29 dezembro 2011

Feliz ano novo!

Fim de ano. Virada de ano. Hora de olhar para o alto e agradecer a Deus. Reconhecer e agradecer o seu amor que nos sustentou durante todo este ano. E nos leva em frente. Hora de implorar suas bênçãos para o novo ano que começa. E nos garante o futuro.

A virada do ano é um rito de passagem que emociona as pessoas. Na verdade, é apenas uma convenção, não altera nada. Só muda o calendário. Mas, há razões para festa e comemoração. É como um novo passo, um recomeço, um reinício de etapa. Festejar a chegada do ano novo é importante, porque pode lembrar o relógio de Deus que move o tempo. Pode nos fazer pensar mais naquele que nos pôs aqui, vivendo no tempo e nos chamando para a eternidade.

Há uma certa magia na noite de ano, não se pode negar. Magia no sentido de que se respira um certo ar místico, um certo apelo ao encontro das pessoas, à confraternização, ao reencontro dos amigos. Isso tudo vem de dentro da pessoa humana, brota daquelas sementes que Deus mesmo plantou quando nos criou. Não são forças cósmicas que nos movimentam. Move-nos o amor de Deus ao encontro dos irmãos, à solidariedade, à fraternidade.

No Natal, na verdade, nós já começamos a festejar o sentido do tempo.. Quando os tempos amadureceram e chegaram à sua plenitude, Deus fez Jesus, seu filho, entrar na história. Na história que corre no tempo, onde homens e mulheres nascem, crescem e morrem. Onde civilizações e culturas levantam-se, reinam e se desintegram. O tempo: uma criação do Deus sem tempo, eterno. É neste tempo que vivemos. É neste tempo que ele veio nos visitar. Para nos conduzir para aquela terra onde o tempo não conta, onde mil anos são como um dia diante do Senhor, como canta o salmista. E particularmente, veio para nos ensinar a viver bem no tempo. A vivermos responsavelmente esta história breve e fugidia. O tempo é breve, sabemos. O tempo aqui é limitado, temos que viver em atitude vigilante e atenta. A eternidade é o nosso destino final. A vida aqui não dura mais que 80 ou 100 anos. Aqui, o curso da existência é breve. Mas, nossa vocação é a vida plena em Deus, onde o tempo não conta.

Na noite de ano, recordemos que Deus é o autor do tempo. Que o tempo não é movido por forças cósmicas, energias místicas ou seres do além. Deus é o Senhor do tempo. Jesus veio, nasceu humano e viveu no tempo, santificando-o, exorcizando qualquer tentação de nos pensarmos prisioneiros do destino ou de caprichos astrológicos. Jesus, por sua encarnação, santificou o tempo. Isso tudo é bom relembrar para nos livrar da tentação de viver essa noite sob o jugo de superstições antigas e modernas. As novas superstições falam de mapas astrológicos, sessões de limpeza, banhos de mar, incensos de purificação, ritos de prosperidade. São novas manifestações do antigo paganismo, da qual a humanidade ainda não se despediu. Nenhuma destas crendices  merece estar na casa de um cristão. O justo vive da fé. Não de crenças em energias cósmicas e influências dos astros. Vive da fé em Cristo Jesus, Senhor da história.

Feliz ano novo! Feliz na esperança que não decepciona. Um Ano a mais que a graça de Deus nos concede viver. Novo na fé em Cristo Jesus. Feliz ano novo!

Pe. João Carlos Ribeiro 
Postar um comentário