10 junho 2018

VOCÊ, BARNABÉ E SAULO

Curem os doentes, ressuscitem os mortos, purifiquem os leprosos, expulsem os demônios (Mt 10, 8)
11 de junho de 2018.
Hoje, dia de São Barnabé, apóstolo da primeira geração de cristãos, a Igreja recorda as palavras de Jesus no envio missionário dos seus discípulos, no evangelho de Mateus. Barnabé foi designado para visitar a comunidade que estava se formando em Antioquia. Ele ficou encantado com o que o Espírito já tinha feito naquela comunidade e foi atrás de Saulo, que vivia em sua cidade de Tarso. Saulo estava convertido, mas não tinha se aventurado ainda no trabalho missionário. Barnabé o convenceu a ir com ele, para Antioquia. Os dois atuaram durante todo um ano naquela nova comunidade e depois, seguindo o impulso do Espírito Santo, foram enviados e partiram em missão para outras cidades.
Jesus, enviando os discípulos lhes disse: “Em seu caminho, anunciem: o Reino dos Céus está próximo”. A proximidade do Reino, este é o conteúdo da pregação da Igreja, a boa notícia  a ser proclamada com palavras e com ações de atenção e solidariedade. Não é que o Reino vai chegar. É que já chegou. É que o tempo da espera se cumpriu e, agora, o Reino está próximo de nós, pertinho de nós, ou, como disse Jesus, no meio de nós, entre nós. As palavras anunciam esta proximidade do Reino, do reinado de Deus. As ações exprimem essa verdade.
E, neste envio, toda a atividade dos missionários que anunciam o Reino está expressa em quatro ações: “Curem os doentes, ressuscitem os mortos, purifiquem os leprosos, expulsem os demônios”. Quatro, porque o número ‘quatro’ cobre toda a realidade, como os quatro pontos cardeais que apontam em todas as direções. Como meditamos ontem, a ação de Jesus é, finalmente, a restauração da pessoa humana criada por Deus e desfigurada pelo pecado, a reconstrução de um povo livre em aliança com Deus. Os doentes, os mortos, os leprosos, os possuídos pelo demônio são a representação da condição em que Jesus encontra o seu povo. É só lembrar as palavras do Mestre para nos darmos conta disso: “Não são os sadios que precisam de médico. Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores”.  A missão é levantar o irmão caído, é recolocar de pé o filho de Deus pela solidariedade, pela vitória sobre a morte e a dominação do mal, pela inclusão social e pelo perdão ao pecador. E assim constituir a comunidade dos libertos, um povo redimido em comunhão com Deus. É a grande família que está reunida ao redor de Jesus, em sua casa.
Vamos guardar a mensagem
Anunciar o Reino com palavras e ações é a missão de Jesus. Missão que ele compartilha com os seus missionários, os seus enviados. “Como o Pai me enviou, eu envio vocês”. E a missão que ele inaugurou não terminou ainda, continua no tempo e na história pela palavra e pelas ações dos seus discípulos, de sua Igreja, pelas nossas mãos. É importante que você se dê conta, cada dia mais, que você é também responsável pela missão. E o que você pode fazer, ninguém pode fazer por você. Barnabé aceitou o desafio da missão e foi acompanhar a comunidade nascente de Antioquia. E, fez mais, foi atrás de Saulo e o convenceu a ir também para a missão com ele. Hoje, quem é você, Barnabé ou Saulo?
Curem os doentes, ressuscitem os mortos, purifiquem os leprosos, expulsem os demônios (Mt 10, 8)
Vamos rezar a palavra
Senhor Jesus,
Celebrando hoje o apóstolo Barnabé, colega de Paulo no trabalho missionário, nos damos conta que todos nós, teus discípulos, fomos encarregados de levar adiante a tua missão. Na verdade, nosso encargo é de participar contigo de tua missão, pois continuas ativo e presente entre nós. E essa é precisamente a obra do teu Santo Espírito: atualizar a tua presença, as tuas palavras e os teus gestos de salvação em nós e por nós, tua Igreja. Dá, Senhor, a nós - os pastores e todo o povo fiel -  a fecundidade no anúncio do evangelho e a força do testemunho que convença e conquiste a muitos para o teu santo Reino. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vamos viver a palavra
Você já tem o seu diário espiritual?  Não se assuste, este é um nome pomposo para uma coisa simples: um caderno de anotações. Também a vida espiritual precisa de uma certa organização, sistematicidade. Ter um lugar certo para anotações e fazer o esforço de registrar alguma coisa é importante para apoiar um ritmo de crescimento. Bom, hoje você tem uma tarefinha para o seu diário espiritual, uma pergunta para responder: Hoje, quem é você: Barnabé ou Saulo?
Pe. João Carlos Ribeiro – 11. 06.2018