Mostrando postagens com marcador confiança em Deus. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador confiança em Deus. Mostrar todas as postagens

20210322

CONFIAR EM DEUS



23 de março de 2021

EVANGELHO


Jo 8,21-30

Naquele tempo, disse Jesus aos fariseus: 21“Eu parto e vós me procurareis, mas morrereis no vosso pecado. Para onde eu vou, vós não podeis ir”. 22Os judeus comentavam: “Por acaso, vai-se matar? Pois ele diz: ‘Para onde eu vou, vós não podeis ir’?”
23Jesus continuou: “Vós sois daqui debaixo, eu sou do alto. Vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo. 24Disse-vos que morrereis nos vossos pecados, porque, se não acreditais que eu sou, morrereis nos vossos pecados”.
25Perguntaram-lhe pois: “Quem és tu, então?” Jesus respondeu: “O que vos digo, desde o começo. 26Tenho muitas coisas a dizer a vosso respeito, e a julgar também. Mas aquele que me enviou é fidedigno, e o que ouvi da parte dele é o que falo para o mundo”. 27Eles não compreenderam que lhes estava falando do Pai. 28Por isso, Jesus continuou: “Quando tiverdes elevado o Filho do Homem, então sabereis que eu sou, e que nada faço por mim mesmo, mas apenas falo aquilo que o Pai me ensinou. 29Aquele que me enviou está comigo. Ele não me deixou sozinho, porque sempre faço o que é de seu agrado”. 30Enquanto Jesus assim falava, muitos acreditaram nele.

MEDITAÇÃO


Aquele que me enviou está comigo. Ele não me deixou sozinho (Jo 8, 29).

É, está difícil. Por mais que Jesus explique, eles não querem entender, não querem aceitá-lo. O clima de resistência e rejeição está crescendo em torno de Jesus. Está chegando a hora da paixão. No fim, os seus próprios discípulos estarão em dúvida e o deixarão só.

Na passagem de hoje, no evangelho de São João, mesmo num clima tão adverso, Jesus afirma sua confiança no Pai que o enviou, que o sustenta, que estará sempre ao seu lado. “Aquele que me enviou está comigo. Ele não me deixou sozinho, porque sempre faço o que é de seu agrado”. E Jesus está certo do apoio do Pai, porque ele está sempre em comunicação com ele pela oração e porque está sempre fazendo a sua vontade.

Ainda assim, você pode pensar: mesmo com toda confiança em Deus, na cruz, Jesus se sentiu só e abandonado. Na cruz, pelas três da tarde, ele gritou em alta voz: “Meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste?”. É uma palavra que impressiona, uma oração no meio da agonia da asfixia e das dores lacerantes naquela cruz, depois de uma noite de flagelação e maus tratos e de um dia de humilhações e sofrimento físico. Também ali na cruz, ele está em oração. É uma oração que brota de sua dor e de seu sentimento humano de quem se sente traído, evitado, execrado. Sofre pelas dores físicas, sofre ainda mais pelo que a crucifixão representa: a condenação de sua vida, o abandono dos seus amigos, o medo que dispersa o seu pequeno rebanho. Ele se sente só e abandonado. Mas, ali, ao pé da cruz, está um grupo de mulheres fiéis e o discípulo mais jovem. Ali está também a sua mãe. O Pai o assiste, silencioso, ele sabe disso, num silêncio doloroso.

A oração de Jesus não é uma oração de revolta, mas uma oração de confiança. Reclama ao Pai, porque o sabe presente. Ainda mais que essas suas palavras brotam do Salmo 21 (22). E, apesar desse refrão tão forte – Meu Deus, porque me abandonaste – este salmo celebra a defesa que Deus faz do seu servo e a confiança nele.

Guardando a mensagem

Nós - seguidores de Jesus, seus irmãos e irmãs - também passamos por muitas dificuldades, problemas, fracassos, perseguições. Nós nos encontramos, por vezes, na mesma condição de Jesus, que foi incompreendido e perseguido. Se nossas provações forem vividas em comunhão com Deus e se estivermos de fato fazendo a vontade de Deus, então essa confiança de Jesus no Pai pode ser também a nossa. E de onde vem essa confiança de Jesus? Jesus faz referência permanente a Deus, o seu Pai. Ele confere o seu caminho, permanentemente, pela oração. Conhece o Pai, sabe que ele é fiel, que o ama, que sempre estará ao seu lado. Nestes dias difíceis da pandemia, renove a sua confiança em Deus. Fortaleça, no seu coração, a convicção que Deus, na sua imensa misericórdia, ama você. Ele é fiel e sempre estará ao seu lado. Esta certeza nos ajuda a atravessar essa tempestade com serenidade, fortalecidos na fé e em condições de ajudar os outros a caminharem na esperança.

Aquele que me enviou está comigo. Ele não me deixou sozinho (Jo 8, 29).

Rezando a palavra

Rezemos com as palavras do salmo 21(22):

Meu Deus! Meu Deus!
Por que me abandonaste?

Por que estás tão longe de salvar-me,
tão longe dos meus gritos de angústia?
Meu Deus!
Eu clamo de dia, mas não respondes;
de noite, e não recebo alívio!
Tu, porém, és o Santo,
és rei, és o louvor de Israel.
Em ti, os nossos antepassados
puseram a sua confiança;
confiaram, e os livraste.
Clamaram a ti, e foram libertos;
em ti confiaram, e não se decepcionaram.
Tu, porém, Senhor, não fiques distante!
Ó minha força, vem logo em meu socorro!
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Peça ao Senhor que, nestes dias de quarentena, não lhe falte a certeza de sua presença ao seu lado. Que, em meio às dificuldades do momento, a sua paz habite o nosso coração, para atravessarmos esses dias difíceis com serenidade, com solidariedade e na esperança que não decepciona. 

Em nossa escadaria quaresmal, subimos hoje o 35º degrau. O evangelho de hoje nos inspira a dar esse passo: Confiar em Deus. E, hoje, rezaremos o 9º dia da Novena de Nossa Senhora Auxiliadora pela proteção de nossas famílias contra o coronavírus. Amanhã, 24 de março, comemoração mensal da Senhora Auxiliadora, faremos a consagração de nossas famílias à sua proteção. A recomendação é cada família organizar o seu altarzinho com uma imagem de N. Senhora, flores e fotos de seus familiares. A novena está acontecendo todas as tardes, às 14:30, pelo meu canal no Youtube. 

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

20190622

O DIA DE AMANHÃ, A DEUS PERTENCE

Não se preocupem com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã terá suas próprias preocupações (Mt 6,34)
22 de junho de 2019.
“Não se preocupem com o dia de amanhã”. Como assim não se preocupar com o dia de amanhã? Foi o que Jesus disse? Foi. E ele foi uma pessoa despreocupada com o dia de amanhã? Bom, ele era conhecido por sua profissão, carpinteiro. Portanto, reconhecido por seu compromisso com o trabalho, com a sobrevivência. Não era um malandro. Nem foi um hippie. E por que ele recomendou aos discípulos que não se preocupassem com o dia de amanhã?
Bom, primeiro vamos ver o que ele disse certinho. Ele estava falando sobre o perigo de se servir a dois senhores, a Deus e às riquezas.  Tendo dois senhores, você acabará sendo fiel a um e faltando com o outro, não é verdade? Se nós confiamos em Deus, então vivemos menos estressados com o futuro. Confiamos em Deus. Confiamos que é ele quem nos sustenta e garante a nossa vida. Se nós confiamos é no dinheiro, então lutamos com todas as forças para garantir o amanhã, porque ele depende só de nós. No final, Jesus disse: “Não se preocupem com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã terá suas próprias preocupações. Para cada dia, bastam seus próprios problemas”.
Nossa confiança em Deus não nos tira a responsabilidade com o presente e com o futuro. Mas, nos tira o peso e a sensação de estarmos sozinhos, lançados à própria sorte. Jesus nos mandou observar o que acontece com os pássaros e os lírios do campo. Nosso Deus e Pai os alimenta. Ele os veste de maneira maravilhosa. Jesus disse: “Olhem os pássaros do céu”. Ele nos mandou olhar, não imitar os pássaros do céu que não trabalham, nem poupam. Olhar e ver como Deus os alimenta, apesar de não plantarem, nem colherem. “Olhem como crescem os lírios do campo”. Não mandou imitar os lírios do campo que não trabalham, nem fiam. Olhar e se dar conta que Deus os veste, que a força de seu crescimento e de sua beleza vêm da força divina. Assim, sossegue o seu coração, é Deus quem providencia o seu alimento, a sua roupa, o seu sustento. Não viva numa aflição sem fim, num estresse doentio, com a preocupação do que vai ser amanhã, de como vai ser o futuro. Confia em Deus ou não confia?
Cada dia tem o seu peso pra gente carregar. Não nos sobrecarreguemos do peso do dia de amanhã. Vamos carregar o peso de hoje. Foi o que Jesus disse: “Para cada dia, bastam os seus próprios problemas”.
Guardando a mensagem
O jeito estressado, a excessiva preocupação com o amanhã, observou Jesus, é coisa de pagãos. Eles não conhecem o Deus vivo e verdadeiro. Eles não têm em quem confiar, a não ser em si mesmos e no seu dinheiro. Então, não se trata de você despreocupar-se, de viver irresponsavelmente. Trata-se de fazer bem a sua parte, levar o peso do dia de hoje com toda a responsabilidade e viver com a confiança de que nossa vida está nas mãos de Deus; que o nosso Deus e Pai é a nossa única segurança. Ele cuida de nós. Sabe do que nós precisamos. Estamos em suas mãos.
Não se preocupem com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã terá suas próprias preocupações (Mt 6,34)
Rezando a palavra
Senhor Jesus,
Que diferença faz vivermos na fé, colocarmos o Reino de Deus em primeiro lugar em nossas vidas! Estamos na luta, trabalhando, estudando, planejando, pensando no dia de amanhã. Mas, não fazemos as contas só com nossas poucas forças ou com os nossos minguados recursos. Temos um pai, temos um Deus que nos sustenta, nos fortalece e garante o nosso amanhã. Podemos, então, viver tranquilos e dormir sossegados. Muito obrigado, Jesus, por nos recordares isso. Não nos deixes por nossa confiança no dinheiro, na riqueza. Não nos permitas que ponhamos nossa segurança nos bens deste mundo. Confiamos em Deus. Confiamos em ti. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vivendo a palavra
Dom Bosco dava um conselho. Vou dar também. Antes de dormir, escreva num papelzinho sua maior preocupação e ponha o papelzinho debaixo do travesseiro. Na sua oração, diga ao Senhor o que você escreveu. E vá dormir tranquilo, tranquila. Não é mágica. É só um exercício de confiança em Deus.

Pe. João Carlos Ribeiro – 22 de junho de 2019.

20171128

A HORA DO SEU GRANDE TESTEMUNHO

MEDITAÇÃO PARA A QUARTA-FEIRA, DIA 29 DE NOVEMBRO

É permanecendo firmes que vocês vão ganhar a vida (Lc 21, 19).
Jesus nunca disse que seria fácil segui-lo, caminhar com ele. Ontem, nos falou da grande crise da história, com imagens de guerra, terremoto, fome e peste. E nos disse para não pormos nossa confiança senão em Deus, não termos medo e não nos deixarmos enganar pelas falsas vozes que se levantam nesses momentos. Essa crise externa, no mundo, na sociedade, na história tem repercussões na nossa vida pessoal. É aí que entra a palavra de hoje.
Muita coisa ruim atinge os discípulos de Cristo, nesses momentos difíceis da história. A perseguição pode se abater contra nós, como já sucedeu tantas vezes na história e está acontecendo hoje, sobretudo em países do Oriente Médio. A perseguição está descrita no evangelho de hoje com muitos detalhes: ódio, delação dos próprios parentes, prisão, juízo diante dos poderosos, até morte.  
Nesse quadro de perseguição aos seu seguidores, Jesus nos deixa três conselhos. O primeiro conselho é deixar que Deus faça a nossa defesa. Ele nos dará as palavras certas a serem ditas. Ninguém vai poder rebatê-las. Colocar-se nas mãos de Deus, assim não preparar a própria defesa. Deus é quém vai nos defender.
O segundo conselho é este: manter-se confiante em Deus. Ele nos garante que, nessas situações, não perderemos nenhum fio de cabelo de nossa cabeça. Ele cuida de nós. Ele nos defende. Estamos em suas mãos.
O terceiro conselho do Mestre para esse tempo de perseguição é o seguinte: permanecer firmes, perseverar. É assim que vamos ganhar a vida. Não se trata apenas de vencer as batalhas dessa vida. A verdadeira vida não é aqui. Nos nossos embates, temos em vista não apenas os bens deste mundo, mas especialmente a vida definitiva e verdadeira que aqui apenas começa.
Por tudo isso, a hora da dificuldade, da provação, da perseguição é a grande hora do testemunho. ‘Essa é a hora em que vocês darão testemunho de sua fé’, disse Jesus. Testemunho é a proclamação silenciosa e forte de que cremos no Deus da vida, no bem e na verdade de que ele é fonte. O testemunho é um permanente convite a quem nos faz o mal a reconhecer e aderir ao bem. O testemunho é o bom exemplo a estimular quem está perto de nós ou caminha conosco a não abandonar o caminho do evangelho, por mais desafiador que nos possa parecer. ‘Essa é a hora em que vocês darão testemunho de sua fé’.
Vamos guardar a mensagem de hoje
No meio das crises do nosso mundo, e da grande crise que antecederá o fim da história humana, os seguidores de Jesus tornam-se particularmente alvo de perseguição. O ódio contra o Senhor pode nos levar a ser vítima de delações, prisões e muito sofrimento. Essa é a hora do nosso grande testemunho diante do mundo. Para este momento, pelo qual podemos passar mais cedo ou mais tarde, ele nos deixou três conselhos importantes: deixar que Deus faça a nossa defesa, manter-se confiante em Deus e permanecer firmes e perseverantes.
É permanecendo firmes que vocês vão ganhar a vida (Lc 21, 19).
Vamos acolher com uma prece a mensagem de hoje
Senhor Jesus,
Estamos sempre no meio de crises, maiores ou menores. Assim, teus conselhos são bem vindos para nos mantermos, com fidelidade, no teu caminho. Deus é o meu advogado, é ele quem me dá as palavras certas na hora da defesa. É nele que eu confio. Nada me atingirá, se ela não permitir. Desejo, Senhor, de todo coração, ficar firme, não esmorecer, não renegar minha fé, não fazer concessões ao mal. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vamos praticar a palavra que meditamos hoje
Anote no seu diário espiritual, o caderno que você ficou de adquirir, ou na sua agenda a palavra de hoje: “É permanecendo firmes que vocês vão ganhar a vida” (Lc 21, 19).

Pe. João Carlos Ribeiro - 28.11.2017

20170625

Não tenham medo

Não tenham medo! Vocês valem mais do que muitos pardais (Mt 10, 31).

O que é o que medo faz com a gente? O medo da violência nos faz andar assustados. E viver trancados dentro de casa. O medo da opinião pública nos deixa silenciosos, calados. O medo de oposição nos incentiva a superficialidade e o jogo de aparência. O medo da perseguição nos  intimida. O medo nos tira do caminho da verdade, nos paralisa, nos cala.

Mateus Capítulo 10, o evangelho de hoje, é o Sermão de Jesus sobre a missão da comunidade. O Senhor manda os discípulos em missão, dá-lhes instruções e os encoraja a não terem medo da oposição e da perseguição.

Toda a história de Jesus foi de muita oposição, rejeição, perseguição. Basta-nos lembrar a matança das crianças de Belém no seu nascimento, as tentativas de prisão e apedrejamento nos poucos anos de seu ministério e a dolorosa morte de cruz. “Se fazem isso com a lenha verde, o que não farão com a lenha seca?”, disse Jesus às mulheres de Jerusalém que se lamentavam ao vê-lo no caminho do calvário (Lc 23).  

Postagem em destaque

Vá e faça a mesma coisa

Eu já andava desconfiado que o bom samaritano do evangelho fosse Jesus. Agora, já não tenho mais dúvidas. Bom, Jesus contou a históri...