PADRE JOÃO CARLOS - MEDITAÇÃO DA PALAVRA: esperança
Mostrando postagens com marcador esperança. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador esperança. Mostrar todas as postagens

Acolher Jesus, como Maria.


           24 de dezembro de 2023.   

4° Domingo do Advento

 
   Evangelho.   


Lc 1,26-38

Naquele tempo, 26 o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, 27 a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da Virgem era Maria. 28 O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!”
29 Maria ficou perturbada com essas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. 30 O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. 31 Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. 32 Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. 33 Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”.
34 Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?”
35 O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. 36 Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, 37 porque para Deus nada é impossível”. 38 Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se.


    Meditação   



Para Deus, nada é impossível (Lc 1, 37).

Estamos bem pertinho do Natal. Na tarde de hoje, já se celebra a Missa da Vigília e, à noite, a Missa da Noite do Natal do Senhor. Mas, este é o 4º Domingo do Advento. 

Estamos concluindo o Tempo do Advento, tempo em que cultivamos a espera de Jesus que vem. Uma espera ativa (de gente desperta), convertida (voltados para Deus), operosa (de construção do bem), piedosa (de contemplação e oração). E neste domingo, olhamos para a Virgem Maria, modelo dos que esperam e acolhem Cristo. Ela, como ninguém, fez um santo advento: esperou a vinda de Jesus na fé, na esperança e na caridade. 

Isabel elogiou a Virgem Maria, quando ela chegou em sua casa: "Bem-aventurada aquela que acreditou". Ela creu, teve fé. Maria preparou a vinda de Jesus, na fé. Na fé, ela recebeu a mensagem do anjo e colocou-se à disposição de Deus: "Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra". O encontro com o Senhor que vem precisa ser cultivado num clima de fé, como Maria o fez. Fé é a abertura do coração para acolher o que o Senhor nos diz e a sua ação em nossa vida. 

Na casa de Isabel, cheia do Santo Espírito, Maria louvou a Deus: "O Senhor fez em mim maravilhas. Olhou para a condição humildade de sua serva. Manifestou o poder de seu braço, dispersou os soberbos, exaltou os humildes. Como prometera a Abraão e à sua descendência, para sempre". Maria confia em Deus e reconhece que ele está agindo na sua vida e na história do seu povo. Ele é fiel às suas promessas. É a virtude da Esperança. Viver e mover-se com confiança em Deus, que está realizando suas promessas. Ele as realizará perfeitamente mais adiante, mas já as está realizando agora. Maria move-se na esperança. 

"Maria ficou três meses com Isabel e depois voltou pra casa". A visita de Maria foi de solidariedade. Ela "foi apressadamente às montanhas de Judá" para ajudar sua parenta, para estar-lhe próxima em todas as suas necessidades. Esteve lá como servidora. Maria preparou a vinda de Jesus também na caridade. Caridade é o amor a Deus e aos irmãos, como ensinou Jesus. 




Guardando a mensagem 

Neste Natal, acolhamos Jesus como Maria o fez: na fé, na esperança e na caridade. No emaranhado dos apelos de nossa sociedade consumista, reconheçamos a presença central de Jesus em nossa vida e em nossa história. Na criança de Belém, tudo recomeça. É a virtude da fé. No cenário doloroso de guerras, eventos extremos pelas mudanças do clima, enfraquecimento dos laços familiares, crescimento da indiferença e da solidão, movamo-nos com quem vê mais e melhor. É a virtude da Esperança. Confiamos que a história está nas mãos de Deus. Ele continua agindo, protegendo, salvando, conduzindo-nos. Enquanto parece triunfar o egoísmo, a desigualdade social, o desprezo pelos mais pobres e sofredores, fazemos nosso o mandamento do amor: amar a Deus e aos irmãos e irmãs. E amá-los é defendê-los, protegê-los, confiar na sua força, acudi-los em suas necessidades. É a virtude da Caridade. 

Para Deus, nada é impossível (Lc 1, 37).

Rezando a palavra

A encarnação do Verbo e a participação de Maria no plano de  de Deus, são celebradas, de maneira especial, com a oração do ÂNGELUS. 

Guia: O Anjo do Senhor anunciou a Maria. 
Todos: E Ela concebeu do Espírito Santo. 

Guia: Eis aqui a serva do Senhor. 
Todos: Faça-se em mim segundo a tua palavra. 

Guia: E o Verbo se fez carne. 
Todos: E habitou entre nós. 

Guia: Rogai por nós, Santa Mãe de Deus! 
Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. 

Guia: Oremos. Derramai, ó Deus, a vossa graça em nossos corações, para que, conhecendo pela mensagem do anjo a encarnação do vosso Filho, cheguemos, por sua paixão e cruz, à glória da ressurreição. Por Cristo, nosso Senhor. 
Todos: Amém. 

Vivendo a palavra

Concluímos bem os nove dias da Novena de Natal. Agradeço a sua participação, nos acompanhando no rádio e em nosso Canal no Youtube. Hoje, véspera de Natal, teremos, no mesmo Canal, a Celebração do Natal em Família. Começa às 20 horas. Não podendo assistir neste horário, veja-o em outro momento. 

Uma abençoada noite de Natal pra você e sua família.

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb 

A fé que remove montanhas.



   13 de novembro de 2023    

Segunda-feira do 32ª Semana do Tempo Comum


   Evangelho    


Lc 17,1-6

Naquele tempo, 1Jesus disse a seus discípulos: “É inevitável que aconteçam escândalos. Mas ai daquele que produz escândalos! 2Seria melhor para ele que lhe amarrassem uma pedra de moinho no pescoço e o jogassem no mar, do que escandalizar um desses pequeninos.
3Prestai atenção: se o teu irmão pecar, repreende-o. Se ele se converter, perdoa-lhe. 4Se ele pecar contra ti sete vezes num só dia, e sete vezes vier a ti, dizendo: ‘Estou arrependido’, tu deves perdoá-lo”.
5Os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!” 6O Senhor respondeu: “Se vós tivésseis fé, mesmo pequena como um grão de mostarda, poderíeis dizer a esta amoreira: ‘Arranca-te daqui e planta-te no mar’, e ela vos obedeceria”.

   Meditação   


Os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!” (Lc 17, 5)

Depois de um domingo, em que acolhemos a palavra do Senhor nos instruindo a viver na esperança da ressurreição, vamos nos debruçar hoje sobre a virtude da fé. 

Os apóstolos, percebendo as exigências e as dificuldades no seguimento de Jesus, pediram-lhe: “Aumenta a nossa fé”. A fé, a esperança e a caridade são as três virtudes teologais. “As virtudes teologais são infundidas por Deus na alma dos fiéis para os tornar capazes de proceder como filhos seus e assim merecerem a vida eterna”, está escrito no Catecismo da Igreja (CIC-Catecismo da Igreja Católica, nº 1813). “A esperança é a virtude teologal pela qual desejamos o Reino dos céus e a vida eterna como nossa felicidade, pondo toda a nossa confiança nas promessas de Cristo” (CIC 1817).

“A fé é a virtude teologal pela qual cremos em Deus e em tudo o que Ele nos disse e revelou e que a santa Igreja nos propõe para acreditarmos, porque Ele é a própria verdade” (CIC 1814). Seguramente, a força que nos sustenta na vida é a fé, a fé em Deus. Fé naquele que verdadeiramente nos ama e pôs Jesus Cristo no nosso caminho, uma fé esclarecida. É o que a Igreja nos tenta passar nos cursos, encontros, jornadas, na catequese. "Fé cega, faca amolada" – diz a música de Gilberto Gil. Fé cega é uma arma perigosa. Fé esclarecida é a fé inteligente, de quem conhece o que ama. E que ama o que conhece.

A fé é a nossa segurança. A fé nos fala do que não passa, do que o vendaval do tempo não leva; nos fala daquele que sempre é, do Deus fiel, do Deus-Amor, e de seu plano de felicidade para cada um de nós. A fé é um dom, um presente de Deus. E a gente, com responsabilidade, tem que cuidar dela, para que ela possa ser cada dia ser mais robusta e forte.

A gente só sente a importância da luz quando escurece, quando a noite chega. A fé é essa luz que nós carregamos. Há momentos em nossa vida em que a gente precisa demais dessa luz: momentos de dor, de solidão, de perplexidade, de trevas. A fé é a nossa segurança. Nessas horas, é que a gente mais precisa de fé e de esperança. Elas nos fazem enxergar na escuridão. A fé nos diz que o Senhor está perto de nós, que não nos faltará, que nossa vida está em suas mãos, que sua sabedoria e sua providência estão nos conduzindo. Por isso, seguimos confiantes, mesmo nas adversidades. Por isso, resistimos com uma força que não temos.




Guardando a mensagem

O evangelho de hoje reúne alguns ditos de Jesus. Ele considerou de muita gravidade o fato de alguém escandalizar um pequenino. E recomendou que se perdoasse o irmão sempre que ele se arrependesse. Só uma visão de fé nos faz ter essa sensibilidade no trato com os pequeninos e essa generosidade no perdão aos irmãos. Diante desses ensinamentos, os apóstolos pediram a Jesus que aumentasse a sua fé. E Jesus comentou que uma fé mesmo pequena já faz maravilhas.

Os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!” (Lc 17, 5)

Rezando a palavra

Senhor Jesus,
hoje vamos rezar como os teus apóstolos: “Aumenta a nossa fé”. Só com uma visão de fé, podemos acolher os teus ensinamentos. Só com uma fé mais forte, podemos enfrentar as dificuldades que também encontramos hoje: as crises, os escândalos, a falta de horizonte... sem a fé, sucumbimos aos problemas e fracassamos. É a fé que nos abre à novidade da ação de Deus, que abre à nossa frente o mar vermelho, descortinando novas possibilidades onde não vemos saída. Pela fé, irrompe em nosso peito a alegria da esperança, que nos faz levantar cedo e erguer a cabeça para enfrentar um novo dia, uma nova semana, com a convicção de que tudo podemos em ti que nos fortaleces. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Durante o dia de hoje, peça ao Senhor muitas vezes: ”Senhor, aumenta a minha fé!”.

Comunicando

Hoje é dia de Encontro dos Ouvintes, no Recife. Começa às 11 horas, com a Santa Missa, na Igreja de Santo Antonio. Hoje, vamos rezar especialmente pelos associados falecidos. Você pode nos acompanhar pela Rádio Amanhecer. É só baixar o aplicativo no seu celular.

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb  

Senhor, aumenta a nossa fé!




07 de novembro de 2022

Segunda-feira do 32ª Semana do Tempo Comum


EVANGELHO


Lc 17,1-6

Naquele tempo, 1Jesus disse a seus discípulos: “É inevitável que aconteçam escândalos. Mas ai daquele que produz escândalos! 2Seria melhor para ele que lhe amarrassem uma pedra de moinho no pescoço e o jogassem no mar, do que escandalizar um desses pequeninos.
3Prestai atenção: se o teu irmão pecar, repreende-o. Se ele se converter, perdoa-lhe. 4Se ele pecar contra ti sete vezes num só dia, e sete vezes vier a ti, dizendo: ‘Estou arrependido’, tu deves perdoá-lo”.
5Os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!” 6O Senhor respondeu: “Se vós tivésseis fé, mesmo pequena como um grão de mostarda, poderíeis dizer a esta amoreira: ‘Arranca-te daqui e planta-te no mar’, e ela vos obedeceria”.

MEDITAÇÃO


Os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!” (Lc 17, 5)

Depois de um domingo, em que acolhemos a palavra do Senhor nos instruindo a viver na esperança da ressurreição, vamos nos debruçar hoje sobre a virtude da fé. Os apóstolos, percebendo as exigências e as dificuldades no seguimento de Jesus, pediram-lhe: “Aumenta a nossa fé”. A fé, a esperança e a caridade são as três virtudes teologais. “As virtudes teologais são infundidas por Deus na alma dos fiéis para os tornar capazes de proceder como filhos seus e assim merecerem a vida eterna”, está escrito no Catecismo da Igreja (CIC-Catecismo da Igreja Católica, nº 1813). “A esperança é a virtude teologal pela qual desejamos o Reino dos céus e a vida eterna como nossa felicidade, pondo toda a nossa confiança nas promessas de Cristo” (CIC 1817).

“A fé é a virtude teologal pela qual cremos em Deus e em tudo o que Ele nos disse e revelou e que a santa Igreja nos propõe para acreditarmos, porque Ele é a própria verdade” (CIC 1814). Seguramente, a força que nos sustenta na vida é a fé, a fé em Deus. Fé naquele que verdadeiramente nos ama e pôs Jesus Cristo no nosso caminho, uma fé esclarecida. É o que a Igreja nos tenta passar nos cursos, encontros, jornadas, na catequese. "Fé cega, faca amolada" – diz a música de Gilberto Gil. Fé cega é uma arma perigosa. Fé esclarecida é a fé inteligente, de quem conhece o que ama. E que ama o que conhece.

A fé é a nossa segurança. A fé nos fala do que não passa, do que o vendaval do tempo não leva; nos fala daquele que sempre é, do Deus fiel, do Deus-Amor, e de seu plano de felicidade para cada um de nós. A fé é um dom, um presente de Deus. E a gente, com responsabilidade, tem que cuidar dela, para que ela possa ser cada dia ser mais robusta e forte.

A gente só sente a importância da luz quando escurece, quando a noite chega. A fé é essa luz que nós carregamos. Há momentos em nossa vida em que a gente precisa demais dessa luz: momentos de dor, de solidão, de perplexidade, de trevas. A fé a nossa segurança. Nessas horas, é que a gente mais precisa de fé e de esperança. Elas nos fazem enxergar na escuridão. A fé nos diz que o Senhor está perto de nós, que não nos faltará, que nossa vida está em suas mãos, que sua sabedoria e sua providência estão nos conduzindo. Por isso, seguimos confiantes, mesmo nas adversidades. Por isso, resistimos com uma força que não temos.


Guardando a mensagem

O evangelho de hoje reúne alguns ditos de Jesus. Ele considerou de muita gravidade o fato de alguém escandalizar um pequenino. E recomendou que se perdoasse o irmão sempre que ele se arrependesse. Só uma visão de fé nos faz ter essa sensibilidade no trato com os pequeninos e essa generosidade no perdão aos irmãos. Diante desses ensinamentos, os apóstolos pediram a Jesus que aumentasse a sua fé. E Jesus comentou que uma fé mesmo pequena já faz maravilhas.

Os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!” (Lc 17, 5)

Rezando a palavra

Senhor Jesus,
hoje vamos rezar como os teus apóstolos: “Aumenta a nossa fé”. Só com uma visão de fé, podemos acolher os teus ensinamentos. Só com uma fé mais forte, podemos enfrentar as dificuldades que também encontramos hoje: as crises, os escândalos, a falta de horizonte... sem a fé, sucumbimos aos problemas e fracassamos. É a fé que nos abre à novidade da ação de Deus, que abre à nossa frente o mar vermelho, descortinando novas possibilidades onde não víamos saída. Pela fé, irrompe em nosso peito a alegria da esperança, que nos faz levantar cedo e erguer a cabeça para enfrentar um novo dia, uma nova semana, com a convicção de que tudo podemos em ti que nos fortaleces. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Durante o dia de hoje, peça ao Senhor muitas vezes: ”Senhor, aumenta a minha fé!”.

Comunicando

Estou lhe enviando um link pra você, se desejar, convidar mais alguém para receber diariamente a Meditação da Palavra. É só compartilhar a mensagem.

CONVITE!

Caso você ainda não receba diariamente a Meditação da Palavra do Senhor gravada pelo Pe. João Carlos e 👉🏿 deseja recebê-la, é só clicar neste link: https://bit.ly/37VPK

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb 

AUMENTA A NOSSA FÉ!



08 de novembro de 2021

EVANGELHO


Lc 17,1-6

Naquele tempo, 1Jesus disse a seus discípulos: “É inevitável que aconteçam escândalos. Mas ai daquele que produz escândalos! 2Seria melhor para ele que lhe amarrassem uma pedra de moinho no pescoço e o jogassem no mar, do que escandalizar um desses pequeninos.
3Prestai atenção: se o teu irmão pecar, repreende-o. Se ele se converter, perdoa-lhe. 4Se ele pecar contra ti sete vezes num só dia, e sete vezes vier a ti, dizendo: ‘Estou arrependido’, tu deves perdoá-lo”.
5Os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!” 6O Senhor respondeu: “Se vós tivésseis fé, mesmo pequena como um grão de mostarda, poderíeis dizer a esta amoreira: ‘Arranca-te daqui e planta-te no mar’, e ela vos obedeceria”.

MEDITAÇÃO


Os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!” (Lc 17, 5)

Depois de um domingo, em que acolhemos a palavra do Senhor nos instruindo a viver na esperança da ressurreição, vamos nos debruçar hoje sobre a virtude da fé. Os apóstolos, percebendo as exigências e as dificuldades no seguimento de Jesus, pediram-lhe: “Aumenta a nossa fé”. A fé, a esperança e a caridade são as três virtudes teologais. “As virtudes teologais são infundidas por Deus na alma dos fiéis para os tornar capazes de proceder como filhos seus e assim merecerem a vida eterna”, está escrito no Catecismo da Igreja (CIC-Catecismo da Igreja Católica, nº 1813). “A esperança é a virtude teologal pela qual desejamos o Reino dos céus e a vida eterna como nossa felicidade, pondo toda a nossa confiança nas promessas de Cristo” (CIC 1817).

“A fé é a virtude teologal pela qual cremos em Deus e em tudo o que Ele nos disse e revelou e que a santa Igreja nos propõe para acreditarmos, porque Ele é a própria verdade” (CIC 1814). Seguramente, a força que nos sustenta na vida é a fé, a fé em Deus. Fé naquele que verdadeiramente nos ama e pôs Jesus Cristo no nosso caminho, uma fé esclarecida. É o que a Igreja nos tenta passar nos cursos, encontros, jornadas, na catequese. "Fé cega, faca amolada" – diz a música de Gilberto Gil. Fé cega é uma arma perigosa. Fé esclarecida é a fé inteligente, de quem conhece o que ama. E que ama o que conhece.

A fé é a nossa segurança. A fé nos fala do que não passa, do que o vendaval do tempo não leva; nos fala daquele que sempre é, do Deus fiel, do Deus-Amor, e de seu plano de felicidade para cada um de nós. A fé é um dom, um presente de Deus. E a gente, com responsabilidade, tem que cuidar dela, para que ela possa ser cada dia ser mais robusta e forte.

A gente só sente a importância da luz quando escurece, quando a noite chega. A fé é essa luz que nós carregamos. Há momentos em nossa vida em que a gente precisa demais dessa luz: momentos de dor, de solidão, de perplexidade, de trevas. A fé a nossa segurança. Nessas horas, é que a gente mais precisa de fé e de esperança. Elas nos fazem enxergar na escuridão. A fé nos diz que o Senhor está perto de nós, que não nos faltará, que nossa vida está em suas mãos, que sua sabedoria e sua providência estão nos conduzindo. Por isso, seguimos confiantes, mesmo nas adversidades. Por isso, resistimos com uma força que não temos.

Guardando a mensagem

O evangelho de hoje reúne alguns ditos de Jesus. Ele considerou de muita gravidade o fato de alguém escandalizar um pequenino. E recomendou que se perdoasse o irmão sempre que ele se arrependesse. Só uma visão de fé nos faz ter essa sensibilidade no trato com os pequeninos e essa generosidade no perdão aos irmãos. Diante desses ensinamentos, os apóstolos pediram a Jesus que aumentasse a sua fé. E Jesus comentou que uma fé mesmo pequena já faz maravilhas.

Os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!” (Lc 17, 5)

Rezando a palavra

Senhor Jesus,
Hoje vamos rezar como os teus apóstolos: “Aumenta a nossa fé”. Só com uma visão de fé, podemos acolher os teus ensinamentos. Só com uma fé mais forte, podemos enfrentar as dificuldades que também encontramos hoje: as crises, os escândalos, a falta de horizonte... sem a fé, sucumbimos aos problemas e fracassamos. É a fé que nos abre à novidade da ação de Deus, que abre à nossa frente o mar vermelho, descortinando novas possibilidades onde não víamos saída. Pela fé, irrompe em nosso peito a alegria da esperança, que nos faz levantar cedo e erguer a cabeça para enfrentar um novo dia, uma nova semana, com a convicção de que tudo podemos em ti que nos fortaleces. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Durante o dia de hoje, peça ao Senhor muitas vezes: ”Senhor, aumenta a minha fé!”.

No início de dezembro, teremos o show de lançamento do meu novo álbum musical. E eu tenho um convite a lhe fazer. Por favor, acesse o site da AMA: www.amanhecer.org.br. 

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

UMA LUZ PARA O CAMINHO

Os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!” (Lc 17, 5)
11 de novembro de 2019.
Depois de um domingo, em que acolhemos a palavra do Senhor nos instruindo a viver na esperança da ressurreição, vamos nos debruçar hoje sobre a virtude da fé. Os apóstolos, percebendo as exigências e as dificuldades no seguimento de Jesus, pediram-lhe: “Aumenta a nossa fé”. A fé, a esperança e a caridade são as três virtudes teologais. “As virtudes teologais são infundidas por Deus na alma dos fiéis para os tornar capazes de proceder como filhos seus e assim merecerem a vida eterna”, está escrito no Catecismo da Igreja (CIC-Catecismo da Igreja Católica 1813).  “A esperança é a virtude teologal pela qual desejamos o Reino dos céus e a vida eterna como nossa felicidade, pondo toda a nossa confiança nas promessas de Cristo” (CIC 1817).
“A fé é a virtude teologal pela qual cremos em Deus e em tudo o que Ele nos disse e revelou e que a santa Igreja nos propõe para acreditarmos, porque Ele é a própria verdade” (CIC 1814). Seguramente, a força que nos sustenta na vida é a fé, a fé em Deus. Fé naquele que verdadeiramente nos ama e pôs Jesus Cristo no nosso caminho, uma fé esclarecida. É o que a Igreja nos tenta passar nos cursos, encontros, jornadas, na catequese.  "Fé cega, faca amolada" – diz a música de Gilberto Gil. Fé cega é uma arma perigosa. Fé esclarecida é a fé inteligente, de quem conhece o que ama. E que ama o que conhece.
A fé é a nossa segurança. A fé nos fala do que não passa, do que o vendaval do tempo não leva; nos fala daquele que sempre é, do Deus fiel, do Deus-Amor. E de seu plano de felicidade para cada um de nós. A fé é um dom, um presente de Deus. E a gente, com responsabilidade, tem que cuidar dela, para que ela possa ser cada dia ser mais robusta e forte.
A gente só sente a importância da luz quando escurece, quando a noite chega. A fé é essa luz que nós carregamos. Há momentos em nossa vida em que a gente precisa demais dessa luz: momentos de dor, de solidão, de perplexidade, de trevas. A fé a nossa segurança. Nessas horas, é que a gente mais precisa de fé e de esperança. Elas nos fazem enxergar na escuridão. A fé nos diz que o Senhor está perto de nós, que não nos faltará, que nossa vida está em suas mãos, que sua sabedoria e sua providência estão nos conduzindo. Por isso, seguimos confiantes, mesmo nas adversidades. Por isso, resistimos com uma força que não temos.
Guardando a mensagem
O evangelho de hoje reúne alguns ditos de Jesus. Ele considerou de muita gravidade o fato de alguém escandalizar um pequenino. E recomendou que se perdoasse o irmão sempre que ele se arrependesse. Só uma visão de fé nos faz ter essa sensibilidade no trato com os pequeninos e essa generosidade no perdão aos irmãos. Diante desses ensinamentos, os apóstolos pediram a Jesus que aumentasse a sua fé. E Jesus comentou que uma fé mesmo pequena já faz maravilhas.
Os apóstolos disseram ao Senhor: “Aumenta a nossa fé!” (Lc 17, 5)
Rezando a palavra
Senhor Jesus,
Hoje vamos rezar como os teus apóstolos: “Aumenta a nossa fé”. Só com uma visão de fé podemos acolher os teus ensinamentos. Só com uma fé mais forte podemos enfrentar as dificuldades que também encontramos hoje: as crises, os escândalos, a falta de horizonte... sem a fé, sucumbimos aos problemas e fracassamos. É a fé que nos abre à novidade da ação de Deus, que abre à nossa frente o mar vermelho, descortinando novas possibilidades onde não víamos saída. Pela fé, irrompe em nosso peito a alegria da esperança, que nos faz levantar cedo e erguer a cabeça para enfrentar um novo dia, uma nova semana, com a convicção de que tudo podemos em ti que nos fortaleces. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vivendo a palavra
Durante o dia de hoje, peça ao Senhor muitas vezes: ”Senhor, aumenta a minha fé!”.

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb - 11 de novembro de 2019

Postagem em destaque

Deus está cumprindo suas promessas.

   18 de maio de 2024    Sábado da 7ª Semana da Páscoa          Evangelho.     Jo 21,20-25 Naquele tempo, 20Pedro virou-se e viu atrás de si...

POSTAGENS MAIS VISTAS