13 julho 2017

SERPENTES E POMBAS

Eis que eu envio vocês como ovelhas no meio de lobos. Sejam, portanto, prudentes como as serpentes e simples como as pombas (Mt 10, 16)
Estamos lendo, nestes dias, o Sermão da Missão, no capítulo 10 de Mateus. Jesus começou anunciando o nome dos missionários. E prosseguiu com uma série de recomendações. Hoje, temos uma advertência sobre as dificuldades da missão. Missionários somos todos nós, discípulos do Senhor. A nós é confiada a missão, em vários graus e de várias formas. Os missionários somos nós. Então, as dificuldades mencionadas por Jesus, nós também vamos encontrá-las.
O conteúdo da missão nos foi indicado na passagem de ontem: “No caminho,  anunciem: ‘O Reino dos Céus está próximo’. Anunciar com palavras e gestos que o Reino de Deus chegou para todos. Anúncio a ser concretizado em quatro tarefas. Curar os enfermos, isto é, restaurar a dignidade humana. Purificar os leprosos, isto é, proclamar o perdão dos pecados pela misericórdia de Deus. Ressuscitar os mortos, isto é, promover a vida. Expulsar os demônios, isto é, denunciar e vencer o mal que domina as pessoas. São essas as quatro tarefas pelas quais anunciamos a proximidade do Reino de Deus na vida das pessoas.
Essa missão comunicada aos doze apóstolos é a missão confiada a toda a Igreja, a todos os seguidores de Jesus. E a gente a realiza com nossa vida cristã, com nossas palavras e ações. E é esse ser cristão e  anunciadores de  Cristo no mundo que nos traz problemas, dificuldades, resistências, reações. É neste sentido que Jesus está nos dizendo: “envio vocês como ovelhas no meio de lobos”. O mundo, influenciado pelo poder do mal, não aceita facilmente a mensagem de Cristo. E podemos, como ovelhas no meio de lobos, ser presas fáceis da vaidade, do fascínio do poder e da riqueza, da pressão social, da lógica do mundo. Ou, permanecendo fieis à nossa missão, podemos até sofrer todo tipo de incompreensão, de retaliação, de perseguição.
E Jesus completou: “Sejam prudentes como as serpentes e simples como as pombas”. A serpente do livro do Gênesis, a que levou Adão e Eva ao pecado, foi descrita como o mais astuto dos animais no Jardim do Éden. A conversa que ela teve com Eva, parecia tão afável e desinteressada... ela soube conduzir bem o diálogo, foi sabida. De verdade, a serpente não se apresenta de qualquer maneira, se esconde, se esquiva, parece planejar bem as suas ações. Talvez seja nesse sentido que Jesus disse: imitem a prudência da serpente, ou seja a sua sabedoria. As pombas são criaturas doces, próximas, mansas... chegam pertinho pra comer o que a gente oferece. A orientação do Mestre foi, no exercício da missão que comporta sempre dificuldades, ter a prudência das serpentes e a simplicidade das pombas.  
Vamos guardar a mensagem de hoje
Jesus enviou os doze em missão. Com eles, todos nós somos enviados. A missão é proclamar a proximidade do Reino de Deus. Nós a realizamos pelo testemunho de vida, por ações e pelas palavras que proclamamos. As ações estão descritas simbolicamente em quatro tarefas: restaurar a dignidade humana, anunciar o perdão dos pecados, promover a vida e vencer o mal que domina as pessoas. Na realização dessa missão, muitas dificuldades e perseguições podem nos aguardar. Assim, orientou Jesus: ‘tenham a mansidão das pombas e a sagacidade das serpentes’. Ser simples, mas não ser bobo.
Vamos fazer um momento de oração
Senhor Jesus,
A descrição que fazes da pressão, das perseguições, dos julgamentos a que poderemos ser submetidos por causa de nossa fé nos assusta. Mas, tu nos tranquilizas de muitos modos. Sobretudo, nos garantes a assistência do Santo Espírito, que nos dará as palavras certas, que tomará a nossa defesa. Senhor, embora a missão não pareça fácil, queremos realiza-la com fidelidade, perseverando até o fim, como nos convidas. Seja bendito o teu santo nome, hoje e sempre. Amém.

Pe. João Carlos Ribeiro – 13.07.2017