04 outubro 2018

QUANDO VOCÊS NÃO FOREM BEM RECEBIDOS

Eis que envio vocês como cordeiros para o meio de lobos (Lc 10, 3)
04 de outubro de 2018.
Jesus escolheu e enviou setenta e dois discípulos. Ele os enviou à sua frente, pelos lugares que ele iria passar. Eles preparariam o terreno, avisariam ao povo a chegada do Reino de Deus. Jesus lhes fez diversas recomendações. E também lhes indicou que poderiam encontrar também dificuldade, problemas, oposições. “Eis que envio vocês como cordeiros para o meio de lobos”.
O conteúdo da evangelização é maravilhoso. O Reino de Deus se aproximou de nós. Em Cristo, chegou a salvação e a graça para todos. É um mundo novo que se abre. Deus se abaixou para nos encontrar, nos resgatar, nos conduzir. Quem poderia ficar contra uma mensagem tão especial? Infelizmente, há quem não se agrade dessa notícia, ou não se interesse por ela e até quem a rejeite, perseguindo os enviados.
Aí Jesus orientou. Quando chegarem numa casa, comecem fazendo a saudação: “A paz esteja nesta casa!”. Havendo ali um amigo da paz, maravilha. A paz fica com ele. Mas, pode ser que ali não tenha um amigo da paz. Então, nada feito. A paz não entra lá. Então, quer dizer, que não basta que a mensagem da qual somos portadores seja muito boa. É preciso que ela seja acolhida por um bom coração.
O missionário pode ser bem recebido, mas também pode ser mal recebido. “Quando vocês entrarem numa cidade e forem bem recebidos, comam do que lhes servirem, curem os doentes que houver por ali e anunciem que o Reino de Deus está próximo”. O Reino de Deus também está próximo de quem os receber mal. Por isso, Jesus falou:  ‘Neste caso, saindo pelas ruas, digam: “Até a poeira que se apegou aos nossos pés, sacudimos contra vocês. Mas, fiquem sabendo, o Reino de Deus está próximo”. Então, os missionários devem estar preparados tanto para a boa acolhida, como para a má acolhida. Mas, não se iludam que vão ser um sucesso, sempre.
A cena do envio dos setenta e dois discípulos é uma imagem de todos nós, discípulos e discípulas do Senhor. Setenta e dois é um múltiplo de doze (12 x 6). Em continuidade com o povo das doze tribos, nós o povo dos doze apóstolos, somos um povo de missionários. Temos uma mensagem a comunicar nas casas, nos caminhos, nas cidades. Podemos não ser bem recebidos, mas não podemos deixar de anunciar.
A Igreja em sua missão sempre encontrou obstáculos, dificuldades. Há sempre alguém que não é amigo da paz e cidades que maltratam os missionários e rejeitam sua mensagem. Nos dias de hoje, a Igreja também encontra oposição ao seu serviço evangelizador, claro.
No início deste mês de outubro, o próprio Papa pediu à sua Rede Mundial de Oração, formada pelo Apostolado da Oração e outros grupos, que estimulem todos os fiéis da Igreja mundo afora a rezarem diariamente o Terço de Nossa Senhora, neste mês de outubro, invocando sua proteção sobre a Igreja. Ele sente na pele que o mundo vive uma grande crise, crise que se reflete também na Igreja. Recomendou também que, na conclusão do Terço, rezemos a tradicional prece “À vossa proteção, recorremos, Santa Mãe de Deus” e também a São Miguel, pedindo-lhe que nos defenda no combate.
O pedido do Papa é para que os fiéis rezem para que Maria “coloque a Igreja sob seu manto protetor”, e não apenas a defenda, mas, como ele disse, a faça “mais consciente das suas faltas, dos seus erros, dos abusos cometidos no presente e no passado e comprometida a lutar sem qualquer hesitação para que o mal não prevaleça”.
Guardando a mensagem
Ao enviar os setenta e dois discípulos, Jesus alertou sobre as oposições e dificuldades que eles encontrariam. A rejeição pode acontecer na casa e na cidade, isto é, na família e na sociedade. Dificuldades estão fora da Igreja e também dentro dela. O alerta de Jesus foi para que os discípulos, mesmo encontrando oposição, não esmoreçam, não deixem de comunicar a todos que o Reino de Deus está próximo deles. O nosso Papa Francisco, que em sua liderança pastoral sente de perto o peso dos problemas do mundo que se refletem na Igreja, está nos pedindo para, neste mês de outubro, mês do rosário, rezarmos diariamente o Terço de Nossa Senhora, invocando a sua proteção sobre a Igreja.
Eis que envio vocês como cordeiros para o meio de lobos (Lc 10, 3)
Rezando a palavra
Sendo hoje o dia de São Francisco de Assis, que viveu um intenso processo de conversão evangélica, rezemos com suas palavras:
Ó Mestre, fazei que eu procure mais:
consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe.
É perdoando que se é perdoado.
E é morrendo que se vive para a vida eterna.

Vivendo a palavra

Você vai aceitar o convite do Papa para rezar o Terço todos os dias deste mês do rosário? Bom, no final do Terço, lembre-se da oração que ele recomendou:
“À Vossa Proteção recorremos, Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita”.

Pe. João Carlos Ribeiro – 04.10.2018