01 dezembro 2017

O QUE PODE TORNAR UM CORAÇÃO INSENSÍVEL


MEDITAÇÃO 
PARA O SÁBADO, 
02 DE DEZEMBRO

Tomem cuidado para que os seus  corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida (Lc 21, 34)

Essa palavra de Jesus é impressionante. Se os nossos corações ficarem insensíveis, a manifestação gloriosa do Reino no final dos tempos vai nos pegar desprevenidos e despreparados.  Como vamos escapar das coisas ruins que vêm por aí? Como vamos ficar de pé diante do Senhor Jesus quando ele chegar?

Se a gente se distrair, se relaxar, a gente pode terminar  se resumindo apenas às coisas desse mundo e fazendo delas nosso único objetivo. Jesus cita três coisas que podem tornar os nossos corações insensíveis: a gula, a embriaguez e as preocupações da vida.
Comer é uma necessidade. É um direito alimentar-se bem. Mesa farta é uma coisa, gula é outra coisa.  A gula seria a gente fazer da comida, do alimento, a nossa maior fonte de satisfação, e das festas e comilanças a grande preocupação de nossa vida. A gula é o consumo de alimento em excesso. É um acinte à penúria da maioria e um atentado contra a própria saúde.

A mesma coisa pode acontecer com a bebida. E não é pouca gente que faz da bebida a sua grande satisfação e escraviza-se a ela na embriaguez. E é da embriaguez que Jesus falou nesse caso. Bebida demais, mesmo dentro de casa, é um despropósito. Embriaguez é consumo exagerado de bebida alcoólica, alterando as condições físicas e psíquicas da pessoa. É uma violência ao próprio organismo, pelos riscos à saúde e pelos danos à vida familiar e social.

O mesmo se pode dizer da excessiva preocupação com os  problemas do dia-a-dia… podemos nos tonar refém deles… e nós não nascemos apenas para fazer feira, reformar a casa, levar os meninos pra escola… pagar as contas, correr atrás de uma melhora de vida… nossa condição de filhos de Deus nos reserva muito mais.

Vamos guardar a mensagem de hoje

Se nossa esperança não for Deus e o seu santo Reino, o dia em que o Senhor vier ou o dia em que devemos ir a ele, esse dia pode chegar como uma surpresa inesperada. E o que devia ser um encontro maravilhoso para o qual me preparei a vida inteira, pode se tornar um pesadelo. É o alerta de Jesus. Podemos ficar tão envolvidos com as coisas desse mundo, com a rotina de nossa vida… ou com a busca de satisfação em pequenas coisas… que poderemos esquecer ou perder os verdadeiros bens, a verdadeira felicidade e a eterna salvação.

Tomem cuidado para que os seus  corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida (Lc 21, 34)

Vamos acolher a mensagem de hoje com uma prece

Senhor Jesus,
Obrigado pelo alerta que estás nos fazendo hoje. A vida nos puxa pra cá, nos puxa pra lá. É o trabalho, a criação dos filhos, a chegada dos netos, a doença, as festas de final de ano... e a gente vai vivendo muito voltado para as urgências do momento, com o risco de esquecer que tudo isso só adquire seu sentido completo em Deus, que nos chamou à vida, nos abriu as portas da salvação e nos aguarda na eternidade. Senhor, que o excesso de preocupação, a embriaguez, o consumismo e tudo o mais não tornem estéreis os nossos corações, não nos afastem do teu amor. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Vamos vivenciar a palavra que meditamos

Olha o que Jesus disse: “Fiquem atentos e orem a todo momento” (Lc 21, 36). Você está conseguindo ter o seu momento diário de oração? Escreva a sua resposta no seu diário espiritual, aquele caderno que você ficou de adquirir. Você está conseguindo ter o seu momento diário de oração?



Pe. João Carlos Ribeiro - 01.12.2017