18 maio 2019

ENTRAMOS NA SALA ERRADA


Nisto todos conhecerão que vocês são meus discípulos, se tiverem amor uns aos outros (Jo 13, 35

19 de maio de 2019.

O amor de uns pelos outros. O amor na comunidade, amor que se espalha no mundo. Coisa difícil. Amar como Jesus amou. Esse é o diferencial no grupo dos discípulos dos seus discípulos. E não é para quando for possível. Amar também no meio dos problemas e das adversidades. Um mandamento novo. O novo mandamento.

Eu tinha chamado um grupo de amigos para ir à Última Ceia, aquela ceia de Jesus com os discípulos, em Jerusalém. E fomos. Só que nos demos mal. Entramos na sala errada. A gente estava procurando a cena da última ceia. Jesus e os discípulos sentados à mesa, conversando, quem sabe cantando os salmos, na maior união. Bom, entramos na sala errada.

Quando entramos, ainda vimos Judas saindo meio apressado e o clima de desconfiança que ficou no ar. Jesus ficou só com os onze. É aqui mesmo, pensamos. Aí, nos encostamos pela parede, meio de longe, na penumbra e nos preparamos para curtir o clima da Última Ceia. Aos poucos, fomos nos envolvendo na cena. O grupo estava exaltado. Ouvimos claramente um deles dizer: ”eu nunca confiei nesse cara... um desonesto, um descontente, sempre com o pé atrás”. O mais novo, bem ao lado de Jesus, estava avisando: Jesus confirmou: Judas é um traidor”. Aí o negócio pegou fogo: “Desgraçado! Eu bem que estava desconfiado dele. Se eu pegar esse cara, eu acabo com ele”. Esse Jesus da cena estava com a cara triste, sisuda e lamentou-se: “A gente faz o melhor, se doa, se sacrifica, olha o resultado!.... Será que vale a pena?”. O outro ao lado de Jesus, talvez fosse Pedro, falou em tom raivoso: “Agora, vou lhe dizer uma coisa, Senhor. Eu já o tinha alertado. Esse Sinédrio de Jerusalém é uma desgraça. Desde que nós chegamos, eles estão viajando os seus passos: é escriba fazendo perguntas capciosas, é olheiro por todo canto, é soldado atrás de lhe prender. Eu bem que lhe disse: não vamos pra festa desse ano, que o negócio está feio pro seu lado. O senhor não quis me ouvir!”. E eu vou dizer mais uma coisa: “Aqui tem cabra frouxo... vai correr da parada. Mas, eu lhe garanto:  eu estou do seu lado, eu dou minha vida pra lhe defender”. Aí o tom de voz subiu mesmo, um vozerio forte, um reclama, outro bate na mesa, misturou-se o ódio e o medo, o negócio ficou feio. Aí a gente se deu conta: “estamos na cena errada. Aqui não é a última ceia de Jesus, não”. Vamos embora.

Aí, saímos, de fininho, e nos sentamos na praça. Estava todo mundo impactado por aquele clima de tensão, por aquele discurso de ódio que encontramos naquela ceia... Um dos colegas comentou: “Não estou entendendo... Jesus estava lá, os onze apóstolos, até Judas nós vimos saindo...” E outro: “eu vi logo que tinha alguma coisa errada. Jesus nunca incentivou o ódio... não jogaria um contra o outro. Tinha uma coisa errada, nesse ceia” O outro, em tom mais tranquilo, disse: “Claro que Jesus sabia o que estava acontecendo ao seu redor. Ele vinha avisando os discípulos. Ele também percebeu que Judas estava se afastando do grupo, dando-lhe as costas, prestes a trai-lo abertamente. Mas, não denunciou Judas, não o expôs ao grupo. E o tratou sempre com deferência, inclusive lhe deu o primeiro pedaço de pão molhado no vinho”. E uma colega, que ainda estava tremendo coitada  foi dizendo: “E os discípulos, mesmo inseguros e temerosos, não partiram para malhar Judas... Jesus queria que o amor reinasse no seu grupo. Deu-lhes isso como mandamento. Amarem-se uns aos outros. Como ele os amou. E ele os amou dando a vida por eles, na cruz. O amor leva a gente ser paciente com o outro que está no erro e respeitosos com os que são mais fracos”. Aí ficamos mesmo certos: tínhamos entrado na sala errada.

Guardando a mensagem

Jesus nos amou de verdade. Conviveu com a sua comunidade de discípulos, ensinou-lhes o caminho de Deus, lavou os seus pés. Numa prova única de amor, deu sua vida por eles. Na Ceia, celebrou essa entrega, no sacramento do pão e do vinho. No Apocalipse, a comunidade de Jesus é comparada com a esposa. Ela ama de verdade o seu esposo. Nós amamos Jesus. É esse amor que nos reúne, que nos une ao seu redor. O amor fraterno se alimenta desse amor a Jesus. No Livro dos Atos dos Apóstolos, está que Paulo e Barnabé saíram mundo afora, no meio de muitas dificuldades, edificando comunidades cristãs. É o amor a Jesus que funda a comunidade. É o amor a Jesus e aos irmãos que explica a permanente entrega dos seus missionários. Esse amor vivido na comunidade espalha-se para  o mundo, marca os nossos relacionamentos com os outros. Queremos ser irmãos e irmãs nesse mundo desigual. Defendemos os irmãozinhos que estejam sofrendo pelo desemprego, pela solidão, pela opressão, pela perda de seus direitos. Nosso amor nos leva a querer que todos tenham oportunidade e futuro,  por isso defendemos os estudantes e a educação. Queremos construir fraternidade, num mundo desigual, sem compactuar com a violência e a exploração. Trabalhamos para combater o mal e para que o errado acerte o caminho. Num país marcado, hoje, pela polarização e pelo incitamento ao ódio, queremos amar os outros como Jesus nos amou.

Nisto todos conhecerão que vocês são meus discípulos, se tiverem amor uns aos outros (Jo 13, 35)

Rezando a palavra

Senhor Jesus,
Na tua Ceia, aprendemos a amar como tu nos amaste. Tu nos amaste, entregando-te por nós até a morte de cruz, para o perdão dos nossos pecados. Por tua ressurreição, nos dás vida nova, o dom do teu Espírito. E nos pediste para viver nesse amor. Amor a ti e aos irmãos. Nossas comunidades hão de ser espaços de comunhão e participação, lugar de crescimento do amor, sobretudo nas horas difíceis. Nós somos irmãos, nos reconhecemos filhos amados de um único pai. Assim, rezamos juntos: “Pai nosso”. Queremos que a tua paz esteja na vida de cada um, de cada uma. Assim, em nossas celebrações nos comunicamos a paz com um abraço, antes da comunhão. Esse amor que experimentamos na comunidade dos discípulos, na tua  Igreja, é a energia para nossa luta diária, para nossos compromissos nesta sociedade desigual. Nesse amor, já estamos fazendo esse mundo melhor. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Novos gestos e atitudes surgem do seu renovado amor a Jesus e à sua comunidade, a Igreja. Hoje, convido você a se aproximar de uma pessoa desconhecida. É um irmão, uma irmã. Basta se aproximar com um coração de irmão, no Senhor.

Pe. João Carlos Ribeiro – 19.05.2019

19 comentários:

  1. Este evangelho fala para ama todos como eu amei

    ResponderExcluir
  2. Amém obrigado senhor por este momento especial !

    ResponderExcluir
  3. Bom dia!
    o arquivo de áudio é o mesmo de ontem, dia 18 .
    um abraço a todos!

    ResponderExcluir
  4. Ajudar ao próximo como Jesus nos ensinou fazer o bem sem olhar a quem.

    ResponderExcluir
  5. Senhor me ajudar a amar meu próximo como .....

    ResponderExcluir
  6. Amém,
    Brigado Senhor
    Parece que foi feito pra mim, tava precisando ouvir essa oração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amei esse evangelho pois no mundo em onde vivemos a humanidade parece está perdendo o amor pelo próximo então nós resta rezar para que Jesus possa retornar o amor em nosso corações

      Excluir
  7. Quando começarmos a amar nosso próximo,aí começa nossa caminhada ao lado de Jesus.

    ResponderExcluir
  8. Jesus quero amar meu irmão como o senhor nos ensinou.Pe João Carlos orai por nós!

    ResponderExcluir
  9. O áudio é de ontem. Manda o de hoje domingo

    ResponderExcluir
  10. Bom dia Pe. João Carlos,

    Está faltando o áudio deste Domingo, pois está repetindo o do sábado.

    Abraços e saudações de Paz em Cristo.

    ResponderExcluir
  11. Jesus, ensina-nos a ver no outro nosso irmão!

    ResponderExcluir
  12. SENHOR NOS DÊ FORÇAS PARA AMAR AS DIFERENCAS E DIFÍCIL

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde Padre João Carlos. Ainda com o coração partido pela morte trágica da minha irmã, peço sua bênção pra mim e todos da família. E pela salvação de Maria Aldenora de Sousa Lima.

    ResponderExcluir
  14. Pai Santo Todo Poderoso, eu LHE agradeço por mais um domingo. Entretanto, me ajude encorajar os VOSSOS atuais discípulos. Me ajude permanecer firme na fé e na confiança. Me ajude sofrer com paciência. Me ajude fazer orações e jejuns da melhor forma possível. Me ajude anunciar a VOSSA palavra com humildade e amor. Me ajude com a VOSSA graça. Me ajude abrir a porta da fé para outras pessoas. Me ajude um dia morar na cidade santa. Me ajude enxugando a lágrima do VOSSO povo. Me ajude glorificá-Lo santamente. Me ajude ficando conosco para sempre. Me ajude viver o mandamento do amor. Isso eu LHE peço pela intercessão de Jesus Cristo, VOSSO querido filho e meu amado SALVADOR. Amém.

    ResponderExcluir
  15. À sua bença padre obrigado pela sua .MEDITAÇÃO DE HOJE FOI. LINDO À. EXPLICAÇÃO.
    NOSSO DEVER COMO CRISTÃO É AMAR O NOSSO PRÓXIMO. EU PEÇO À. DEUS. NAS MINHAS ORAÇÕES QUE. AUMENTA SEMPRE. A MINHA FÉ . SENHOR ABENÇOE À SAÚDE ALEGRIA E PAZ NA. MINHA FAMÍLIA.obrigado MEU. DEUS E A NOSSA SENHORA.AMÉM

    ResponderExcluir

E você, o que pensa sobre isso?