01 janeiro 2018

JESUS CAMINHA CONOSCO


MEDITAÇÃO PARA A TERÇA-FEIRA, DIA 02 DE JANEIRO DE 2018
No meio de vocês, está alguém que vocês não conhecem (Jo 1, 26)
Novo ano iniciado. Vamos à luta. A roda já está girando. Depois da celebração do natal, agora já está no nosso horizonte a festa da epifania, popularmente chamada festa de reis. Essas são celebrações a nos falar da pessoa de Jesus. Pela encarnação, a segunda pessoa da Santíssima Trindade, o Filho, nasceu humano, do seio de Maria Virgem. O verbo se fez carne. Esse é o grande mistério do natal. Ele veio para estar conosco. É o Emanuel.
O evangelho de hoje nos ajuda a continuar meditando este mistério da presença de Jesus entre nós. João Batista está pregando no deserto e atrai a atenção de muita gente. De Jerusalém, a capital, chega uma comissão. Quer saber se ele, João, é o Messias. É o tipo da comissão que vem só para incriminar. Não havia boa vontade em que os enviou. No fim, querem saber com qual autoridade o profeta está batizando o povo. João aproveita para anunciar que ele é pequeno e está preparando o caminho de alguém muito maior. Esse, sim, renovará o povo. João se declara menos que um servo, nem merece descalçar suas sandálias. E mais: ele já está no meio do povo, “já está entre vocês”.
Quando falamos de João Batista, todos nos lembramos, ele preparou os caminhos de Jesus, preparou o povo para sua chegada. E sabemos: nessa preparação ele chamava o povo à conversão e o batizava nas águas do rio Jordão, em sinal de penitência. Mas, precisamos integrar mais alguma coisa nessa compreensão. Quando um catequista prepara um grupo de crianças para a primeira comunhão, qual é o momento mais importante? Depois de ter percorrido um caminho de encontros e atividades de preparação, durante um bom tempo, finalmente chega o dia da primeira eucaristia. O catequista prepara as crianças para o encontro com Jesus na Eucaristia e a sua tarefa se conclui bem quando as crianças encontram Jesus neste sacramento. Voltemos a João Batista. O mais importante de sua missão foi o momento em que o povo se encontrou com Jesus. Todo o seu trabalho de preparação chegou ao ponto mais alto no dia em que ele pode revelar Jesus ali presente.
Jesus já estava presente, seja porque já tinha nascido, seja porque estava entre os peregrinos que vinham a João. Graças ao trabalho evangelizador do profeta, muita gente pode entender quando ele apontou Jesus como o ‘cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo’. Tanto é verdade que dois dos seus discípulos começaram a seguir Jesus.
Vamos guardar a mensagem de hoje
A verdade do natal não é apenas que Jesus nasceu.  A grande verdade do natal é que Deus se tornou humano, fez-se Emanuel. Não é mais um deus menino. Viveu sua vida humana cheia de sabedoria e caridade e morreu condenado numa cruz. Venceu a morte, ressuscitando ao terceiro dia. Por sua morte e ressurreição, alcançou a nossa reconciliação com Deus, o Pai. Voltando ao seio da Trindade, agora com o seu corpo humano, como Deus permanece conosco. Sua presença entre nós é real, em expressões diversas, na sua Palavra, no Sacramento da Ceia, no seu povo reunido em assembleia,  no pobre e no sofredor e de tantas maneiras mais. Ele está presente. Ele está conosco. Foi esta a grande tarefa de João Batista: revelar Jesus que já estava presente.
No meio de vocês, está alguém que vocês não conhecem (Jo 1, 26)
Vamos acolher a mensagem com uma prece
Senhor Jesus,
Na Missa, o presidente da celebração repete várias vezes uma saudação especial: ‘O Senhor esteja convosco’. A resposta da assembleia reunida é “Ele está no meio de nós”. Que grande verdade esta, Senhor! Tu estás no meio de nós. Estás conosco. Assim, realizas o que prometeste: “Eis que estarei com vocês todos os dias até a consumação dos séculos”. Obrigado, Senhor, por estares conosco, por seres Emanuel. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vamos viver a palavra que meditamos
A tarefa de João Batista pode ser a nossa também. Podemos ajudar outras pessoas a descobrirem a presença de Jesus em suas vidas.  Se você ainda não o faz, hoje, compartilhe essa mensagem com outra pessoa.

Pe. João Carlos Ribeiro – 02.02.2018