Mostrando postagens com marcador ninguém jamais falou como esse homem. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ninguém jamais falou como esse homem. Mostrar todas as postagens

06 abril 2019

SER CRISTÃO É UMA DECISÃO

Ninguém jamais falou como este homem (Jo 7, 46)
06 de abril de 2019.
Uns, contra. Outros, a favor. Uns diziam que ele era um profeta, o messias, quem sabe. Outros duvidavam: o Messias não viria da Galileia, mas de Belém. Os guardas foram prendê-lo a mando dos sumo-sacerdotes. Não tiveram coragem. Nicodemos pediu calma no Sinédrio. Os contra xingaram o povo de ignorante e maldito. E mandaram Nicodemos estudar mais as Escrituras. Uns, contra. Outros a favor de Jesus.
O velho profeta Simeão tinha dito a Maria que o seu filho seria um sinal de contradição, quando os pais levaram a criança para o resgate do primogênito no Templo. “Eis que este menino foi posto para queda e para o soerguimento de muitos em Israel e como um sinal de contradição” (Lc 2, 34).  
Os guardas, ao explicar às autoridades o fracasso de sua missão de prender Jesus, disseram uma coisa impressionante: “Ninguém jamais falou como esse homem”. De fato, as reações narradas nesse texto foram reações depois de ouvirem as suas palavras. E que palavras foram essas? Elas estão um pouco antes e um pouco depois desse texto de hoje.
O que Jesus estava pregando tem a ver com a festa que eles estavam celebrando, a festa das Tendas (o mesmo que festa das Cabanas). A festa das Tendas era uma das três grandes peregrinações do ano (Páscoa, Tendas e Pentecostes). Essa festa celebrava o cuidado de Deus com o seu povo, manifesto de maneira especial quando ele peregrinava no deserto e morava em tendas. A festa é celebrada em sete dias de preparação, com a grande festa no oitavo dia. Nessa festa, havia importantes ritos da água, do pão e da luz. Deus que cuidou do seu povo no deserto providenciou-lhe água tirada da rocha, o maná que caía do céu e o acompanhamento da coluna luminosa.
As palavras de Jesus nesse contexto da festa das Tendas foram: “Quem tiver sede, venha a mim e beba”. Ele é a água da vida. “Eu sou a luz do mundo”. Quem o segue, não anda nas trevas. “Eu sou o bom pastor. Dou a vida pelas minhas ovelhas”. Jesus é o pastor enviado pelo Pai para cuidar do seu rebanho. São palavras que atualizam a proximidade de Deus que cuida com carinho do seu povo, nos momentos difíceis de sua história. Palavras que encantam.
E por que temos pessoas que se posicionam contra Jesus? Os do contra – os grupos que controlavam o Templo (fariseus, saduceus e anciãos) estavam movidos pela defesa dos seus interesses de controle da religião, do templo e do povo. Junte-se a isso o ciúme, a inveja e o preconceito. Preconceito contra a região da Galileia, preconceito contra o povo, taxado de ignorante da Lei e raça maldita. Contra também estavam elementos do povo influenciados pelos fariseus ou pelos poderosos senhores de terra, os anciãos. Esses fecharam o coração para Jesus e para suas palavras reveladoras da proximidade de Deus.
Guardando a mensagem
Hoje, é difícil alguém falar contra Jesus, em nosso mundo ocidental. Mas, ninguém se engane. Não falam mal de Jesus, mas atacam a sua Igreja, desprezam seus ministros, ridicularizam a fé dos mais simples. Mas, isso não é o mais triste. O mais preocupante é ver gente travestida de cristão, usando o nome de Deus em vão para defender seus interesses de poder, o seu status quo; gente movida pelos mesmos preconceitos contra os pobres e os sem oportunidade. Somos discípulos e discípulas de Jesus. Deixemo-nos encantar por suas palavras. Convertamo-nos à grande verdade que elas revelam: Deus nos ama e cuida de nós. Jesus é Deus mesmo cuidando da gente.
Ninguém jamais falou como este homem (Jo 7, 46)
Rezando a palavra
Senhor Jesus,
Quase não dá para acreditar que houvesse gente que não te admirasse, não te quisesse bem. Mas, pensando bem, vivemos num mundo onde tuas palavras e teus ensinamentos contam pouco e muita gente, mesmo batizada, vive longe dos teus caminhos. Neste sentido, ser cristão é uma decisão que se toma em resposta ao teu amor e às verdades que nos revelaste. Sendo assim, queremos hoje renovar nossa adesão à tua pessoa, ao teu evangelho, à tua Igreja. Com o teu Santo Espírito, ajuda-nos a caminhar com fidelidade nos teus caminhos. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vivendo a palavra
Já estamos, hoje, no 31º da Quaresma. Você está aproveitando bem este tempo de penitência, oração e caridade? Amanhã, vamos celebrar o 5º Domingo da Quaresma. Tome um propósito: reservar o seu melhor horário de domingo para estar em oração na Santa Missa, com a sua comunidade.

Pe. João Carlos Ribeiro – 06.04.2019

16 março 2018

PALAVRAS QUE ENCANTAM


Ninguém jamais falou como este homem (Jo 7, 46)
Uns, contra. Outros, a favor. Uns diziam que ele era um profeta, o messias, quem sabe. Outros duvidavam: o Messias não viria da Galileia, mas de Belém. Os guardas foram prendê-lo a mando dos sumo-sacerdotes. Não tiveram coragem. Nicodemos pediu calma no Sinédrio. Os contra xingaram o povo de ignorante e maldito. E mandaram Nicodemos estudar mais as Escrituras. Uns, contra. Outros a favor de Jesus.
O velho profeta Simeão tinha dito a Maria que o seu filho seria um sinal de contradição, quando os pais levaram a criança para o resgate do primogênito no Templo. “Eis que este menino foi posto para queda e para o soerguimento de muitos em Israel e como um sinal de contradição” (Lc 2, 34).  
Os guardas, ao explicar às autoridades o fracasso de sua missão de prender Jesus, disseram uma coisa impressionante: “Ninguém jamais falou como esse homem”. De fato, as reações narradas nesse texto foram reações depois de ouvirem as suas palavras. E que palavras foram essas? Elas estão um pouco antes e um pouco depois desse texto de hoje.
O que Jesus estava pregando tem a ver com a festa que eles estavam celebrando, a festa das Tendas (o mesmo que festa das Cabanas). A festa das Tendas era uma das três grandes peregrinações do ano (Páscoa, Tendas e Pentecostes). Essa festa celebrava o cuidado de Deus com o seu povo, manifesto de maneira especial quando ele peregrinava no deserto e morava em tendas. A festa é celebrada em sete dias de preparação, com a grande festa no oitavo dia. Nessa festa, havia importantes ritos da água, do pão e da luz. Deus que cuidou do seu povo no deserto providenciou-lhe água tirada da rocha, o maná que caía do céu e o acompanhamento da coluna luminosa.
As palavras de Jesus nesse contexto da festa das Tendas foram: “Quem tiver sede, venha a mim e beba”. Ele é a água da vida. “Eu sou a luz do mundo”. Quem o segue, não anda nas trevas. “Eu sou o bom pastor. Dou a vida pelas minhas ovelhas”. Jesus é o pastor enviado pelo Pai para cuidar do seu rebanho. São palavras que atualizam a proximidade de Deus que cuida com carinho do seu povo, nos momentos difíceis de sua história. Palavras que encantam.

E por que temos pessoas que se posicionam contra Jesus? Os do contra – os grupos que controlavam o Templo (fariseus, saduceus e anciãos) estavam movidos pela defesa dos seus interesses de controle da religião, do templo e do povo. Junte-se a isso o ciúme, a inveja e o preconceito. Preconceito contra a região da Galileia, preconceito contra o povo, taxado de ignorante da Lei e raça maldita. Contra também estavam elementos do povo influenciados pelos fariseus ou pelos poderosos senhores de terra, os anciãos. Esses fecharam o coração para Jesus e para suas palavras reveladoras da proximidade de Deus.
Vamos guardar a mensagem
Hoje, é difícil alguém falar contra Jesus, em nosso mundo ocidental. Mas, ninguém se engane. Não falam mal de Jesus, mas atacam a sua Igreja, desprezam seus ministros, ridicularizam a fé dos mais simples. Mas, isso não é o mais triste. O mais preocupante é ver gente travestida de cristão, usando o nome de Deus em vão para defender seus interesses de poder, o seu status quo; gente movida pelos mesmos preconceitos contra os pobres e os sem oportunidade.
Somos discípulos e discípulas de Jesus. Deixemo-nos encantar por suas palavras. Convertamo-nos à grande verdade que elas revelam: Deus nos ama e cuida de nós. Jesus é Deus mesmo cuidando da gente.
Ninguém jamais falou como este homem (Jo 7, 46)
Vamos rezar a Palavra
Rezemos com as palavras do Salmo 23 (22), o Salmo do Deus Pastor que cuida de nós.
"O Senhor é meu pastor, nada me faltará.
Em verdes prados, ele me faz repousar. Conduz-me junto às águas refrescantes,
restaura as minhas forças. Pelos caminhos retos, ele me leva, por amor do seu nome.
Ainda que eu atravesse o vale escuro, nada temerei, pois tu estás comigo.
Teu bordão e teu cajado são a minha segurança”.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém.
Vamos viver a Palavra
Já estamos, hoje, no 31º da Quaresma. Você está aproveitando bem este tempo de penitência, oração e caridade? Amanhã, vamos celebrar o 5º Domingo da Quaresma. Tome um propósito: reservar o seu melhor horário de domingo para estar em oração na Santa Missa, com a sua comunidade.

Pe. João Carlos Ribeiro – 16.03.2018