24 dezembro 2016

No princípio, era a Palavra

No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com Deus. E a Palavra era Deus (Jo 1,1)

O evangelho da Missa do dia da natal é o prólogo do evangelho de São João, o começo do seu evangelho. É uma abertura solene, como um resumo de todo o seu evangelho. Neste prólogo ou abertura solene, encontram-se os temas que serão tratados em todo o quarto evangelho.

E o prólogo do evangelho de São João começa com as palavras com que se inicia a Bíblia, no livro do Gênesis: “No princípio”... O comecinho da Bíblia é assim: “No principio, Deus criou o céu a e terra”. A Bíblia começa com a narração da criação, a criação do mundo, dos seres vivos, até a criação do homem e da mulher, no sexto dia. Já o comecinho do evangelho de São João é: “No princípio era o Verbo...”, lembrando então o começo da Bíblia, a criação. Na nossa tradução, Verbo está traduzido por Palavra. “No princípio era a Palavra”.

No poema da criação, no livro do Gênesis, lemos que Deus criou o mundo com sua Palavra, com seu Verbo. Disse: Faça-se. E tudo foi feito. Vemos ali a palavra pronunciada por Deus criando o mundo e os homens. No Livro da Sabedoria, livro do antigo testamento, esta palavra é a Sabedoria com que Deus criou e governa o mundo. A sabedoria está tão íntima a Deus que é o próprio Deus.

A obra de Deus, a sua criação, foi uma obra perfeita. Ao terminar seu trabalho, diz o livro do Gênesis, Deus viu que tudo era bom, tudo tinha ficado perfeito. Mas, o homem, representado em Adão e Eva, desfigurou a obra de Deus. Com a liberdade com que foi criado, o homem desobedeceu, duvidou da bondade de Deus, pecou. O pecado do homem introduziu sofrimento e morte na obra da criação. Depois do pecado, com suas danosas consequências, Deus, sempre misericordioso, prometeu que a descendência da mulher esmagaria a cabeça da serpente.

Com Jesus, o novo Adão, estava chegando o dia do cumprimento da promessa: a descendência da mulher que esmagaria a cabeça da serpente. Jesus, a descendência da mulher, é o salvador prometido desde os primeiros dias da criação.

Ora, esse Jesus que nasceu humano estava unido a Deus, desde o princípio. Ele era como a Palavra com que Deus criou o mundo. Aliás, sem ele nada foi feito. Tudo foi feito por meio dele. Ele é o Verbo de Deus, a sua Palavra criadora. Esse Verbo, que estava com Deus desde o princípio, encarnou-se no seio da Virgem Maria e se fez homem. O Verbo se fez carne e habitou entre nós.

Então, por que será que a abertura do evangelho de São João evoca a criação, na primeira página da Bíblia? Porque a vinda de Jesus ao mundo é a realização da promessa de Deus na primeira semana da criação. Jesus é o novo homem, obediente e fiel, que vai vencer o mal, o pecado e a morte. Ele é o salvador da humanidade.

A Palavra, o verbo, digamos, é o primeiro tema do evangelho de São João. Jesus é o Verbo de Deus, a sua palavra criadora. O segundo tema no prólogo é a luz. Mas, eu vou ficar por aqui. A luz você entende, a luz é Jesus que veio iluminar a escuridão da historia humana. Vou só pedir a você para ler o evangelho de hoje em sua Bíblia (Jo 1, 1-18) e contar quantas vezes está escrita a palavra luz. Some o resultado de sua pesquisa com a palavra “ilumina” (como está escrito: vindo ao mundo, ilumina todo homem). Então, conte quantas vezes se diz a palavra luz e some com esse “ilumina”. A conta que você vai fazer vai lhe surpreender: tem a ver com a criação de Deus, a obra da criação que será restaurada por Jesus.  


No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com Deus. E a Palavra era Deus (Jo 1,1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E você, o que pensa sobre isso?