18 dezembro 2012

O mundo vai se acabar

E, afinal, o mundo vai se acabar ou não vai? Que vai se acabar, vai. Quando, não sabemos. Como e quando termina a história da humanidade, nós não temos nenhum conhecimento. E não fica bem ficarmos marcando dia, ou tentando adivinhar quando. Ou inventando como. Jesus foi claro quando nos disse: "Quanto a esse dia e a essa hora, ninguém sabe nada, nem os anjos do céu, nem o Filho. Somente o Pai é quem sabe" (Mt 24,36).

O que sabemos é que no final dos tempos, Jesus virá para "julgar os vivos e os mortos". E então ressuscitarão todos os filhos de Deus. E Jesus entregará tudo e todos ao Pai, como um grande presente. Também sabemos que nos cabe sempre uma atitude de vigilância, de responsabilidade. Porque não sabemos o dia nem a hora. E ainda sabemos que não nos cabe ficar calculando quando e como isso será. Só o Pai sabe, disse Jesus. Nem os anjos, nem o Filho.

Mas, de vez em quando na história, aparece alguém anunciando o fim dos tempos e aterrorizando o povo com profecias catastróficas. Nostradamus, no século 16, previu que o eclipse solar do dia 11 de agosto de 1999 seria a vinda do Grande Rei do Terror. Ufólogos avisaram logo que os ETs estavam chegando para nos salvar. Astrólogos e esotéricos falaram de grandes transformações no planeta. "Cristãos" fanáticos acharam que estava tudo escrito no Apocalipse: e chegara o dia. Por graça de Deus, o fim anunciado não veio. Agora, marcaram para 21 de dezembro de 2012, com base em um dos calendários dos Maias. E o filme 2012 espalhou o medo pelos quatro cantos do mundo, anunciando um dilúvio global.

A própria leitura fundamentalista da Bíblia tem levado muita gente a viver com medo. São textos que falam do fim do mundo. Mas, os textos das Escrituras Sagradas não querem meter medo em ninguém. Daniel, no capítulo 8, refere-se ao fim da opressão de Antíoco IV: Deus vingando o  seu povo. Isaías 13 apresenta o Dia do Senhor como o castigo da Babilônia que destruiu e exilou o seu povo. E os Evangelhos, a começar de Marcos 13, apresentam a destruição de Jerusalém pelos exércitos romanos. Essas profecias animaram a fidelidade, a resistência e a luta do povo oprimido diante da Síria, da Babilônia e de Roma. Para essas potências opressoras, chegou o dia do julgamento, o fim de suas más obras. O fim do mundo, nessas profecias, é o dia da libertação dos pobres e oprimidos.

O certo é que nossa vida está nas mãos de Deus. Cristo Jesus é o Cordeiro que recebeu do Pai, por sua ressurreição, o poder de abrir as páginas lacradas da história. Tudo está em suas mãos, debaixo do seu poder, sob o seu comando. Ele é o senhor da história. E quando o fim vier, reinaremos com ele. Já está escrito: o final da história será de felicidade para os filhos de Deus. Mas, ao que tudo indica, o fim não é agora.

 P João Carlos Ribeiro