09 janeiro 2018

A ORAÇÃO E A DECISÃO

MEDITAÇÃO PARA A QUARTA-FEIRA,
DIA 10 DE JANEIRO DE 2018.
Vamos a outros lugares, às aldeias da redondeza! (Mc 1, 38)
Todo dia, encontramos uma coisa nova na palavra que ouvimos do Evangelho.  A palavra de Deus é viva, é uma comunicação atual. Essa página do evangelho de Marcos é quase uma síntese de toda a atividade missionária de Jesus. Aquele sábado, em Cafarnaum, começou na Sinagoga. Lá, o povo ficou admirado como a palavra de Jesus tem autoridade, liberta as pessoas. Foi o caso do endemoniado que ficou bom. De lá, seguiram para a casa da família de Simão e André. Ali, Jesus ajudou a sogra de Simão a se levantar. A febre foi-se embora. Ao anoitecer, a frente da casa ficou cheia de gente e Jesus curou muitas pessoas. De madrugada, ainda escuro, Jesus saiu de casa e foi rezar num lugar deserto.
Então, tudo está indo muito bem pra Jesus. A pregação, as curas, a presença na sinagoga, na casa de família, na rua. Por todo canto, ele estava sendo bem recebido, temido pelos demônios, procurado pelos enfermos. Poderia continuar tranquilo em Cafarnaum, todos estavam satisfeitos com ele. Mas, nessa madrugada de domingo, naquele lugar deserto, com certeza um monte, Jesus está em oração. Na oração, ele está conversando com o Pai que o enviou. Ele recebeu uma missão. Aquele sucesso inicial era um bom começo. Seria esse mesmo o caminho a percorrer? Bom, permanecer em Cafarnaum seria muito bom. O povo ali estava lhe querendo muito bem. Pessoas de outros lugares poderiam vir encontrá-lo, a sua fama já estava se espalhando. O mais sensato talvez seja permanecer  por ali mesmo. Esse é o assunto da oração de Jesus. Ele está buscando a luz de Deus para tomar uma decisão.
Cedinho, Simão e seus colegas sentem a falta de Jesus em casa. Para onde ele foi? Vamos procura-lo. Demoraram, mas o acharam. E lhe disseram: “Todos estão te procurando”. “Todos estão te procurando”. Àquela altura, Jesus já tinha tomado uma decisão importante. Não vai mais voltar a Cafarnaum. Não vai se fixar por ali. Não vai surfar no êxito que já tinha obtido. “O que foi houve, Jesus?” . A decisão que ele tomou diz respeito ao modo como pretende realizar a sua missão. Irá a outros lugares, a começar pelas aldeias da redondeza. Deve pregar ali também, não só em Cafarnaum. Foi para isso que veio. Deve comunicar a todos, por todo canto, a chegada do Reino. Pregando, dirá isso. Curando, mostrará isso. O reinado de Deus é o seu povo livre, fraterno, reconciliado. Para comunicar  isso, deve andar,  viajar, enfrentar novos desafios. Não pode deitar-se na cama do sucesso. Ou acomodar-se a uma situação favorável. É um peregrino, não tem pouso certo. É um missionário, tem que desinstalar-se, ousar, semear a boa semente em todo tipo de terreno. Não vai realizar a sua missão como um Templo de Jerusalém, para onde todos afluíam. Realizará sua missão como a Arca da Aliança que peregrinava com as tribos.
Vamos guardar a mensagem
Jesus podia ter se fixado em Cafarnaum, seu sucesso estava garantido.  Em oração, conversando com o Pai que o enviou, entende que sua missão o compromete com um estilo de vida itinerante, sem a segurança de um endereço fixo, sem a comodidade de ser bem aceito e conhecido numa localidade. É um missionário, vai ao encontro do povo em outros lugares.  É um peregrino, leva a mensagem do Reino a todo canto, com uma vida austera e fraterna. Vai com o seu grupo, não vai sozinho. Bom, nesse início de ano, tem sempre muita mudança. Um muda de casa, outro migra de curso, outro é forçado a trocar de emprego... Se se é forçado a isso, há pouco crescimento. Mas, um cristão pode se inspirar em Jesus e fazer como ele. A mudança pode ser uma decisão, tomada em conferência com Deus, em vista de sua missão, de sua salvação, do seu exercício profissional, do bem de sua família. Pode ser que essa palavra lhe sirva, hoje.  De toda forma, aprendamos com Jesus. Ousar. Aventurar-se. Desinstalar-se. Partir. Como ele. E com ele.
Vamos a outros lugares, às aldeias da redondeza! (Mc 1, 38)
Vamos acolher a mensagem
Senhor Jesus,
Somos teus seguidores, teus imitadores. Tu, pela tua encarnação, és o caminho que Deus põe diante de nós para percorrermos, com segurança. E, como Emanuel, és também o nosso companheiro de jornada, vás conosco. Deste um novo rumo à tua vida e à tua missão, tomando uma decisão naquela madrugada, em oração, no monte. Essa lição, queremos aprender: não devemos tomar nenhuma grande decisão na vida, sem a oração, sem a luz de Deus. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.
Vamos viver a palavra que meditamos
Mesmo que não seja muito tempo, mas, hoje, arrume um tempinho pra você se reservar e ter uma conversa com Deus. A tarefa de hoje é você fazer esse momento de oração.

Pe. João Carlos Ribeiro – 10.01.2018

Nenhum comentário: