13 outubro 2017

QUEM NÃO RECOLHE COMIGO, DISPERSA.


Jesus lhes disse: ‘Todo reino dividido contra si mesmo será destruído’ (Lc 11, 17).
Jesus está realizando a sua missão. Qual é a missão de Jesus? Anunciar o Reino de Deus entre nós, aproximar as pessoas de Deus, refazer a aliança de Deus como o seu povo, salvar a humanidade que se separou do Criador pelo pecado. Esses são modos como tentamos explicar a missão de Jesus. Nós o vemos no seu trabalho redentor: anunciando o amor de Deus, convidando as pessoas à conversão, perdoando os pecadores, libertando pessoas da dominação do poder opressor e do demônio.
Que os demônios se opusessem a Jesus, isso a gente entende. Que os grupos privilegiados de Jerusalém o odiassem, até dá para entender. Mas, que pessoas religiosas, praticantes da Lei, se indispusessem contra Jesus, a ponto de o difamarem, tentarem desmoralizá-lo  ou até tramarem a sua prisão, isso nos deixa perplexos. Pois, foi o que aconteceu. No evangelho de hoje, eles começaram a espalhar que Jesus expulsava demônios com a força do próprio satanás. Olha que jogo baixo: Espalhar que Jesus agia em nome do diabo. Haja paciência! Era gente de má vontade procurando desqualificar a vitória que Jesus estava tendo sobre o mal. Agora, o pior é que se tratava de gente de dentro da religião do povo de Deus.
Jesus chamou para a lógica. Se é assim, se o mal está combatendo a si mesmo, diabo contra diabo, então estão realmente perdidos, pois ‘todo reino dividido contra si mesmo será destruído’, acaba se esfacelando, se autodestruindo. Não tinha a menor lógica. Mas, essa palavra de Jesus também poderia ser entendida a respeito dos seus opositores. Esse grupo de gente maldosa estava cavando o buraco para o seu próprio povo. (Se eles ficassem contra Jesus, fazendo propaganda contra ele, dividindo o povo, causando desunião... qual seria o fim do seu povo? “Todo reino dividido contra si mesmo será destruído”. De fato, 40 anos depois da morte de Jesus, houve uma guerra dos romanos contra os Judeus e não ficou pedra sobre pedra. Os judeus perderam tudo. Um reino dividido, não prospera. Termina caindo uma casa por cima da outra, como falou Jesus.)
Ainda nesta semana, apareceram novos focos de oposição ao Papa Francisco. Em um documento que veio a público, 79 senhores católicos criticaram abertamente o Papa, considerando que ele é uma ameaça para a Igreja, com suas posições e seus pronunciamentos. Que ameaça é esta? O que o Papa Francisco tem feito de tão ameaçador? Bom, ele tem lutado, com firmeza, para que o exercício do poder na Igreja não seja um privilégio, mas um serviço; que os pobres tenham a prioridade na vida eclesial; que os imigrantes sejam acolhidos pelos países em melhores condições que os seus países de origem; que a pedofilia seja banida do seio do clero; que a Igreja Católica abrace os cristãos de outras Igrejas com respeito e humildade; que o povo da Igreja e seus pastores sejam mais missionários e saiam para encontrar os sofredores nas periferias do mundo. Isso incomoda? Certamente. A quem? A quem não quer mudar. A quem não quer partilhar. A quem tem medo de dialogar.

O que Jesus diz no evangelho de hoje nos espanta. Ele tão tolerante, um dia não quis que os discípulos proibissem alguém que pregava e curava em seu nome, sem pertencer ao grupo deles. Deixa, ele disse, “quem não está contra nós, está a nosso favor”.  Mas, no evangelho de hoje, ele diz, a respeito dos que o estavam difamando: “Quem não está comigo está contra mim. E quem não recolhe comigo, dispersa”. Disse tudo.
Vamos guardar a mensagem de hoje
Jesus, no exercício do seu ministério, encontrou muita oposição. Oposição das elites e de muitas lideranças populares, como foi o caso dos fariseus. Foi acusado de muita coisa. Uma dessas acusações dizia que ele agia em aliança com o Satanás. Coisa triste, gente dividindo o povo. A desunião começa com o mau gosto que um põe nas realizações do outro. E o faz por inveja, por ciúme, por se sentir ameaçado pelo trabalho do outro. A difamação, a fofoca, as falsas acusações acabam por criar grande divisão na comunidade cristã, no ambiente de trabalho, nas famílias. Aproveite para pensar em sua família. A divisão pode destruir sua casa. Trabalhe pela união. Tire do seu coração todo rancor, qualquer sinalzinho de inveja. Trabalhe pela reconciliação, pelo diálogo.

Vamos por em prática a Palavra de hoje
Veja o que você vai fazer para viver a Palavra de hoje. Minha sugestão é simples: Reze uma Ave Maria pelo Papa Francisco, o Pedro que Jesus colocou à frente de sua Igreja. Mas, você pode fazer muito mais.

Jesus lhes disse: ‘Todo reino dividido contra si mesmo será destruído’ (Lc 11, 17).

Vamos acolher a palavra de hoje com uma prece
Senhor Jesus,
às vezes, ficamos pensando em como as pessoas do teu tempo não aproveitaram suficientemente de tua presença no meio delas. E como tanta gente resistiu, reagiu negativamente e até trabalhou para te eliminar. Mas, pensando bem, continuamos a agir ainda assim... um grande grupo continua indiferente à tua presença e à tua palavra; outro grupo apenas te admira à distância; e há quem continue te negando e te perseguindo nos teus servos.  Ajuda-nos, Senhor, com o teu Santo Espírito, a te acolher como senhor e salvador, sem reservas, sem temores. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Pe. João Carlos Ribeiro – 12.10.2017
Postar um comentário