03 junho 2017

Um só Espírito, um só Corpo

E depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: Recebam o Espirito Santo (Jo 20, 22)

Comento o evangelho desse domingo de Pentecostes sob o forte impacto da Vigília Ecumênica de Pentecostes da qual tomei parte ontem, aqui em Roma. A Renovação Carismática está celebrando 50 anos de existência e veio a Roma celebrar essa data com o Papa. Ontem, mais de 100 mil pessoas participaram da Vigília, com o Papa Francisco, cardeais, bispos e pastores de outras igrejas cristãs. O local foi o Circo Máximo, um local amplo onde se erguia um local de espetáculos públicos no tempo dos romanos. Além de corridas de bigas e lutas de gladiadores, havia também o espetáculo de cristãos atirados às feras ou queimados vivos. Nessa terra regada a sangue dos mártires cristãos, ouvimos comentários iluminados sobre os textos da liturgia de hoje por parte do Frei Raniero Cantalamessa, do Pastor Giovanni Traettino e do próprio Papa Francisco.

Para o evangelista João, o derramamento do Espírito Santo aconteceu na ressurreição. O evangelho de hoje traduz essa visão: Jesus ressuscitado envia os discípulos em missão e sopra sobre eles, comunicando-lhes o Espírito. “Recebam o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados”. A missão é anunciar a salvação em Cristo, o perdão dos pecados.


Para Lucas, que escreveu os Atos dos Apóstolos, o derramamento do Espírito se deu no dia de Pentecostes. Pentecostes era a festa dos judeus, celebrada 50 dias após a Páscoa. Na Páscoa, celebrava-se a libertação do Egito. Em Pentecostes, celebrava-se a aliança que Deus fez com o seu povo e a Lei dada no Monte Sinai. Era a festa da aliança e da Lei, a constituição do antigo povo de Deus. Para Lucas, em Pentecostes estava se constituindo o novo povo de Deus; estava se cumprindo a profecia de Joel: a lei estava sendo escrita no coração das pessoas.

Vejamos como o Espírito Santo gera o novo povo de Deus ao redor de Jesus. E veio o Espírito Santo sobre os discípulos, com vento forte e línguas de fogo. Os apóstolos falavam na sua língua hebraica e gente de todo canto os ouvia e os entendia em sua própria língua. Todos compreendiam o anúncio das maravilhas de Deus.  Ao contrário do que aconteceu na torre de Babel, em que as línguas se confundiram, na torre do cenáculo todo mundo se entendeu. O Espírito forma um só corpo. Diz a carta de Paulo aos Coríntios: “Fomos batizados num único corpo”.  Esse tema do único povo de Deus, do único Corpo de Cristo foi tratado na Vigília, tanto pelo pastor protestante que falou, quanto pelo Papa Francisco. Os dois disseram que Jesus só tem uma esposa. Que esposa é essa? Claro, a Igreja. É o Espírito Santo que, habitando cada batizado, nos leva todos a ser Corpo de Cristo. Podemos estar separados, divididos, mas só há um Corpo de Cristo. Precisamos nos esforçar para viver em união, pois somos o único Corpo de Cristo. Mesmo que, por enquanto, não haja entendimento em algumas questões de doutrina, procuremos viver a “diversidade reconciliada”. Essa expressão foi citada pelo Papa Francisco, reportando-se a um líder luterano. Diversidade reconciliada. Já podemos caminhar assim.

Vamos guardar a mensagem de hoje:

Jesus ressuscitado envia os seus discípulos em missão, assim como o Pai o enviou. A missão é anunciar a obra redentora de Jesus, pela qual o pecador é libertado para viver como filhos de Deus. É o Espírito quem garante a missão de Jesus pelas mãos dos discípulos.

O derramamento do Espírito sobre a comunidade produz uma mudança radical na vida de cada discípulo e na vida da comunidade. Vencido o medo, eles anunciam intrepidamente que Jesus, que foi crucificado, foi constituído Senhor e Cristo. O discurso alcança pessoas dos quatro cantos do mundo, que acolhem a pregação do evangelho e são batizadas. O mesmo Espírito produz no coração de cada um o amor e o conhecimento de Jesus. “Ninguém pode dizer ‘Jesus é o Senhor’, a não ser no Espírito Santo. O Espírito nos integra no único Corpo de Cristo, a sua igreja; nos irmana no único povo de Deus.


E depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: Recebam o Espirito Santo (Jo 20, 22)

Pe. João Carlos Ribeiro - 03.06.2017
Postar um comentário