15 julho 2019

AFINAL, JESUS É OU NÃO É DE PAZ?

Não pensem que eu vim trazer a paz à terra; não vim trazer a paz, mas sim a espada (Mt 10, 34).
15 de julho de 2019 – Dia de São Boaventura
Estamos diante de um texto que nos deixa perplexos. Oi, então Jesus veio fazer guerra, fazer confusão? O que será isso? Os anjos cantaram ‘paz na terra’ no seu nascimento. E agora ele vem dizer que não veio trazer a paz. Não dá para entender....
Calma minha gente, calma.  Vamos tentar entender o que Jesus está nos dizendo... Ele disse que não veio trazer a paz à terra. De que ‘paz’, ele estará falando? Disse que veio trazer a espada. De que ‘espada’, estará falando?
Bom, então vamos lá. Há “paz” e “paz”. A paz de Jesus não é a paz do mundo. A paz do mundo é aquela expectativa de uma vida sem conflitos, sem traumas. Uma paz que é não mexer com ninguém, deixar como está para não complicar pro nosso lado. Jesus tinha dito na última ceia: “Eu lhes dou a paz, eu lhes dou a minha paz. Mas, não a dou como o mundo a dá”. Então, a paz de Jesus não é a paz do mundo.
A paz de Jesus também não é a paz dos dominadores. Os dominadores do tempo de Jesus, os romanos, gabavam-se de terem conquistado  a paz. Tinham imposto a paz no mundo, vencendo os povos com sangrentas guerras e reprimindo qualquer indisposição contra o seu poderio. Era a pax romana.  A paz de Jesus, com certeza, não é a paz dos dominadores.
A paz de Jesus é a paz alcançada na cruz. É a comunhão com Deus e com os irmãos, destravada na sua morte e ressurreição. Estava tudo bloqueado pelo pecado e Jesus nos alcançou a reconciliação com o Pai. Por isso, ele se apresenta comunicando a paz, exatamente depois de sua ressurreição. Resuscitado, se apresentou na comunidade e comunicou-lhes: “A paz esteja com vocês”.
Então, Jesus não veio trazer a paz como o mundo a pensa ou como os romanos a impuseram. Essa paz, ele não veio trazer. A paz de Jesus é a nossa reconciliação com Deus e com os irmãos, na sua cruz.
Mas, ele disse que veio trazer a espada. Bom, há “espada” e “espada”.  Na paz dos romanos, a espada, sua principal arma, era instrumento de guerra, violência e opressão. A paz de Jesus não tem nada a ver com a paz dos romanos, então, a espada dos romanos também não tem nada a ver com a espada de que Jesus está falando, não é verdade? Pode ver que, naquela madrugada de sua prisão, no Monte das Oliveiras, Pedro puxou a espada e feriu o servo do sumo-sacerdote. Lembra o que Jesus disse? “Guarda tua espada, Pedro, quem com o ferro fere, com o ferro será ferido”. Jesus não veio trazer a espada da violência, de jeito nenhum.
Espada tem também outro sentido. Ela significa conflito, sofrimento. O velho profeta Simeão, no Templo, com Jesus pequenino nos braços disse a Maria: “Por causa desse menino, uma espada transpassará o teu coração”. É a espada da dor, da incompreensão, do sofrimento, da perseguição. Certamente, é dessa espada que Jesus está falando.
Guardando a mensagem
Jesus está dizendo que quem se torna seu discípulo ou sua discípula não pode esperar que tudo aconteça certinho na sua vida, sem problemas, sem sofrimento. Essa é a paz da lógica do mundo, paz como ausência de conflito. Nossa escolha por Jesus não nos traz essa paz, pelo contrário, nos traz o enfrentamento, o conflito, o sofrimento. Traz-nos a espada. E isso é fácil de entender. Quando colocamos Deus em primeiro lugar, desbancamos alguém ou alguma coisa que estava tomando o lugar de Deus na nossa vida. Quando levamos a sério o mandamento do amor ao próximo, tomamos o lado dos índios, dos trabalhadores, das mulheres, dos violentados. Claro, uma fé dessas gera conflitos dentro de casa e na sociedade. O evangelho gera pessoas comprometidas com o bem, a verdade, a fraternidade e a justiça. E isso, nem todo mundo aplaude.
Não pensem que eu vim trazer a paz à terra; não vim trazer a paz, mas sim a espada (Mt 10, 34).
Rezando a palavra
Senhor Jesus,
Disseste que não vieste trazer a paz, mas a espada. De fato, seguir-te não significa que não teremos problemas e sofrimentos nessa vida. A tua paz não é a ausência de conflito, que nós tanto gostaríamos. A paz que nos trouxeste é a reconciliação com Deus e entre nós, alcançada no sacrifício de tua cruz com tanto sofrimento. A espada são as dificuldades e os sofrimentos que também nós enfrentamos pelas escolhas que fazemos contigo. Dá-nos o teu Santo Espírito para nos mantermos fiéis quando os conflitos e as dificuldades forem espada em nossa vida; firmes e perseverantes como tua santa mãe Maria, que amanhã celebraremos com a festa de N. Sra. do Carmo, ela que foi transpassada por uma espada de dor por tua causa. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém
Vivendo a palavra
Você conhece a AMA? A AMA é a Associação Missionária Amanhecer. É um povo abençoado que abraçou comigo a missão de evangelizar nos meios de comunicação. Hoje, estamos anunciando o evangelho em quase uma centena de emissoras de rádio. É a AMA que faz chegar a você com regularidade a Meditação da Palavra. Se você também quiser abraçar comigo essa causa, se ainda não o fez, me mande seu nome e seu telefone. Nós ligaremos hoje pra você. Vou deixar aqui um link pra você me responder: Você também quer ser AMA? Basta deixar seu nome e seu telefone.
Uma semana de muitas bênçãos pra você!
VOCÊ QUER SER AMA? Clique no link abaixo e, se a sua resposta for sim, ponha seu nome e seu telefone.
Pe. João Carlos Ribeiro – 15 de julho de 2019.

14 comentários:

  1. Amém ,obrigado meu Deus !
    A sua bênção padre João !

    ResponderExcluir
  2. Amém 🙏 esse dia obrigado Deus

    ResponderExcluir
  3. Amém,sua benção padre João! Obrigada por nos ensinar e fortalecer nossa fé em Jesus Cristo! Deus seja sempre louvado!!

    ResponderExcluir
  4. Amém 🙏🙏 obrigado padre por essas palavras tão lindas do evangelho de Deus. Bom dia!!

    ResponderExcluir
  5. Temos que aprender em nossas vidas que depende de uma simples palavra que se chama discernimento para que possamos ter na vida não o que queremos de melhor para nos e sim o que Deus quer para nos que e muito melhor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A paz que Jesus nos comunica não é a paz da acomodação mas sim de fazer com que a nossa doutrina seja conhecida, amada, e respeitada não é estar com um pé na barca de Jesus outra na barca que o mundo oferece não tem como servir a dois senhores ao mesmo tempo ou vc entra na barca de Jesus por inteiro ou sai de vez...

      Excluir
  6. Gostaria de compartilhar a meditação pelo whats p outras pessoas nas n consigo.

    ResponderExcluir
  7. Manda no WhatsApp
    81 99726 6461

    ResponderExcluir
  8. Pai Justo, eu LHE agradeço por mais um dia de vida. Contudo, me conceda a graça para ser prudente e fiel. Me conceda a graça para lutar contra a opressão e a injustiça. Me conceda a graça para que eu defenda a vida na sua plenitude. Me conceda a graça para ser VOSSO discípulo missionário. Me conceda a graça para lutar por um mundo melhor para todos. Me conceda a graça para amá-Lo cada vez mais. Me conceda a graça para carregar a minha cruz e segui-Lo. Me conceda a graça para renunciar aquilo que é pecaminoso. Me conceda a graça para receber melhor os profetas e os justos. Me conceda a graça para fazer caridade, principalmente aos pequeninos. Me conceda a graça para ensinar e pregar com humildade e amor. Isso eu LHE peço pela intercessão de Jesus Cristo, VOSSO querido filho e meu amado SALVADOR. Amém.

    ResponderExcluir
  9. Ana Maria16/7/19 20:30

    Amém! Fiz essa pergunta, querendo saber, mais um pouco, o que é AMA. Como posso fazer parte dessa missão?

    ResponderExcluir
  10. Ana Maria16/7/19 20:39

    Como terei essa resposta?

    ResponderExcluir
  11. Ana Maria16/7/19 20:42

    Gostaria de saber, pois me interessei por esse assunto.

    ResponderExcluir
  12. Ana Maria16/7/19 23:23

    Esssa evangelização, é com base, nessas reflexões? É através, de conteudo recebido no meu Whatsapp e repassado? Esperando resposta, Pe. João Carlos

    ResponderExcluir

E você, o que pensa sobre isso?