31 maio 2016

A graça da gravidez

Mesmo quando esperado, o anúncio de uma gravidez é sempre uma notícia surpreendente. E, se se trata da primeira gravidez, a emoção é ainda mais forte para a mãe, para o pai, para os avós. A boa notícia é uma faísca que espalha uma onda de contentamento entre tios, parentes e amigos. Aos poucos, nota-se um salto de qualidade na vida do casal, que vai se concentrando sempre mais naquela vida nascente, acompanhando passo a passo o seu desenvolvimento. É um misto de alegria e suspense a cada exame médico, a cada reportagem sobre gestação, a cada conselho dos avós. Os pais já começam a planejar o período de licença da mãe, o quarto, o enxoval do bebê. Nove meses de preparação e crescimento no útero materno e no útero social da família.

É claro que estamos falando de uma gravidez no relacionamento estável de um casal, no seio de uma família. Todo bebê merece isso, merece uma família, tem direito a um pai e a uma mãe que o aguardam e preparam a sua chegada. Infelizmente, não é assim pra todo bebê. Muitas vidas humanas foram geradas no susto e o anúncio da gravidez da mãe é o início de muitos dramas e de muito sofrimento para a mãe e para o filho.  É o namorado que os abandona, são os amigos que aconselham o aborto, é a família que se sente traída e envergonhada. Ainda assim, vemos com grande respeito que o amor de uma mãe enfrenta e vence os maiores obstáculos.

A vinda de um ser humano ao mundo é uma bênção. A maternidade e a paternidade tocam o poder criador de Deus. A concepção é um momento de graça, em que o próprio Deus intervém criando-nos uma alma. Não somos apenas resultado da geração biológica, somos criaturas de Deus. O homem e a mulher saíram de suas mãos, foram feitos à sua imagem e semelhança. E cada novo ser humano existe porque Deus pensou nele, Deus o amou, Deus o quis. Não é obra do acaso, é obra de Deus. Por isso, a concepção, a gestação e o nascimento de uma criança trazem tanta alegria, tanta felicidade... porque tocam o mistério de Deus, que nos criou por amor.

Olha o que podemos aprender da vinda de Jesus ao mundo. A gravidez de sua mãe foi uma coisa tão importante para Deus que ele enviou o seu anjo para lhe fazer essa comunicação: “A senhora vai ser mãe, o Espírito Santo de Deus vai gerar um menino no seu ventre. Deus vai dar a ele o trono de Davi, para ele governar o seu povo. Ele é o filho do Altíssimo”.  “Meu Deus, que graça é essa! Eu não tenho esse merecimento. Eu nem me casei ainda”. “Ah, você está cheia da graça de Deus. Ele está com você. Para ele, nada é impossível”. “Está certo. Minha vida está nas mãos de Deus, eu sou a sua serva”. O anúncio da gravidez de Maria foi um momento de Deus, um momento luminoso, manifestação do amor de Deus por ela, a sua humilde serva, e pela humanidade toda.

Na anunciação do anjo à Maria, aprendemos que a vida humana é sagrada, é obra de Deus através do amor do pai e da mãe. E pelo amor dos pais, ele nos acompanhou em todos os passos da gestação, nos gerando como filhos amados. Foi assim com Jesus. Que seja assim pra todo ser que venha a esse mundo! Que haja essa certeza em todos os corações de mãe e de pai nesta terra: o anúncio da gravidez é um momento de graça, pois a vida é dom de Deus.  


Pe. João Carlos – 25.03. 2014, festa da anunciação do Senhor.
Postar um comentário