08 outubro 2017

O CÂNTICO DA VINHA DE UM AMIGO MEU


Quando chegou o tempo da colheita, o proprietário mandou seus empregados aos vinhateiros para receber seus frutos (Mt 21, 34).

Você sabe o que é uma vinha? Então, imagine. Uma vinha é uma propriedade onde se planta uva e se fabrica vinho. Se você tivesse uma vinha naquele tempo, você precisaria cuidar bem dela, para que ela produzisse uma boa uva e um vinho de qualidade. Claro, faria uma boa cerca, para os animais não estragarem a plantação. Teria que fazer um tanque para pisar a uva. Esse tanque tinha o nome de lagar. Com certeza, teria também que construir uma torre, para guardar o vinho produzido e também manter um vigia por lá. Agora, só um aviso: a plantação de uva precisa de muito cuidado: preparar a terra, plantar, podar as videiras, fazer os enxertos, colher as uvas, pisá-las, usar o mosto pra fazer o vinho, armazenar em barris... Depois, claro, ver como vender o vinho, etc., etc. A vinha precisa de muitos cuidados para dar um bom resultado.

Na Bíblia, o povo de Deus é comparado com a vinha. Deus é o dono da vinha, foi ele que arrumou um bom terreno e a plantou. Cuidou dela, protegendo-a dos animais, trabalhando duro como um agricultor cuidadoso. Olha o que diz o livro do Profeta Isaías: “A vinha do Senhor dos exércitos é a Casa de Israel”. No capítulo 5, o profeta conta a história da vinha do seu amigo. O seu amigo é Deus. A vinha é o seu povo. E o dono da vinha estava muito decepcionado: a sua vinha não deu uvas boas, produziu, sabe o quê? Uvas selvagens. Ele ficou muito triste e revoltado por isso. Disse que ia deixar o mato tomar conta. Só de raiva, iria abrir a cerca toda, para os bichos do mato entrarem e acabarem com tudo.

Pois é, aquela vinha só deu uvas selvagens, que decepção. O agricultor, muito chateado, resolveu abandonar a vinha. Quem é a vinha? É o povo de Deus. Quem é o dono da vinha, o agricultor? É Deus. Que tristeza é ver uma vinha abandonada! E olha que o povo de Deus experimentou isso na pele. Houve um tempo em que seus inimigos invadiram o país, destruíram tudo, saquearam o que havia de melhor e ainda desterraram muita gente. Foi o tempo do exílio da Babilônia. Foi nesse tempo que o povo ficou pensando: por que aconteceu tudo isso? Por que Deus nos abandonou?  Aí rezavam o Salmo 80 (talvez na sua Bíblia seja o salmo 79). Nessa bela oração da vinha devastada, eles só viam uma solução: pedir a Deus para ele voltar e proteger a sua vinha. Olha a oração deles: “Voltai-vos para nós, Deus do universo. Visitai a vossa vinha e protegei-a. Nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus”.

Jesus também comparou o povo de Deus com a vinha. E ele enxergou um outro problema: os que ficaram tomando conta da vinha se apossaram dela. Estavam ficando com a colheita toda e negando-se a reconhecer os direitos do dono da vinha. E o pior: maltratavam os empregados que o dono mandava para receber a sua parte na colheita. Negavam-se a entregar o que era de direito do proprietário e chegaram a matar os empregados que foram cobrar em seu nome. Você está entendo essa história de Jesus? A vinha do Senhor, que é o seu povo, estava sob o domínio de uma elite que se apossou dela. E estava agindo com violência contra quem representava o verdadeiro proprietário. A gente conclui logo que esses empregados enviados pelo dono da vinha eram ou foram os profetas. Agora, o que estava para acontecer seria o pior. O dono da vinha mandou o filho para fazer a cobrança, pensando que respeitariam o seu filho único. Foi pior. Eles o matariam. Certamente, aquela elite que estava escutando Jesus entendeu. Eles eram os rendeiros que se apossaram da vinha e dos seus frutos. Reagiam matando os profetas. E, agora, queriam matar o próprio filho do dono, Jesus. Mas, eles se preparassem, isso não ia ficar assim.

Vamos guardar a mensagem de hoje:

Nós somos a vinha de Deus. Ele nos plantou e cuida de nós. Espera que produzamos bons frutos, uvas doces para um bom vinho. O profeta Isaías falou da decepção do seu amigo que plantou uma bela vinha e a cercou de todos os cuidados. Esperava uma colheita de uvas boas, mas a vinha só produziu uvas selvagens. Ele resolveu abandoná-la. O povo, quando sentiu na pele a destruição do país, procurou se endireitar e pedir a Deus que voltasse e protegesse a sua vinha. Jesus encontrou a vinha de Deus, o seu povo, dominado por uma elite que se apossava de seus frutos. Eles tinham acabado de rejeitar e matar o profeta João Batista. Agora, estavam se organizando para matar o próprio filho do dono da vinha. E você, onde entra nessa história? Bom, quem for vinhateiro, uma liderança na família ou na comunidade cristã, essa é a hora de se perguntar se está agindo como trabalhador ou como proprietário da vinha de Deus? E quem é videira, como você, veja lá que uva você está produzindo: uvas de qualidade  ou uvas selvagens? Bom, se seus frutos não forem os melhores, já sabe o que fazer. Comece rezando o salmo 80.

Quando chegou o tempo da colheita, o proprietário mandou seus empregados aos vinhateiros para receber seus frutos (Mt 21, 34).

Vamos acolher a mensagem de hoje com uma prece (Salmo 80)

— Arrancastes do Egito esta videira, e expulsastes as nações para plantá-la; até o mar se estenderam seus sarmentos, até o rio os seus rebentos se espalharam.
— Foi a vossa mão direita que a plantou; protegei-a, e ao rebento que firmastes!

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo, como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Pe. João Carlos Ribeiro – 08.10.2017