Mostrando postagens com marcador ano novo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ano novo. Mostrar todas as postagens

01 janeiro 2020

UM ANO NOVO, SOB A PROTEÇÃO DA MÃE DE DEUS

Quanto a Maria, guardava todos esses fatos e meditava sobre eles em seu coração (Lc 2,19)
1º. de janeiro de 2019
Apesar de não ser uma festa religiosa, a passagem de ano desperta em nós muitos sentimentos religiosos. Deus é o senhor do tempo e da eternidade. Ele é o Criador de tudo. E ainda estamos sob o impacto da grande festa do natal. A vinda do Salvador ao mundo, isso sim, é um novo começo para a humanidade. Nesse clima, fechamos hoje a oitava do natal, com a festa de Santa Maria Mãe de Deus. 
Festejando a maternidade divina de Maria, continuamos de olhos fixos no presépio, contemplando o grande mistério da encarnação do Verbo. Deus realizou a promessa de enviar o Messias. São Paulo, na carta aos Gálatas, explicou: “Quando se completou o tempo previsto, Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher, nascido sujeito à Lei, a fim de resgatar os que eram sujeitos à Lei e para que todos recebêssemos a filiação adotiva”. 
Ao tornar-se humano, encarnando-se no seio da Virgem, o Filho, a segunda pessoa da Santíssima Trindade, não deixou de ser Deus. Ele é, agora, inseparavelmente, homem e Deus. Por isso, reconhecemos a maternidade divina de Maria. Ela é mãe de Jesus, que é verdadeiramente homem e Deus.
No clima do natal, contemplamos, hoje, a Virgem Maria e observamos, com admiração, suas atitudes e seus sentimentos em relação a esse mistério que estamos celebrando, a encarnação e nascimento de Jesus. O evangelho de hoje nos leva a Belém, junto com os pastores. De fato, natal é Belém. Se esse tempo de festas não nos leva à manjedoura da Gruta de Belém, podemos estar celebrando o natal de qualquer um, menos o de Jesus. 
Contemplemos a mãe de Deus nessa cena de Belém. Aprendamos com ela a acolher e admirar esse mistério da encarnação do Filho de Deus.  Três atitudes suas nos chamam a atenção, hoje.
Primeira atitude. A atitude de testemunha de Jesus. Os pastores a encontram ao lado da manjedoura, junto com seu esposo José. É ali que, mesmo sem muitas palavras, ela está nos falando da obra de Deus que enviou o seu Filho ao mundo, por meio dela. É nela que o Verbo se fez carne. Ela é a testemunha da humanidade de Jesus. Ele é de nossa raça humana, por meio dela. Um Jesus sem Maria não é o Jesus do evangelho. No nascimento, na infância, no ministério público, na cruz... Maria está sempre presente. Ela é a testemunha da humanidade do Senhor.
Segunda atitude. A atitude de contemplação da obra de Deus. Quantas experiências de fé a jovem mãe já coleciona! A anunciação do anjo, a visita à Isabel, os acontecimentos de Belém... e tudo isso ela guarda e medita no coração. Medita para compreender a vontade de Deus. Medita para admirar a obra de Deus. Tem um coração contemplativo, orante, uma caixa de ressonância da obra de Deus. Um natal sem oração, sem meditação da palavra de Deus não é o de Belém. Não é o de Maria. 
Terceira atitude. A atitude de educadora do enviado de Deus. Apesar dos sinais maravilhosos de Deus, Maria e seu esposo José prosseguem sua vida, com grande simplicidade. Oito dias depois do parto, circuncidam o menino, como mandava a lei de Israel. Dão-lhe o nome que o anjo indicou: Jesus. Assim, vão integrando sua criança na herança do povo que vivia em aliança com Deus. A encarnação é também a inserção da criança naquela cultura, na fé dos patriarcas. Assim, o filho de Deus será também o filho de Davi. 



Guardando a mensagem
A solenidade de Santa Maria Mãe de Deus, neste primeiro dia do ano, nos dá a oportunidade de ingressar no novo ano com os sentimentos e atitudes da Mãe do Salvador. Como ela, renovemos nosso compromisso de ser testemunhas do Senhor, onde estivermos, todos os dias deste ano. Cabe-nos, igualmente, uma atitude de contemplação da obra do Pai que enviou o seu Filho para nossa salvação. É o nosso compromisso com o conhecimento da Palavra de Deus e do seu sentido para nossa vida.  A Santa Mãe também nos inspira na arte de sermos bons educadores da nova geração de filhos de Deus. As crianças e adolescentes de hoje dependem do nosso testemunho e de nossa mediação educativa para conhecerem, amarem e seguirem Jesus, o filho de Deus e de Maria.
Quanto a Maria, guardava todos esses fatos e meditava sobre eles em seu coração (Lc 2,19)
Rezando a palavra 
Deus e Senhor nosso, senhor do tempo e da eternidade,
A ti, toda honra e toda glória, agora e para sempre.

Nós te consagramos, Senhor, todos os dias deste novo ano,
colocando sob tua proteção todos os nossos passos, propósitos, projetos e sonhos. 

Derrama agora, Pai Santo, tuas bênçãos de saúde, paz e sabedoria sobre nós, nossas famílias e todos os que amamos.

Que 2020, com a tua graça, seja de paz, de crescimento na fé e de prosperidade para todos nós, teus filhos e filhas. 

Que em nossa vida, nos 365 dias deste novo ano,
brilhe a luz do teu filho Jesus, nosso Salvador.

A Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa, nos sustente com seu exemplo e sua intercessão. Amém. 

Vivendo a palavra

Neste dia mundial da paz, dirija uma prece especial à santa mãe do Príncipe da Paz, em favor da paz no mundo. 

Pe. João Carlos Ribeiro – 1º. de janeiro de 2020

31 dezembro 2018

COM JESUS, COMEÇOU O NOVO TEMPO

E a Palavra se fez carne e habitou entre nós (Jo 1, 14)
31 de janeiro de 2018.
Véspera de ano novo. Um dia de muitas tarefas e contatos. Uma noite longa, de muitas expectativas, a noite da virada.
O que realmente há de novo na história da humanidade? O que poderia haver de revolucionário suficiente para dar um novo começo a essa nossa história um tanto quanto atrapalhada? Os cristãos asseguram que, há pouco mais de dois mil anos, a história da humanidade foi marcada por um evento absolutamente revolucionário. Deus mesmo veio morar com a gente. É esta a boa notícia que impactou a aventura humana na terra há pouco mais de dois mil anos. Deus mesmo veio morar com a gente.
E em que isso faz a diferença? É que se há um ideal a ser seguido, ele não está mais nas nuvens, no além, nos livros, nas promessas. O ideal de humanidade ética, solidária, espiritualizada não é apenas um projeto. É uma pessoa. Os ideais de bondade, comunhão, fraternidade, justiça, verdade podem ser vistos, tocados na vida e na experiência de uma pessoa humana: Jesus de Nazaré, Deus e Homem a um só tempo. O verbo eterno que estava desde sempre ao lado do Pai entrou na história humana, solidário com todo ser humano, particularmente com o mais sofrido e desprezado.
E isso faz toda a diferença. No evangelho de hoje, lido em São João, está escrito: “E a Palavra se fez carne e habitou entre nós. E nós contemplamos a sua glória, glória que recebe do Pai como Filho unigênito, cheio de graça e de verdade”. Jesus é essa verdade maravilhosa de Deus ao nosso alcance, Deus que veio a nós. O inefável que se deixou tocar. Isso é o natal jorrando luz para iluminar essa passagem de ano, o ano novo e toda a nossa história.
O prólogo, essa abertura do evangelho de São João que estamos lendo hoje, começa com as mesmas palavras do início da Bíblia: “No princípio, era a Palavra”. A Bíblia, no livro do Gênesis, começa assim: “No princípio, Deus criou o céu e a terra”. Então, está nos dizendo o apóstolo João em seu evangelho, com Jesus está começando um novo tempo. A criação, obra perfeita de Deus, teve seu ponto alto na criação do homem e da mulher. Mas, veio o pecado que desfigurou essa obra divina. Agora, chegou Jesus para levar à perfeição a obra do Criador.
Guardando a mensagem
A novidade que revolucionou a história é a presença de Jesus entre nós. Deus se fez humano, entrou em nossa história. Agora, temos um modelo, um guia, um caminho para seguir. A certa altura de sua vida humana, Jesus disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida". Podemos segui-lo, crer nele, experimentar a vida eterna que ele nos comunica porque ele é de nossa raça humana, anda pelos nossos caminhos, sente as nossas dores, atravessa o nosso mesmo vale de lágrimas. Agora, podemos saber como é que um filho de Deus nessa terra pode manter-se em comunhão com o Pai e com os seus irmãos, ser-lhes fiel, encontrar realização e felicidade em sintonia com a vontade divina. “Vem e segue-me”. É assim que ele continua nos convidando a viver como ele, a tê-lo como regra de vida, a imitá-lo em sua vida humana de filho de Deus. Nele, realmente tudo pode ser novo, até esse ano velho.
E a Palavra se fez carne e habitou entre nós (Jo 1, 14)

Rezando a palavra

Na virada do ano, dirija primeiro o seu olhar para Deus, nosso Pai.

Meu Deus, Senhor do tempo e da eternidade,

A ti, toda honra e toda glória,

Agora e para sempre.

Pai Santo, no início deste ano novo

Derrama tuas bênçãos de saúde, paz e sabedoria

Sobre mim, minha família e as pessoas de minha amizade.

Que em nossa vida, nos 365 dias do novo ano,

Brilhe a luz do teu filho Jesus, nosso Salvador.

A Virgem Maria, minha mãe, diga comigo: Amém.

Vivendo a palavra


Durante este último dia do ano, reserve um tempinho para sua oração pessoal. Faça aí o seu agradecimento por todas as suas realizações deste ano, reconhecendo a mão de Deus em tudo na sua vida.

Pe. João Carlos Ribeiro – 31.12.2018

29 dezembro 2011

Feliz ano novo!

Fim de ano. Virada de ano. Hora de olhar para o alto e agradecer a Deus. Reconhecer e agradecer o seu amor que nos sustentou durante todo este ano. E nos leva em frente. Hora de implorar suas bênçãos para o novo ano que começa. E nos garante o futuro.