08 dezembro 2017

GRANDE CONVOCAÇÃO DE TRABALHADORES

Peçam, pois, ao dono da Messe que envie trabalhadores para a sua colheita (Mt 9,38)
A constatação de Jesus é que a Messe é grande, mas os trabalhadores  são poucos. E vê isso em suas andanças missionárias, percorrendo cidades e povoados, ensinando, pregando e curando os doentes. Ele encontra o povo e sente as suas necessidades. As multidões estão cansadas, abatidas, como ovelhas sem pastor.
Quando falta o pastor, o rebanho se dispersa, torna-se presa fácil para os ladrões  e as feras do campo. Sem a liderança do pastor, o rebanho já não caminha, não vai mais junto para boas pastagens, já não tem mais metas, trajetos a cumprir.  Cada ovelha procura o seu rumo. Qualquer uma que tiver iniciativa, mesmo sem rumo, sai puxando outras,  às cegas. Cansam-se em vão, dispersam-se. Perde-se a unidade. Perde-se o rebanho.
Jesus, diante do seu povo – rebanho sem pastor – assume a condição de pastor, de líder. Deixa-se mover pela compaixão, pelo amor afetuoso pelo seu povo.  É nessa condição de pastor que ele ensina em suas sinagogas, prega o Reino de Deus por onde anda, e cuida das feridas dos que estão machucados. Curar os doentes é uma forma de demonstrar o cuidado com as ovelhas cansadas e abatidas. Ele está cuidando de suas feridas, sarando as suas chagas, não é um curandeiro. É um pastor cuidando das ovelhas estrupiadas e golpeadas.
De cidade em cidade, de povoado em povoado, ele experimenta como a messe é grande e como faltam operários.  E, então, instrui os discípulos: ‘Peçam ao dono da messe que mande trabalhadores para a sua messe’. Esse apelo de Jesus continua atual. A nossa situação ainda é, em muitos lugares, de rebanho sem pastor. O pastor é ele, o enviado do Pai.  Nem todas as ovelhas estão sabendo que temos um pastor. Precisamos avisá-las.  Precisamos congregar o rebanho ao redor do bom pastor. E os pastores que o rebanho tanto necessita têm um modelo, Jesus, o bom pastor. Como ele, precisam da compaixão para curar-lhe as feridas, carregar as machucadas, ir atrás da que se desgarrou. Como ele.
Vamos guardar a mensagem de hoje
Estão faltando operários para a colheita. Estão faltando pastores para acompanhar o rebanho. Devemos pedir operários para Messe ao Pai, porque a Messe é dele. Jesus foi enviado por ele. Ele envia cada operário, cada pastor. Os novos pastores, olhando para Jesus, saberão como se conduzir na missão. Eles atualizarão a presença de pastor de Jesus no meio do rebanho, com o seu mesmo amor, sua dedicação, sua liberdade e  a entrega de sua própria vida. Ser pastor ou operário da Messe do Senhor não é carreira, nem corrida em busca de privilégios. É serviço, como o de Jesus.
Peçam, pois, ao dono da Messe que envie trabalhadores para a sua colheita (Mt 9,38)
Vamos acolher a mensagem de hoje com uma prece
Senhor Jesus, bom pastor, inspirando-nos no evangelho de hoje, queremos renovar nossa adesão a ti, como pastor enviado pelo Pai, reconhecendo-te ‘caminho, verdade e vida’. Tu nos disseste para pedir ao Pai que mande operários para a sua Messe, pastores para o rebanho. De alguma forma, todos podemos participar  da missão. Então, dize-nos o que fazer, por onde começar, como colaborar. O Pai nos manda para te ajudar. Abençoa, Senhor, a todos os que, ao chamado do Pai, se alistaram a serviço do teu povo. Abençoa os que estão se preparando para o serviço pastoral em tua Igreja. Desperta em nós o espírito missionário para estarmos sempre preocupados e comprometidos com as ovelhas dispersas e cansadas. Sê sempre o nosso bom pastor. Amém.
Vamos vivenciar a palavra que meditamos hoje
Como ele mandou pedir ao dono da Messe... faça isso hoje. Reze pelas vocações.


Pe. João Carlos Ribeiro – 08.12.2017