22 agosto 2017

CAVANDO MAIS FUNDO

O Reino dos Céus é como um tesouro escondido no campo (Mt 13, 44)
Antigamente, contavam-se muitas histórias de botija: ouro, joias, dinheiro escondidos debaixo da terra. Isso era muito comum no tempo da Colônia e do Império no Brasil, quando não havia Banco ou não se tinha acesso a ele. Era uma forma de guardar a própria riqueza: escondia-se o tesouro em lugar que ninguém encontrasse. Meu pai mesmo era doido para achar uma botija. Sonhava com indicações de onde se encontrariam botijas escondidas. E as histórias eram muitas... A gente ficava na maior torcida... Mas, coitado, nunca achou nenhuma botija.
Jesus contou a história da botija para compará-la com o Reino de Deus, um tesouro escondido que é preciso resgatar em seu favor. O Reino é um tesouro, mas precisa ser descoberto. E aquele homem da história de Jesus encontrou uma botija, um tesouro escondido no campo. São quatro as suas atitudes: encontra o tesouro, o mantém escondido, vende todos os seus bens e compra aquele campo. Assim, fica dono da botija.
Encontra o tesouro. Ao cavar a terra, trabalhando, dá com o tesouro. Descobre que uma riqueza o aguarda, um dom inteiramente gratuito e imensamente valioso. É preciso descobrir o Reino de Deus, encantar-se por ele, acolhê-lo como dom de Deus para a felicidade e a salvação. É preciso descobrir o tesouro. Ele está bem ali, onde você vive e trabalha. É só cavar... Muita gente não descobriu ainda esse tesouro. Passa pra lá, passa pra cá... e não se dá conta que tem um tesouro esperando para ser descoberto, bem debaixo do seu nariz.
Depois de encontrar o tesouro, o homem o mantém escondido. E o Reino de Deus não é para ser divulgado? Sim, mas antes precisa ser possuído. Um tesouro sem dono atrai muitas pessoas mal intencionadas. Quando alguém descobre a fé, precisa fortalecê-la, aprofundá-la, confirmá-la. Só então pode expô-la ao debate, às dúvidas, ao questionamento. Na sua fragilidade, é preciso protegê-la. A vocação, que é um tesouro, no começo precisa ser protegida... nem todo mundo entende, nem todo mundo dá força. Enquanto não possuir o tesouro, fique quieto. Esconda o seu tesouro.
Encontra o tesouro, esconde-o e vai vender todos os seus bens – para quê? Para adquirir o campo e ficar com o tesouro. Para possuir esse tesouro é preciso renunciar a muita coisa, investir tudo o que tem, entregar-se a si mesmo. Ao jovem rico, Jesus recomendou que vendesse tudo e desse o dinheiro aos pobres. Como ele poderia ter o tesouro do Reino, com tantos bens disputando sua atenção? Vender tudo é empenhar-se radicalmente, é dirigir todo o seu ser para Deus, é entregar-se com tudo que é, que tem e que ama.
E finalmente o agricultor compra o campo, para ficar com o tesouro. O Reino é um tesouro, é o dom de Deus. Para possui-lo é preciso entregar-se a si mesmo. Talvez seja por isso que tanta gente não abraça pra valer o Reino de Deus. Fica só olhando para o tesouro. Para possui-lo é precisa entregar-se a si mesmo. Dá para entender a palavra de Jesus: ‘Quem quiser me seguir, renuncie a si mesmo’.
Vamos guardar a mensagem de hoje
Jesus comparou o Reino de Deus com a história do trabalhador que encontrou um tesouro. Foram quatro as suas ações: encontrou o tesouro, o manteve escondido, vendeu todos os seus bens e comprou aquele campo. Assim, ficou dono do tesouro. Jesus tinha explicado: “O Reino de Deus já está no meio de vocês”. Ele está em nossa vida, como quê escondido, é preciso cavar mais fundo... navegar em águas mais profundas, como Jesus disse certa vez. E, claro, quando alguém encontra um grande amor, não o compra. Entrega-se a ele. Foi o que o agricultor fez. É o que temos que fazer.
O Reino dos Céus é como um tesouro escondido no campo (Mt 13, 44)
Vamos acolher a Palavra com uma prece
Senhor Jesus,
Obrigado, Senhor, pelo tesouro que preparaste para nós, o teu Reino. Ele é um dom em nossa vida e em nossa história. Ele é um tesouro escondido no chão de nossa vida. Vivendo na superficialidade, não o encontramos. Só cavando mais profundamente, podemos encontra-lo. Mas, não o possuímos se não nos entregamos com tudo o que temos e somos. Senhor, rezamos contigo ao Pai: “Venha a nós o vosso Reino”. Amém.

Pe. João Carlos Ribeiro – 23.08.2017