30 junho 2017

De joelhos

Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse: “Eu quero, fica limpo” (Mt 8, 3)
Podemos olhar a história do leproso de muitos pontos de vista. Hoje, convido você a pensar que você é o leproso.  Você é o leproso dessa história, combinado? Então, vamos lá. O leproso tinha se aproximado de Jesus, se ajoelhado aos seus pés e pedido para ser purificado. Três gestos simbólicos importantes: aproximar-se, ajoelhar-se e implorar o favor de Deus. Muita gente quer uma graça, mas não se aproxima de Deus, não se ajoelha e não pede a sua graça. Vou me explicar.
Aproximar-se é buscar Deus. Diz lá o texto da Escritura: “Buscai o Senhor enquanto se deixa encontrar”. Buscar a Deus é procurar encontra-lo na oração, na meditação, na audição de sua palavra. Lê-se assim no livro
do Deuteronômio: “Quando então buscares o Senhor teu Deus, o encontrarás, se o buscares de todo o teu coração e com toda a tua alma” (Dt 4, 29). Sua primeira atitude, como o leproso, foi aproximar-se. Na verdade, por causa de sua doença, não lhe era permitido aproximar-se de pessoas sadias como você fez. Você passou por cima dessa norma social, você ultrapassou a faixa amarela e foi ao encontro de Jesus.  De toda forma, lembremos que Jesus vinha passando com a multidão. Na verdade, é ele que tem ido ao seu encontro. Mas, é preciso você se aproximar, vencendo as barreiras que pretendem impedir esse encontro.

Ele aproximou-se e ajoelhou-se diante dele.  Ajoelhar-se é um ato de adoração, em todas as religiões. Ajoelhar-se, prostrar-se é o reconhecimento da grandeza de Deus presente em Jesus, é um reconhecimento de sua divindade. Buscar a Deus não para que Deus faça a sua vontade, mas que a vontade de Deus se cumpra em sua vida. Maria expressou esse sentimento ao dizer: “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra”. Ajoelhar-se é um gesto de adoração, de humildade, de reconhecimento da grandeza de Deus e da disposição de estar a seu serviço.
Aproximou-se, ajoelhou-se e pediu: “Senhor, se queres, tu tens o poder de me purificar”. Foi um pedido feito num contexto de quem se aproximou, de quem o está buscando; de quem se ajoelhou, isto é de quem presta ao Senhor um culto de adoração, reconhecendo-o seu senhor. E o seu pedido foi humilde, “se queres”, se for da tua vontade.  Muita gente pede coisas importantes a Deus, mas não o busca para andar em seus caminhos, nem é um adorador desse Deus fiel que vem ao nosso encontro. Você pediu bem. E foi atendido.
Vamos guardar a mensagem de hoje
Jesus vinha com a multidão. Deus toma sempre a dianteira, dá sempre o primeiro passo. E você, superando as barreiras que o mundo criou para nos manter à distância de Deus, aproximou-se de Jesus. Com espírito de fé e de adoração, reconhecendo em Jesus o salvador que o Pai nos enviou, pediu-lhe uma coisa importante. Pediu que se realizasse, antes de tudo, a vontade dele em sua vida. . Bom, se não pediu, já sabe como fazê-lo. E você sabe como terminou a historia... Jesus estendeu a mão, tocou em você e disse: “Eu quero, fica limpo”. No mesmo instante, você ficou livre da lepra.
Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse: “Eu quero, fica limpo” (Mt 8, 3)
Senhor Jesus,

O leproso sou eu. A lepra é um sinal de minha condição de pecador. E é do pecado que me purificas com tua vinda e com o teu amor. Dá-me a graça de não esquecer que a ti, e à tua cruz, devo a vida nova e a comunhão com Deus nosso Pai. Que em todas as minhas necessidades, eu me aproxime de ti com espírito de fé, e peça o teu favor, desejoso de realizar, antes de tudo, a tua vontade. Seja o teu santo nome bendito, hoje e sempre. Amém.

Pe. João Carlos Ribeiro - 30.06.2017
Postar um comentário