PE. JOÃO CARLOS - MEDITAÇÃO: sagrada família
Mostrando postagens com marcador sagrada família. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador sagrada família. Mostrar todas as postagens

20201226

FAMÍLIA, SANTUÁRIO DA VIDA E DA FÉ



27 de dezembro de 2020, 
Domingo da Sagrada Família de Jesus, Maria e José 

EVANGELHO


Lc 2,22-40

22Quando se completaram os dias para a purificação da mãe e do filho, conforme a Lei de Moisés, Maria e José levaram Jesus a Jerusalém, a fim de apresentá-lo ao Senhor. 23Conforme está escrito na Lei do Senhor: “Todo primogênito do sexo masculino deve ser consagrado ao Senhor”. 24Foram também oferecer o sacrifício — um par de rolas ou dois pombinhos — como está ordenado na Lei do Senhor. 25Em Jerusalém, havia um homem chamado Simeão, o qual era justo e piedoso, e esperava a consolação do povo de Israel. O Espírito Santo estava com ele 26e lhe havia anunciado que não morreria antes de ver o Messias que vem do Senhor.
27Movido pelo Espírito, Simeão foi ao Templo. Quando os pais trouxeram o menino Jesus para cumprir o que a Lei ordenava, 28Simeão tomou o menino nos braços e bendisse a Deus: 29“Agora, Senhor, conforme a tua promessa, podes deixar teu servo partir em paz; 30porque meu olhos viram a tua salvação, 31que preparaste diante de todos os povos: 32luz para iluminar as nações e glória do teu povo Israel”.
33O pai e a mãe de Jesus estavam admirados com o que diziam a respeito dele. 34Simeão os abençoou e disse a Maria, a mãe de Jesus: “Este menino vai ser causa tanto de queda como de reerguimento para muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição. 35Assim serão revelados os pensamentos de muitos corações. Quanto a ti, uma espada te traspassará a alma”.
36Havia também uma profetisa, chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Era de idade muito avançada; quando jovem, tinha sido casada e vivera sete anos com o marido. 37Depois ficara viúva, e agora já estava com oitenta e quatro anos. Não saía do Templo, dia e noite servindo a Deus com jejuns e orações. 38Ana chegou nesse momento e pôs-se a louvar a Deus e a falar do menino a todos os que esperavam a libertação de Jerusalém.
39Depois de cumprirem tudo, conforme a Lei do Senhor, voltaram à Galileia, para Nazaré, sua cidade. 40O menino crescia e tornava-se forte, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava com ele.

MEDITAÇÃO

O pai e a mãe de Jesus estavam admirados com o que diziam a respeito dele (Lc 2, 33).



Chegamos ao último domingo deste ano. Dentro da oitava do natal, este é o domingo da Sagrada Família. Abramos o coração para acolher as lições da Palavra de Deus para nossa vida em família e para iniciarmos bem o ano novo de 2021. Ao menos três lições, podemos recolher da Palavra de Deus neste domingo.

Vamos à primeira. Ela vem do Evangelho, hoje lido em Lucas, capítulo 2. A cena é a ida da família de José ao Templo de Jerusalém. José e Maria, com seu filhinho de colo, cumprem ali os ritos previstos no pós-parto: a purificação da mãe e o resgate do primogênito. Eles são judeus piedosos, cumpridores da Lei. Pela consagração do filho, eles o estão inserindo na história da salvação do seu povo. Os dois idosos, Simeão e Ana, podem representar o Antigo Testamento que encontra seu sentido e sua luz na pessoa daquela criança, o salvador prometido. Eles podem também representar nossos avós e todos os idosos de nossas comunidades que criam um ambiente de fé em torno da família. O menino cresce forte e sábio nesse ambiente de fé e amizade com Deus. Essa é a contribuição da família e da comunidade no crescimento de uma criança batizada: sustentar um ambiente de fé e de prática religiosa no qual ela cresça sadiamente. Os pais são somente geram um filho, mas o inserem na sociedade humana e no caminho de fé do povo de Deus. Que lição, podemos guardar? Os pais e a comunidade se esforcem para criar um ambiente religioso positivo para o crescimento sadio dos filhos.

Vamos à segunda lição. Ela vem do Livro do Eclesiástico e fala da atenção dos filhos aos seus pais. Os filhos devem amor, respeito, obediência aos seus pais. Honrar pai e mãe é o quarto mandamento da Lei de Deus. Particularmente, essa santa obrigação continua quando os pais envelhecem. É preciso cuidar deles, com todo o carinho e paciência. Vivemos numa sociedade que valoriza quem é jovem e produtivo, descartando os idosos. Olha a palavra de hoje, no livro do Eclesiástico (Eclo 3): “Meu filho, ampara o teu pai na velhice e não lhe causes desgosto enquanto ele vive. Mesmo que ele esteja perdendo a lucidez, procura ser compreensivo para com ele. Não o humilhes em nenhum dos seus dias. A caridade feita a teu pai não será esquecida”. Que lição, podemos guardar? Os filhos amem e respeitem os seus pais, sempre, e, com todo carinho, cuidem deles, quando eles envelhecerem.

Vamos à terceira lição. Ela vem da Carta aos Colossenses e diz respeito à nossa convivência em família. Diz o apóstolo (Cl 3) “Revistam-se de sincera misericórdia, bondade, humildade, mansidão e paciência, suportando-se uns aos outros e perdoando-se mutuamente se um tiver queixa contra o outro”. Olha que belo programa de convivência em família! Somos responsáveis uns pelos outros. São sete atitudes que o apóstolo está recomendando: misericórdia, bondade, humildade, mansidão, paciência, tolerância e perdão. Que lição, podemos guardar? A caridade cristã começa em casa. 

Guardando a mensagem

O Senhor hoje nos brinda com muitos conselhos e recomendações sobre a nossa vida em família. Com a família de Nazaré, aprendemos que os pais e a comunidade são responsáveis pelo ambiente religioso positivo para o crescimento sadio dos filhos. Com a tradição da fé, recordamos que os filhos devem amar e respeitar os seus pais, sempre, e, com todo carinho, cuidar deles, quando eles envelhecerem. E o apóstolo nos recomendou que a caridade cristã comece em casa: misericórdia, humildade, paciência, perdão. Nesse finalzinho de ano, em família e no encontro com os parentes, temos muito a exercitar.

O pai e a mãe de Jesus estavam admirados com o que diziam a respeito dele (Lc 2, 33).


Rezando a palavra

Senhor Jesus, 
nasceste e cresceste numa família humana tão especial! Nossas famílias também são especiais, porque nasceram do amor e são sustentadas pela tua graça. Elas são comunidades de fé, berço da vida, igrejas domésticas. Abençoa, Senhor, os pais, as mães, filhos e filhas, os avós, os tios e primos. Que a teu exemplo, os filhos vivam o mandamento de honrar e obedecer a seus pais. Que a exemplo de Maria, tua mãe, as mães guardem tudo no seu coração, em profunda comunhão contigo. Que a exemplo de José, teu pai adotivo, os pais nunca se afastem de Deus e honrem suas esposas com um amor fiel. Abençoa, hoje, de maneira especial, os idosos de nossas famílias. Que eles se sintam amados e valorizados. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Muita coisa você pode fazer, hoje, por sua família, especialmente rezar por todos de sua casa. Mas, posso lhe dar mais uma sugestão. Procure, hoje, sem pressa, tomar ao menos uma refeição na companhia de seus familiares.

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

20191229

DOMINGO DA SAGRADA FAMÍLIA

José levantou-se de noite, pegou o menino e sua mãe, e partiu para o Egito (Mt 2, 14) 

29 de dezembro de 2019. 



Chegamos ao último domingo deste ano. Dentro da oitava do natal, este é o domingo da Sagrada Família. Abramos o coração para acolher as lições da Palavra de Deus para nossa vida em família e para iniciarmos bem o ano novo de 2020 que se aproxima. Ao menos três lições, podemos recolher da Palavra de Deus neste domingo. 


Vamos à primeira lição. Colhamos o primeiro ensinamento no Evangelho de São Mateus. Na história do nascimento de Jesus, houve este fato triste: Herodes mandou matar as criancinhas de Belém e arredores de até dois anos de vida. Muitos pais se sentem como José e Maria, nos dias de hoje, porque parece pesar uma ameaça de morte contra sua criança. São muitas as ameaças contra a vida da criança e o seu crescimento sadio: o alcoolismo, o desemprego, o ambiente insalubre de moradia, as brigas dentro de casa, a falta de atendimento médico adequado... Mas, os pais não estão sozinhos. No evangelho de hoje, o anjo do Senhor orienta José a fugir com a família. Avisa do mal que está para acontecer. E dirá a hora certa de voltar. É uma grande lição. Os pais não estão sozinhos na luta pelo bem dos seus filhos. Deus está com eles. Deus é o nosso protetor. Com a orientação de Deus, é preciso “fugir”, isto é, não se acomodar à situação, mas buscar uma saída, "ir para o Egito". Para o Egito, migraram Jacó e seus filhos, no início do povo de Deus, durante uma grande fome em Canaã. ... “Fugir” pode ser mudar de profissão, mudar de endereço, buscar melhorias em outra região. Primeira lição: Nas dificuldades, não se acomodar... e fugir do mal, sob a orientação de Deus. 

Vamos à segunda lição. Ela vem do Livro do Eclesiástico e fala da atenção dos filhos aos seus pais. Os filhos devem amor, respeito, obediência aos seus pais. Honrar pai e mãe é o quarto mandamento da Lei de Deus. Particularmente, essa santa obrigação continua quando os pais envelhecem. É preciso cuidar deles, com todo o carinho e paciência. Vivemos numa sociedade que valoriza quem é jovem e produtivo, descartando os idosos. Olha a palavra de hoje, no livro do Eclesiástico (Eclo 3): “Meu filho, ampara o teu pai na velhice e não lhe causes desgosto enquanto ele vive. Mesmo que ele esteja perdendo a lucidez, procura ser compreensivo com ele. Não o humilhes em nenhum dos seus dias. A caridade feita a teu pai não será esquecida”. Segunda lição: Os filhos devem amor e respeito aos seus pais, sempre, e devem cuidar deles, com o mesmo carinho, quando eles envelhecerem. 

Vamos à terceira lição. Ela vem da Carta aos Colossenses e diz respeito à nossa convivência em família. Diz o apóstolo (Cl 3) “Revistam-se de sincera misericórdia, bondade, humildade, mansidão e paciência, suportando-se uns aos outros e perdoando-se mutuamente se um tiver queixa contra o outro”. Olha que belo programa de convivência em família! Somos responsáveis uns pelos outros. São sete atitudes que o apóstolo está recomendando: misericórdia, bondade, humildade, mansidão, paciência, tolerância e perdão. Terceira lição: Começar a caridade cristã em casa. 




Guardando a mensagem 

O Senhor, hoje, nos brinda com muitos conselhos e recomendações sobre a nossa vida em família. Com a fuga para o Egito, aprendemos que Deus está ao lado da família, sempre e particularmente nas horas difíceis. Nestas horas, ele nos indica que não nos acomodemos. Ele nos assiste na busca de novas soluções, novas possibilidades, novas saídas para superar o mal. Com a tradição da fé, recordamos que os filhos devem amar e respeitar os seus pais, sempre, e cuidar deles com paciência e respeito na sua velhice. E o apóstolo nos recomendou que a caridade cristã comece em casa: misericórdia, humildade, paciência, perdão. Nesse finalzinho de ano, em família e no encontro com os parentes, temos muito a exercitar. 

José levantou-se de noite, pegou o menino e sua mãe, e partiu para o Egito (Mt 2, 14) 

Rezando a palavra 

Senhor Jesus, 
tu que quiseste habitar numa família humana, abençoa os pais, na sua busca de proteção dos seus filhos. Abençoa os filhos, no aprendizado do teu mandamento de honrar pai e mãe com seu amor, seu respeito e sua obediência. Afasta de nossas famílias a desunião, a discórdia, a descrença. Continua, Senhor, nos ensinando a enfrentar o mal com sabedoria e destemor. Que em nossas famílias, brilhe a tua Palavra como luz e o teu evangelho como caminho. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém. 

Vivendo a palavra

Você certamente tem um parente que precisa muito de sua oração. Hoje, ore especialmente por ele (ou por ela). 

Desde já, feliz ano novo! 

Pe. João Carlos Ribeiro – 29.12.2019

20181230

A SUA FAMÍLIA É SAGRADA

Jesus desceu então com os seus pais para Nazaré e era-lhes obediente (Lc 2, 49)

30 de dezembro de 2018

Dentro da oitava do natal, celebramos, hoje, o Domingo da Sagrada Família, a família de Jesus, Maria e José.  Celebrando a família de Nazaré, celebramos a nossa própria família, que é também sagrada, berço da fé, igreja doméstica. O evangelho de hoje dá notícia da angústia de José e Maria que se desencontraram do filho na volta da romaria da páscoa, em Jerusalém  e só o encontraram três dias depois. Que susto grande eles passaram! É verdade que o garoto já tinha doze anos, idade na qual o judeuzinho era integrado na comunidade judaica com os direitos e deveres de um adulto. Mas, desaparecer assim, sem aviso... Poderia, pelo menos, ter mandado um recado pelos colegas ou vizinhos que estavam na mesma caravana. Bom, o garoto ficou no Templo e foi encontrado, três dias depois, sentado no meio dos doutores, ouvindo e fazendo perguntas. “Mas, meu filho, olha que teu pai e eu estávamos, angustiados, à tua procura. Por que você fez isso com a gente?”. O menino procurou se explicar e voltou pra casa com eles.

Então, mesmo na Sagrada Família, há desencontros. O adolescente Jesus, num gesto de independência próprio de sua idade, deu um susto nos pais que depois de um dia de viagem tiveram que voltar procurando-o, cheios de preocupação. Outra situação difícil da sagrada família, lembramos recentemente, foi a fuga para o Egito, por causa da perseguição de Herodes. É, problemas não faltam na vida de uma sagrada família, como a de Jesus e como a nossa também.

A palavra de Deus, hoje, proclamada em nossas celebrações, traz conselhos preciosos para toda a família: pais, mães e filhos. Um conselho muito especial é para os pais: NÃO SE AFASTAR DE DEUS. O salmo 127(128) é todo para os pais: “Feliz és tu, se temes o Senhor e trilhas os seus caminhos”. Esse é o homem abençoado: o que teme e anda com Deus. Sua esposa, seus filhos, seu trabalho, tudo vai andar bem. A carta aos Colossenses também tem um conselho para o esposo: amar sua mulher, não ser grosseiro com ela. Pais, acolham este conselho: não se afastem de Deus!

O conselho especial para as mães está no evangelho, é fazer como Maria: GUARDAR AS COISAS BOAS NO CORAÇÃO. Foi isto que Maria fez depois que encontrou seu filho no Templo e o levou pra casa. O menino deu uma resposta inesperada: “Por que estavam me procurando? Não sabem que devo estar na casa de meu Pai?”. Tanta coisa vinha acontecendo desde que o anjo tinha falado com ela. Coisas de Deus, maravilhosas, surpreendentes... E Maria guarda, medita tudo isso no coração. Ela toca o mistério de Deus, com respeito e admiração. Guardar é conservar memória, fotos, cartas, as histórias de cada um, e conservar todos em oração.  A mãe toca o mistério de Deus muito de perto, no seio de sua família, na gravidez, no nascimento, em cada passo de crescimento ou de crise dos seus filhos. Ela é a memória viva da família, a memória grata a Deus, guarda tudo no coração. Ela é o coração da família. Mas, procura guardar as coisas boas, os bons momentos, as inspirações de Deus. Guarda tudo no cofre do seu coração. Quando alguém precisa, já sabe onde encontrar. Mães, fiquem com esse conselho: guardem as coisas boas de sua família no seu coração.

O conselho especial para os filhos está no gesto de Jesus: HONRAR E OBEDECER OS SEUS PAIS. É o que aconteceu com ele: “desceu então com os seus pais para Nazaré e era-lhes obediente”. O livro do Eclesiástico (Eclo 3) comenta o mandamento de Deus de honrar pai e mãe: “Quem honra o seu pai alcança o perdão dos pecados; evita cometê-los e será ouvido na oração quotidiana. Quem respeita a sua mãe é como alguém que ajunta tesouros”. Também aí no livro do Eclesiástico há uma preocupação com os pais idosos. Aliás, o Papa Francisco, em nome da Igreja, tem manifestado preocupação com a situação de desrespeito e abandono de muitos idosos. Então, é muito atual, o que está escrito nesse livro bíblico: “Meu filho, ampara o teu pai na velhice e não lhe causes desgosto enquanto ele vive.  Mesmo que ele esteja perdendo a lucidez, procura ser compreensivo com ele; não o humilhes em nenhum dos dias de sua vida”. Filhos, este conselho é pra vocês: honrem e obedeçam os seus pais!

Guardando a mensagem

Neste domingo da Sagrada Família de Jesus, Maria e José, recolhemos conselhos para os pais e para os filhos. Para o pai e esposo: não se afastar de Deus; Para as mães e esposas: guardar as coisas boas no coração; Para os filhos: honrar e obedecer seus pais. E toda atenção com os pais idosos: amor, amparo, compreensão e respeito.

Jesus desceu então com os seus pais para Nazaré e era-lhes obediente (Lc 2, 49)

Rezando a palavra

Senhor Jesus, 
nasceste e cresceste numa família humana tão especial! Nossas famílias também são especiais, porque nasceram do amor e são sustentadas pela tua graça. Elas são comunidades de fé, berço da vida, igrejas domésticas. Abençoa, Senhor, os pais, as mães, filhos e filhas, os avós, os tios e primos. Que a teu exemplo, os filhos vivam o mandamento de honrar e obedecer a seus pais. Que a exemplo de Maria, tua mãe, as mães guardem tudo no seu coração, em profunda comunhão contigo. Que a exemplo de José, teu pai adotivo, os pais nunca se afastem de Deus e honrem suas esposas com um amor fiel. Abençoa, hoje, de maneira especial, os idosos de nossas famílias. Que eles se sintam amados e valorizados. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Muita coisa você pode fazer, hoje, por sua família, especialmente rezar por todos de sua casa. Mas, posso lhe dar mais uma sugestão. Procure, hoje, sem pressa, tomar ao menos uma refeição na companhia de seus familiares.

Pe. João Carlos Ribeiro – 30.12.2018

Postagem em destaque

OS PARENTES DE JESUS

22 de janeiro de 2022 EVANGELHO Mc 3,20-21 Naquele tempo, 20Jesus voltou para casa com os discípulos. E de novo se reuniu tanta gente que el...

POSTAGENS MAIS VISTAS