BIOGRAFIA

DADOS BIOGRÁFICOS - RELEASES

Desde pequeno eu queria ser padre. Meus pais - João Ribeiro e Ana Inez (foto) - apoiaram o meu sonho. E a Providência Divina me pôs em contato com a Família Salesiana. Comecei a conhecer Dom Bosco, o grande amigo e educador da juventude. Depois de alguns anos de estudo em Jaboatão (PE) e Carpina (PE), terminei o segundo grau em Salvador (BA). Em 74, veio a hora da opção. "Eu vou", resolvi. Fui para o noviciado em Pindamonhangaba (SP). E em 31 de janeiro de 1976, fiz a minha primeira profissão religiosa. Ingressei na Congregação Salesiana. Fiz meu, o sonho de Dom Bosco: ser um sinal de Deus na vida dos jovens. 

Minha intimidade com a música começou em Carpina. O Pe. Mário Daorizi era o professor de música. Ensinava solfejo e me deu lições de piano. Ele me escalou também para cantar em operetas no teatro. Logo que cheguei, inscrevi-me na Banda Musical: depois de um ano tocando requinta, fui promovido ao naipe de clarineta. O violão, eu aprendi numa das férias, em casa, por minha conta. Cheguei em Lorena (SP) para juntar-me aos estudantes salesianos de filosofia e pedagogia, em 76. Além dos estudos universitários, atuei no Oratório São Luiz, uma obra social de crianças e adolescentes. Em 78, já estava em Carpina (PE), cumprindo uma etapa de formação chamada "Tirocínio", um Estágio pedagógico-pastoral de dois anos na formação salesiana. Em 78 e 79, funcionei ali como professor, assistente do seminário menor e coordenador do Centro Juvenil. 
Em 80, comecei os estudos teológicos em Recife. Freqüentei o ITER (Instituto Teológico do Recife) durante 4 anos. Neste período completei validei e os estudos de Filosofia. E ainda concluí o Curso de Pedagogia, com habilitação em Administração Escolar e Orientação Educacional. Na área pastoral, continuei acompanhando adolescentes e jovens em Carpina e Jaboatão. No ITER, estive à frente do Diretório Acadêmico, no ano de 81. Neste período, lançamos no ITER a Revista Perspectivas Teológico-Pastorais, onde atuei na coordenação da equipe de redação e publiquei alguns artigos. 

Em maio de 83, fui ordenado Diácono em Carpina, por Dom Jaime Mota, hoje bispo de Alagoinhas (BA). Dom Marcelo Carvalheira, hoje arcebispo da Paraíba e vice-presidente da CNBB, me ordenou padre em agosto de 83, ano vocacional da Igreja no Brasil. Como lema, escolhi a passagem de Is 6,8: "Eis-me aqui, Senhor, envia-me". Nos últimos anos de teologia, comecei a freqüentar um curso extensivo para formação de biblistas populares. Durante 5 anos, fiz o curso com um grupo de colegas, assessorado pelo biblista Sebastião Armando. Completada esta etapa do extensivo, fui a São Paulo para o curso intensivo na Faculdade Metodista, de São Bernardo do Campo. Depois de 3 anos de padre, estive também por um período em São Paulo freqüentando um curso de história da Igreja, do CEHILA (Centro Ecumênico de História da Igreja na América Latina). 

Em Recife, acompanhei passo a passo a trajetória de Dom Hélder nesta década de 80, bem como os fatos sombrios da expulsão do Pe. Vito Miracapillo e o julgamento do Pe. Reginaldo Veloso. Este tinha composto uma música - "Vito, Vito, Vitória" - em protesto contra o afastamento do Vigário de Ribeirão. 

Em 92, uma boa notícia: as Paulinas acolheram a proposta de reunir num disco minhas canções mais conhecidas nas comunidades, a partir daí não parei mais




APRESENTAÇÃO DO PADRE JOÃO CARLOS - BREVE RELEASE

Pe. João Carlos Ribeiro é um sacerdote da Congregação Salesiana, cantor e compositor com 08 CDs editados por Paulinas COMEP. Pernambucano de Palmares, dirige atualmente o Colégio Salesiano do Recife. Fundou e coordena a Associação Missionária Amanhecer, a AMA, que agrega pessoas interessadas na evangelização nos meios de comunicação social. Apresenta programas de rádio e de TV na área religiosa. Com sua carreta-palco, é conhecido por seus shows e suas músicas inspiradas em temas bíblicos e religiosos.   
Facebook e Twitter: @padrejcarlos
Contato para shows: (81) 3622.1915 /9954.4603