23 outubro 2018

SOMOS TODOS RESPONSÁVEIS

Quem é o administrador fiel e prudente que o senhor vai colocar à frente do pessoal de sua casa? (Lc 12, 43)
24 de outubro de 2018.
Jesus estava preparando os seus discípulos para o tempo em que ele não estaria mais presente fisicamente. A esse propósito, contou muitas histórias para incentivar a estarmos vigilantes, responsáveis e comprometidos com a tarefa de cuidar de sua casa, em sua ausência. Nas histórias, o patrão sempre viaja e confia a responsabilidade dos seus bens e de sua família a um administrador. E ainda recorda que não tem dia nem hora pra voltar. No seu retorno, quer encontrar tudo organizado, casa limpa, família segura e alimentada.
Na história de hoje, ele começou fazendo a pergunta: “Quem é o administrador fiel e prudente que o senhor vai colocar à frente do pessoal de sua casa para dar comida a todos na hora certa?”. Essa pergunta nos pega de surpresa, pois estamos exatamente procurando um administrador para colocar à frente do povo brasileiro. O patrão da história estava procurando um administrador fiel e prudente.
O Papa Francisco, na encíclica Laudato Si, disse que o planeta terra é a nossa casa comum. Podemos pensar que o país é também uma casa, a grande casa do povo brasileiro. No caso desta casa chamada “Brasil”, somos nós cidadãos que estamos procurando um administrador. Na democracia, cada cidadão é corresponsável pelos destinos do país. O voto é um momento precioso em que o cidadão ou a cidadã dá a sua contribuição na escolha de projetos de governo para o país. Não escolhe só pessoas. Elege projetos. É uma hora de grande responsabilidade diante de si mesmo, da sociedade e diante de Deus.
A grande responsabilidade é fazer a melhor escolha possível. Não é só votar. O voto precisa ser o resultado de um processo de escuta, de diálogo, de compreensão da realidade e das propostas dos candidatos. O voto materializa a tomada de decisão do cidadão ou da cidadã, no final de um processo de debate que envolve toda a sociedade.
Todo cuidado é pouco para a escolha não ser induzida pela força de convencimento dos grupos financeiramente poderosos que manipulam os grandes meios de comunicação e que podem financiar enxurradas de fake news nas redes sociais. E claro, também não votar segundo o resultado das pesquisas. A verdadeira pesquisa é a da urna eletrônica. O resto é sondagem.
Para ser um voto responsável, que honre a Deus é preciso que ele seja livre e consciente. Por isso, cada um precisa se envolver no debate para entender melhor as coisas e não votar acuado pelo medo ou movido pelos preconceitos que outros destilam em seu próprio favorecimento. Não fica bem um cristão se apresentar na urna eletrônica, sem uma decisão formada, bem pensada. Um voto ‘na doida’ é um insulto à própria inteligência, uma traição à sua cidadania e uma ofensa a Deus.
Sobretudo neste momento de posições polarizadas, cada um precisa conservar a tranquilidade e a paz interior. Tomada a sua decisão, não entrar em guerra com quem pensa diferente. A palavra de ordem é tolerância, respeito. Vivemos numa país livre, graças a Deus. Mesmo pensando diferente, estamos todos no mesmo barco.
É sempre bom lembrar, o voto não é apenas numa pessoa. O voto é num projeto. Por trás da pessoa, tem partidos, setores sociais representados e uma determinada compreensão dos problemas do país, como a desigualdade social, a injustiça, o desemprego, etc. Você escolhe um projeto, o que você, em sua consciência cristã, entender como melhor para o bem do povo brasileiro. Um voto livre e consciente honra a Deus.
Quem é o administrador fiel e prudente que o senhor vai colocar à frente do pessoal de sua casa? (Lc 12, 43)
Rezando a palavra
Senhor Jesus,
Em tua história de hoje, nos ensinas que estamos responsáveis pelas nossas famílias, pelas nossas comunidades e pelo nosso país. É uma missão que tu nos confias e dela nos pedirás conta. Ajuda-nos, Senhor, a encontrar os melhores caminhos para nossa pátria, em benefício da grande maioria do teu povo em condição de desemprego, pobreza e injustiça social. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vivendo a palavra
Hoje, tire um tempinho para rezar por esta grande casa chamada “Brasil”, pela qual somos todos responsáveis.

Pe. João Carlos Ribeiro – 24.10.2018