30 outubro 2018

ELE NÃO NOS DISSE QUE SERIA FÁCIL

Façam todo esforço possível para entrar pela porta estreita (Lc 13, 24)
31 de outubro de 2018.
Jesus estava na grande viagem para Jerusalém. Alguém quis saber se os que se salvam são poucos.  Jesus respondeu com uma recomendação: ‘façam todo esforço possível para entrar pela porta estreita. Muitos vão tentar entrar e não conseguirão. Quando o dono da casa fechar a porta, não vai adiantar bater e dizer que é conhecido dele’.
Essa pergunta feita a Jesus, no caminho de sua última peregrinação à cidade santa, tem um sabor muito especial. Jesus é o primeiro a entrar pela porta estreita. Em Jerusalém, o aguardam a paixão e morte na cruz. É um caminho estreito o que ele está palmilhando, em que vai encontrar oposição, traição, condenação injusta. É nesse caminho, nessas circunstâncias, que ele manifestará sua total fidelidade ao Pai e seu amor até o fim aos seus. É por esse caminho que ele reentrará na glória do Pai. É pela porta estreita da morte que ele alcançará a ressurreição.
O seu caminho de confronto e fidelidade é exemplar para nós, seus seguidores.  ‘Eu sou o caminho’, nos disse ele, caminho que nos conduz ao Pai. Em outra imagem do evangelho de São João, ele é a porta das ovelhas.  É por ele que entramos na vida de Deus.
É certo que a salvação é um dom de Deus, é uma graça que não merecemos, uma dádiva da misericórdia divina. Mas, acolhendo-a, sem merecimento de nossa parte, procuramos corresponder a esse tão grande amor que nos escolheu e nos predestinou para a eterna felicidade. A correspondência a esse amor é o esforço que fazemos para viver segundo essa sublime vocação para a qual fomos chamados, a vocação de filhos e filhas de Deus.
Entrar pela porta estreita é abraçar o evangelho de Jesus, fazendo o esforço necessário de fidelidade ao Senhor que nos chamou ao seu seguimento. Porta Larga, diz-se em outra parte do evangelho, é a que conduz à perdição. É a porta da facilidade, do relaxamento, da falta de compromisso... Muitas vezes, o seguimento de Jesus nos pede renúncia, sacrifício, disciplina de vida.
Nós não procuramos o sofrimento, nem a perseguição, mas eles nos chegam de um jeito ou de outro. Nós os experimentamos nos limites de nossa condição humana (como é o caso da doença), nas consequências de nossos erros e excessos (os nossos pecados) ou na incompreensão ou oposição que aparecem quando praticamos o bem, defendemos a justiça e procuramos viver com honestidade.
Guardando a mensagem
Jesus nos recomenda que façamos todo esforço para entrar pela porta estreita. Ele mesmo tomou o caminho estreito da fidelidade, onde encontrou a perseguição e a morte de cruz. Por essa porta estreita, ele entrou na glória da ressurreição. A salvação nos chega pelos merecimentos dele, é misericórdia de Deus em nossa vida. Procurando corresponder a esse amor de Deus que se manifesta em Cristo, tentamos viver uma vida sadia, responsável, solidária. Entrar pela porta estreita é assumir com seriedade os compromissos da fé e da caridade, mesmo em meio a dificuldades e perseguições.
Façam todo esforço possível para entrar pela porta estreita (Lc 13, 24)
Rezando a palavra
Senhor Jesus,
A porta larga nos atrai. É a porta do desregramento, da ditadura do prazer, da idolatria do poder e do dinheiro.  Por ela, nos perdemos. Disseste-nos, para entrar pela porta estreita. É a porta da disciplina de vida, da fidelidade que tem seu custo, da caridade sem recompensa. Por ela, entramos contigo na felicidade sem fim. Nós te bendizemos, Senhor, pois sabemos que tu caminhas conosco, ao nosso lado, oferecendo-nos o teu exemplo e a tua graça. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.       
Vivendo a palavra
Hoje é o último dia desse mês de outubro. Agradeça ao Senhor tudo o que dele recebeu, especialmente o seu grande amor que sustentou você nos momentos de tensão e incerteza. Aproveite para pedir-lhe a graça de continuar caminhando com ele, sem se desviar da porta estreita.

Pe. João Carlos Ribeiro – 31.10.2018