23 janeiro 2018

AJUDE OS SEUS PARENTES A SE APROXIMAREM DE JESUS

Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe (Mc 3, 35).
Outro dia, nós lemos que os parentes de Jesus estavam desorientados diante de sua atividade missionária. Quando souberam que ele não tinha nem tempo pra comer, com tanta gente atrás dele, eles pensaram ‘Jesus enlouqueceu, coitado’. O evangelista Marcos escreveu, nos dando um susto: “saíram para agarrá-lo”. Puxa!  Os parentes dele eram gente pacata da aldeia de Nazaré. Nazaré, como informei outro dia, fica a uns 50 km de Cafarnaum, a cidade onde Jesus passou a morar, depois que voltou da Judeia. Antes disso, lá pelas bandas da Judeia, ele tomou contato com aquele movimento do profeta João e até tinha se batizado com o povo penitente.
No texto de hoje, os parentes de Jesus chegam a Cafarnaum. Eles ficaram do lado de fora e mandaram chamá-lo. Há uma insistência nessa frase: “tua mãe e teus irmãos”, que, nesta forma, se repete por quatro vezes. Essa expressão pode ser uma forma semita de falar da família. Não tem nenhum sentido negativo contra sua mãe Maria. “Tua mãe e teus irmãos” é uma forma de se referir à família dele, uma vez que não tinha mais o pai. Isso quer dizer que um grupo de seus parentes estava do lado de fora.
O texto apresenta claramente os que estão dentro e os que estão fora. Dentro de casa, claro, está Jesus com muita gente. A casa está cheia. Pela narração anterior, tanta gente se juntava que não dava mais para entrar. Houve até aquela vez que desceram um paralítico pelo teto, lembra? Mas, há uma anotação especial no texto de hoje: As pessoas estão sentadas, ao redor de Jesus. Isto é mencionado duas vezes, nesse pequeno texto, para chamar nossa atenção. ‘Sentados’ é a posição dos discípulos ao redor do Mestre. Você lembra de Maria, irmã de Marta, sentada aos pés de Jesus? Sentado, o discípulo escuta o Mestre, dialoga com ele, está numa posição de quem está aprendendo.
Os que estão dentro de casa, com Jesus, estão sentados. São discípulos e discípulas. Mas, tem gente fora, não tem? Isso, os parentes de Jesus. Eles estão fora. Eles precisam dar um passo importante: entrar na casa, isto é, tornarem-se também discípulos de Jesus.  Sabe quem ficou de fora? Do lado de fora ficaram Adão e Eva (expulsos do paraíso), as moças distraídas (foram comprar óleo, quando chegaram a porta já estava fechada) e o irmão mais velho do filho pródigo (indignado com a festa que o pai preparou, não quis entrar em casa). O lugar dos discípulos é dentro da casa, rodeando o Mestre para aprenderem os caminhos do Reino. Os parentes estavam do lado de fora. A palavra de Jesus é um convite para eles se tornarem seus discípulos. O que Jesus disse? “Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”. Esse é o verdadeiro laço de parentesco com ele.
Vamos guardar a mensagem
Os parentes de Jesus tiveram dificuldade de entender a sua identidade de filho de Deus e a sua missão de Messias. Num certo momento, acharam que ele tinha perdido o juízo. Nessa passagem, eles aparecem do lado de fora, chamando Jesus. Jesus os chama para a condição de discípulos, os convida a ingressar no círculo dos seus seguidores, a entrar na casa. Seus verdadeiros parentes são os que, como ele, fazem a vontade de Deus. O texto não diminui a importância da Virgem Maria. Ninguém mais do que ela soube ser obediente à vontade de Deus. A expressão “tua mãe e teus irmãos” é uma forma de se referir à família, neste caso à família de Jesus, uma vez que não tinha mais pai. Também não tinha irmãos. “Irmãos” aqui são seus primos ou parentes próximos.
Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe (Mc 3, 35).
Vamos acolher a mensagem
Senhor Jesus,
Tua entrada no mundo já foi um gesto de obediência, como está escrito no Salmo 39: “eis que venho, Senhor, com prazer, fazer a tua santa vontade”. Tua santa mãe também acolheu a vontade de Deus com muito amor e entrega total. Disse ela, em resposta à comunicação do anjo: “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra”. E tu nos ensinaste também a acolher a vontade do Pai em nossa vida: “Seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu”. Queremos, Senhor, entrar na tua casa, pertencer ao círculo dos teus discípulos, ser teus parentes: queremos ouvir a Palavra de Deus e pô-la em prática. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vamos viver a palavra
O que você poderia fazer para ajudar seus parentes a se aproximarem mais de Jesus?  Pense nisso. Anote alguma coisa no seu diário espiritual.

Pe. João Carlos Ribeiro – Texto revisto em 22.01.2018

Nenhum comentário: