Meditação da Palavra

06 julho 2016

O livro da fé

Conhecer a fé professada por sua Igreja: desafio grande para os cristãos de hoje - tarefa urgente para todos nós.

A caminhada é longa. Começou com Israel. Fruto de sua experiência com Deus, o povo da antiga aliança reuniu aos poucos histórias, poemas, orações, palavras dos profetas. Esses escritos sagrados registram a sua compreensão de Deus, aquilo que acolheram da revelação de Deus em sua história.  O povo da nova aliança, sem desprezar nada do caminho feito por Israel, reconheceu em Jesus a manifestação maior de Deus na história. E conservou sua vida, suas palavras, a experiência da primeira geração de cristãos em escritos sagrados que guardam e atualizam a sua memória.



Os anos foram se passando. E a fé foi sendo vivida, estudada, explicada, pregada às gerações seguintes. A compreensão da comunidade cristã sobre Jesus Salvador e sobre a sua missão foi se codificando, isto é, ganhando uma forma mais clara, uma explicação mais organizada. É a catequese, o serviço da formação cristã. E sempre que alguém começou a ensinar diferentemente ou ao contrário do que a grande comunidade cria – é o caso das heresias – os estudiosos, o povo cristão e os Concílios reafirmavam ainda mais claramente as verdades da fé. Assim, nasceram os Credos, como sínteses maravilhosas da fé cristã. E os Catecismos, como resumos da doutrina cristã.

Conhecer as verdades da fé, isto é saber em que é que nós cremos, é ainda mais necessário no mundo de hoje. No mar de diferentes opções religiosas e em clima de grande pluralismo cultural, o cristão desta geração precisa conhecer e abraçar sua fé com maior convicção e até mesmo com um entusiasmo contagiante. O cristianismo só será significativo hoje se for professado por cristãos seriamente alimentados pelo Evangelho e pelo conhecimento da fé. Só assim poderão sustentar um testemunho forte da novidade que há em Cristo, em meio esse um mundo desorientado.

E é aqui que entra o esforço da Igreja pela formação dos seus membros, nos dias de hoje. Na década de 80, o então Papa João Paulo II confiou a um grupo de bispos do mundo inteiro a tarefa de reunir todos os ensinamentos da fé católica em um único livro, um compêndio. Não foi tarefa fácil explicar a fé às pessoas de hoje de tantos e diferentes contextos nos cinco continentes. Escolheram para o livro um nome antigo, mas muito significativo: Catecismo da Igreja Católica. Quando foi publicado, leu-se logo a primeira recomendação: “Esse livro é um compêndio das verdades da fé professadas pela Igreja Católica desde o tempo dos apóstolos até hoje e precisa ser reescrito e traduzido para cada público em particular”. E isso porque cada cultura e cada geração têm a sua linguagem.

Quer um conselho? Procure, por todos os meios, conhecer melhor e mais profundamente a fé da Igreja. A fé é a nossa única segurança nesta vida.

Pe. João Carlos Ribeiro