15 setembro 2019

OS DOIS FILHOS DO SENHOR DEUS

Assim haverá no céu mais alegria por um só pecador que se converte do que por noventa e nove justos que não precisam de conversão (Lc 15, 7)

15 de setembro de 2019 – 24º. Domingo do Tempo Comum

É uma coisa maravilhosa ver pessoas que viviam distante de Deus se aproximando da fé. É a conversão. Gente voltando para Deus, abraçando o evangelho, integrando-se na comunidade cristã... Isso não tem preço, não é verdade? Era isso que estava acontecendo no ministério de Jesus. Os pecadores estavam se convertendo.

Na mentalidade dos fariseus, era descabida essa atenção de Jesus aos publicanos e pecadores. E mais, eles não podiam ser justificados, perdoados assim. O pecado precisava de sacrifícios expiatórios no templo de Jerusalém. Só assim poderiam ser recebidos de volta, serem perdoados. Mas, com Jesus a coisa estava sendo diferente. As pessoas se sentiam acolhidas, reintegradas, perdoadas no seu encontro com ele. Aqui estava a diferença. Aproximavam-se de Jesus. Nele, se sentiam reintegrados, reconciliados. Eles não ofereciam a vida de carneiros e touros, como a Lei mandava, para obterem o perdão. Eles eram acolhidos por Jesus. Só isso. 

Para os fariseus entenderem melhor o que estava acontecendo, Jesus contou a parábola do pai e seus dois filhos, a história do filho pródigo, como nós a costumamos chamar.  Jesus contou logo três histórias. Na primeira, o pastor encontrou a ovelha perdida e festejou o fato com seus amigos. Na segunda, a mulher achou a sua moeda perdida e chamou as amigas para festejar. Na terceira, um pai tinha dois filhos. E o filho mais novo afastou-se de casa, ganhou o mundo, gastou a sua herança, afundou-se numa situação de miséria e humilhação, mas um dia voltou arrependido. E o pai fez uma linda festa para celebrar a sua volta. Veja que nas três parábolas alguém estava perdido e foi encontrado. Como disse o Pai da parábola, explicando a razão da festa: “meu filho estava morto e tornou a viver, estava perdido e foi encontrado”. 

O filho mais velho, quando voltou pra casa e viu que havia uma festa para acolher o irmão mais novo, ficou com muita raiva. Ele pensava como os fariseus. Reclamou que o pai nunca tinha lhe dado um cabrito para ele festejar com os amigos. E, para o irmão pecador, mandou matar o novilho gordo. Veja que cabrito e novilho (carneiro e touro) eram os sacrifícios que se ofereciam. Por estes sacrifícios expiatórios, segundo a Lei, é que se obtinha o perdão. Na história que Jesus contou, foi diferente. Quando o filho que estava voltando para casa ainda estava longe, o pai correu ao seu encontro, o abraçou e o beijou, mesmo antes que ele fizesse o pedido de perdão. E mandou preparar uma festa para comemorar a sua volta. O novilho foi só pra festejar, não para pagar pelo pecado. 

Jesus anunciava o amor de Deus pelos seus filhos. Um amor de pai pelo filho mais novo (o pecador) e pelo filho mais velho (o que se julgava justo). O pecador volta porque tem um Pai que o ama, que respeita a sua liberdade e espera a sua volta. Como a ovelha perdida, ele é encontrado pelo pastor. Como o filho mais novo, ele é recebido e reintegrado como filho por pura misericórdia do Pai. 
São Paulo, na Primeira Carta a Timóteo, comentou como Deus usou de misericórdia para com ele. Ele tinha sido um blasfemo, um perseguidor. E Jesus o alcançou com sua misericórdia, fazendo dele um anunciador de sua palavra. Paulo tirou uma bela conclusão: “Cristo veio ao mundo para salvar os pecadores. E eu sou o primeiro deles!”.

Guardando a mensagem

No ministério de Jesus, os pecadores estão voltando pra casa: em contato com Jesus, eles estão se aproximando de Deus, estão reconstruindo sua vida na fé. Já os que se pensam justos reagem contra Jesus e estão descontentes porque os pecadores estão encontrando vida nova no Senhor. Eles imaginam que a reconciliação é alcançada pelo oferecimento de sacrifícios no altar do Templo. Jesus conta a história do filho pródigo para mostrar o grande amor de Deus pelos seus filhos, amor que explica o reencontro da ovelha perdida, por iniciativa do pastor; e a acolhida pra lá de generosa do filho mais novo que saiu de casa, esbanjou os seus bens e voltou arrependido.   Nessas histórias de Jesus, fica claro também a grande alegria de Deus pela volta do seu filho pecador (o filho mais novo) e a paciência com a qual está tentando que também os fariseus (o filho mais velho) entrem em casa e participem da alegria de Deus pela volta do seu filho pródigo.

Assim haverá no céu mais alegria por um só pecador que se converte do que por noventa e nove justos que não precisam de conversão (Lc 15, 7)

Rezando a palavra

Senhor Jesus,
Essa história do evangelho de hoje podia ter outro título: “A parábola do pai misericordioso”, porque nela aparece o grande amor do nosso Deus pelos seus filhos. Quando o filho mais novo voltou, ele o avistou de longe e correu para abraça-lo e beijá-lo. E fez uma festa para celebrar a sua volta. Essa história, Senhor, nos encoraja em nossa caminhada de conversão. Em ti, encontramos vida nova. E não por merecimento nosso, mas pelo imenso amor do nosso Deus que nos reconciliou consigo, por meio de tua cruz. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Hoje, arrume um tempinho para rezar, com calma, o Salmo 50 (Tende Piedade, ó meu Deus, misericórdia). 
Aqui, na Arquidiocese de Boston, nos Estados Unidos, onde estou em missão, hoje é o dia da festa das comunidades brasileiras. Reze por nós.  

Pe. João Carlos Ribeiro – 15 de setembro de 2019.

27 comentários:

  1. Que o Senhor te abençoe e te guarde sempre onde estiver 🙏

    ResponderExcluir
  2. Que o espírito santo de Deus possa sempre nos conduzir no caminho do pai,para que possamos sempre estar em sua presença e,se nós perdemos tenhamos a a legria ao sermos encontrados. Sua benção padre e, Deus o abençoe na sua missão,bom dia

    ResponderExcluir
  3. Bom dia!
    Que bom ler a palavra e poder meditar logo cedo.
    Obrigado que Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  4. Amém padre João Carlos, que Deus te abençoe nessa sua jornada!

    ResponderExcluir
  5. Ave Maria cheia de graças intrecedi pela vossa missão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amêm que deus abençoi padre joão e minha familia

      Excluir
  6. Gloria a vós Senhor! ! DEUS Misericordioso que esteja sempre ao lado do padre nessa missão para resgatar suas ovelhas perdidas por esse mundo afora.

    ResponderExcluir
  7. padre João Carlos,estamos desejando um abençoado domingo a toda comunidade onde o sr.está em missão,com certeza todos os dias rezamos por todos,obrigada pela meditação enviada.abraços.PAZ e BEM.

    ResponderExcluir
  8. A sua bênção padre João ,Deus nos abençoe amém !

    ResponderExcluir
  9. Amém padre João Carlos que Deus abençoe todos nós

    ResponderExcluir
  10. Obrigado meu Deus e meu sSenhor por eu ter encontrado o caminho da salvação Amém.
    Bom dia Padre João Carlos Que Deus esteja sempre presente em sua vida

    ResponderExcluir
  11. Amém Padre João! Deus o ilumine imensamente em todas as suas ações!

    ResponderExcluir
  12. Em oração pelos nossos sacerdotes em missão.
    Belíssima reflexão.

    ResponderExcluir
  13. Amém padre João Carlos, Deus te ilumine.

    ResponderExcluir
  14. É assim temos que fazer mais ésforço para que Deus fica sempre bem com nosco.

    ResponderExcluir
  15. Muito obrigada, Pé.João Carlos, muito linda sou reflexão! Deus abençoe!

    ResponderExcluir
  16. Deus Onipresente e Eterno, eu LHE agradeço por essa solenidade dedicada a Nossa Senhora das Dores. No entanto, me ajude evitar o pecado da corrupção, da raiva, da desobediência e da idolatria. Me ajude seguir no VOSSO caminho. Me ajude adorar somente o Deus da Bíblia. Me ajude ter uma cabeça e um coração fiel a VOSSA vontade. Me ajude interceder pelos outros. Me ajude servi-Lo com amor e fidelidade. Me ajude ter mais fé, confiança e amor no meu REDENTOR. Me ajude salvando os pecadores. Me ajude com a VOSSA misericórdia e a VOSSA compaixão. Me ajude alcançar a vida eterna. Me ajude honrá-Lo e glorificá-Lo pelos séculos dos séculos sem fim. Me ajude escutá-Lo com atenção. Me ajude viver com alegria. Me ajude na minha conversão. Me ajude com os santos anjos. Me ajude fazer um bom exame de consciência. Isso eu LHE peço pela intercessão de Jesus Cristo, VOSSO querido filho e meu amado SALVADOR. Amém.

    ResponderExcluir
  17. Boa noite padre João rezarei por todos vocês quantos filhos precisa volta pra casa Deus misericórdia

    ResponderExcluir
  18. Boa noite Padre João Carlos, sua benção. Eu fui essa ovelha perdida, Jesus foi me procurar, e me trouxe de volta pra casa, hoje sou feliz na minha religião CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA, Jesus é Misericordioso para com todos.💟

    ResponderExcluir
  19. Louvado seja Deus, que pela grandeza de seu amor e misericordia está sempre agindo para a conversão dos seus filhos.Obrigada padre por nos transmitir diariamente a palavra de Deus tão bem explicada. Deus abençoe você na sua missão!

    ResponderExcluir
  20. Padre aqui recebo e envio essas meditações e os demais enviam também muito maravilhoso ouvir todos os dias

    ResponderExcluir
  21. Que sejamos dignos das promessas de Cristo... perdoando que seremos perdoados.

    ResponderExcluir
  22. Obrigada padre João, as suas palavras me ajuda muito, a entender as sagradas Escrituras

    ResponderExcluir
  23. Excelente!! Muito bom poder refletir sobre o amor incondicional de Deus e procurar ser merecedor desse amor. E aprender a perdoar e acolher os nossos irmãos.

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião.
Desejando comunicar-se em particular com o Pe. João Carlos, use esse email: padrejcarlos@hotmail.com ou o whatsapp 81 9.9780-8230