07 fevereiro 2020

PERSEVERAR NAS PROVAÇÕES

Herodes tinha mandado prender João,e colocá-lo acorrentado na prisão. (Mc 6, 14).


07 de fevereiro de 2020

No aniversário de Herodes, certamente no palácio de sua capital Tiberíades, oferece-se um banquete aos grandes da Galileia: a corte, os oficiais, os cidadãos importantes. Herodes se casara com a cunhada, Herodíades, mulher do seu irmão Filipe. Além de cunhada, a mulher era sua sobrinha. A filha dela, enteada do rei, portanto sua sobrinha-neta, boa dançarina, apresentou-se dançando na festa. A dança e os gingados da moça agradaram em cheio os convidados e o rei. Este lhe prometeu um presente, o que ela pedisse, mesmo que fosse metade do seu reino. A mãe combinou com ela que pedisse a cabeça de João Batista. O rei, mesmo entristecido com o pedido, cumpriu sua promessa. É a triste história do martírio de João Batista.

Por que o evangelho de Marcos nos conta essa história tão triste? Uma razão é ir preparando o nosso coração para a morte de Jesus. Na história de João Batista, o ódio da mulher do rei desencadeou a morte do profeta. Na história de Jesus, foi o ódio das lideranças do seu povo que o levaram à morte. Herodes mostrou-se fraco, reticente, objeto de manipulação de Herodíades. Na história de Jesus, foi Pilatos, o governante fraco e manipulado pelo Sinédrio dos hebreus. 

Por que o evangelho de Marcos nos conta essa história de tanta violência? Para podermos fazer uma comparação entre o banquete da morte e a multiplicação dos pães, o banquete da vida, que vem logo em seguida. No banquete de Herodes, o prato é a violência, a cabeça decapitada de João Batista. No banquete de Jesus, o prato é a partilha, a providência divina, a própria vida de Jesus entregue. Cinco mil homens se alimentaram com o que seria cinco pães e dois peixes.

Por que o evangelho de Marcos nos conta essa história de final tão desalentador? Para aprendermos o caminho da fidelidade com o profeta João Batista. No anúncio, ele foi claro e forte, denunciando os desmandos e o mau exemplo da vida irregular do rei e sua concubina. |João foi fiel até o fim, sem se acovardar, nem recuar na palavra que devia proclamar.

Por que o evangelista Marcos nos conta essa história? Para nos indicar que o caminho de João Batista continua no caminho de Jesus. Exatamente depois que João foi preso, Jesus voltou para a Galileia e começou a pregação, proclamando o evangelho do Reino de Deus.

Guardando a mensagem

Em todos os tempos, os profetas são perseguidos. Jesus disse que, em contraponto, os falsos profetas são aplaudidos. Lendo o fim de João Batista, nos preparamos para a paixão de Jesus. Ele tomará o caminho dos profetas, homens da verdade de Deus, que terminam incompreendidos pelo povo e perseguidos pelas autoridades. Também nos ajuda a entender a graça da multiplicação dos pães que prepara a Eucaristia: Jesus comunica vida, dando-se a si mesmo. Herodes comunica morte, poupando-se a si mesmo. João Batista foi fiel à sua missão, denunciando o erro e perseverando na provação. Esse é o caminho do cristão. Não desistir, não se intimidar diante das dificuldades. Jesus continua o caminho de João. Nós continuamos o caminho de Jesus.

Herodes tinha mandado prender João,e colocá-lo acorrentado na prisão. (Mc 6, 14).

Rezando a palavra

Senhor Jesus,

A atuação do governante Herodes, violento no exercício do poder e escandaloso em sua vida pessoal, produziu morte na história do seu povo: exploração, fome, perseguição política. É o que nos diz essa cena do martírio de João Batista. Já a tua atuação, Jesus, a atenção às necessidades daquela gente e o compromisso com Deus produziram vida na história do teu povo: acolhimento, partilha, fartura. É o que nos diz a cena da multiplicação dos pães que vem logo em seguida. Dá-nos, Senhor, tomar distância dos banquetes dos Herodes de hoje e pautarmos nossa vida e nossas opções pelo teu banquete no deserto. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vivendo a palavra

Hoje é um dia bom pra você fazer um exame de consciência. Pergunte-se, em um momento de recolhimento do seu dia, se está sendo fiel ao que Deus tem lhe confiado como missão. 

07 de fevereiro de 2020
Pe. João Carlos Ribeiro, sdb

12 comentários:

  1. Bom dia Padre João Carlos. Querido DEUS, que eu seja um instrumento verdadeiro da tua graças e que eu sempre me lembre de que Tu e só Tu és a fonte de toda graça e misericórdia. SENHOR, dá-me força para que eu seja fiel ao que Deus me confiou como missão. SENHOR, Tu que és o dono do tempo e da eternidade, daí a padre João Carlos e todos da AMA muita saúde, paz e sabedoria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Abençoado padre joão carlos e que Jesus cubra sua jornada religiosa de graças.

      Excluir
  2. Quero que Deus ajude-me a ser fiel ao que me confiaste, pois se ele mostrou, ainda não fui capaz de enchergar, de ver de olhar com meus olhos, se ainda não vi, vou continuar a procurar, pois sei que o senhor e caminho, a verdadr e a vida.

    ResponderExcluir
  3. A pergunta é...
    O que Deus quer de mim?
    Onde posso servi lo?
    Estou sendo fiel?
    Os questionamentos diários convergem ao caminho de Deus, juntamente com a Eucaristia que nos propulsiona as boas escolhas!
    Paz e bem!

    ResponderExcluir
  4. Padre João Carlos BOM DIA!!!, nossa gratidão por mais esta meditação, o sr. nem imagina o quanto me faz bem ouvir sua voz e a explicação da palavra de DEUS, nossas orações hoje são pelo sr, sua família, que o SAGRADO CORAÇÃO de JESUS os abençoe. sua bênção.

    ResponderExcluir
  5. Está reflexão me faz pensar o qto sou falha em algumas missões.
    Senhor me conduza na busca diária a ser menos falha na minha fidelidade a ti.

    ResponderExcluir
  6. Oi Padre João Carlos. Temos que ser presente na vida deles principalmente nesse tempo que vivemos de tantas informações como a tecnologia muito avançada. Temos q policiar nossos filhos. Amo teu programa. Sou de Salgueiro Pernambuco 😍

    ResponderExcluir
  7. Amém padre João Carlos, obrigada pelas suas palavras tão lindas. Deus lhe abençoe.

    ResponderExcluir
  8. Pe João Carlos boa noite,escuto com muita atenção à palavra de Deus e também a meditação da palavra nas minhas orações procuro sempre pensar no que Deus espera de mim e peço a ele que me dê força para fazer sua santa vontade. Sr eu creio mais aumenta a minha fé. Socorro Martins.

    ResponderExcluir
  9. Boa noite pé João Carlos obrigado por nós ajudar tanto em nossa caminhada , neste momento venho pedir perdão aí nosso Pai eterno pelas minhas fracesas e se não tenho cumprindo com a missão que ele me confiou só peço que Deus me dê sabedoria e discernimento para que eu continuo minha caminhada

    ResponderExcluir
  10. Amém padre João Carlos que Deus te abençoe

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião.
Desejando comunicar-se em particular com o Pe. João Carlos, use esse email: padrejcarlos@hotmail.com ou o whatsapp 81 9.9964-4899.