore que não der fruto será cortada e lançada ao fogo. A vinda do Messias, diz João, é o dia do julgamento. O Messias vai armazenar o trigo e tocar fogo na palha.

João é uma figura impressionante, pela sua austeridade de vida, pelo anúncio da vinda do Messias e pela sua pregação clara sobre conversão, a mudança de vida. E mais: para não deixar qualquer dúvida sobre sua função auxiliar, apresenta a figura do Messias como muito superior a si próprio. “Eu nem sou digno de desamarrar suas sandálias”. É o servo que lava os pés do seu senhor. João nem se acha digno de ser servo do Messias. E o batismo do Messias é igualmente superior. “Eu batizo vocês com água. Ele vai batizar com o Espírito Santo e com fogo”. O fogo é um símbolo de purificação. No livro do profeta Malaquias está dito que o Messias vem com o fogo do fundidor ou refinador do ouro: vai purificar o seu povo. O forno do fundidor separa o ouro das impurezas.      

Guardemos, então, a mensagem deste segundo domingo do advento. O Senhor veio. Vamos celebrar sua primeira vinda no Natal. O Senhor vem. Vem sempre ao nosso encontro nos acontecimentos de nossa vida e de tantas maneiras surpreendentes. O Senhor virá definitivamente no último dia. Como podemos nos preparar para o nosso encontro com ele? Pela conversão. Pela mudança de vida. Por uma vida de aliança com o Senhor. Produzindo frutos de caridade, de justiça, de fraternidade.  


Convertam-se, porque o Reino de Deus está próximo  (Mt 3, 1)

26 novembro 2016

A vinda do Senhor

Também vocês fiquem preparados, porque na hora em que menos pensarem, o filho do homem virá. (Mt 24, 44).

Começou o tempo do advento. Jesus vem. Preparemo-nos para recebê-lo. Preparemos a sua chegada. Estejamos atentos, ativos, vigilantes. Que o dia de sua volta não nos pegue de surpresa. É a mensagem do tempo do advento.

O tema do evangelho de hoje, em Mateus 24, é a vinda de Jesus, a sua volta no final dos tempos. O verbo “vir” está repetido 6 vezes nessa passagem de hoje. E eu queria propor a você que encontre hoje um tempinho para ler essa passagem  (Mt 24, 37-44), para descobrir quantas vezes, nesse texto, ocorre essa expressão “vinda do Senhor ou vinda do filho do homem”.  Vou lhe adiantar que é um número de totalidade. Número de totalidade é um número que abarca o todo, abrange todas as direções. Então, está feito o desafio:  quantas vezes ocorre a expressão “vinda do Senhor ou vinda do filho do homem” no evangelho de hoje (Mt 24, 37-44).

19 novembro 2016

Ele é o Rei

O ano litúrgico se encerra com a aclamação de Cristo Rei do Universo. Celebramos a realeza de Jesus, o seu senhorio no mundo, ele que veio anunciar o Reino de Deus.

Resultado de imagem para jesus crucificado fotos
Falar de Jesus como rei é uma coisa, até certo ponto, perigosa. Perigosa, porque podemos ser levados a associar a imagem de Jesus aos reis deste mundo, aos governantes, aos poderosos. E aí seria um desastre... pois, seria o contrário do que o evangelho testemunha.