09 julho 2019

VENCENDO O MAL

Quando o demônio foi expulso, o mudo começou a falar (Mt 9, 33)
09 de julho de 2019.
Você é um cidadão. Você é uma cidadã. Coisa muito boa, parabéns. Mas, é um cidadão que participa ou que apenas assiste o que está acontecendo? Olha que aqui vai uma grande diferença, não é verdade? Há cidadãos que acompanham o movimento da sociedade, formam sua opinião, discutem, dão palpite... de alguma forma, participam. E há cidadãos que estão por fora, estão à margem, não se sentem em condições de dar sua opinião. Estão mudos, silenciosos. Não participam. Você conhece pessoas assim?
Por que será que há pessoas assim, mudas, num país democrático e numa Igreja de comunidades? Talvez o país não seja tão democrático assim. E a Igreja não esteja assim tão comunitária. O fato é este e é grave: há pessoas deixadas à margem, sem efetiva participação, que não têm opinião para dar ou que apenas repetem a visão dos grupos econômicos detentores dos grandes veículos de comunicação.
Esse problema, com certeza, havia no tempo de Jesus. Gente calada, silenciada por uma educação autoritária ou por uma situação política repressora. Gente acostumada a viver à margem, desconsiderada, só contada para os impostos, mas sem nenhuma participação e envolvimento na vida do país. No evangelho de hoje, está dito que Jesus, vendo o seu povo, compadeceu-se dele, vendo, naquela gente cansada e abatida, ovelhas sem pastor.  E por onde ele andasse – povoados, cidades, sinagogas – ensinava, pregava o evangelho do Reino e curava todo tipo de doença e enfermidade. As curas eram uma forma de concretização do efeito da pregação. A Palavra de Deus resgata a dignidade da pessoa, acorda a sua condição de filho de Deus, devolve sua condição de ator ou atriz de sua própria história. Boa parte das doenças se alimenta do abatimento das pessoas, de sua permanente humilhação, de sua falta de horizonte. Jesus, com a força divina, anunciava o amor de Deus, libertando, curando, expulsando o mal da vida das pessoas.
E é aí que entra a história do homem mudo que apresentaram a Jesus. Como eles entendiam, estava mudo porque estava possuído por um demônio. Justo. Povo calado, silencioso, sem opinião sobre nada de importante só pode mesmo estar possuído por uma força maligna que o impede de se sentir e de se expressar como filho de Deus, como cidadão participante e informado, capaz de dizer sua palavra sobre o mundo. Quando o demônio foi expulso, ele começou a falar.
É isso que ocorre com a pregação do Evangelho, o amor de Deus comunicado pela presença de Jesus... os que estão à margem são chamados para o centro; aos que não estão enxergando, os cegos, é dada a luz da fé; os que estão possuídos pelo mal, pela doença, experimentam o poder libertador de Deus. O mudo começa a falar... o cidadão passivo começa a participar.
Guardando a mensagem
Apresentaram um mudo a Jesus. Quase sempre a doença era explicada pela dominação de um mau espírito. Jesus expulsou o demônio e o mudo começou a falar. Em nossa sociedade, há um grande número de cidadãos mudos, silenciosos, à margem dos processos sociais. A verdadeira evangelização liberta essas pessoas de sua mudez, fazendo delas cidadãos participantes na sociedade e na Igreja.
Quando o demônio foi expulso, o mudo começou a falar (Mt 9, 33)
Rezando a palavra
Senhor Jesus,
Ficamos felizes quando percebemos que a pregação da Palavra de Deus está gerando cristãos conscientes, responsáveis e participativos na vida da Igreja. É assim que tu continuas curando os mudos, libertando-os das correntes da dominação do mal. Ficamos felizes quando percebemos que cidadãos antes passivos, desconsiderados, começam a ter sua opinião, a se sentir envolvidos e participantes nos processos. É assim que tu continuas curando os mudos, libertando-os das correntes da dominação do mal. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vivendo a palavra
Talvez hoje se apresente uma situação em que você precise emitir sua opinião. Faça um esforço para participar. Participando, a gente contribui, esclarece, aprende, forma opinião. A evangelização cura as pessoas de sua mudez.

Pe. João Carlos Ribeiro – 10 de julho de 2019.

17 comentários:

  1. Jesus, o senhor tem a palavra certa.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia,eu Sou Aldecir Ribeiro,na minha posição de professora,sempre me envolvo,falo,discuto sobre nossa dever de abri e os olhos das pessoas e dos nossos alunos para uma vida ativa politicamente.Mostro que devemos lutar por melhorias e avanços em relação ao que temos direito e também aos nossos deveres por sermos cidadãos na vida em comunidade.

    ResponderExcluir
  3. Amem! Putifica me Senhor

    ResponderExcluir
  4. Senhor Jesus me purifica ,me dê sabedoria pra eu fazer as coisas certas...

    ResponderExcluir
  5. Abençoa senhor Jesus, liberta nosso coração de todo o mal, abençoa minha vida, minha família e todo povo de Deus, amém.

    ResponderExcluir
  6. Purifica me Senhor Jesus !
    Amém .

    ResponderExcluir
  7. Excelente meditação. Realmente o mundo se mantém nas margens calado e esperando que Deus resolva td. Sem noção de que Deus está presente nele. Só precisamos reagir, ter atitudes, muitas vezes me sinto falha por falta de expressar o que penso ou o que eu acho e nos justificamos com a falta da democracia.

    ResponderExcluir
  8. Ana Maria9/7/19 11:32

    Amém! Só Jesus, pra nos libertar

    ResponderExcluir
  9. obrigada padre João Carlos pela meditação de hoje fique com minhas orações

    ResponderExcluir
  10. Senhor que não nos calemos diante das injustiças.Pe João Carlos orai por nós.

    ResponderExcluir
  11. Q Deus continue nos abençoando e nos concedendo sabedoria e nos orientando.

    ResponderExcluir
  12. Boa noite padre João Carlos, sua bênção. Parabéns pelo programa no Facebook. Comecei a participar ontem a noite. Sempre pedindo oração por mim e por pessoas da família que estão precisando de suas orações e bênção.

    ResponderExcluir

E você, o que pensa sobre isso?