08 setembro 2011

Como enfrentar as ofensas

Problemas nunca faltam na vida da gente. Dificuldades de relacionamento, pessoas difíceis, traições, difamações, ofensas...
e disso ninguém se livra. O próprio Jesus não teve sorte na escolha dos seus amigos mais próximos, os apóstolos. É a vida. O importante é saber como proceder para resolver esses problemas, como enfrentar ou conviver com essas situações.

Quando a gente se depara com um problema desse tipo (ofensa, difamação, injúria, traição, atitudes covardes, desrespeito, desonestidade,...) praticado por alguém de nossa confiança, de nosso círculo de amizade, aí o sofrimento é realmente muito grande. Vem um sentimento de desilusão, de revolta, raiva, vontade de se vingar, de ir à forra, de pagar o mal com o mal. Tem gente que passa a ignorar a existência daquela pessoa, torna-se indiferente, corta relações, faz de conta que ela não existe. Outros desejam logo todo mal que puderem contra quem lhes ofendeu:  que morra, que seja preso, que quebre a cara, que o diabo o carregue!

Qual será a atitude mais correta diante de alguém de sua amizade, de sua família, de sua comunidade, que cometeu uma falta grave ofendendo você, traindo sua amizade, causando-lhe prejuízo e infelicidade? Que ensinamentos tem a Palavra de Deus a esse respeito?  A esse propósito, poderíamos colher ao menos três princípios. O primeiro: Você é responsável pelo bem do outro. Está no profeta Ezequiel (Ez 33,10): Se você deixar de corrigir alguém, deixando assim de contribuir para que ele possa entender seus erros e se corrigir, você fica corresponsável pelo fracasso final dele. Você é responsável pelo bem do outro. Tem obrigação de corrigi-lo, de chamar a atenção dele ou dela sobre o mal que praticou.

O segundo princípio que pode iluminar uma correta atitude diante de quem lhe ofendeu é este: Mesmo que ele erre, continua valendo o mandamento do amor ao próximo. O amor é o cumprimento perfeito da lei de Deus, diz a carta aos Romanos (Rm 13,10). O amor ao próximo é um débito que a gente tem para com os outros. Mesmo errado, fazendo-lhe o mal, continua sendo seu irmão, sua irmã, a quem você deve querer bem, amar, como a si mesmo. Aliás, como disse Jesus, é aqui que o cristão faz a diferença. Se a gente só ama quem nos faz o bem, em que nossa fé nos faz melhores do que qualquer outro?!

O terceiro princípio é este: antes de qualquer atitude mais enérgica, como é o rompimento ou outras providências cabíveis, é preciso esgotar todas as possibilidades de diálogo. Disso falou Jesus (Mt 18), quando sugeriu, que nessas situações, se procurasse, por primeiro, um diálogo pessoal com o interessado. Ele recomendou: fale a sós, procure mostrar o erro daquela pessoa. Diálogo não é gritaria, ameaças, agressão física. Diálogo é abrir o jogo e mostrar como você está vendo e sentindo a situação. E escutar o que outro tem a dizer. Não dando certo essa tentativa, junte algumas pessoas e tente de novo. Se essa nova tentativa de diálogo, assistida e participada por outros amigos, não der certo, leve o caso à comunidade cristã. Se nem à comunidade der ouvidos, paciência. Trate-a como uma pessoa pagã, sem mais comunhão com você.

Três orientações da Palavra de Deus para nos ajudar a enfrentar esse problema. Temos que corrigir que está errado. Devemos sempre tratar as pessoas com respeito e consideração, mesmo quem errou. Quem foi ofendido, deve recorrer primeiro ao diálogo, a sós, em grupo e na comunidade. E só depois disso é que está liberado para tomar outras providências, mas sempre sem ódio e sem espírito de vingança.

Pe. João  Carlos – 08.09.2011

3 comentários:

  1. Muito bom.
    Gostaria de ouvir aquele sobre Missa.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo9/9/11 13:16

    o fato é que ser ofendido doe mais do que ofender. Quando nos deparamos com essas tristezas o que mais se fortalece é a fé, por isso creio que de todo mal Deus tira um bem, na dor, desespero e agonia nos encontramos tao fortemente com Deus que podemos ouvi-lo falar no fundo do coração,como? quando temos a ciencia de parar de chorar e seguir em frente. Cada pe a frente do outro e damos assim um passo, é assim na vida de quem foi magoado, traido, mal tratado, um passo por vez, porque nao estamos sozinhos, Deus caminha conosco.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo9/9/11 13:18

    o comentario acima nao e anonimo por um erro postei errado, meu nome e Sandra Cristina, sou de São Paulo e recebi essa mensagem linda de alguem que amo muito meu tio Antonio Belo.

    ResponderExcluir

E você, o que pensa sobre isso?