PE. JOÃO CARLOS - BLOG DA MEDITAÇÃO DA PALAVRA: receber a criança
Mostrando postagens com marcador receber a criança. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador receber a criança. Mostrar todas as postagens

JESUS E A CRIANÇA



27 de setembro de 2021

Dia de São Vicente de Paulo

EVANGELHO


Lc 9,46-50

Naquele tempo, 46houve entre os discípulos uma discussão, para saber qual deles seria o maior. 47Jesus sabia o que estavam pensando, pegou então uma criança, colocou-a junto de si 48e disse-lhes: “Quem receber esta criança em meu nome, estará recebendo a mim. E quem me receber, estará recebendo aquele que me enviou. Pois aquele que entre todos vós for o menor, esse é o maior”.
49João disse a Jesus: “Mestre, vimos um homem que expulsa demônios em teu nome. Mas nós o proibimos, porque não anda conosco”. 50Jesus disse-lhe: “Não o proibais, pois quem não está contra vós, está a vosso favor”.

MEDITAÇÃO


Quem receber esta criança em meu nome, estará recebendo a mim (Lc 9, 48)

Os discípulos tinham discutido. O assunto fora qual deles seria o maior. Jesus colocou uma criança no meio deles e lhes deu preciosos ensinamentos. É preciso se converter e se tornar como criança. Receber o Reino como uma criança. Não se trata de chegar à elite, ser o maior. Trata-se de assumir a identidade de filho, ou como Jesus disse: fazer-se pequeno.

O Reino de Deus é lá onde o senhorio de Deus é acolhido, lá onde Deus é reconhecido e amado como pai, lá onde os filhos de Deus se reconhecem como irmãos. Não é um reino de súditos e senhores, é uma grande casa de família, onde somos todos amados como filhos. O Reino também não é fruto de nosso merecimento, é bondade de Deus, amor imenso dele por nós. Quanto mais nos reconhecemos amados e necessitados desse amor, mais nos integramos na sua casa, no seu Reino. Somos filhos amados e isso não é uma conquista nossa, mas pura misericórdia de Deus. Sendo assim, não podemos invocar grandezas ou nos imaginar acima dos outros.

Quem é o maior no Reino de Deus? Para a mentalidade do mundo, o maior é o que tem poder, dinheiro, prestígio, fama. O maior é o que manda, o aplaudido e servido pelos outros. Mas, o Reino de Deus não é uma cópia do nosso mundo, na esfera espiritual. Assim, nós anularíamos a Palavra de Deus e a ação transformadora do seu Espírito. Precisamos captar a novidade que vem da Palavra de Jesus, novidade que é um princípio de mudança em nossa sociedade.

Então, quem é o maior no Reino de Deus? Jesus falou claro: “Quem se faz pequeno como esta criança, este é o maior no Reino dos Céus”. Assim, no Reino de Deus, não há lugar para a soberba, o orgulho, a presunção de ser grande e de querer mandar nos outros. Grande é só Deus. Nós só temos uma grandeza: sermos seus filhos amados.

Acolher Jesus como se acolhe uma criança é reconhecê-lo em sua humanidade, em sua fragilidade. Ele assumiu nossa condição humana, veio na carne, nasceu num estábulo, morreu numa cruz. E é aí que quer ser encontrado, amado, seguido. Com esse exemplo da criança, fica claro, que acolher Jesus é identificar-se com ele, partilhando com ele o projeto de vida que escolheu para si, o caminho do Servo Sofredor descrito pelo Profeta Isaías. Acolhê-lo é partilhar o seu sonho e o seu compromisso de serviço até à entrega da própria vida.

Guardando a mensagem

O Reino de Deus não é cópia desse nosso mundo injusto e desigual. O Evangelho do Reino é anúncio de uma novidade, fermento de transformação de nossa sociedade. O pequeno é o mais importante, ensinou Jesus. Os filhos mais frágeis e sofredores, estes, sim, são os cidadãos mais importantes do Reino. O menor é o maior. Fazer parte do Reino é renunciar à mania de querer ser mais do que os outros. Todos somos filhos amados do Pai. Somos todos irmãos. Jesus continua nos dizendo que não entraremos no Reino se não nos convertermos, nos tornando como crianças. Nas crianças, nos vemos como filhos amados de Deus e como irmãos, chamados a viver a fraternidade. Acolher Jesus como pequenino representado na criança, é abraçar o seu estilo de vida despojado da busca de poder e grandeza. 

Quem receber esta criança em meu nome, estará recebendo a mim (Lc 9, 48)

Rezando a palavra

Senhor Jesus,
O convite que hoje nos fazes é pra gente deixar de pensar ou de querer ser grande, forte, poderoso, desejando estar acima dos outros. Assim, a gente não entra o Reino de Deus, não recebe o abraço amoroso do pai. O teu convite, Senhor, é pra gente renunciar a essa pose de gente importante e independente, que não precisa de ninguém. No Reino de Deus, só tem lugar pra gente humilde, que reconhece que só Deus é grande e, nele, somos irmãos uns dos outros. Abençoa, Senhor, os que hoje se sentem desprotegidos e desorientados nessa vida, no meio de seus dramas e dificuldades. Sobre todos, seja a tua bênção e a tua paz. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Neste dia de São Vicente de Paulo, grande apóstolo da caridade e servidor dos pobres, identifique, na sua cabeça, quem são os pequeninos de sua família e de nossa sociedade (crianças, idosos, doentes, desempregados, analfabetos, os mais sofridos,...). Na dinâmica do Reino de Deus, eles são os mais importantes, os que têm prioridade sobre todos; eles são os maiores. E só podemos servi-los, fazendo como Jesus: identificando-nos com eles, sendo pequeninos com eles, abraçando a sua causa. 

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

Postagem em destaque

O PERDÃO DOS NOSSOS PECADOS

30 de junho de 2022 Quinta-feira da 13º Semana do Tempo Comum EVANGELHO Mt 9,1-8 Naquele tempo, 1entrando em um barco, Jesus atravessou para...

POSTAGENS MAIS VISTAS