PE. JOÃO CARLOS - BLOG DA MEDITAÇÃO: volta
Mostrando postagens com marcador volta. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador volta. Mostrar todas as postagens

ESTÁ CHEGANDO O GRANDE DIA



14 de novembro de 2021

33º Domingo do Tempo Comum

Dia Mundial do Pobre


EVANGELHO


Mc 13,24-32

Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos: 24“Naqueles dias, depois da grande tribulação, o sol vai se escurecer, e a lua não brilhará mais, 25as estrelas começarão a cair do céu e as forças do céu serão abaladas.
26Então vereis o Filho do Homem vindo nas nuvens com grande poder e glória. 27Ele enviará os anjos aos quatro cantos da terra e reunirá os eleitos de Deus, de uma extremidade à outra da terra.
28Aprendei, pois, da figueira esta parábola: quando seus ramos ficam verdes e as folhas começam a brotar, sabeis que o verão está perto. 29Assim também, quando virdes acontecer essas coisas, ficai sabendo que o Filho do Homem está próximo, às portas.
30Em verdade vos digo, esta geração não passará até que tudo isto aconteça. 31O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não passarão. 32Quanto àquele dia e hora, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, mas somente o Pai”.

MEDITAÇÃO


Fiquem sabendo que o Filho do Homem está próximo, está às portas (Mc 13, 29)

A pandemia adiou o casamento do meu sobrinho Lucas. Mas, agora que o tempo está clareando, ele e sua noiva Izabela remarcaram o casório para fevereiro do ano que vem. A celebração do matrimônio é um dia sonhado, esperado e preparado em todos os pormenores pelos dois e suas famílias. O dia do seu casamento é um dia muito especial que está chegando.

No capítulo 13 de São Marcos, estão reunidas muitas palavras de Jesus sobre um dia muito especial que vai chegar: o dia de sua volta-uma volta gloriosa, à moda de uma grande avaliação da humanidade. Com as imagens do livro do Apocalipse, podemos pensar num grande casamento. Jesus é o noivo. A noiva é a Igreja. Estas núpcias do cordeiro são aguardadas ao longo da história, com grande ansiedade pelo povo fiel. Para esse encontro, a noiva Igreja vem se preparando desde que o seu senhor voltou ao seio do Pai, na ascensão.

Sempre pensamos na volta de Jesus, como um evento que nos apavora. Há uma certa razão nisso, se nos fixarmos demais nas imagens utilizadas por Jesus neste capítulo 13 de São Marcos. Jesus fala de guerras, de perseguições, de tragédias naturais, de destruição da cidade santa de Jerusalém. E por que ele fala tudo isso? Para nos avisar que antes que ele volte, vamos passar por muita coisa; para nos animar a resistir, a perseverar na fé, no meio das provações e dificuldades. E para nos prevenir sobre a necessidade de nos preparar para esse momento máximo da história: a sua volta gloriosa ou, no dizer do Apocalipse de São João, as núpcias do cordeiro, o seu casamento místico com a comunidade dos redimidos.

Esse tempo de espera da volta gloriosa do Senhor é tempo de preparação. Pensemos na proximidade do casamento de Lucas e Izabela: eles têm muito o que organizar, convidar, contratar, preparar... Em nossas atitudes de hoje, mostra-se o grau de compromisso que temos com o casamento místico que se avizinha. Nas próximas semanas, vamos ouvir bastante essa palavra: vigilância! Vigilância é mantermo-nos despertos, operosos, propositivos, comprometidos com Jesus e seu Evangelho. Assim, estamos nos preparando para o grande momento de nossa vida: o encontro com o Senhor que vem para celebrar as bodas eternas.

Guardando a mensagem

Neste domingo, nos examinemos se estamos nos preparando bem para o encontro com o Senhor que vem. As núpcias do cordeiro estão chegando. É o grande casamento místico do Senhor com sua Igreja, pela qual entregou sua vida. Não é mais hora de vivermos distraídos, relaxados, despreocupados... a hora está chegando. No meio das dificuldades, resistamos. No corre-corre da vida, mantenhamos o foco. O dia mais feliz de nossas vidas está chegando. O Senhor vem!

Fiquem sabendo que o Filho do Homem está próximo, está às portas (Mc 13, 29)

Rezando a palavra

Senhor Jesus,
falaste para ficarmos atentos aos sinais dos tempos. Como os brotos e folhinhas verdes da figueira indicam que o verão está chegando, assim também poderemos reconhecer os sinais de tua iminente chegada em situações e acontecimentos da história. Ajuda-nos, Senhor, com teu Santo Espírito, a ler os teus sinais em nossa história. Sendo hoje o dia mundial do pobre, logo nos lembramos deste grande sinal a nos indicar tua presença e teu senhorio: a solidariedade. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Na Missa deste domingo, após a consagração, preste bem atenção à oração que a assembleia faz em resposta às palavras do padre: “Eis o mistério da fé!”. Veja se encontra nessa oração uma ligação com o evangelho de hoje.

O Recife vai sediar o 18º Congresso Eucarístico Nacional, no ano que vem (2022), com o tema "Pão em todas as mesas". Hoje, numa tarde memorável em praça pública, a Arquidiocese abre o ano de preparação do Congresso. A Missa, presidida pelo Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro Dom Orani Tempesta, começa às 16 horas e será transmitida pela TV Evangelizar. 

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb 

PREPARE-SE PARA O CASAMENTO


Fiquem sabendo que o filho do homem está próximo, está às portas (Mc 13, 29)

18 de novembro de 2018.

Um mês atrás, abençoei o casamento de minha sobrinha Mariana. Casou-se com um rapaz chamado Lincoln. Foi uma festa linda, uma festa de família, celebrado na capela que minha família frequenta. Eles se preparam para esse casamento ao longo de quase dois anos. Depois do noivado, começaram a se organizar para a vida a dois: o apartamento, os móveis, as louças, tanta coisa... e mais próximo, o curso de noivos, os batistérios, os convidados, o tio padre, o cartório, a ornamentação da capela, a cerimônia de casamento, a comemoração depois em casa de festa. Do noivado ao casamento, um tempo de preparação, estimulado por uma sadia tensão com a proximidade da data do grande dia.

No capítulo 13 de São Marcos, estão reunidas muitas palavras de Jesus sobre um dia muito especial que vai chegar: o dia de sua volta- uma volta gloriosa, à moda de uma grande avaliação da humanidade. Com as imagens do livro do Apocalipse, podemos pensar num grande casamento. Jesus é o noivo. A noiva é a Igreja. Estas núpcias do cordeiro são aguardadas ao longo da história, com grande ansiedade pelo povo fiel. Para esse encontro, a noiva Igreja vem se preparando desde que o seu senhor voltou ao seio do Pai, na ascensão.

Sempre pensamos na volta de Jesus, como um evento que nos apavora. Há uma certa razão nisso, se nos fixarmos demais nas imagens utilizadas por Jesus neste capítulo 13 de São Marcos. Jesus fala de guerras, de perseguições, de tragédias naturais, de destruição da cidade santa de Jerusalém. E por que ele fala tudo isso? Para nos avisar que antes que ele volte, vamos passar por muita coisa; para nos animar a resistir, a perseverar na fé, no meio das provações e dificuldades. E para nos prevenir sobre a necessidade de nos preparar para esse momento máximo da história: a sua volta gloriosa ou, no dizer do Apocalipse de São João, as núpcias do cordeiro, o seu casamento místico com a comunidade dos redimidos. 



Esse tempo de espera da volta gloriosa do Senhor é tempo de preparação, como os dois anos de preparação do casamento de Mariana e Lincoln. Em nossas atitudes de hoje, mostra-se o grau de compromisso que temos com esse casamento que se avizinha. Nas próximas semanas, vamos ouvir bastante essa palavra: vigilância! Vigilância é mantermo-nos despertos, operosos, propositivos, comprometidos com Jesus e seu Evangelho. Assim, estamos nos preparando para  o grande momento de nossa vida: o encontro com o Senhor que vem para celebrar as bodas eternas.

Guardando a mensagem

Neste domingo, nos examinemos se estamos nos preparando bem para o encontro com o Senhor que vem. Podemos fazer como Mariana e Lincoln e suas famílias: na sadia tensão do dia do casamento que estava chegando, eles se organizaram, envolveram os familiares, investiram, convidaram, preparam-se. As núpcias do cordeiro estão chegando. É o grande casamento místico do Senhor com sua Igreja, pela qual entregou sua vida. Não é mais hora de vivermos distraídos, relaxados, despreocupados... a hora está chegando. No meio das dificuldades, resistamos. No corre-corre da vida, mantenhamos o foco. O dia mais feliz de nossas vidas está chegando. O Senhor vem!

Fiquem sabendo que o filho do homem está próximo, está às portas (Mc 13, 29)

Rezando a palavra

Senhor Jesus,

Falaste para ficarmos atentos aos sinais dos tempos. Como os brotos e folhinhas verdes da figueira indicam que o verão está chegando, assim também poderemos reconhecer os sinais de tua iminente chegada em situações e acontecimentos da história. Ajuda-nos, Senhor, com teu Santo Espírito, a ler os teus sinais em nossa história. Sendo hoje o dia mundial dos pobres, logo nos lembramos deste grande sinal a nos indicar tua presença e teu senhorio: a solidariedade. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Na Missa deste domingo, após a consagração, preste bem atenção à oração que a assembleia  faz em resposta às palavras do padre: “Eis o mistério da fé!”. Veja se encontra nessa oração uma ligação com o evangelho de hoje.

Pe. João Carlos Ribeiro – 18.11. 2018

ESPERANDO O SENHOR VOLTAR

Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar (Lc 12 ,37)
23 de outubro de 2018.
O tema é o da vigilância, da prontidão. E este tema é desenvolvido nos evangelhos, com diversas histórias e comparações. Recebemos uma tarefa e vamos prestar contas dela a qualquer momento. Precisamos estar atentos e vigilantes. Nada de dormir no ponto.
O empregado está esperando a volta do seu patrão, que foi a uma festa de casamento, e volta a qualquer momento. É necessário que esteja acordado na hora em que o patrão voltar, para abrir a porta assim que ele bater. O patrão, de tão satisfeito, é quem vai por a mesa para o seu empregado.
Nessa alegoria, o senhor é o próprio Jesus. Ele viajou (é a ascensão ao céu), mas, vai voltar e ninguém sabe a hora certa em que vai chegar (é a sua nova vinda). O empregado sou eu, é você. Ficamos na responsabilidade de cuidar de sua casa, de sua família. A casa pode ser minha família (que não é minha), a minha comunidade (que não é minha), a organização a que pertenço. Nós não somos os donos, somos os empregados. Vamos prestar contas. Vamos ser avaliados. E a hora de sua chegada pode ser a qualquer momento, ele vem sem programação. Mas, vai ficar muito feliz se encontrar tudo em ordem. Vai cear com o seu empregado, contar as novidades de sua viagem, mostrar sua gratidão e sua confiança nele.
É certo que ele vem. E vem, definitivamente, no final dos tempos. Mas, de verdade, vem sempre. Vem numa grande oportunidade. Se não estamos preparados, perdemos (uma promoção, um concurso, um casamento, uma porta de realização, um salto em nossa vida espiritual). É, ele sempre vem. Se não vem, manda chamar a gente. É a morte. Essa é a hora da avaliação de nossa vida. Aprovados, iremos para o banquete eterno que ele mesmo nos servirá. Se não manda chamar, manda um aviso. É a doença. A doença me diz: você não está aqui pra sempre, você é frágil; você recebeu uma tarefa: está valorizando os meios que lhe foram dados para realizar a sua missão: a saúde, as pessoas que lhe querem bem, as qualidades, as capacidades que Deus lhe deu?
Guardando a mensagem
Jesus contou várias histórias ou alegorias para enfatizar a necessidade de estarmos vigilantes, no período de sua ausência física. Ele nos deixou responsáveis por sua missão, por sua casa, pelo bem do seu povo. Não sabemos quando voltará. E como ele não tem hora pra chegar, há sempre a tentação de relaxar nossas tarefas, ou de abandonar o nosso posto de responsáveis. Ele chega a qualquer hora. Precisamos estar atentos, vigilantes, ativos. De prontidão. Não podemos dormir no ponto.
Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar (Lc 12 ,37)
Rezando a palavra
Senhor Jesus,
Disseste “que os seus rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas”. Rins cingidos é estar com o cinturão afivelado, em posição de quem está pronto para sair ou realizar uma tarefa. Lâmpadas acesas é também o sinal de vigilância, de se estar desperto, de olho no que está acontecendo. Estás nos orientando, Senhor, a assumir uma postura de fidelidade e vigilância, na tensão de tua vinda a qualquer momento. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vivendo a palavra
Diga várias vezes durante o dia essa oração que está no livro do Apocalipse: “Vem, Senhor Jesus” (Ap 22, 20).

Pe. João Carlos Ribeiro - 23.10.2018

Postagem em destaque

JESUS É VIDEIRA, NÓS SOMOS OS RAMOS

18 de maio de 2022 Quarta-feira da 5ª Semana da Páscoa EVANGELHO Jo 15,1-8 Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 1“Eu sou a videira ...

POSTAGENS MAIS VISTAS