18 julho 2016

Alguém precisa de você

Quanto mais a população se concentra nos centros urbanos, menos comunicação interpessoal,  mais anonimato, mais indiferença. A indiferença é a gente passar um pelo outro, como se o outro não existisse. A indiferença e o individualismo enfraquecem o tecido social e empobrecem a nossa convivência humana.

Vivendo em sociedade, cada um tem um papel a cumprir, uma função social, uma tarefa profissional. Quem, como nós, leva o nome de ‘cristão’ e tem a responsabilidade de honrar a sua fé, não se contenta apenas em cumprir socialmente um papel. A perspectiva do evangelho é mais do que a simples convivência pacífica e educada entre todos, em sociedade. O evangelho nos impulsiona a um encontro mais profundo com as pessoas. Todos somos irmãos, estamos no mesmo barco e precisamos uns dos outros.

Quem não se lembra daquela história do bom samaritano que Jesus contou? Aquela cena é a proposta do evangelho. O homem que voltava de Jerusalém e ia para Jericó foi assaltado. Ele era um judeu, um devoto voltando de uma peregrinação. Só quem o ajudou foi um samaritano, um comerciante que passou por ali e teve compaixão dele. Um era judeu, outro era samaritano, pertenciam a religiões em conflito. Não eram parentes, nem moravam na mesma localidade... Eram quase inimigos de raça e religião. Mas, o samaritano ajudou o judeu. Foi isso que Jesus quis sublinhar.

Em sociedade, um precisa ajudar o outro. Mas, não porque torcem pelo mesmo time, ou moram na mesma rua, ou são parentes. Ajudar porque o outro está precisando, está doente, está numa fase difícil de sua vida. Ajudar porque o outro está sem emprego, sem comida em casa e sem passagem no bolso. O samaritano ajudou o judeu porque ele estava caído na estrada, quase morto, fora assaltado e espancado pelos ladrões. Ele estava precisando de ajuda. 

Isso é o que se chama Caridade. O amor respeitoso e responsável pelo bem do outro. O apoio na hora em que o outro precisa. A ação que não está esperando recompensa, que vai ao encontro de quem está em situação de vulnerabilidade. Não passar pela outro que está necessitado sem se interessar por ele, ainda que não possa contribuir financeiramente ou de outra forma para a solução do seu problema. Mostrar interesse, proximidade. Alimentar empatia. Não ser indiferente ao drama dos outros. Esse compromisso com o bem do outro se reflete em opções sociais e políticas em favor de uma sociedade justa e fraterna.

Na história do Samaritano, está um espelho pra os seguidores de Cristo. Deus é amor. Jesus nos mostrou o seu rosto misericordioso. Pensando bem, esse evangelho da misericórdia deveria mudar muita coisa em nossa vida. Quantas pessoas nós não encontramos em nosso dia a dia?! Não são todos nossos parentes, nem moram em nossa rua, nem frequentam a nossa Igreja, mas todos merecem atenção, respeito, consideração. São nossos semelhantes, nossos companheiros de caminhada neste mundo.

E se você encontrar hoje alguém que está precisando de apoio, de atenção, de um ombro amigo.... é hora de oferecer-lhe um bom conselho, uma orientação, uma ajuda, se possível. É hora de mostrar sua cara de cristão, seu interesse pelo bem do outro. É isso. Não dá para ser cristão e passar pela vida das pessoas com indiferença. 
Pe. João Carlos Ribeiro
Postar um comentário