02 fevereiro 2019

ENCONTREI JESUS, ENCONTREI A LUZ

O pai e a mãe de Jesus estavam admirados com o que diziam a respeito dele (Lc 2, 33)

02 de fevereiro de 2019.

Dois de fevereiro, dia da apresentação do Senhor e da purificação de sua mãe. Para celebrar essa festa, lemos, hoje, uma página maravilhosa do evangelho de São Lucas, no capítulo 2. Festejamos a mãe e o filho. A apresentação do Senhor e a purificação de Maria. 

Maria e José levam o seu bebê para ser apresentado no Templo ou, melhor, para ser consagrado ao Senhor. Em Israel, todo primogênito masculino era de Deus. Os primeiros machos nascidos no rebanho eram reservados para o Senhor e oferecidos em sacrifício. Já os meninos primogênitos eram resgatados, com a oferta de um carneiro ou ave em seu lugar. Esse rito mantinha viva a memória da aliança com Deus. O Senhor tinha agido em defesa do seu povo, naquela noite da morte dos primogênitos do Egito. 

Havia também um compromisso da jovem mãe de purificar-se, segundo o que a lei mandava, 40 dias após o parto. A purificação também consistia em sacrifícios de animais oferecidos a Deus. Por este rito, sublinhava-se o reconhecimento de que a vida é dom de Deus. Esse fato da purificação de Maria é celebrado hoje em muitas comunidades, com diversos títulos: Nossa Senhora da Purificação, da Luz, das Candeias ou da Candelária. E tudo porque a criança foi saudada como luz de todas as nações, pelo idoso Simeão. 

O profeta Malaquias tinha falado da chegada do Messias ao Templo. Ele viria para purificar o seu povo, os seus sacerdotes. Assim, poderiam oferecer coisas santas a Deus. De fato, a missão de Jesus foi purificar o seu povo dos seus pecados. Simbolicamente, o Templo é o lugar da purificação, feita pelo sacrifício da vida de animais. Jesus oferecerá sua vida em sacrifício, será o cordeiro de Deus oferecido, pelo qual será feita a purificação dos nossos pecados. 

O idoso Simeão alegrou-se muito ao ver o menino Jesus chegando. Movido pelo Espírito Santo, bendisse a Deus por este encontro maravilhoso com o Messias que deu sentido à sua longa vida. Tomou o menino nos braços e louvou a Deus por ter enviado, em Jesus, a luz para todas as nações. Seria essa a missão de Jesus. Mas, a custa de muitos sofrimentos, é verdade. Nem todo mundo iria recebê-lo. Ele seria um sinal de contradição: uns iriam cair e outros se levantar. No canto de Maria, está o mesmo pensamento: Deus ergue os humilhados e derruba os poderosos. 

A profetisa Ana, de 84 anos, também chegou louvando a Deus. E saiu falando do menino a todo mundo de bem. A própria idade de Ana já era uma declaração sobre o dia da redenção que havia chegado, com aquele menino. Ao cabo de 40 anos de peregrinação, o povo entrou vitorioso na terra da promessa. Era o caso dela, que já vivera 40 + 40. Tinha um pouco mais de 80 anos. Com Jesus, chegara a hora da terra prometida.

Guardando a mensagem

Consideremos o menino Jesus, nos braços de Maria, chegando ao Templo, tendo ao lado o seu pai José. A chegada do menino Jesus no Templo é uma apresentação de sua pessoa. Simeão, movido pelo Espírito Santo, nos diz quem é Jesus: ele é a luz de todas as nações. Também nos revela Maria: ela, como portadora da luz, participa também do seu sofrimento: uma espada vai transpassar a sua alma. Consideremos também a acolhida que foi dada a esta criança na entrada do Templo. E imitemos Simeão e Ana, nesta acolhida a Jesus. Eles, movidos pelo Espírito Santo, reconheceram o Senhor e o anunciaram com grande alegria. 

O pai e a mãe de Jesus estavam admirados com o que diziam a respeito dele (Lc 2, 33) 

Rezando a palavra 

Senhor Jesus, 

Tua santa mãe, em sua imagem de Nossa Senhora das Candeias, está carregando-te ao colo e segurando uma luz. Na verdade, tu és a luz verdadeira que ela está carregando e nos apresentando. “Quem te segue, não anda nas trevas”. Ela mesma está iluminada por ti. Tua mãe é a senhora da luz, da candelária, das candeias. Faz-nos, Senhor, acolher-te hoje, como Simeão e Ana: na fé, na alegria e no compromisso missionário. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém. 

Vivendo a palavra

Preste atenção hoje aos idosos de sua família. Reconhecer Jesus e espalhar a alegria do encontro com ele é o que enche uma vida de sentido. 

Pe. João Carlos Ribeiro – 02.02.2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E você, o que pensa sobre isso?