PE. JOÃO CARLOS - BLOG DA MEDITAÇÃO DA PALAVRA: A SANTIDADE DA VIDA CONJUGAL

A SANTIDADE DA VIDA CONJUGAL




10 de junho de 2022

Sexta-feira da 10ª Semana do Tempo Comum



EVANGELHO



Mt 5,27-32

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 27“Ouvistes o que foi dito: ‘Não cometerás adultério’. 28Eu, porém, vos digo: Todo aquele que olhar para uma mulher, com desejo de possuí-la, já cometeu adultério com ela no seu coração. 29Se o teu olho direito é para ti ocasião de pecado, arranca-o e joga-o para longe de ti! De fato, é melhor perder um de teus membros, do que todo o teu corpo ser jogado no inferno.
30Se a tua mão direita é para ti ocasião de pecado, corta-a e joga-a para longe de ti! De fato, é melhor perder um dos teus membros, do que todo o teu corpo ir para o inferno.
31Foi dito também: ‘Quem se divorciar de sua mulher, dê-lhe uma certidão de divórcio’. 32Eu, porém, vos digo: Todo aquele que se divorcia de sua mulher, a não ser por motivo de união irregular, faz com que ela se torne adúltera; e quem se casa com a mulher divorciada comete adultério”.



MEDITAÇÃO

Não cometerás adultério (Mt 5, 27)

Nós, seguidores de Jesus, acolhemos, com gratidão, a Lei da Aliança que Deus deu a Israel. No Sermão da Montanha, Jesus tomou alguns pontos da Lei e os explicou, aprofundando o nível de exigência no seu cumprimento. Na observância dos mandamentos, ele acentuou duas coisas: que seja expressão de nossa aliança com Deus e do respeito e do amor que devemos ao nosso próximo.

Não cometer adultério. É um dos mandamentos da Lei que Deus deu ao seu povo, no Sinai. Nesse assunto do adultério, que toca tanto o homem como a mulher, Jesus, de maneira especial, tomou a defesa da mulher. A Lei ordena: “Não cometerás adultério”. Perfeito. Mas, não cometer adultério é também não desrespeitar a mulher com um olhar malicioso ou expor a esposa ao adultério ao mandá-la embora de casa.

O evangelho de Jesus exalta o casamento, como participação no amor de Cristo e da Igreja. Anuncia a indissolubilidade desse laço que une homem e mulher, segundo o propósito de Deus. Abençoa o esforço de fidelidade dos esposos e o seu compromisso com a geração e a educação cristã dos seus filhos. Repreende, portanto, o adultério, a traição e a vida conjugal sem entrega e sem compromisso.

Vivemos hoje em uma sociedade pluralista, com muitas opções sendo pregadas e defendidas. Nem todo mundo acredita nas mesmas coisas que nós acreditamos. O nosso modo de ver a família, o casamento, a vida sexual, como também a vida social, a economia, o trabalho, tudo isso encontra cada dia mais resistência e oposição. O ensinamento de Jesus e da Igreja é criticado, desprezado, rejeitado, por vezes.

Os valores que defendemos estão alicerçados na Palavra de Deus e na Tradição viva da fé. Não são invenções do Papa, dos padres ou de algum movimento religioso tradicional. Defendemos a vida, desde sua concepção até a sua morte natural. Não estamos de acordo com a promiscuidade sexual. Pregamos a castidade de solteiros e casados. Não temos dúvida que o verdadeiro casamento só pode acontecer entre homem e mulher. São valores, são princípios, são bandeiras que nascem de nossa fé, enraizados na revelação bíblica e no ensinamento dos apóstolos de ontem e de hoje.

Que não pensem igual a nós, tudo bem. O desastre será se nós, por conta de opiniões contrárias, renunciarmos ao modo cristão de ver a vida e o mundo. Triste será se os cristãos esquecerem sua fé, desprezarem os ensinamentos de Cristo e embarcarem na onda forjadora de opinião dos grandes meios de comunicação e de grupos de pressão social. Já pensou se os cristãos trocarem o evangelho pela pregação que fazem hoje as novelas contra a família, contra o casamento, contra a santidade da vida sexual?




Guardando a mensagem

Um seguidor de Jesus, nesta sociedade em plena crise de valores, não pode ser uma pessoa que pensa com a cabeça dos outros e edita sua opinião, segundo os ventos da moda ou da pressão social. São Paulo foi bem claro: "Não se conformem com esse mundo, mas transformem-se, renovando sua maneira de pensar e julgar, para que possam distinguir o que é da vontade de Deus, a saber, o que é bom, o que lhe agrada, o que é perfeito" (Romanos 12,2). Está claro demais. Não se conformar a esse mundo, isto é, não assimilar suas fraquezas e seus defeitos, não se moldar à sua imagem, mas antes, transformar-se, assimilando uma maneira de pensar e de agir de Deus. E isso vale particularmente para a nossa compreensão do casamento entre o homem e a mulher, o dom da sexualidade e a santidade da vida conjugal.

Não cometerás adultério (Mt 5, 27)

Rezando a palavra

Senhor Jesus,
ser cristão da porta da Igreja pra dentro até que não é tão difícil. Agora, ser cristão da porta da Igreja pra fora, aí a coisa se complica. O mundo tem uma pregação sobre a família: cada dia mais destrói as suas bases e os seus fundamentos. E muitos cristãos casados embarcam no mundo da infidelidade ao leito conjugal, no adultério. E jovens cristãos aventuram-se a coabitar, em completo desrespeito à sua vocação de esposos e pais. Tu, Senhor, nos alertaste que o adultério começa com o olhar malicioso, o linguajar obsceno, o desrespeito à mulher. Dá, Senhor, que os irmãos e irmãs unidos pelo matrimônio, santifiquem o seu leito conjugal, procurando, na tua graça, viver o amor verdadeiro, que pede comunhão, paciência, diálogo, perdão. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Não vão lhe faltar oportunidades, hoje, pra você conversar com alguém sobre este tema do evangelho, a santidade da vida conjugal.

Comunicando

Estive ontem, em Garanhuns, no agreste meridional de Pernambuco, em Show-Mensagem, nos festejos de Santo Antonio. Amanhã, em Juazeiro do Norte, celebro a Santa Missa com os ouvintes da FM Padre Cícero, às 18 horas, no Santuário do Sagrado Coração de Jesus. 

Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

8 comentários:

  1. Bom dia Padre João Carlos. Deus lhe abençoe infinitamente e lhe dê saúde e paz neste dia. Tenha uma sexta-feira muito feliz e cheia das bênçãos do Senhor Jesus em sua vida...
    Fique com Deus...

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Padre João, peço oração para restauração da minha família.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Padre.sou jacinta Maria, agradecer que retornou as as mensagens com evangelho.
    seu parabéns novamente Deus no comando de todas as sua situação ilumine abençoe o Espírito Santo cada vez mais forte em você amém 🙏👏👏👏👏👏👏👏👏obrigado por ter vindo para Fortaleza.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia! Padre João Carlos obrigada pelo a meditação de todos os dias, sou muito grata em poder compartilhar com mais pessoas, que Deus lhe der muita saúde

    ResponderExcluir
  5. Amo de coração suas meditações me leva a viver no caminho de Deus. Deus abençoe sempre sua vida Maria Santíssima cuida do senhor sempre 🕯️❤️🙌🙏🙏🌹🌹🌹

    ResponderExcluir
  6. Padre,tinha uma amiga mais q uma irmã.Um dia descobri que o sobrinho dela tinha um relacionamento com um padre muito amigo de nossas famílias na paraquia.Nao comecei até hoje o assunto.Ela afatou_de mim.Me ajude sinto falta dela ,mas não aceito este comportamento jamais.Espero que um dia Deus lhe toque o coração.

    ResponderExcluir
  7. Ó Deus, governai com amor a VOSSA Igreja, eu LHE agradeço por ser cristão. Todavia, me ensine seguir o caminho do profetismo, do discipulado, do zelo, da pureza, da aliança e da obediência. Me ensine ouvir, aprender, viver e pregar a VOSSA palavra. Me ensine viver na VOSSA presença. Me ensine vencer o sofrimento e o pecado. Isso eu LHE peço por Cristo Nosso Senhor. Amém.

    ResponderExcluir
  8. Padre, meditando suas orientações, compreendo o contexto geral de Cristo e da Igreja como regra disciplinar e de fé geral, porém, discordo nas exceções, a homosexualidade não é uma opção, é algo que nasce com a pessoa, é sentimento, isso não quer dizer promiscuidade, condenação. Milhares de mulheres vive casamentos abusivos, vítimas da violência doméstica e familiar, o feminicídio é uma realidade, fruto deviam sociedade de dominação dos homens. Há muita hipocrisia. Há processos de dissolução de casamentos da história da igreja de Reis e ricos, pelo seu poder de classe social. Há casais homoafetivos cristãos com muito testemunho de amor a Deus e ao próximo, há padres cometendo adultérios, pois são casados com Cristo, a igreja. Enfim a regra máxima é o amor, o perdão, a misericórdia e a vossa justiça deve ir além dos fariseus, saduceu, a lei está a serviço das pessoas. E sei que é muito difícil, mas respeitar as individualidades do outro não é ser contra casamentos, a família, ou princípios da fé, o Papa Francisco vem sinalizando muito isso, porque negar a comunhão a Cássia separamos? Por que negar o batismo a uma criança de mãe solteira? Por que acirrar a homofobia, discriminação, preconceitos? Mas pregar as armas, violências, ódio em pupilo dê igrejas? Tantas erros que nossa amada igreja praticou no decorrer da história e Jesus continua cuidando e a amando. Gilma Rossafa, Cristã católica. Senhor eu não sou digna de sua morada, mas dizei uma palavra e serei salva. Misericórdia de mim, de nós Senhor.

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião.
Desejando comunicar-se em particular com o Pe. João Carlos, use esse email: padrejcarlos@gmail.com ou o whatsapp 81 9.9964-4899.

Postagem em destaque

A AFLIÇÃO DE UMA MÃE

25 de junho de 2022 Imaculado Coração de Maria EVANGELHO Lc 2,41-51 41Os pais de Jesus iam todos os anos a Jerusalém, para a festa da Páscoa...

POSTAGENS MAIS VISTAS