07 janeiro 2019

ONDE VOCÊ MORA?

O povo que vivia nas trevas viu uma grande luz (Mt 4, 16)
07 de janeiro de 2019.
O evangelho é um testemunho sobre a pessoa de Jesus. Nele, se cumpriram as profecias bíblicas. Ontem, celebrando a visita dos magos, reconhecemos o cumprimento da profecia que falava da peregrinação das nações à Jerusalém, atraídas pela glória de Deus. Hoje, podemos ver o cumprimento de outra profecia, a grande luz que brilharia na Galileia, luz para um povo em trevas.
Quando a gente conhece uma pessoa, pergunta logo de onde ela é, onde mora, não é verdade? Essa é uma coisa necessária para a gente conhecer melhor a pessoa. Jesus era um galileu do povoado de Nazaré, no norte da Palestina. Ele, já rapaz, tinha andado pelo sul e entrado em contato com o movimento do Batista. Quando soube da prisão do profeta, voltou para a Galileia. Ao invés de manter-se no anonimato ou voltar para Nazaré, foi morar em Cafarnaum e aí iniciou sua missão. Começou a pregar. Convocava o povo à conversão, a voltar-se para o Reino de Deus que estava chegando. Nessa forte presença de Jesus em Cafarnaum, na Galileia, as comunidades reconheceram o cumprimento da profecia: “O povo que vivia nas trevas viu uma grande luz”.
Galileia é uma região da terra de Jesus. A terra de Jesus é a Palestina. A Galileia ficava bem ao norte do país. Só pra gente entender melhor, grosso modo, o norte era formado pela Galileia e Samaria, e o sul pela terra de Judá, onde está Jerusalém.  Houve um tempo em que tudo foi um reino só, o tempo de Davi e Salomão. Mas depois, se formaram dois reinos: o do norte (Samaria e Galileia) e o do sul (Judá). No século VIII a.C, o reino do norte foi invadido pelos assírios, que exilaram muita gente daquela região e colonizaram a terra com estrangeiros. Assim, ficou uma região meio misturada nos costumes, na religião, na cultura. Por isso, era chamada de Galileia das Nações.
O povo do sul identificava o norte facilmente pelo sotaque. Quando Jesus estava preso na casa do Sumo-Sacerdote, um dos criados da casa identificou Pedro pelo sotaque: “Você fala igual a ele. Você é um galileu também. Você é do grupo dele!”. No tempo de Jesus, chamar alguém de “galileu” era quase uma ofensa. O povo do sul discriminava o povo da Galileia. Aliás, a discriminação já começava em casa. Natanael, também galileu, que se tornou apóstolo, ao saber da atuação de Jesus, perguntou: “De Nazaré, pode vir alguma coisa boa?“.
Boa parte da missão pública de Jesus se concentrou nesta região castigada e sofrida da Galileia, terra de judeus tidos como de segunda categoria, de gente discriminada, terra onde se cruzavam muitas nacionalidades e cultos. Há que se dizer também que a Galileia do tempo de Jesus foi a parte do país onde aconteceram mais levantes e revoltas contra a dominação do império romano.  A marca daquele povo era sofrimento e resistência. É nessa região que Jesus concentrou a maior parte de sua ação e de sua pregação. Circulava por suas cidades e vilas. Pregava em suas sinagogas. Curava muita gente.
Guardando a mensagem
Jesus dedicou a maior parte de sua missão à Galileia, uma região sofrida e desprezada. Lá, as pessoas começaram a experimentar que a sua sorte estava mudando. Com Jesus, o Messias, estava começando um novo tempo. A sua pregação anunciava o Reino e convocava o povo à conversão, isto é, à adesão ao reinado de Deus. As curas das doenças e enfermidades concretizavam a sua pregação. Por meio de Jesus, Deus estava restaurando o seu povo, libertando os seus filhos, expandindo o seu Reino.
O povo que vivia nas trevas viu uma grande luz (Mt 4, 16)
Rezando a palavra
Senhor Jesus,
Por amor, te fizeste um de nós, andando pelos nossos caminhos. Impressiona saber que cresceste em Nazaré, na Galileia, uma região pobre da Palestina. E que também dedicaste a maior parte do teu tempo de missionário ao povo sofrido da Galileia. A crise da prisão de João Batista te levou a iniciar a missão pública, começando pela mudança de endereço, indo morar em Cafarnaum.  Senhor, são muitas as pessoas que, levadas pela necessidade, mudam-se, deslocam-se para outras cidades. Que também as suas crises sejam geradoras de oportunidades. Acompanha, Senhor, a todos com a tua bênção. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vivendo a palavra
Aparecendo oportunidade, hoje, se interesse pela cidade de origem de alguém. Como no caso de Jesus, este é um dado interessante para o conhecimento da pessoa.
Seria o caso também de você dar u  ma olhada no mapa da Palestina do Tempo de Jesus que postei no meu blog: www.padrejoaocarlos.com .

Pe. João Carlos Ribeiro – 07.01.2019



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião.