08 agosto 2017

FÉ A TODA PROVA

A mulher insistiu: “É verdade, Senhor; mas os cachorrinhos também comem as migalhas que caem da mesa de seus donos! (Mt 15, 27)
Uma senhora pagã veio ao encontro de Jesus com um pedido de socorro: a filha estava possuída pelo demônio. A resposta de Jesus foi estranha. Ficou calado. Ela continuou implorando, pelo caminho. Ele comentou com os discípulos que fora enviado somente para o povo de Deus. A mulher insistia, implorava... E a resposta dele foi dura: “Não fica bem tirar o pão dos filhos para jogá-lo aos cachorrinhos”. Ele, como bom judeu, entendia que devia socorrer primeiro o povo da aliança, o seu povo. Será que essa era mesmo a compreensão de Jesus ou ele estava colocando a mulher à prova? De toda forma, ele foi muito duro, negando-se a ajudar aquela senhora pagã que implorava socorro para libertar a filha do domínio do demônio.
Agora, essa aparente rejeição não conteve aquela senhora em busca de uma solução para sua filha. O que uma mãe não faz pelos seus filhos? O que um pai não faz para salvar um filho? Ela insistiu, com muita humildade: “É verdade, Senhor; mas os cachorrinhos também comem as migalhas que caem da mesa de seus donos!” (Mt 15, 27). Uma fé a toda prova. Sim, ela até se conformava com a pecha de “cachorrinhos” com que os judeus rotulavam os pagãos. Na verdade, os chamavam de cães, porcos... uma triste atitude de discriminação, para nossos padrões de hoje. Pois bem, ela aceitava essa condição humilhante, que não lhe dava direito de receber os benefícios do Messias do povo eleito. Mas, dizia ela, “os cachorrinhos também comem as migalhas que caem da mesa de seus donos”.
Essa fé tão grande, essa humildade tão forte, convenceram Jesus. Pode ser que até o tenha feito mudar de ideia, se de fato ele pensava daquele jeito.  Olha a resposta dele: “Mulher, grande é a tua fé! Seja feito como tu queres!”. Uma grande lição para todos nós. Cultivar uma fé que não se deixe vencer pelos preconceitos, que passe na prova da humildade.
Vamos guardar a mensagem de hoje
Pode ser que Jesus tenha querido por à prova a fé daquela mulher pagã, ao fazer dificuldade em atender o seu pedido. Ou pode ser que ele tenha agido na lógica da cultura judaica que excluía as pessoas de outras religiões da bênção de Deus. Se foi para pô-la à prova, ela passou no teste, demonstrando a grandeza de sua fé e de sua humildade. Se ele agiu por preconceito, foi humilde ao modificar sua posição, reconhecendo a preciosidade de sua fé e concedendo-lhe a libertação de sua filha.
A mulher insistiu: “É verdade, Senhor; mas os cachorrinhos também comem as migalhas que caem da mesa de seus donos! (Mt 15, 27)
Vamos acolher a palavra com a prece
Senhor Jesus,
A mulher cananeia nos deixa uma grande lição. Diante da necessidade premente de sua filha, ela foi ao teu encontro s e soube ser perseverante no seu pedido. Não desanimou diante do teu silêncio, nem de tua negativa. E não se intimidou com a ofensa recebida por ser pagã, ao ser comparada aos cachorrinhos. Na sua fé, mostrou humildade e perseverança no seu pedido. Não só foi atendida, mas também te ajudou a ter uma nova compreensão da missão. Senhor, não nos deixes desanimar diante das primeiras dificuldades, nem desistir diante das barreiras que se nos apresentem intransponíveis. Que a nossa fé seja a toda prova e a humildade e a perseverança sejam a força de nossa fraqueza. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Pe. João Carlos Ribeiro – 08.08.2017
Postar um comentário