Mostrando postagens com marcador PORTA ESTREITA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador PORTA ESTREITA. Mostrar todas as postagens

29 outubro 2019

PELA PORTA ESTREITA, ENQUANTO HÁ TEMPO


Façam todo esforço possível para entrar pela porta estreita (Lc 13, 24).

30 de outubro de 2019

Você quer ser feliz. Quem não quer? Não é fácil explicar o que é a felicidade. Felicidade é realização, é amar e ser correspondido, é ter solução para os seus pequenos e grandes problemas... Felicidade é o sentimento de alegria e satisfação com a vida e muito mais. E você quer ser feliz. No fundo, você sabe, a felicidade, por um lado, é um dom de Deus e, por outro lado, é também fruto do nosso esforço. Sem esforço, não pomos as bases para uma vida saudável e feliz: o cuidado com a alimentação, o estudo sério, o modo como assumo meus compromissos de família, de trabalho, como cultivo minhas amizades, como me relaciono com os outros... Deus nos abre os caminhos e nós procuramos prosseguir com seriedade e empenho. Esse é o caminho da felicidade.

Você quer a salvação. Quem não quer? Não é fácil explicar o que é a salvação. Salvação é o final feliz de nossa vida, a realização completa de nossa existência em Deus. Mas, não é só a chegada lá. É também a nossa condição agora, a nossa comunhão com Deus. Para entender um pouco dessa condição de plenitude e realização que é a salvação, Jesus falou de banquete, festa de casamento, lugar onde estão os justos, casa paterna de muitas moradas, Reino de Deus glorioso. Cada imagem dessas é uma brecha por onde já se enxerga o brilho da salvação eterna. E você quer a salvação, claro. E você sabe que a salvação é um dom de Deus, obra de sua graça. E sabe, pela evangelização, que a porta da casa de Deus nos foi aberta pela morte e ressurreição de Jesus. A salvação é um dom gratuito de Deus, sem merecimento algum de nossa parte. Ainda assim, nos lembremos, no acolhimento da salvação concorre também o nosso esforço, o nosso compromisso, uma vida segundo os mandamentos de Deus, em comunhão com ele e com os irmãos. Sem esforço de nossa parte, sem compromisso, sem conversão, a coisa fica pela metade, nos detemos no portão de entrada. Certo que a salvação é obra de Deus, mas nos cabe acolhê-la, nos deixar transformar por ela, colaborar com o seu crescimento em nós.

Se até aqui estivermos nos entendendo, já está explicado o evangelho de hoje. Perguntaram a Jesus se os que se salvam, são poucos ou são muitos? Jesus aproveitou a pergunta para estimular a conversão e o compromisso com uma vida de santidade. Falou da porta estreita. “Façam todo esforço para entrar pela porta estreita”. Isso você entende, não é verdade? Tem muita porta larga por aí: a do relaxamento, da preguiça, do egoísmo, do desregramento, dos vícios, da falta de seriedade nos compromissos consigo mesmo(a), com os outros e com Deus. Entrar pela porta estreita e, - ele também deu a entender - enquanto há tempo. Ele contou que quando o dono da casa fechar a porta, não se entra mais. Aí ele enfeitou a parábola: ‘tem gente que vai ficar batendo na porta, dizendo que é amigo do dono da casa, que já esteve com ele diversas vezes, que ouviu seus discursos...’. A resposta vai ser: “Eu não conheço vocês. Vão-se embora”. Você pegou a mensagem? Entrar pela porta estreita enquanto é tempo. Não deixe pra amanhã a sua conversão. É hoje o dia da salvação.

Guardando a mensagem

Perguntaram a Jesus sobre a salvação. Ele indicou duas coisas preciosas para o nosso caminho com Deus: entrar pela porta estreita e a tempo. ‘A tempo’ quer dizer não adiar a sua conversão, não deixar para amanhã os seus compromissos de vida nova. Amanhã, pode ser tarde e a porta pode estar já fechada. ‘Entrar pela porta estreita’ quer dizer que, mesmo sendo a salvação um dom gratuito de Deus, precisamos acolhê-la com esforço e compromisso.

Façam todo esforço possível para entrar pela porta estreita (Lc 13, 24).

Rezando a palavra

Senhor Jesus,
A nossa caminhada para Deus se assemelha à peregrinação do teu povo de todas as nações para o monte santo de Jerusalém, como está descrito no Livro do Profeta Isaías (Is 66). Nossa vida é, de verdade, uma peregrinação, contigo, para Jerusalém. É nesse caminho, que tu vais nos ensinando, nos instruindo. Hoje, nos falaste da porta estreita. Senhor, a porta larga nos seduz. É a porta da facilidade, do relaxamento, do mais ou menos. Ajuda-nos, Senhor, a entrar pela porta estreita. Esta é a porta do compromisso, do esforço, do melhor possível. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Em um momento pessoal de oração, peça ao Senhor a graça de perseverar no caminho do bem e da salvação, sem se desviar da porta estreita.

Você ouve, agora, um trecho de minha música QUEM ME TOCOU, com a participação da Cantora Elba Ramalho. É uma das faixas do meu EP CONFIAR EM DEUS.

A gente se encontra, às 10 da noite, no Facebook.

Pe. João Carlos Ribeiro – 30 de outubro de 2019

24 agosto 2019

PARA SER FELIZ

Façam todo esforço possível para entrar pela porta estreita (Lc 13, 24).

25 de agosto de 2019 – 21º Domingo do Tempo Comum

Você quer ser feliz. Quem não quer? Não é fácil explicar o que é a felicidade. Felicidade é realização, é amar e ser correspondido, é ter solução para os seus pequenos e grandes problemas... Felicidade é o sentimento de alegria e satisfação com a vida e muito mais. E você quer ser feliz. No fundo, você sabe, a felicidade, por um lado, é um dom de Deus e, por outro lado, é também fruto do nosso esforço. Sem esforço, não pomos as bases para uma vida saudável e feliz: o cuidado com a alimentação, o estudo sério, o modo como assumo meus compromissos de família, de trabalho, como cultivo minhas amizades, como me relaciono com os outros... Deus nos abre os caminhos e nós procuramos prosseguir com seriedade e empenho. Esse é o caminho da felicidade.

Você quer a salvação. Quem não quer? Não é fácil explicar o que é a salvação. Salvação é o final feliz de nossa vida, a realização completa de nossa existência em Deus. Mas, não é só a chegada lá. É também a nossa condição agora, a nossa comunhão com Deus. Para entender um pouco dessa condição de plenitude e realização que é a salvação, Jesus falou de banquete, festa de casamento, lugar onde estão os justos, casa paterna de muitas moradas, Reino de Deus glorioso. Cada imagem dessas é uma brecha por onde já se enxerga o brilho da salvação eterna. E você quer a salvação, claro. E você sabe que a salvação é um dom de Deus, obra de sua graça. E sabe, pela evangelização, que a porta da casa de Deus nos foi aberta pela morte e ressurreição de Jesus. A salvação é um dom gratuito de Deus, sem merecimento algum de nossa parte. Ainda assim, nos lembremos, no acolhimento da salvação concorre também o nosso esforço, o nosso compromisso, uma vida segundo os mandamentos de Deus, em comunhão com ele e com os irmãos. Sem esforço de nossa parte, sem compromisso, sem conversão, a coisa fica pela metade, nos detemos no portão de entrada. Certo que a salvação é obra de Deus, mas nos cabe acolhê-la, nos deixar transformar por ela, colaborar com o seu crescimento em nós.

Se até aqui estivermos nos entendendo, já está explicado o evangelho de hoje. Perguntaram a Jesus se os que se salvam, são poucos ou são muitos? Jesus aproveitou a pergunta para estimular a conversão e o compromisso com uma vida de santidade. Falou da porta estreita. “Façam todo esforço para entrar pela porta estreita”. Isso você entende, não é verdade? Tem muita porta larga por aí: a do relaxamento, da preguiça, do egoísmo, do desregramento, dos vícios, da falta de seriedade nos compromissos consigo mesmo(a), com os outros e com Deus. Entrar pela porta estreita e, - ele também deu a entender - enquanto há tempo. Ele contou que quando o dono da casa fechar a porta, não se entra mais. Aí ele enfeitou a parábola: ‘tem gente que vai ficar batendo na porta, dizendo que é amigo do dono da casa, que já esteve com ele diversas vezes, que ouviu seus discursos...’. A resposta vai ser: “Eu não conheço vocês. Vão-se embora”. Você pegou a mensagem? Entrar pela porta estreita enquanto é tempo. Não deixe pra amanhã a sua conversão. É hoje o dia da salvação.

É claro que Deus não fica só na porta nos esperando. Ele não nos abandona em nosso caminho para a salvação. Ele está sempre nos educando na fé, nos orientando, nos corrigindo. Veja o que diz a Carta aos Hebreus: “Qual é o filho a quem o pai não corrige?” (Hebr 12). Deus nos corrige como filhos, porque nos ama. Ele ajuda o manco a andar direito. Na hora da correção, o filho fica aborrecido, revoltado. Mais tarde irá reconhecer que aquilo foi importante para o seu bem. Nem sempre a correção é um sermão. É possível que Deus use de muitos acontecimentos de sua história de vida para corrigir você.

Guardando a mensagem

Perguntaram a Jesus sobre a salvação. Ele indicou duas coisas preciosas para o nosso caminho com Deus: entrar pela porta estreita e a tempo. ‘A tempo’ quer dizer não adiar a sua conversão, não deixar para amanhã os seus compromissos de vida nova. Amanhã, pode ser tarde e a porta pode estar já fechada. ‘Entrar pela porta estreita’ quer dizer que, mesmo sendo a salvação um dom gratuito de Deus, precisamos acolhê-la com esforço e compromisso. A carta aos Hebreus nos lembrou que Deus nos acompanha nessa caminhada para sua casa, nos educando e nos corrigindo, com amor de pai.

Façam todo esforço possível para entrar pela porta estreita (Lc 13, 24).

Rezando a palavra

Senhor Jesus,
A nossa caminhada para Deus se assemelha à peregrinação do teu povo de todas as nações para o monte santo de Jerusalém, como está descrito no Livro do Profeta Isaías (Is 66). Nossa vida é, de verdade, uma peregrinação, contigo, para Jerusalém. É nesse caminho, que tu vais nos ensinando, nos instruindo. Hoje, nos falaste da porta estreita. Senhor, a porta larga nos seduz. É a porta da facilidade, do relaxamento, do mais ou menos. Ajuda-nos, Senhor, a entrar pela porta estreita. Esta é a porta do compromisso, do esforço, do melhor possível. Senhor, abençoa, hoje de maneira especial, os irmãos e irmãs que, em nossas comunidades, ajudam crianças, jovens e adultos a conhecerem e caminharem em tua palavra e em nossa fé católica. Abençoa, Senhor, os nossos catequistas. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Leia o evangelho de hoje em sua Bíblia (Lucas 13,22-30). E, sendo hoje o domingo do catequista, não esqueça de cumprimentar os catequistas de sua comunidade.

Pe. João Carlos Ribeiro – 25 de agosto de 2019.

25 junho 2019

PELA PORTA LARGA, A GENTE SE PERDE

Entrem pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso é o caminho que leva à perdição (Mt 7, 13)
25 de junho de 2019.
Domingo passado, ouvimos Jesus nos dizendo no evangelho: “Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz cada dia e me siga” (Lc 9). Seguir Jesus é a nossa vocação. Ele nos chama a segui-lo. Desde o começo do seu ministério público, convidou pessoas a serem seus discípulos. “Vem e segue-me!”. Segui-lo é acompanhá-lo em seu caminho, caminhar com ele, seguir seus passos.
Hoje, esse seu ensinamento fica ainda mais claro. Ele está nos dizendo: “entrem pela porta estreita”. Ele foi o primeiro a entrar pela porta estreita. Sua vida não foi fácil. Quando ele tomou o rumo de Jerusalém, antes dos acontecimentos da paixão, os próprios discípulos o desaconselharam. Mas, ele não se intimidou com as dificuldades, seguiu pelo caminho estreito. Em Jerusalém, o aguardavam a paixão e morte na cruz. Foi um caminho estreito o que ele palmilhou, em que encontrou oposição, traição, condenação injusta. É nesse caminho, nessas circunstâncias, que ele manifestou sua total fidelidade ao Pai e seu amor até o fim aos seus. É por esse caminho que ele reentrou na glória do Pai. Pela porta estreita da paixão e morte, ele alcançou a ressurreição.O seu caminho de fidelidade é exemplar para nós, seus seguidores. ‘Eu sou o caminho’, nos disse ele, caminho que nos conduz ao Pai.
É certo que a salvação é um dom de Deus, é uma graça que não merecemos, uma dádiva da misericórdia divina. Mas, acolhendo-a, sem merecimento de nossa parte, procuramos corresponder a esse tão grande amor que nos escolheu e nos predestinou para a eterna felicidade. A correspondência a esse amor é o esforço que fazemos para viver segundo essa sublime vocação para a qual fomos chamados, a vocação de filhos e filhas de Deus.
Entrar pela porta estreita é abraçar o evangelho de Jesus, fazendo o esforço necessário de fidelidade ao Senhor que nos chamou ao seu seguimento. A porta larga nos conduz à perdição. É a porta da facilidade, do relaxamento, da falta de compromisso... Muitas vezes, o seguimento de Jesus nos pede renúncia, sacrifício, disciplina de vida.
Nós não procuramos o sofrimento, nem a perseguição, mas eles nos chegam de um jeito ou de outro. Nós os experimentamos nos limites de nossa condição humana (como é o caso da doença), nas consequências de nossos erros e excessos (os nossos pecados) ou na incompreensão ou oposição que aparecem quando praticamos o bem, defendemos a justiça e procuramos viver com honestidade.
Guardando a mensagem
Jesus nos recomenda que façamos todo esforço para entrar pela porta estreita. Ele mesmo tomou o caminho estreito da fidelidade, onde encontrou a perseguição e a morte de cruz. Por essa porta estreita, ele entrou na glória da ressurreição. A salvação nos chega pelos merecimentos dele, é misericórdia de Deus em nossa vida. Procurando corresponder a esse amor de Deus que se manifesta em Cristo, tentamos viver uma vida sadia, responsável, solidária. Entrar pela porta estreita é assumir com seriedade os compromissos da fé e da caridade, mesmo em meio a dificuldades e perseguições.
Entrem pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso é o caminho que leva à perdição (Mt 7, 13)
Rezando a palavra
Senhor Jesus,
A porta larga nos atrai. É a porta do desregramento, da ditadura do prazer, da idolatria do poder e do dinheiro.  Por ela, nos perdemos. Disseste-nos, para entrar pela porta estreita. É a porta da disciplina de vida, da fidelidade que tem seu custo, da caridade sem recompensa. Por ela, entramos contigo na felicidade sem fim. Nós te bendizemos, Senhor, pois sabemos que tu caminhas conosco, ao nosso lado, oferecendo-nos o teu exemplo e a tua graça. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.       
Vivendo a palavra
No seu caderno espiritual, faça uma lista do que pode ser a porta estreita e a porta larga na sua vida.
Você me encontra, de segunda a sexta, no facebook, às 10 da noite. 

Pe. João Carlos Ribeiro – 25 de junho de 2019.

30 outubro 2018

ELE NÃO NOS DISSE QUE SERIA FÁCIL

Façam todo esforço possível para entrar pela porta estreita (Lc 13, 24)
31 de outubro de 2018.
Jesus estava na grande viagem para Jerusalém. Alguém quis saber se os que se salvam são poucos.  Jesus respondeu com uma recomendação: ‘façam todo esforço possível para entrar pela porta estreita. Muitos vão tentar entrar e não conseguirão. Quando o dono da casa fechar a porta, não vai adiantar bater e dizer que é conhecido dele’.
Essa pergunta feita a Jesus, no caminho de sua última peregrinação à cidade santa, tem um sabor muito especial. Jesus é o primeiro a entrar pela porta estreita. Em Jerusalém, o aguardam a paixão e morte na cruz. É um caminho estreito o que ele está palmilhando, em que vai encontrar oposição, traição, condenação injusta. É nesse caminho, nessas circunstâncias, que ele manifestará sua total fidelidade ao Pai e seu amor até o fim aos seus. É por esse caminho que ele reentrará na glória do Pai. É pela porta estreita da morte que ele alcançará a ressurreição.
O seu caminho de confronto e fidelidade é exemplar para nós, seus seguidores.  ‘Eu sou o caminho’, nos disse ele, caminho que nos conduz ao Pai. Em outra imagem do evangelho de São João, ele é a porta das ovelhas.  É por ele que entramos na vida de Deus.
É certo que a salvação é um dom de Deus, é uma graça que não merecemos, uma dádiva da misericórdia divina. Mas, acolhendo-a, sem merecimento de nossa parte, procuramos corresponder a esse tão grande amor que nos escolheu e nos predestinou para a eterna felicidade. A correspondência a esse amor é o esforço que fazemos para viver segundo essa sublime vocação para a qual fomos chamados, a vocação de filhos e filhas de Deus.
Entrar pela porta estreita é abraçar o evangelho de Jesus, fazendo o esforço necessário de fidelidade ao Senhor que nos chamou ao seu seguimento. Porta Larga, diz-se em outra parte do evangelho, é a que conduz à perdição. É a porta da facilidade, do relaxamento, da falta de compromisso... Muitas vezes, o seguimento de Jesus nos pede renúncia, sacrifício, disciplina de vida.
Nós não procuramos o sofrimento, nem a perseguição, mas eles nos chegam de um jeito ou de outro. Nós os experimentamos nos limites de nossa condição humana (como é o caso da doença), nas consequências de nossos erros e excessos (os nossos pecados) ou na incompreensão ou oposição que aparecem quando praticamos o bem, defendemos a justiça e procuramos viver com honestidade.
Guardando a mensagem
Jesus nos recomenda que façamos todo esforço para entrar pela porta estreita. Ele mesmo tomou o caminho estreito da fidelidade, onde encontrou a perseguição e a morte de cruz. Por essa porta estreita, ele entrou na glória da ressurreição. A salvação nos chega pelos merecimentos dele, é misericórdia de Deus em nossa vida. Procurando corresponder a esse amor de Deus que se manifesta em Cristo, tentamos viver uma vida sadia, responsável, solidária. Entrar pela porta estreita é assumir com seriedade os compromissos da fé e da caridade, mesmo em meio a dificuldades e perseguições.
Façam todo esforço possível para entrar pela porta estreita (Lc 13, 24)
Rezando a palavra
Senhor Jesus,
A porta larga nos atrai. É a porta do desregramento, da ditadura do prazer, da idolatria do poder e do dinheiro.  Por ela, nos perdemos. Disseste-nos, para entrar pela porta estreita. É a porta da disciplina de vida, da fidelidade que tem seu custo, da caridade sem recompensa. Por ela, entramos contigo na felicidade sem fim. Nós te bendizemos, Senhor, pois sabemos que tu caminhas conosco, ao nosso lado, oferecendo-nos o teu exemplo e a tua graça. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.       
Vivendo a palavra
Hoje é o último dia desse mês de outubro. Agradeça ao Senhor tudo o que dele recebeu, especialmente o seu grande amor que sustentou você nos momentos de tensão e incerteza. Aproveite para pedir-lhe a graça de continuar caminhando com ele, sem se desviar da porta estreita.

Pe. João Carlos Ribeiro – 31.10.2018

31 outubro 2017

A PORTA CONTINUA ESTREITA


Façam todo esforço possível para entrar pela porta estreita (Lc 13, 24)
Jesus estava na grande viagem para Jerusalém. Alguém quis saber se os que se salvam são poucos.  Jesus respondeu com uma recomendação: ‘façam todo esforço possível para entrar pela porta estreita. Muitos vão tentar entrar e não conseguirão. Quando o dono da casa fechar a porta, não vai adiantar bater e dizer que é conhecido dele’.
Essa pergunta feita a Jesus, no caminho de sua última peregrinação à cidade santa, tem um sabor muito especial. Jesus é o primeiro a entrar pela porta estreita. Em Jerusalém, o aguardam a paixão e morte na cruz. É um caminho estreito que está palmilhando, em que vai encontrar oposição, traição, condenação injusta. É nesse caminho, nessas circunstâncias, que ele manifestará sua total fidelidade ao Pai e seu amor até o fim aos seus. É por esse caminho que ele reentrará na glória do Pai. É pela porta estreita da morte que ele alcançará a ressurreição.
O seu caminho de confronto e fidelidade é exemplar para nós, seus seguidores.  ‘Eu sou o caminho’, nos disse ele. Caminho que nos conduz ao Pai. Ou, como em outra imagem do evangelho de São João, ele é a porta das ovelhas.  É por ele que entramos na vida de Deus.
É certo que a salvação é um dom de Deus, é uma graça que não merecemos, é uma dádiva da misericórdia de Deus. Mas, acolhendo-a, sem merecimentos de nossa parte, procuramos corresponder a esse tão grande amor que nos escolheu e predestinou para a eterna felicidade. A correspondência a esse amor é o esforço que fazemos para viver segundo essa sublime vocação para a qual fomos chamados, a vocação de filhos e filhas de Deus.
Entrar pela porta estreita é abraçar o evangelho de Jesus, fazendo o esforço necessário de fidelidade ao Senhor que nos chamou ao seu seguimento. Porta Larga, diz-se em outra parte do evangelho, é a que conduz à perdição. É a porta da facilidade, do relaxamento, da falta de compromisso... Muitas vezes o seguimento de Jesus nos pede renúncia, sacrifício, disciplina de vida.
Nós não procuramos o sofrimento, nem a perseguição, mas eles nos chegam de um jeito ou de outro. Nós os experimentos pelos limites de nossa condição humana (como é o caso da doença), pelas consequências de nossos erros e excessos (os nossos pecados) ou pela incompreensão ou oposição que aparecem quando praticamos o bem, defendemos a justiça e procuramos viver com honestidade.
Vamos guardar a mensagem de hoje
Jesus nos recomenda que façamos todo esforço para entrar pela porta estreita. Ele mesmo tomou o caminho estreito da perseguição e da morte de cruz. Por essa porta estreita, ele entrou na glória da ressurreição. A salvação nos chega pelos merecimentos dele, é misericórdia de Deus em nossa vida. Procurando corresponder a esse amor de Deus que se manifestou em Cristo, tentamos viver uma vida sadia, responsável, solidária. Entrar pela porta estreita é assumir com seriedade os compromissos da fé e da caridade, mesmo em meio a dificuldades e perseguições.
Façam todo esforço possível para entrar pela porta estreita (Lc 13, 24)