04 fevereiro 2017

Uma luz para os outros

Você está sendo uma luz para os outros? Boa pergunta. Aliás, essa é a pergunta desse 5º Domingo do Tempo Comum. Você está sendo uma luz para os outros?


Assim também brilhe a luz de vocês diante das pessoas, para que vejam as suas boas obras e louvem o seu Pai que está nos céus (Mt 5, 16)

É interessante observar que não se é luz para si mesmo, mas para os outros. A vela gasta-se iluminando o ambiente. A lâmpada expande a sua luz em favor de quem estiver por perto. A luz é para estar num lugar alto, como Jesus disse. Para iluminar a casa. Mas, como é que eu posso ser luz para os outros? Na Palavra de Deus deste domingo, a gente encontra resposta para esta pergunta.

A primeira resposta é esta: Sou luz para os outros pela minha fé em Cristo, pela fé que acolhe a pregação sobre Jesus Cristo crucificado. Está na primeira Carta aos Coríntios (1ª. Leitura): 1 Cor 2. Fé baseada no poder de Deus, não na sabedoria humana. O apóstolo Paulo comenta que, no meio daquela comunidade, não se apresentou com uma linguagem sofisticada, nem com altos discursos. Pelo contrário, pregou Jesus Cristo crucificado, no meio de suas fraquezas e receios, contando apenas com a força do Espírito Santo. Nossa fé abraça Jesus, que, sendo Deus, assumiu nossa condição humana e por nós morreu numa cruz. Ele é a luz do mundo. E, pela fé, ele nos faz luz para os outros. Nossa fé é uma luz para a vida de quem está ao nosso redor.

Estamos procurando resposta para a pergunta: ‘Como eu posso ser luz para os outros?.  A segunda resposta está no profeta Isaías (1ª leitura): Is 58.  Sou luz para outros pelo amor aos pobres e sofredores. Meu compromisso com o bem dos irmãos é uma luz para iluminar o meu ambiente, a vida dos outros. O profeta nos recomenda que repartamos o pão com o faminto, acolhamos os peregrinos, vistamos o nu. Assim, nossa luz vai brilhar como o amanhecer do dia. E mais: nossa saúde vai se recuperar mais depressa e o Senhor vai atender os nossos pedidos. Olha que detalhe interessante: fazendo o bem aos irmãos, nossa saúde melhora mais rápido.  E o profeta continua: Destruam os instrumentos de opressão, corrijam a linguagem maldosa, acolham o indigente, prestem socorro ao necessitado. Assim nossa luz vai brilhar como o clarão do meio dia. Sou luz para os outros amando os pobres e sofredores.
A terceira resposta, claro, vem do Evangelho (Mt 5). Sou luz para os outros pelo testemunho das boas obras. Disse o Senhor: “Assim também brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e louvem o seu Pai que está nos céus”. As boas obras de nossa fé são nosso comportamento, nossas palavras, nossas ações. O estilo de vida dos cristãos está baseado no trabalho, na honestidade, na fidelidade aos compromissos, na defesa da justiça e da liberdade. Cremos na família, respeitamos a vida, lutamos pelo bem de todos. Nossas palavras e nossas ações expressam a nossa fé em Deus e a caridade que nos une aos nossos semelhantes. Somos luz pelo testemunho de nossas obras, de nossa vida.

A Palavra de Deus responde à pergunta de hoje ‘Como é que eu posso ser luz para os outros?. Sou luz para os outros pela minha fé em Cristo, pelo amor aos pobres e sofredores e pelo testemunho de minhas boas obras. Agora, você já tem elementos para pensar um pouco e dar a sua resposta: “Eu estou sendo, de verdade, uma luz para a vida dos outros?”.

Pe. João Carlos Ribeiro, 03.02.2017 
Postar um comentário