26 fevereiro 2017

A preocupação

Não se preocupem, dizendo: ‘O que vamos comer? O que vamos beber? Como vamos nos vestir? Os pagãos é que procuram essas coisas. O Pai de vocês, que está nos céus, sabe que vocês precisam de tudo isso  (Mt 6, 31-32)


Será que é possível viver sem preocupação? Preocupação não tem quem ainda não tem responsabilidades. Ou não está em seu pleno juízo. Você se preocupa com o agravamento da saúde de alguém muito próximo, com a segurança de sua casa, com as contas a pagar...  não se vive sem preocupação.
Bom, se a sua preocupação for um sinal de responsabilidade, então é uma coisa positiva. Se a sua preocupação for exclusivamente com os bens materiais, aí já é um desvio. Se a sua preocupação leva quase ao desespero, tome cuidado. Se ela faz de você uma pessoa negativa e aborrecida, claro, você está doente de preocupação.
Jesus está notando a preocupação exagerada das pessoas com a sobrevivência (o alimento, a bebida, a roupa, o dia de amanhã ). E a valorização excessiva que muitos fazem do dinheiro. Essa fixação nos bens materiais é quase uma religião, onde o deus é o dinheiro. Gente que põe sua confiança no dinheiro. Gente que só dá valor a dinheiro e a quem tem dinheiro. Você conhece gente assim? No fundo, essa é uma tentação de todo mundo.
Os discípulos tinham dito diante da fome da multidão: “Nem se a gente tivesse 200 denários pra comprar pão pra esse povo todo iria dar...”.  Sem dinheiro, ficaram paralisados diante da necessidade da comunidade. Mas Jesus mostrou que o dinheiro não é a única solução. A partilha, a solidariedade e a providência de Deus valem muito mais. Alimentou todo mundo com cinco pães e dois peixes.
Você está acompanhando? Preocupação excessiva com o dinheiro é sinal de pouca fé e de pouca confiança em Deus. Jesus lembrou os pássaros... é a providência de Deus que os alimenta. Não passam fome. Apontou as flores do campo, que roupa linda a delas!... tudo obra da providência de Deus. Que grande lição: É Deus quem nos alimenta e nos veste! Deus cuida de nós.
Então, a fé e a confiança em nosso Deus e Pai nos levam a viver serenos, mesmo no meio das dificuldades financeiras. Não faça as contas só consigo mesmo, com seu salário ou seus rendimentos. Nós temos um pai que não nos abandona. Como uma mãe que não se esquece de sua criança, ele não nos abandona (Is 49 - a primeira leitura de hoje). A outra lição é São Paulo quem dá: Nós somos administradores das coisas de Deus. Cabe-nos apenas ser fieis (1 Cor 4 – é a sua leitura). Então, nada de preocupação excessiva como se tudo dependesse de nós. Mas, claro, nada de ficar de braços cruzados, esperando cair tudo do céu. Aí já seria falta de responsabilidade. Deus nos mandou trabalhar, ganhar o pão com o suor do nosso rosto. E ele, em sua providência, age nos abrindo oportunidades, nos dando as condições, abrindo o mar diante de nós. Mas é preciso marchar, trabalhar, se movimentar...
Vamos guardar a mensagem de hoje:
Deus e o seu Reino estão em primeiro lugar. Na luta pela sobrevivência, não tire Deus do primeiro lugar para por o dinheiro no lugar dele. Confie em Deus, ele cuida de você. Ele é providente. Não viva preocupado como se não tivesse com quem contar, você tem um Pai que sabe o que você precisa e nunca vai abandoná-lo(a). Não carregue o peso de amanhã. Basta o de hoje.
Pe. João Carlos Ribeiro - 26.02.2017