12 fevereiro 2013

A família salesiana diante da renúncia do Papa


(ANS – Roma) – Logo após tomar conhecimento de que o Papa Bento XVI anunciara sua renúncia ao ministério de Bispo de Roma e de Sucessor de São Pedro, o Reitor-Mor dos Salesianos desejou enviar uma mensagem a toda a Família Salesiana.

Caríssimos Irmãos, Irmãs, Membros todos da Família Salesiana, Amigos de Dom Bosco:
Saúdo-vos com o coração de Dom Bosco, desde o México, aonde vim para a celebrar o Jubileu de Ouro da Inspetoria salesiana de Guadalajara, minha Inspetoria de origem.
Ainda que profundamente surpresos pela notícia apenas recebida acerca da decisão do Santo Padre, Bento XVI, de apresentar a sua renúncia de continuar na guia da ‘Barca de Pedro’ e na confirmação dos seus irmãos na fé através do anúncio do Evangelho, o seu testemunho de vida, o seu sofrimento e a oração – ficamos edificados por este gesto exemplar e profético.

No apresentar a sua demissão, motivada por razões de idade e cansaço, consequência da sua solicitude em acompanhar a Igreja num período caracterizado por profundas e rapidíssimas mudanças sociais, que têm a ver com a fé e a vida cristã, e que estão a pedir grande energia física e espiritual, o Santo Padre confessa ter-se posto em atitude de discernimento perante Deus.

A sua decisão é portanto fruto de oração e um sinal exemplar de obediência a Deus! Uma tal atitude só pode despertar em nós a maior admiração e estima. Trata-se, mais uma vez de um traço espiritual tipicamente seu: a humildade, que o torna livre perante Deus e os homens, e mostra claramente o seu sentido de responsabilidade.

Enquanto, como teria feito Dom Bosco, exprimimos ao Santo Padre toda a nossa gratidão pela generosidade com que serviu a Igreja e fez sentir a sua paternidade relativamente à nossa Família, o acompanhamos nesta fase da sua vida com o nosso grande afeto e a nossa oração.

Desde agora rezemos pela Igreja, invocando o Espírito Santo, a fim de que seja Ele a guiar este momento de encerramento de um pontificado, e de convocação e celebração do Conclave.

Confiamos a Maria Imaculada Auxiliadora, nesta memória de Nossa Sra. de Lurdes, o Santo Padre e toda a Igreja. Ela continuará a manifestar-se, como sempre ao longo da história, Mãe e Mestra.

Em comunhão de corações e orações,
P. Pascual Chávez Villanueva SDB
Reitor-Mor

Publicado em 11/02/2013
Postar um comentário