09 dezembro 2018

A OBRA NÃO PODE PARAR

Preparem o caminho do Senhor, endireitem suas veredas (Lc 3, 3)

09 de dezembro de 2018.


Quando estavam duplicando a BR 101 que corta o estado de Pernambuco, anos atrás, eu transitava por ela com uma preocupação. Será que vão retificar essa rodovia, evitando, por exemplo, que não passe mais por dentro das cidades? Será que vão atenuar tanta curva e tanto sobe e desce? Bom, até que fizeram muita coisa. E a estrada ficou bem melhor. E melhorando a estrada, melhoram o transporte, os restaurantes à margem da rodovia, o fluxo turístico e comercial. Estrada é progresso, é desenvolvimento. Uma boa rodovia melhora tudo por onde passa. 

O evangelho desse segundo domingo do advento fala de estrada. Uma estrada que precisa ser acertada, reformada. João Batista, cumprindo a missão recebida de Deus, percorre toda a região do Jordão, pregando um batismo de conversão para o perdão dos pecados. O que ele está fazendo realiza a profecia de Isaías: ‘a voz que grita no deserto mandando o povo preparar o caminho do Senhor, endireitar as suas veredas’. 

No antigo testamento, o profeta Baruc já tinha passado essa ordem de Deus: preparar a estrada para a volta dos exilados que regressariam a Jerusalém. Ele falava de abaixar os montes, encher os vales, aplainar a terra. É uma forma de dizer que precisavam consertar um bocado de coisa na vida do país para receber o povo que estava voltando do exílio. 

No tempo de João Batista, quem está para chegar é o Messias. João é o ‘engenheiro civil’ que está projetando e executando a retificação da estrada da vida do seu povo para receber o Messias que está chegando. Estava escrito assim no profeta Isaías: ‘Todo vale será aterrado, toda montanha e colina serão rebaixadas; as passagens tortuosas ficarão retas e os caminhos acidentados serão aplainados’.

Em que consistia reformar a estrada para receber Jesus? João dizia logo: ‘vocês deixem de roubar, ajam com honestidade; larguem o egoísmo e cuidem de ser solidários com os mais pobres’. E assim ia a ladainha de João indicando ao povo que acertasse a própria vida, como quem ajeita uma estrada cheia de curvas e de subidas e descidas desnecessárias. Mas, não é só a vida privada que precisa de conserto, de conversão. Também a vida pública precisa de conversão. Por isso, João queria que o rei Herodes consertasse sua vida matrimonial escandalosa. Consertar a estrada para o Messias passar na sua chegada. 

Guardando a mensagem

‘Conversão’ é a palavra-chave deste segundo domingo do advento. Conversão é mudança de vida. No evangelho de hoje, o profeta João que pregava um batismo de conversão para o perdão dos pecados está comparado com o ‘engenheiro civil’ que está comandando a reforma de uma estrada. Tem muita coisa para ser consertada na vida de cada um e na vida do país. A obra da estrada é a obra da conversão. Mas, não fiquemos olhando apenas para o tempo de João, porque a obra da estrada é hoje, aqui e agora. Em mim, em você, na sua família, em nossa cidade. A hora é de recuperar, retificar, consertar a estrada. A hora é de conversão. O Senhor está chegando.

Preparem o caminho do Senhor, endireitem suas veredas (Lc 3, 3)

Rezando a palavra

Senhor Jesus, 


Neste tempo de advento, aquecemos o nosso coração com a certeza de tua vinda: já vieste uma primeira vez, vens sempre ao nosso encontro e virás definitivamente no último dia. Teu profeta João Batista está nos mandando preparar o caminho, endireitar as curvas, restaurar a estrada de nossa vida para a tua chegada. Entendemos, então, que é tempo de conversão, de mudança de vida. Assiste-nos, Senhor, neste caminho de conversão, com o teu Santo Espírito. Que a nossa vida seja uma boa estrada, pela qual tu possas vir ao encontro de muita gente, com teu evangelho de paz e de perdão. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém. 

Vivendo a palavra 

Sabe de uma coisa que você já devia ir pensando nesta preparação para o natal? A confissão. Arrumar um jeito de se confessar, daqui para o natal. Afinal, é hora de endireitar as veredas tortas. 

Pe. João Carlos Ribeiro – 10.12.2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E você, o que pensa sobre isso?