01 dezembro 2018

CORAÇÕES AO ALTO!


Tomem cuidado para que os seus corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida (Lc 21, 34) 


01 de dezembro de 2018. 

Essa palavra de Jesus é impressionante. Se os nossos corações ficarem insensíveis, a manifestação gloriosa do Reino no final dos tempos vai nos pegar desprevenidos e despreparados. Como vamos escapar das provações que vêm por aí? Como vamos ficar de pé diante do Senhor Jesus quando ele chegar? 

Jesus cita três coisas que podem tornar os nossos corações insensíveis: a gula, a embriaguez e as preocupações da vida. Se a gente perder o foco do Reino de Deus, pode acabar concentrando toda energia apenas nas coisas desse mundo e fazendo delas nosso único objetivo. 

Comer é uma necessidade. É um direito alimentar-se bem. Mas, mesa farta é uma coisa, gula é outra. A gula seria a gente fazer da comida, do alimento, a nossa maior fonte de satisfação, e das festas e comilanças a grande preocupação de nossa vida. A gula é o consumo de alimento em excesso. É um acinte à penúria da maioria e um atentado à própria saúde. 

A mesma coisa pode acontecer com a bebida. E não é pouca gente que faz da bebida a sua grande satisfação e escraviza-se a ela na embriaguez. E é da embriaguez que Jesus falou nesse caso. Embriaguez é consumo de bebida alcoólica em níveis que alterem as condições físicas e psíquicas da pessoa. Consumo frequente de bebiba alcoólica, mesmo dentro de casa, é um despropósito. É uma violência ao próprio organismo, pelo comprometimento da saúde. É também causadora de graves danos à vida familiar e social. 

O mesmo se pode dizer da excessiva preocupação com os problemas do dia-a-dia… podemos nos tonar reféns deles… e nós não nascemos apenas para fazer feira, reformar a casa, levar os meninos pra escola… pagar as contas, correr atrás de uma melhora de vida… nossa condição de filhos de Deus nos reserva muito mais. 

Guardando a mensagem 

Se nossa esperança não for Deus e o seu santo Reino, o dia em que o Senhor vier ou o dia em que formos ao seu encontro, poderá nos reservar uma surpresa desagradável. E o que devia ser o encontro maravilhoso para o qual me preparei a vida inteira, pode se tornar um pesadelo. É o alerta de Jesus. Corremos o risco de ficar tão envolvidos com as coisas desse mundo, com a rotina de nossa vida ou com a busca de prazer nos vícios que poderemos perder os verdadeiros bens, a verdadeira felicidade e a eterna salvação. 

Tomem cuidado para que os seus corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida (Lc 21, 34) 

Rezando a palavra 

Senhor Jesus, 

Obrigado pelo alerta que estás nos fazendo hoje. A vida nos puxa pra cá, nos puxa pra lá. É o trabalho, a criação dos filhos, a chegada dos netos, a doença, as festas de final de ano... e a gente vai vivendo muito voltado para as urgências do momento, com o risco de esquecer que tudo isso só adquire seu sentido completo em Deus, que nos chamou à vida, nos abriu as portas da salvação e nos aguarda na eternidade. Senhor, que o excesso de preocupação, a embriaguez, o consumismo e tudo o mais não tornem estéreis os nossos corações, não nos afastem do teu amor. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém. 

Vivendo a palavra 

Com as celebrações deste domingo, que começam ao entardecer deste sábado, inicia-se o tempo do advento: quatro semanas que nos preparam para o natal. Um bom propósito da meditação do evangelho de hoje é você se programar para não perder a Missa dominical deste primeiro domingo do advento. 

Pe. João Carlos Ribeiro - 01.12.2018