Mostrando postagens com marcador Espírito da Verdade. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Espírito da Verdade. Mostrar todas as postagens

20 maio 2020

O ESPÍRITO DA VERDADE

Quando vier o Espírito da Verdade, ele conduzirá vocês à plena verdade (Jo 16, 13)
20 de maio de 2020

“Tenho ainda muitas coisas a dizer a vocês, mas vocês não são capazes de compreender agora”, disse Jesus em clima de despedida, na ceia. A despedida é sempre uma hora muito difícil. Quem está se despedindo, você sabe, está preocupado com uma porção de coisas, não é verdade? Preocupa-se em garantir a continuidade dos seus trabalhos, em instruir sobre o que fazer quando aparecer esse ou aquele problema, em assegurar o amparo para aquele membro mais frágil da família... Enfim, enquanto coisas como essas não estejam resolvidas, a pessoa não pode partir em paz, seja para uma viagem curta, seja para a grande viagem. A despedida de Jesus leva vários capítulos, no evangelho de São João. É o momento de grandes revelações. E de orientações muito sérias. 

Então, Jesus está se despedindo dos discípulos. Nessa hora de despedida, Jesus lhes faz, de maneira especial, uma revelação maravilhosa. Não os deixará órfãos. Ele irá e o Pai enviará o Espírito Santo. O novo enviado é o Espírito da Verdade que o mundo não conhece. E não o conhece porque não reconhece Jesus como enviado do Pai. Ele é o outro defensor ou consolador que o Pai enviará. E não virá para ficar no lugar de Jesus. Virá para dar eficácia à missão de Jesus, em sua ausência física. Jesus não estará mais presente fisicamente. Mas, vai estar realmente presente. O Espírito Santo é quem vai tornar isso possível. Mais: o Espírito vai ficar sempre ao lado dos discípulos, sempre conosco.

“Quando vier o Espírito da Verdade, ele conduzirá vocês à plena verdade”. O Espírito vai ajudar os discípulos a entenderem quem é Jesus e qual o significado do seu ensinamento. Jesus disse que tinha muita coisa para comunicar, mas os discípulos não estavam em condições de entender... Jesus é a manifestação maior do amor de Deus. É o Espírito que vai nos conduzindo na compreensão de suas palavras, na acolhida da revelação que ele faz sobre o Pai, sobre a pessoa humana e sobre o mundo. Ele vai nos conduzindo para a verdade completa. Mas, a verdade plena não é um conhecimento. A plenitude da verdade é o amor. Deus é amor.

“Tudo o que o Pai possui é meu”, disse Jesus. O Espírito vai nos dar do que Jesus tem. É o Espírito que une Jesus ao Pai. Jesus está de tal modo identificado com o Pai, que ele e o Pai são um. A essa união profunda de Jesus com o Pai, pela mediação do Espírito Santo, chamamos AMOR. É também o Espírito que nos une a Jesus. Nossa comunhão com Jesus nos torna participantes do seu AMOR. É também o Espírito Santo que nos une uns aos outros com Cristo. Estamos unidos a Cristo e entre nós, formando o seu Corpo Místico, que é a Igreja. Essa comunhão entre nós e com Cristo, no seu Corpo Místico, é obra do Espírito Santo, participação no AMOR de Jesus e do Pai. 

Guardando a mensagem

O Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho, vem depois de Jesus, como o novo enviado. E vem como Testemunha de Jesus. Ajudará os discípulos a conhecerem a revelação que Jesus fez sobre o Pai e o sobre seu projeto de amor. Ele, o Espírito Santo, vai estar ao lado dos discípulos, atualizando a palavra e a presença de Jesus e fortalecendo-os no testemunho que eles devem dar de Cristo, sobretudo nas horas de provação e perseguição. É ele quem une Jesus ao Pai. É ele quem nos une a Cristo. É ele quem nos possibilita viver em comunhão uns com os outros, como membros do Corpo Místico do Senhor. Ele nos leva à verdade completa: o AMOR.

Quando vier o Espírito da Verdade, ele conduzirá vocês à plena verdade (Jo 16, 13)

Rezando a palavra

Senhor Jesus,
Nós te bendizemos pela obra redentora que realizaste com tua presença entre nós, andando pelos nossos caminhos, instruindo-nos com a tua santa palavra e oferecendo-te em reparação pelos nossos pecados. Nós te bendizemos porque esta obra redentora continua na história sendo anunciada e atuada em favor dos pecadores, através de tua Igreja, pela presença e pela atuação do Espírito Santo. Ele é a tua testemunha. Ele está sempre conosco. Ele nos conduz à verdade plena, ao teu amor. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Você já ouviu falar de jaculatória? É uma breve oração que se pode repetir muitas vezes durante o dia. É uma forma de se continuar na presença Deus, durante toda a jornada. Quer fazer uma experiência, nesta quarta-feira? Então, tome a palavra de hoje como jaculatória e repita-a muitas vezes durante o dia: “Quando vier o Espírito da Verdade, ele nos conduzirá à plena verdade”.

A gente se encontra às 22 horas, na Live da Oração da Noite, nas redes sociais. Amanhã, celebro a Santa Missa nas suas intenções, às 11 horas, com transmissão também pelo youtube, facebook e o aplicativo Tempo de Paz. 

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

17 maio 2020

O AMIGO FIEL


Eu não os deixarei órfãos. Eu virei a vocês (Jo 14, 18)
17 de maio de 2020

A essa altura da nossa quarentena, sobretudo nas grandes cidades do país, pode acontecer que muita gente experimente um crescente sentimento de tristeza, sobretudo se tiver alguém de sua família ou algum conhecido seu infectado pelo novo coronavírus. Pode crescer entre nós também a ansiedade e o sentimento de abandono. O evangelho de hoje vem em nosso socorro.

Neste sexto domingo da Páscoa, o Senhor Jesus está conversando com os  discípulos e preparando-os para o doloroso momento da paixão que estava às portas e para o tempo de sua ausência. Ele irá para o Pai, mas não os deixará órfãos. Indo, ele mandará o outro defensor, o Espírito da verdade. Ele permanecerá sempre com eles.  Apesar de ausente fisicamente, estará presente. O Espírito Santo atualizará a sua presença. O Espírito Santo permanece conosco, ele está em nós. 

Olha que verdade preciosa para esses nossos dias difíceis, quando muita gente pode se sentir sozinha e abandonada. Sem visitas em casa, sem a perspectiva de acompanhante no hospital, realmente, alguém pode se sentir sozinho e largado à própria sorte. Aqui entra a nossa fé, a experiência que temos do Deus vivo que se manifestou em Jesus de Nazaré: não estamos sozinhos, não estamos abandonados ou esquecidos. Ele está conosco. Em nós, habita o Santo Espírito nos fortalecendo, nos levantando de nossas quedas, nos fazendo caminhar com confiança. Ele atualiza a presença de Cristo salvador que deu sua vida em nosso favor e nos comunicou a vida nova, nos fazendo participantes de sua vitória sobre o mal e a morte. 

O grande apelo do evangelho nesses dias é estarmos em comunhão com Jesus, permanecer nele. Permanecer nele como o ramo enxertado na videira. Permanecer unidos a ele pela oração, pela meditação de sua palavra, pela solidariedade com os sofredores, pela comunhão com a sua Igreja. Essa união é que nos faz dar bons frutos. E que belos frutos vemos em quem se mantém assim unido a Cristo: a paciência, a tolerância, a solidariedade, a esperança! 

O Espírito Santo tem sido o grande protagonista no tempo que se seguiu à volta de Cristo ao Pai. Em todos as travessias difíceis pelos quais já peregrinou o povo de Deus, foi sempre ele o maior conselheiro, a luz a iluminar as consciências, o guia dos pastores da Igreja, o dedo de Deus a indicar a direção da terra prometida. O Espírito Santo está conosco sempre, ele está em nós desde o batismo, ele é o grande parceiro de cada discípulo e discípula e de toda a Igreja, em sua missão. 

O Espírito da Verdade, o defensor, permanece conosco. Mas, não nos substitui. Ele nos inspira, nos recorda o alcance das palavra do Senhor, nos mostra a vontade de Deus,  mas não faz no nosso lugar. Temos sempre que fazer a nossa parte, como cidadãos deste país ou deste planeta. Ele não nos substitui.

Na Samaria, morava um povo meio pagão. Mas, eles se abriram à pregação do evangelho feita pelo diácono Felipe. Os apóstolos Pedro e João foram enviados de Jerusalém para confirmar os novos convertidos e invocar sobre eles o Santo Espírito. Este nosso mundo meio pagão está precisando do Evangelho de Jesus e do seu Santo Espírito. É o Espírito que dá fecundidade à pregação do Evangelho e faz crescer em cada um, em cada uma, o homem novo ressuscitado em Cristo,  a nova mulher renascida em Cristo. Sem isso, continuamos o homem velho sem comunhão com Deus. 

Guardando a palavra

Jesus estava se despedindo dos discípulos. Viu sua tristeza. Assegurou, então, que não os deixaria órfãos. Eles não ficariam sozinhos, sem rumo e sem direção. Enviaria o outro defensor, o Espírito da verdade. Ele permaneceria sempre com eles, e neles. O mundo não o conhece. Mas, os discípulos o conhecem, porque conhecem Jesus e estão unidos a ele. O Espírito Santo está em cada discípulo, em cada discípula, como o amigo e interlocutor mais íntimo e fiel. Assim, não nos faltarão inspiração, discernimento, luz para viver, decidir e agir segundo a vontade de Deus. Nesta pandemia, nenhum discípulo se sinta sozinho e abandonado. A presença de Deus em nós e conosco tem nome e sobrenome: o Espírito da verdade, Deus Espírito Santo. 

Eu não os deixarei órfãos. Eu virei a vocês (Jo 14, 18)

Rezando a palavra

Senhor Jesus, 
neste momento em que o isolamento está sendo exigido com maior seriedade em muitos lugares e em que já se acumulam tantas perdas humanas, estamos vivendo assustados e preocupados. No teu evangelho, hoje, nos vem uma palavra maravilhosa: não estamos sozinhos, não estamos largados à nossa própria sorte. Estamos unidos a ti, permanecemos em ti, como permaneces em nós. Somos teus discípulos e discípulas, pelos quais deste tua vida. Como disse o apóstolo Pedro em sua carta: “Sofreste a mostre na tua existência humana, mas recebeste nova vida pelo Espírito”.  A nova vida nos chega pelo dom do teu Espírito. Nós te agradecemos, Senhor. Ele é o nosso amigo mais íntimo e mais fiel. Com ele, vamos enfrentar estes dias, com nossas famílias, unidos a toda a humanidade, fazendo nossa parte nessa luta, com serenidade, em paz e na esperança. Seja bendito o teus santo nome, hoje e sempre. Amém. 

Vivendo a palavra

Neste domingo, não deixe de participar da Santa Missa. Escolha um bom horário e recolha-se em oração, acompanhando a celebração de sua comunidade pelas redes sociais. Você é templo do Espírito Santo, desde sua união com Cristo, no batismo. Não é à toa o ensinamento de Jesus sobre a oração: “Quando for rezar, entre no seu quarto e feche a porta”. O seu quarto é o seu interior, o templo do Santo Espírito. 

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

16 junho 2019

PENSANDO BEM, VENDO MELHOR



Quando, porém, vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à plena verdade (Jo 16, 13)

16 de junho de 2019 – Domingo da Santíssima Trindade

A nossa realidade é assim. Desunião dentro de casa. Gente brigada na comunidade. Um país polarizado. Gente que não escuta, nem dialoga, só correndo atrás do seu interesse. Mas, não estamos satisfeitos com isso. Sonhamos com algo bem diferente. Famílias, onde se vive amor e respeito. Comunidades inclusivas e solidárias. Um país no caminho da justiça e da fraternidade. Esse é o sonho que temos no coração.

Podemos pensar: temos um bom exemplo a seguir, a Santíssima Trindade. Eles são três pessoas, mas são um só Deus. Cada um tem a sua individualidade: um é o Pai; outro é o Filho; e o outro é o Espírito Santo. São três, cada um tem sua atuação, mas vivem na perfeita unidade. São um. Podemos nos inspirar nesse modelo para construir famílias e comunidades unidas e felizes. 

Podemos pensar um pouco mais. Nós fomos criados à imagem e semelhança de Deus. Então, já está no nosso DNA a inclinação para a compreensão, a cooperação, a unidade. Por isso, ficamos tão desapontados com esse desencontro, essa concorrência, essa busca egoísta de felicidade que experimentamos todo dia, em nós, em nossas famílias, em nossas comunidades. 


Pensando ainda melhor, podemos perceber uma realidade surpreendente. O Deus uno e trino, que habita no mais alto do céu, o Deus que adoramos não é apenas um belo modelo a ser imitado. Nós já vivemos mergulhados nele, na grande experiência do seu amor. O salmo oitavo exalta o ser humano e pergunta ao Altíssimo: “Senhor, que é o homem, para dele vos lembrardes e o tratardes com tanto carinho?”. É que nos vemos rodeados de tanta atenção, de tanto carinho, participantes do seu poder e de sua glória. O Deus lá do alto fez morada cá entre nós. Nós nos sentimos, como Pedro, Tiago e João na transfiguração de Jesus, no Monte: envolvidos pela nuvem de sua presença e de sua glória. 


De saída, precisamos nos dar conta de uma coisa. Tem alguém que nos abre os olhos da fé para ver essa verdade tão pertinho de nós, para termos a experiência de nos sentirmos amados, abraçados e inseridos na comunidade divina, como filhos. Nem precisa pensar muito. Nas leituras de hoje, está clarinho: esse alguém é o Espírito Santo. Ele já estava ao lado do Pai, na criação do mundo. Ele é a sabedoria que dirigiu a obra da criação, pulando de contentamento pelas coisas lindas que estavam sendo feitas. É o que nos conta o Livro dos Provérbios. Ele, o Espírito Santo é quem derrama o amor de Deus em nossos corações, em nós que fomos redimidos por Cristo, nos diz a Carta aos Romanos. Ele, o Espírito, é quem está nos ajudando a compreender coisas que nós, anteriormente, não éramos capazes de compreender. Ele é o enviado do Pai e do Filho que está nos conduzindo à plena verdade. É Jesus nos falando no evangelho de hoje, João 17. 

Já estamos mergulhados na Trindade. Como disse Paulo, em sua pregação em Atenas: “nele vivemos, nos movemos e somos” (At 17). Fomos inseridos na comunhão com o Pai, pela reconciliação que Cristo, o filho, nos alcançou em sua cruz. O Santo Espírito foi derramado sobre nós como água viva, nos comunicando a graça da filiação divina. E não nos esqueçamos que fomos criados por Deus, na maravilhosa atuação do Pai, criados à sua imagem e semelhança. Já estamos mergulhados no mistério do Deus uno e trino que contemplamos, tentando imitá-lo em nossa vida de família e de comunidade. 

Guardando a mensagem

Construir comunidades de amor, onde as individualidades sejam respeitadas, onde se dialogue nas diferenças e se reencontre no perdão, não é algo utópico. Dá pra gente fazer. Mesmo com nossa fraqueza, dá pra gente construir famílias mais felizes e comunidades mais acolhedoras. A comunhão é coisa da nossa própria natureza espiritual, nós que agora somos irmãos no Senhor, membros do seu único corpo, filhos e filhas do mesmo e eterno Pai, habitados todos pelo único Espírito. Então, cuidemos de ser mais amorosos dentro de casa, com nossos pais, com nossos irmãos e parentes; mais gentis e generosos com quem encontrarmos; mais gratos e apaixonados pela mãe Igreja, que nos gerou como filhos para Deus e, permanentemente, nos alimenta com o pão da Palavra e da Eucaristia. 

Quando, porém, vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à plena verdade (Jo 16, 13)

Rezando a palavra

Senhor Jesus, 

A experiência que temos, no dia-a-dia, termina nos fazendo descrentes do grande sonho da fraternidade que está no nosso coração. Nosso estilo de vida nos leva a tratar os outros com segundos interesses ou nos afastar deles tomando-os como inimigos, adversários, concorrentes. Assim vamos perdendo a confiança e o respeito pelos outros e destruindo as boas chances de aproximação, cooperação, amizade. Repetimos esse mesmo esquema dentro de casa, na Igreja também. Daqui a pouco não nos sentiremos mais filhos amados, mas críticos amargos de tudo e de todos. Ah, Senhor, esse domingo da Santíssima Trindade nos ajuda a dar um freio nisso. Não somente Deus é maravilhosamente uno e trino, uma comunidade de amor, que podemos imitar. Mas, por graça, estamos inseridos nessa comunidade de amor. Somos filhos. Somos irmãos. Somos amados. Estamos em comunhão. Que o teu Santo Espírito nos ajude a viver esse amor em casa, na rua, na igreja, no trabalho, na sociedade. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém. 

Vivendo a palavra

Quando, hoje, for fazer o sinal da cruz, faça-o devagar e pensando como o mistério do Deus uno e trino, Pai, Filho e Espírito Santo nos abraça. 

Pe. João Carlos Ribeiro – 17 de junho de 2019

29 maio 2019

A PLENA VERDADE É O AMOR

Quando vier o Espírito da Verdade, ele conduzirá vocês à plena  verdade (Jo 16, 13)
29 de maio de 2019.
“Tenho ainda muitas coisas a dizer a vocês, mas vocês não são capazes de compreender agora”, disse Jesus em clima de despedida, na ceia. A despedida é sempre uma hora muito difícil. Quem está se despedindo, você sabe, está preocupado com uma porção de coisas, não é verdade? Preocupa-se em garantir a continuidade dos seus trabalhos, em instruir sobre o que fazer quando aparecer esse ou aquele problema, em assegurar o amparo para aquele membro mais frágil da família... Enfim, enquanto coisas como essas não estejam resolvidas, a pessoa não pode partir em paz, seja para uma viagem curta, seja para a grande viagem. A despedida de Jesus leva vários capítulos, no evangelho de São João. É o momento de grandes revelações. E de orientações muito sérias.  
Então, Jesus está se despedindo dos discípulos. Nessa hora de despedida, Jesus lhes faz, de maneira especial, uma revelação maravilhosa. Não os deixará órfãos. Ele irá e o Pai enviará o Espírito Santo.  O novo enviado é o Espírito da Verdade que o mundo não conhece. E não o conhece porque não reconhece Jesus como enviado do Pai. Ele é o outro defensor ou consolador que o Pai enviará. E não virá para ficar no lugar de Jesus. Virá para dar eficácia à missão de Jesus, em sua ausência física. Jesus não estará mais presente fisicamente. Mas, vai estar realmente presente. O Espírito Santo é quem vai tornar isso possível. Mais: o Espírito vai ficar sempre ao lado dos discípulos, sempre conosco.
“Quando vier o Espírito da Verdade, ele conduzirá vocês à plena verdade”. O Espírito vai ajudar os discípulos a entenderem quem é Jesus e qual o significado do seu ensinamento. Jesus disse que tinha muita coisa para comunicar, mas os discípulos não estavam em condições de entender... Jesus é a manifestação maior do amor de Deus. É o Espírito que vai nos conduzindo na compreensão de suas palavras, na acolhida da revelação que ele faz sobre o Pai, sobre a pessoa humana e sobre o mundo. Ele vai nos conduzindo para a verdade completa. Mas, a verdade plena não é um conhecimento. A plenitude da verdade é o amor. Deus é amor.
“Tudo o que o Pai possui é meu”, disse Jesus. O Espírito vai nos dar do que Jesus tem. É o Espírito que une Jesus ao Pai. Jesus está de tal modo identificado com o Pai, que ele e o Pai são um. A essa união profunda de Jesus com o Pai, pela mediação do Espírito Santo, chamamos AMOR. É também o Espírito que nos une a Jesus. Nossa comunhão com Jesus nos torna participantes do seu AMOR. É também o Espírito Santo que nos une uns aos outros com Cristo. Estamos unidos a Cristo e entre nós, formando o seu Corpo Místico, que é a Igreja. Essa comunhão entre nós e com Cristo, no seu Corpo Místico, é obra do Espírito Santo, participação no AMOR de Jesus e do Pai.   
Guardando a mensagem
O Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho, vem depois de Jesus, como o novo enviado. E vem como Testemunha de Jesus. Ajudará os discípulos a conhecerem a revelação que Jesus fez sobre o Pai e o sobre seu projeto de amor. Ele, o Espírito Santo, vai estar ao lado dos discípulos, atualizando a palavra e a presença de Jesus e fortalecendo-os no testemunho que eles devem dar de Cristo, sobretudo nas horas de provação e perseguição. É ele quem une Jesus ao Pai. É ele quem nos une a Cristo. É ele quem nos possibilita viver em comunhão uns com os outros, como membros do Corpo Místico do Senhor. Ele nos leva à verdade completa: o AMOR.
Quando vier o Espírito da Verdade, ele conduzirá vocês à plena verdade (Jo 16, 13)
Rezando a palavra
Senhor Jesus,
Nós te bendizemos pela obra redentora que realizaste com tua presença entre nós, andando pelos nossos caminhos, instruindo-nos com a tua santa palavra e oferecendo-te em reparação pelos nossos pecados. Nós te bendizemos porque esta obra redentora continua na história sendo anunciada e atuada em favor dos pecadores, através de tua Igreja, pela presença e pela atuação do Espírito Santo. Ele é a tua testemunha. Ele está sempre conosco. Ele nos conduz à verdade plena, ao teu amor. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vivendo a palavra
Você já ouviu falar de jaculatória? É uma breve oração que se pode repetir muitas vezes durante o dia. É uma forma de se continuar na presença Deus, durante toda a jornada. Quer fazer uma experiência, nesta quarta-feira? Então, tome a palavra de hoje como jaculatória e repita-a muitas vezes durante o dia:  “Quando vier o Espírito da Verdade, ele nos conduzirá à plena verdade”.

Pe. João Carlos Ribeiro – 29 de maio de 2019.

08 maio 2018

O ESPÍRITO DA VERDADE

Quando vier o Espírito da Verdade, ele conduzirá vocês à plena Verdade (Jo 16, 13)
09 de maio de 2018.
“Tenho ainda muitas coisas a dizer a vocês, mas vocês não são capazes de compreender agora”,  disse Jesus em clima de despedida, na ceia. A despedida é sempre uma hora muito difícil. Quem está se despedindo, você sabe, está preocupado com uma porção de coisas, não é verdade? Preocupa-se em garantir a continuidade dos seus trabalhos, em instruir sobre o que fazer quando aparecer esse ou aquele problema, em assegurar o amparo para aquele membro mais frágil da família... Enfim, enquanto coisas como essas não estejam resolvidas, a pessoa não pode partir em paz, seja para uma viagem curta, seja para a grande viagem. A despedida de Jesus leva vários capítulos, no evangelho de São João. É o momento de grandes revelações. E de orientações muito sérias.  
Então, Jesus está se despedindo dos discípulos. Nessa hora de despedida, Jesus lhes faz, de maneira especial, uma revelação maravilhosa. Não os deixará órfãos. Ele irá e o Pai enviará o Espírito Santo.  O novo enviado é o Espírito da Verdade que o mundo não conhece. E não o conhece porque não reconhece Jesus como enviado do Pai. Ele é o outro defensor ou consolador que o Pai enviará. E não vem para ficar no lugar de Jesus. Vem para dar eficácia à missão de Jesus, em sua ausência física. Jesus não vai estar mais presente fisicamente. Mas, vai estar realmente presente. O Espírito Santo é quem vai tornar isso possível. Mais: o Espírito vai ficar sempre ao lado dos discípulos, sempre conosco.
“Quando vier o Espírito da Verdade, ele conduzirá vocês à plena verdade”. O Espírito vai ajudar os discípulos a entenderem quem é Jesus e qual o significado do seu ensinamento. Jesus disse que tinha muita coisa para comunicar, mas os discípulos não estavam em condições de entender... Jesus é a manifestação maior do amor de Deus. É o Espírito que vai nos conduzindo na compreensão de suas palavras, na acolhida da revelação que ele faz sobre o Pai, sobre a pessoa humana e sobre o mundo. Ele vai nos conduzindo para a verdade completa. Mas, a verdade plena não é um conhecimento. A plenitude da verdade é o amor. Deus é amor.
“Tudo o que o Pai possui é meu”, disse Jesus. O Espírito vai nos dar do que Jesus tem. É o Espírito que une Jesus ao Pai. Jesus está de tal modo identificado com o Pai, que ele e o Pai são um. A essa união profunda de Jesus com o Pai, pela mediação do Espírito Santo, chamamos AMOR. É também o Espírito que nos une a Jesus. Nossa comunhão com Jesus nos torna participantes do seu AMOR. É também o Espírito Santo que nos une uns aos outros com Cristo. Estamos unidos a Cristo e entre nós, formando o seu Corpo Místico, que é a Igreja. Essa comunhão entre nós e com Cristo, no seu Corpo Místico, é obra do Espírito Santo, participação no AMOR de Jesus e do Pai.   
Vamos guardar a mensagem
O Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho, vem depois de Jesus, como o novo enviado. E vem como Testemunha de Jesus. Ajudará os discípulos a conhecerem a revelação que Jesus fez sobre o Pai e o sobre seu projeto de amor. Ele, o Espírito Santo, vai estar ao lado dos discípulos, atualizando a palavra e a presença de Jesus e fortalecendo-os no testemunho que eles devem dar de Cristo, nas horas de provação e perseguição. É ele quem une Jesus ao Pai. É ele quem nos une a Cristo. É ele quem nos possibilita viver em comunhão uns com os outros, como membros do Corpo Místico do Senhor. Ele nos leva à verdade completa: O AMOR.
Quando vier o Espírito da Verdade, ele conduzirá vocês à plena Verdade (Jo 16, 13)
Vamos rezar a palavra
Senhor Jesus,
Nós te bendizemos pela obra redentora que realizaste com tua presença entre nós, andando pelos nossos caminhos, instruindo-nos com a santa palavra e oferecendo-se em reparação pelos nossos pecados. Nós te bendizemos porque esta obra redentora continua na história sendo anunciada e atuada em favor dos pecadores, através de tua Igreja, pela presença e pela atuação do Espírito Santo. Ele é a tua testemunha. Ele está sempre conosco. Ele nos conduz à verdade plena, ao teu amor. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vamos viver a palavra
Você já ouviu falar de jaculatória? É uma breve oração que se pode repetir muitas vezes durante o dia. É uma forma de se continuar na presença Deus, durante toda a jornada. Quer fazer uma experiência, nesta quarta-feira? Então, tome a palavra de hoje como jaculatória e repita-a muitas vezes durante o dia:  “Quando vier o Espírito da Verdade, ele conduzirá vocês à plena verdade”.

Pe. João Carlos Ribeiro – 09.05.2018

06 maio 2018

QUANDO VIER O OUTRO DEFENSOR



Ele dará testemunho de mim (Jo 15, 26)


07 de maio de 2018.

Ontem, celebramos o 6º Domingo da Páscoa. E a grande palavra que ecoou na liturgia de ontem foi AMOR. Como o Pai amou Jesus, ele nos amou. Como Jesus nos amou, temos que nos amar uns aos outros. E nos perguntamos: Como foi que Jesus nos amou? Ele deu sua vida por nós. E nos deu o seu Espírito. No domingo da ressurreição, ele soprou sobre os apóstolos, comunicando-lhes o seu Espírito. No pentecostes, derramou o seu Espírito sobre toda a comunidade. No seu amor por nós, ele deu a vida e nos deu o seu Espírito.

Nesta cena da última ceia, Jesus está preparando os discípulos para acolher e entender a missão do Espírito Santo. Ele é o outro Defensor. Ele vem do Pai, como Jesus. E vem enviado pelo Pai e pelo Filho, na sua volta ao seio do Pai. E por que ele é chamado de Defensor? Porque atualizará o legado de Jesus que nos reconciliou com Deus, nos livrando do jugo do pecado; porque fortalecerá e defenderá os seguidores de Jesus nas provações, nas perseguições. Jesus o chamou de o Espírito da Verdade. Espírito da verdade porque ele revela aos discípulos quem é Jesus e os ajuda a compreender o significado de suas palavras. Ele é o animador número um da missão de Jesus que os discípulos vão continuar.

Jesus disse aos discípulos: “Ele dará testemunho de mim. E vocês também darão testemunho”. TESTEMUNHO é a palavra-chave do evangelho de hoje. Dar testemunho de Jesus é dizer claramente, e com conhecimento, quem é ele. É atestar, diante do mundo, o seu papel redentor. Dar testemunho é ficar firme e fiel na hora da provação e da perseguição. Nós e o Espírito Santo somos as testemunhas de Jesus. Nós sozinhos não damos conta. Precisamos da presença e da atuação do Santo Espírito para nos fazer entender quem é Jesus, para compreender suas palavras, para atualizar sua presença no mundo, para nos sustentar na missão de anunciadores da salvação em Cristo. Nós e o Espírito Santo somos as testemunhas de Jesus no mundo de hoje.

Desde o começo, a comunidade compreendeu esse papel fundamental do Santo Espírito, como parceiro da missão. Quando os apóstolos e os anciãos tiveram que tomar uma decisão sobre a entrada dos pagãos na comunidade, eles rezaram e deliberaram. Depois, escreveram o seguinte na carta que foi enviada: ‘Pareceu bem a nós e ao Espírito Santo tomar a seguinte decisão’. Viu? O Espírito Santo e os seguidores de Jesus são parceiros no testemunho do Mestre.

Vamos guardar a mensagem

Jesus mandou o Espírito Santo, da parte do Pai, para garantir a continuidade de sua missão. Ele dá testemunho de Jesus. Nós também somos testemunhas de Jesus. A testemunha tem conhecimento de causa, por isso atesta publicamente, garante alguma coisa a partir de sua experiência. Nós conhecemos Jesus, e o anunciamos. O Espírito Santo é quem garante que o nosso testemunho seja verdadeiro e fiel nas provações. Ele é o parceiro da Igreja na sua grande missão, a evangelização. Nosso testemunho sobre Jesus, nós o damos todo dia, por onde andamos, com o que falamos, com o modo como nos conduzimos na vida. Quem nos inspira e nos sustenta no testemunho é o Espírito Santo.

Ele dará testemunho de mim (Jo 15, 26)

Vamos rezar a palavra

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso Amor. Enviai, Senhor, o Vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra. 

Oremos: Ó Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com as luzes do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo nosso Senhor. Amém.

Vamos viver a palavra

A dica de ontem foi ler Atos 10, a história de Cornélio. Nessa história, vê-se claramente como atua o Espírito Santo de Deus, alargando as fronteiras da missão. Se não leu, mais uma chance pra você. Leia, hoje, na sua Bíblia, todo o capítulo 10 do livro dos Atos dos Apóstolos.

Pe. João Carlos Ribeiro – 07.05.2018