Mostrando postagens com marcador lobos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador lobos. Mostrar todas as postagens

20190626

TEM LOBO NA ÁREA

Cuidado com os falsos profetas: Eles vêm até vocês vestidos com peles de ovelha, mas por dentro são lobos ferozes (Mt 7, 15)
26 de junho de 2019.
Por que Jesus comparou falsos profetas com lobos vestidos de ovelhas? Vou tentar explicar. O profeta, na Bíblia, é o homem da palavra de Deus, fala em nome de Deus. É o pregador, certo?! Encontramos no Antigo Testamento, a imagem do profeta vestido com um manto de pele de carneiro. A roupa já mostra a vida de austeridade do profeta e a distância que ele toma da corte dos reis. O profeta Elias, por exemplo, vestia um manto de lã de carneiro. João Batista, parecido com Elias, trajava-se de pele de camelo. Uma vez, Jesus perguntou: ‘O que vocês foram ver no deserto? Um homem vestido de roupas finas? Ora, os que usam roupas finas estão nos palácios reais. Afinal, o que foram ver? Um profeta?!” (Mt 11).
Então, a imagem do profeta é do homem de Deus vestido de pele de carneiro ou de ovelha. Assim, já dá para entender melhor o que Jesus disse. “O falso profeta é o lobo vestido de ovelha”. Ele apresenta-se como homem de Deus, como líder no meio do rebanho, mas não é profeta coisa nenhuma, é lobo. Está vestido de ovelha, isto é, traja-se com um manto de lã de carneiro, mas não é um profeta de verdade. Na verdade, esconde sua real identidade e seus verdadeiros interesses. Não é profeta. É lobo.
E, por que será que Jesus estava preocupado com os falsos profetas? Porque o rebanho pode ser enganado facilmente. Porque existem, infelizmente, esses aproveitadores. E, certamente, porque a comunidade deve ficar sempre em atitude de alerta, uma vez que esse perigo é permanente. Cuidado com os falsos profetas! São Paulo, na segunda carta aos Coríntios, falou da existência de operários enganadores no meio da comunidade, disfarçados de apóstolos de Cristo (2 Cor 11). 
Que interesses poderiam mover um falso líder religioso, um pseudo-pregador da palavra de Deus? Três interesses movem o mundo. O primeiro é o dinheiro, o enriquecimento. O segundo é o poder, o prestígio. O terceiro interesse é desfrutar de uma vida de prazeres na comida, na cama e nos divertimentos. Esses são os interesses que movem o mundo. Podem mover também um falso líder.
Muita gente se ilude. Pensa: se está falando de Deus, então é coisa boa. Atenção, nem tudo que reluz é ouro. É melhor seguir a dica de Jesus. Pelo fruto se conhece a árvore. Árvore boa dá fruto bom. Árvore má dá fruto ruim. Os bons frutos confirmam que se trata de uma boa árvore, um profeta de verdade. A pregação do Evangelho produz frutos muito claros: o primeiro é a conversão e a santidade de vida; o segundo fruto é o compromisso com a fraternidade e o amor ao próximo. A falsa pregação produz frutos podres: a cristalização do egoísmo e do individualismo; a relação comercial com Deus; a instrumentalização da fé para outros interesses.
Guardando a mensagem
Jesus nos orienta para termos cuidado com os falsos profetas. Profeta é o pregador, é quem fala em nome de Deus. O cuidado é porque o falso profeta é um lobo em pele de ovelha. Ele move-se por interesses não confessos, particularmente o dinheiro e o poder. Como reconhecer o falso profeta? Pelo fruto se conhece a árvore. O fruto da pregação do evangelho é a conversão, a santidade de vida e o compromisso com o bem do próximo, sobretudo dos mais desamparados. Se as pessoas estão ficando mais egoístas e mais interesseiras não é um bom sinal. Se a pregação está servindo a outros interesses que não seja a glória de Deus, tem lobo na história.
Cuidado com os falsos profetas: Eles vêm até vocês vestidos com peles de ovelha, mas por dentro são lobos ferozes (Mt 7, 15)
Rezando a palavra
Senhor Jesus,
Tu és o nosso pastor, nosso profeta, nosso mestre. Tu és o modelo para todos os ministros do teu povo. Tu anunciaste o Reino de Deus entre nós. A tua coerência e a tua fidelidade foram provadas na paixão e na cruz. Os teus profetas trilham o teu caminho, imitam o teu modo de agir na defesa do rebanho. Dá-nos, Senhor, a lucidez necessária para nos precavermos contra lobos travestidos de ovelhas. Eles não são profetas verdadeiros. Que estejamos sempre atentos ao tipo de fruto que produz a pregação, para não sermos enganados por falsos profetas. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vivendo a palavra
‘Pelos frutos, se conhece a árvore’. Aparecendo uma oportunidade, hoje, comente com alguém essa palavra de Jesus.

Pe. João Carlos Ribeiro – 26 de junho de 2019.

20181004

QUANDO VOCÊS NÃO FOREM BEM RECEBIDOS

Eis que envio vocês como cordeiros para o meio de lobos (Lc 10, 3)
04 de outubro de 2018.
Jesus escolheu e enviou setenta e dois discípulos. Ele os enviou à sua frente, pelos lugares que ele iria passar. Eles preparariam o terreno, avisariam ao povo a chegada do Reino de Deus. Jesus lhes fez diversas recomendações. E também lhes indicou que poderiam encontrar também dificuldade, problemas, oposições. “Eis que envio vocês como cordeiros para o meio de lobos”.
O conteúdo da evangelização é maravilhoso. O Reino de Deus se aproximou de nós. Em Cristo, chegou a salvação e a graça para todos. É um mundo novo que se abre. Deus se abaixou para nos encontrar, nos resgatar, nos conduzir. Quem poderia ficar contra uma mensagem tão especial? Infelizmente, há quem não se agrade dessa notícia, ou não se interesse por ela e até quem a rejeite, perseguindo os enviados.
Aí Jesus orientou. Quando chegarem numa casa, comecem fazendo a saudação: “A paz esteja nesta casa!”. Havendo ali um amigo da paz, maravilha. A paz fica com ele. Mas, pode ser que ali não tenha um amigo da paz. Então, nada feito. A paz não entra lá. Então, quer dizer, que não basta que a mensagem da qual somos portadores seja muito boa. É preciso que ela seja acolhida por um bom coração.
O missionário pode ser bem recebido, mas também pode ser mal recebido. “Quando vocês entrarem numa cidade e forem bem recebidos, comam do que lhes servirem, curem os doentes que houver por ali e anunciem que o Reino de Deus está próximo”. O Reino de Deus também está próximo de quem os receber mal. Por isso, Jesus falou:  ‘Neste caso, saindo pelas ruas, digam: “Até a poeira que se apegou aos nossos pés, sacudimos contra vocês. Mas, fiquem sabendo, o Reino de Deus está próximo”. Então, os missionários devem estar preparados tanto para a boa acolhida, como para a má acolhida. Mas, não se iludam que vão ser um sucesso, sempre.
A cena do envio dos setenta e dois discípulos é uma imagem de todos nós, discípulos e discípulas do Senhor. Setenta e dois é um múltiplo de doze (12 x 6). Em continuidade com o povo das doze tribos, nós o povo dos doze apóstolos, somos um povo de missionários. Temos uma mensagem a comunicar nas casas, nos caminhos, nas cidades. Podemos não ser bem recebidos, mas não podemos deixar de anunciar.
A Igreja em sua missão sempre encontrou obstáculos, dificuldades. Há sempre alguém que não é amigo da paz e cidades que maltratam os missionários e rejeitam sua mensagem. Nos dias de hoje, a Igreja também encontra oposição ao seu serviço evangelizador, claro.
No início deste mês de outubro, o próprio Papa pediu à sua Rede Mundial de Oração, formada pelo Apostolado da Oração e outros grupos, que estimulem todos os fiéis da Igreja mundo afora a rezarem diariamente o Terço de Nossa Senhora, neste mês de outubro, invocando sua proteção sobre a Igreja. Ele sente na pele que o mundo vive uma grande crise, crise que se reflete também na Igreja. Recomendou também que, na conclusão do Terço, rezemos a tradicional prece “À vossa proteção, recorremos, Santa Mãe de Deus” e também a São Miguel, pedindo-lhe que nos defenda no combate.
O pedido do Papa é para que os fiéis rezem para que Maria “coloque a Igreja sob seu manto protetor”, e não apenas a defenda, mas, como ele disse, a faça “mais consciente das suas faltas, dos seus erros, dos abusos cometidos no presente e no passado e comprometida a lutar sem qualquer hesitação para que o mal não prevaleça”.
Guardando a mensagem
Ao enviar os setenta e dois discípulos, Jesus alertou sobre as oposições e dificuldades que eles encontrariam. A rejeição pode acontecer na casa e na cidade, isto é, na família e na sociedade. Dificuldades estão fora da Igreja e também dentro dela. O alerta de Jesus foi para que os discípulos, mesmo encontrando oposição, não esmoreçam, não deixem de comunicar a todos que o Reino de Deus está próximo deles. O nosso Papa Francisco, que em sua liderança pastoral sente de perto o peso dos problemas do mundo que se refletem na Igreja, está nos pedindo para, neste mês de outubro, mês do rosário, rezarmos diariamente o Terço de Nossa Senhora, invocando a sua proteção sobre a Igreja.
Eis que envio vocês como cordeiros para o meio de lobos (Lc 10, 3)
Rezando a palavra
Sendo hoje o dia de São Francisco de Assis, que viveu um intenso processo de conversão evangélica, rezemos com suas palavras:
Ó Mestre, fazei que eu procure mais:
consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe.
É perdoando que se é perdoado.
E é morrendo que se vive para a vida eterna.

Vivendo a palavra

Você vai aceitar o convite do Papa para rezar o Terço todos os dias deste mês do rosário? Bom, no final do Terço, lembre-se da oração que ele recomendou:
“À Vossa Proteção recorremos, Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita”.

Pe. João Carlos Ribeiro – 04.10.2018

20180713

COMO OVELHAS NO MEIO DE LOBOS


Sejam, portanto, prudentes como as serpentes e simples como as pombas (Mt 10, 16)
13 de julho de 2018.
Jesus começou anunciando o nome dos missionários. E prosseguiu com uma série de recomendações. Hoje, temos uma advertência sobre as dificuldades da missão. Missionários somos todos nós, discípulos do Senhor. A nós é confiada a missão, em vários graus e de várias formas. Então, as dificuldades mencionadas por Jesus, nós também vamos encontrar.
O conteúdo da missão nos foi indicado pelo Mestre: “No caminho,  anunciem: ‘O Reino dos Céus está próximo’. Anunciar com palavras e gestos que o Reino de Deus chegou para todos. Anúncio a ser concretizado em quatro tarefas. Curar os enfermos, isto é, restaurar a dignidade humana. Purificar os leprosos, isto é, proclamar o perdão dos pecados pela misericórdia de Deus. Ressuscitar os mortos, isto é, promover a vida. Expulsar os demônios, isto é, denunciar e vencer o mal que domina as pessoas. São essas as quatro tarefas pelas quais anunciamos a proximidade do Reino de Deus na vida das pessoas.
Essa missão comunicada aos doze apóstolos é a missão confiada a toda a Igreja, a todos os seguidores de Jesus. E a gente a realiza com nossa vida cristã, com nossas palavras e ações. E é esse ser cristão e anunciadores de  Cristo no mundo que nos traz problemas, dificuldades, resistências, reações. É neste sentido que Jesus está nos dizendo: “envio vocês como ovelhas no meio de lobos”. O mundo, influenciado pelo poder do mal, não aceita facilmente a mensagem de Cristo. E podemos, como ovelhas no meio de lobos, ser presas fáceis da vaidade, do fascínio do poder e da riqueza, da pressão social, da lógica do mundo. Ou, permanecendo fieis à nossa missão, podemos até sofrer todo tipo de incompreensão, de retaliação, de perseguição.
E Jesus completou: “Sejam prudentes como as serpentes e simples como as pombas”. A serpente do livro do Gênesis, a que levou Adão e Eva ao pecado, foi descrita como o mais astuto dos animais no Jardim do Éden. A conversa que ela teve com Eva, parecia afável e desinteressada... ela soube conduzir bem o diálogo, foi sabida. De verdade, a serpente não se apresenta de qualquer maneira, se esconde, se esquiva, parece planejar bem as suas ações. Talvez seja nesse sentido que Jesus disse: imitem a prudência da serpente ou seja a sua sabedoria. As pombas são criaturas doces, próximas, mansas... chegam pertinho pra comer o que a gente oferece. A orientação do Mestre foi, no exercício da missão que comporta sempre dificuldades, ter a prudência das serpentes e a simplicidade das pombas.  
Vamos guardar a mensagem
Jesus enviou os doze em missão. Com eles, todos nós somos enviados. A missão é proclamar a proximidade do Reino de Deus. Nós a realizamos pelo testemunho de vida, por ações e pelas palavras que proclamamos. As ações estão descritas simbolicamente em quatro tarefas: restaurar a dignidade humana, anunciar o perdão dos pecados, promover a vida e vencer o mal que domina as pessoas. Na realização dessa missão, muitas dificuldades e perseguições podem nos aguardar. Assim, Jesus nos dá essa orientação: ‘tenham a mansidão das pombas e a sagacidade das serpentes’. Trata-se de ser simples, mas não ser bobo.
Sejam, portanto, prudentes como as serpentes e simples como as pombas (Mt 10, 16)
Vamos rezar a palavra
Senhor Jesus,
A descrição que fazes da pressão, das perseguições, dos julgamentos a que poderemos ser submetidos por causa de nossa fé nos assusta. Mas, tu nos tranquilizas de muitos modos. Sobretudo, nos garantes a assistência do Santo Espírito, que nos dará as palavras certas, que tomará a nossa defesa. Senhor, embora a missão não pareça fácil, queremos realizá-la com fidelidade e perseverança até o fim. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vamos viver a palavra
No seu diário espiritual (seu caderno de anotações), responda a esta pergunta: Em que você está precisando ser mais perseverante?

Pe. João Carlos Ribeiro – 13.07.2018

Postagem em destaque

Vá e faça a mesma coisa

Eu já andava desconfiado que o bom samaritano do evangelho fosse Jesus. Agora, já não tenho mais dúvidas. Bom, Jesus contou a históri...